Telesur

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Telesur
País  Venezuela
Fundação 24 de julho de 2005
Proprietário  Cuba
Nicarágua
Uruguai
 Venezuela
Presidente Patricia Villegas
Slogan Nuestro norte es el sur

"Nosso Norte é o Sul"

Cobertura Continente Americano, Caribe e Europa
Página oficial TeleSurTV.net
Disponibilidade por satélite
Vivo TV
Canal 448. Satélite ses 6 40.5W.

A Televisión del Sur (Telesur ou teleSUR) é uma rede de televisão multi-estatal (ou seja, de vários governos) para América, com sede na Venezuela. Iniciou suas transmissões em 24 de Julho de 2005, aniversário de nascimento de Simón Bolívar. O canal, cujo lema é "Nuestro Norte es el Sur" (Nosso Norte é o Sul), foi criado numa parceria que é financiada pelos governos da Venezuela, Cuba, Equador, Bolívia e Uruguai.

A Telesur é um canal televisivo que, segundo as próprias palavras, "nasce de uma evidente necessidade latino-americana: contar com um canal que permita a todos os habitantes desta vasta região difundir seus próprios valores, divulgar sua própria imagem, debater suas próprias ideias e transmitir seus próprios conteúdos, livre e equitativamente".

A Telesur é uma iniciativa do ex-presidente Hugo Chávez, da Venezuela, junto aos governos de Cuba, Argentina e Bolívia, que visa dar uma alternativa comunicacional para toda a América Latina e Caribe, em resposta à hegemonia das grandes corporações estadunidenses, como a CNN e outras emissoras que transmitem em espanhol, desde Miami e Atlanta.

O novo canal possui correspondentes em Buenos Aires, La Paz, Havana, Brasília, Montevidéu, Bogotá, Caracas e Porto Príncipe. Em maio de 2009, por conta de uma reforma administrativa do governo venezuelano, a Telesur fechou as sucursais de Brasília, Cidade do México e Washington.[1]

A cobertura do canal atinge toda a América, Europa Ocidental e norte da África, através do satélite NSS (New Skies Satellite) 806. Para receber o sinal da Telesur de forma gratuita é necessária uma antena parabólica de 2,4m de diâmetro e um IRD (receptor-decodificador) compatível com DVB. O sinal é transmitido 24 horas por dia.

A Telesur já sofreu represálias por parte do congresso norte-americano, através do congressista republicano da Flórida Connie Mack. Mack, três dias antes da inauguração da Telesur, elaborou um projeto de lei aprovado pela Câmara dos Representantes, visando obrigar o governo de seu país a gerar interferências no sinal de transmissão por satélite da Telesul.[2] O objetivo seria evitar uma suposta propagação do antiamericanismo, que viria a ser promovido pelo canal. Chávez declarou que se essa lei estadunidense for aprovada, tomaria medidas técnicas para neutralizar seus efeitos, o que poderia iniciar uma "guerrilha eletrônica". Os opositores de Chávez acusam a Telesur de ser uma Al Jazira latino-americana.[3]

Desvinculação da Argentina[editar | editar código-fonte]

No dia 27 de março de 2016, o ministro das comunicações da Argentina, Hernán Lombardi, anunciou que o país não mais integraria a sociedade proprietária da Telesur. Desta forma, o canal deixou de ser transmitido na televisão aberta e de ser de inclusão obrigatória nas grades de transmissão das televisões pagas, por não ser mais um canal estatal.[4] Em junho de 2016, a Argentina saiu definitivamente da Telesur.[5]

Características[editar | editar código-fonte]

O canal não tem fins comerciais ou de lucro. Uma mostra disso é a quase total ausência de publicidade. Além disso, o canal pode ser acessado gratuitamente através de sua página web e também em canais locais de alguns países de língua espanhola. Isso só foi possível graças ao financiamento público dos estados integrantes. Algumas operadoras de TV a cabo ou TV satelital também disponibilizam seu sinal.

A programacão da Telesur se diferencia de outros canais de notícias como Euronews, CNN ou BBC World, pois, além dos conteúdos informativos, oferece programas educativos, de debate, de entretenimento e filmes.

Algumas das emissões da teleSUR são ou foram:

  • Noticias desde el Sur: notícias a partir da Venezuela, com dez correspondentes e 35 colaboradores nos países da região.
  • Mesa Redonda Internacional: a partir de Cuba, se trata de um debate sobre política internacional e latino-americana.
  • Noticias do Brasil: em colaboração com a TV Brasil, é programa diário com as notícias deste país.
  • Resumen Aló Presidente: oferecia uma síntese do programa semanal do presidente venezuelano Hugo Chávez.
  • Agenda del Sur: revista televisiva onde se tratam temas de cultura e política latino-americana.
  • Memorias del Fuego: espaço documental sobre a história recente latino-americana.
  • Videoteca Contracorrente: documentos da atualidade, perfis de personagens com uma visão crítica e progressista.
  • Maestra Vida: biografias de personalidades latino-americanas.
  • América Tierra Nuestra: espaço documental sobre as culturas e povos latino-americanos.
  • De este Lado: emitido a partir do México; espaço de opinão e debate, moderado pela jornalista Blanche Petrich.
  • Mediotanque: programa documental sobre a cultura e vida do Uruguai.
  • CineSur: cinema latino-americano.

O conselho consultor da Telesur é integrado por socialistas americanos e outros do movimento socialista, como o Prêmio Nobel Adolfo Pérez Esquivel, o poeta nicaraguense Ernesto Cardenal, os escritores Eduardo Galeano e Tariq Ali, o historiador Ignacio Ramonet, o ator Danny Glover e o programador Richard Stallman, que abandonou a relação com a televisão em 2011[6]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]