MTV (Brasil)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o canal anteriormente operado pelo Grupo Abril, veja MTV Brasil.
MTV
Tipo Canal de televisão por assinatura
País  Brasil
Fundação 1 de outubro de 2013 (4 anos)
Pertence a Viacom International Media Networks The Americas
Proprietário Viacom
Presidente Tiago Worcman
Cidade de origem Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, SP
Sede Av. Francisco Matarazzo, 1400
Barra Funda, São Paulo, SP
[1][2]
Slogan Td isso e mto + na MTV
Formato de vídeo
Canais irmãos
Cobertura Nacional
Página oficial mtv.com.br
Disponibilidade por satélite
Sky
Canal 159[5]
Canal 559 (HD)
Claro TV
  • Canal 121
  • Canal 621 (HD)
Algar TV
Canal 389
Vivo TV
Oi TV
Disponibilidade por cabo
NET
Vivo TV
Canal 633 (HD)
Viacabo
Cabo Telecom
  • Canal 123
  • Canal 861 (HD)
MultiPlay Telecom
  • Canal 88
  • Canal 588 (HD)
SP2
Canal 26
VerTV
Canal 22
TV Alphaville
Canal 121 (HD)
TCM
  • Canal 57
  • Canal 200 (HD)
SGC A Cabo
Canal 64
TVN
BVCi
Canal 331 (HD)
BlueTV
Canal 95 (Brusque, Itajaí e Rio Grande)
Adatel
Canal 15
ORM Cabo
  • Canal 117
  • Canal 617 (HD)
Life TV
Canal 710 (HD)

MTV Brasil (ou simplesmente MTV) é um canal por assinatura brasileiro de entretenimento pertencente à Viacom International Media Networks The Americas (VIMN The Americas). Iniciou sua transmissão em 1º de outubro de 2013, às 21h30,com a a transmissão do programa Coletivation , e surgiu após a devolução da marca MTV pelo Grupo Abril, que a manteve no ar em TV aberta no país por mais de 20 anos através da MTV Brasil.[8]

Dentre as versões internacionais da MTV no mundo que tem maior produção local, a emissora fica na segunda posição, perdendo apenas para a sua matriz nos Estados Unidos.[9] Seu sinal em 2014 atingiu cerca de 12,6 milhões de assinantes.[9]

História[editar | editar código-fonte]

A MTV surgiu no Brasil após um parceria firmada entre sua detentora, a norte-americana Viacom com o grupo de comunicação brasileiro Abril. Estreou em 20 de outubro de 1990, foi a terceira versão da MTV a ser lançada no mundo e durante mais de 20 anos foi transmitida por TV aberta no país. Em 2009, a Abril adquiriu a parcela das ações da MTV Brasil pertencentes à Viacom, passando a ser proprietária dos direitos da marca, já foram modificados os programas para com o foco para o humor.[10] Seu licenciamento passou a ser feito então através de uma renovação periódica do acordo; o último previa que ela continuaria nas mãos da Abril até o ano de 2018. A partir de 2010, no entanto, o canal passou a enfrentar sérios problemas financeiros, que se agravaram em 2011.[11] No princípio de 2012, começou a circular na imprensa brasileira boatos acerca do fechamento do canal,[12] informação que finalmente se concretizou no final de julho de 2013, quando a Viacom International Media Networks The Americas (VIMN The Americas) anunciou que assumiria a marca MTV no Brasil.[13] Desde outubro de 2013 o canal abandona a denominação "Brasil", passando a se chamar apenas MTV, assim como outras filiais do canal.[14]

O Grupo Abril, que concordou em devolver a marca como parte de um processo de reestruturação de suas operações, manteve sua rede de radiofusão e a cessão do sinal UHF que usava para transmitir seu canal.[15][16] Ao anunciar o início de suas operações, a empresa revelou a intenção de alcançar 75% dos assinantes de TV paga, o que representaria um alcance maior do que a cobertura da Abril. Divulgou ainda que planejava produzir mais de 350 horas de conteúdo nacional até dezembro de 2014, com versões brasileiras de programas como MTV World Stage, Guy Code e Pranked, além de programas diários, séries, esportes radicais e realities.[13] Ninguém do elenco ou da produção do antigo canal foi procurado pela Viacom para participar do processo de reestruturação da MTV.[17] A primeira operadora a confirmar a disponibilização do canal foi a Sky Brasil, que passou a oferecer a MTV desde o seu lançamento, no dia 1º de outubro, através do canal 86 em substituição ao canal VH1 Brasil.[18] A NET também disponibilizou o canal desde o dia de sua estreia, em substituição do canal VH1 MegaHits.

Em 14 de setembro de 2013, a MTV lançou a campanha de lançamento, chamada "MTV Ask Mama", na qual Mãe Dináh tenta prever o futuro do canal. As chamadas foram veiculadas pela MTV Brasil.[19]

Capturas de tela que antecederam a estreia do canal.

Em 17 de setembro de 2013, foi confirmado pelo diretor de programação da antiga MTV Zico Góes, que todo o acervo da programação do canal ficaria com a Viacom. Ele é formado por 33 mil fitas do tipo betacam, e apenas 10% do conteúdo está presente em formato digital. Não foi divulgado como esse acervo está sendo aproveitado pela nova MTV, mas é um material raro que contém, por exemplo, a primeira entrevista com Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos após a morte de Renato Russo. Parte do acervo, considerado inútil (como cabeças de programas gravados), não será repassado à Viacom e Góes pretende fazer um documentário posteriormente com este material.[20][21]

No dia 24 de setembro de 2013, houve uma coletiva de imprensa para anunciar a programação de estreia do canal. Os programas nacionais divulgados foram a revista eletrônica Coletivation, apresentada pelo cantor Fiuk e pelo humorista Patrick Maia no qual atualmente está cancelado, o reality-show Papito in Love, estrelado pelo cantor Supla, e a animação Família do Zaralho, dublada por Felipe Xavier. O MTV Sports, anteriormente exibido pela antiga MTV, permaneceu no ar com seus respectivos apresentadores. Entre as atrações internacionais estão South Park, MTV World Stage, Pranked, Ridiculouness, Awkward., Catfish e The Vampire Diaries. A faixa de videoclipes do canal é interativa e não possui apresentadores, aposentando a função de VJ.[22]

Essa MTV não tem preconceito. A gente representa a cultura pop no Brasil e no mundo, não tem restrição. É uma versão muito contemporânea e muito brasileira da MTV.
Thiago Worcman.[23]

Um minuto após a última transmissão da MTV Brasil às 23h59 o sinal da MTV foi aberto com o logotipo da emissora e com horário que iria começar as transmissões. Depois, a imagem foi trocada por um promocional com Mãe Dináh lixando as unhas.[24] Prestes a estrear ocorreu uma contagem regressiva e na estreia teve um compacto com as atrações que seriam transmitidas no canal. O primeiro programa a ser exibido foi o Coletivation.[25]

No dia 17 de março de 2014, estreou a série The Originals, o spin-off de The Vampire Diaries, assim sendo um dos destaques da programação da emissora em 2014 com temporadas exclusivas no país. O ex diretor da programação da MTV Brasil, Zico Góes lançou um livro sobre a história, os bastidores e os momentos marcantes da emissora, o título é "MTV Bota Essa P#@% Pra Funcionar", no livro o ex diretor culpa a internet pelo fracasso da MTV.

A tese principal, mencionada uma dezena de vezes ao longo do livro, é que a MTV fracassou por culpa da internet. “A grande vilã”, como chama Góes, teria sido responsável pelo decadência do principal produto da emissora, os videoclipes, pela derrocada das gravadoras, levando-as a perder o interesse em levar artistas para gravar o formato “Acústico”, e ainda pela queda nas receitas com publicidade.
Zico Góes.[26]

Segundo ele, a MTV americana também enfrentou dificuldades por causa da disseminação do uso da internet, mas conseguiu se reinventar.

Audiência[editar | editar código-fonte]

Desde toda a sua restruturação no fim de 2013 com: novo comando, programação completamente diferente da MTV no sinal aberto, a extinção dos VJs e a rejeição pela maioria de jovens e adultos que assistem essa versão da TV por assinatura. Desde sua nova fundação em 1º de outubro de 2013, a nova MTV ficava oscilando entre a 20ª e a 28ª posição no ranking da TV Paga, mas devido a uma reestruturação em sua programação exibindo as mesmas séries de sua matriz nos Estados Unidos, juntamente com a adaptação dos formatos também exibidos na sua matriz. Foi-se divulgado recentemente que nos meses de março, abril e maio de 2015 a MTV deu um salto gigantesco no ranking da TV Paga chegando 10º lugar, sendo assim do 10º canal mais assistido pela TV por assinatura e ainda a Viacom, pela primeira vez tinha dois canais de sua propriedade na lista.

Programas[editar | editar código-fonte]

Nacionais
Internacionais
Faixas músicas
Blocos
  • #PrestAtenção
  • Cover of the Month
  • Movies.MTV
  • MTV News
  • MTV Push
  • MTV Rated
  • Serião, Se Liga!
Premiações

Apresentadores[editar | editar código-fonte]

Atuais
  • Cauê Moura (2017 - presente)
  • Ciro Sales (2016 - presente)
  • Hugo Gloss (2016 - presente)
  • Maria Eugênia Suconic (2013 - presente)
  • Michelli Provensi (2015 - presente)
  • Ricardo Gadelha (2016 - presente)
Antigos
  • Ana Flávia Bastos (2015)
  • Deco Neves (2014)
  • Eléa Mercurio (2014)
  • Ellen Milgrau (2016 - 2017)
  • Felipe Titto (2015 - 2017)
  • Fiuk (2013)
  • José Trassi (2015)
  • Kéfera Buchmann (2014)
  • Laurent F (2015)
  • Lucas Stegmann (2014)
  • Luitha Miraglia (2015 - 2016)
  • Mayara Lepre (2013 - 2014)
  • Patrick Maia (2013 - 2014)
  • Paulo Chun (2013 - 2015)
  • Primo Preto (2015)
  • Supla (2013 - 2015)
  • Talita Alves (2013 - 2014)

Slogans[editar | editar código-fonte]

  • 2013: Pronta pra outra
  • 2013 - 2014: Pronta pra suar (Verão MTV)
  • 2014: MTVzando Tudo
  • 2014 - 2015: MTV, Dando um Tapa no seu Bode
  • 2016: Tudo isso e Mto + na MTV
  • 2016 - 2017: Refresca (Verão MTV)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "Viacom assume MTV a partir de outubro". Tela Viva News, 29 de julho de 2013
  2. "Endereço da Viacom"
  3. "Viacom assume a MTV Brasil, que migrará para a TV paga". Época Negócios, 30 de julho de 2013
  4. "4177 V - Intelsat 805 (55.5º W) :. Portal EDS / Exploradores de Satélites". Portal EDS, 13 de agosto de 2013
  5. "Troca de Canais". E-mail enviado aos clientes da operadora, 28 de agosto de 2013
  6. Grade de canais "Juntinho"
  7. Grade de canais "Juntinho"
  8. "Viacom assume a MTV Brasil, que migrará para a TV paga". Época Negócios, 30 de julho de 2013
  9. a b Falcheti, Fabrício (12 de março de 2014). «Viacom anuncia novidades dos canais MTV, Nick, Comedy Central e Vh1». NaTelinha. Universo Online; NE10. Consultado em 12 de março de 2014 
  10. "Grupo Abril adquire totalidade das ações da Viacom Inc. para MTV Brasil". Grupo Abril, 7 de dezembro de 2009
  11. "Para ex-diretor, internet é algoz da MTV". Folha de S. Paulo, 16 de setembro de 2012
  12. "Astrid Fontenelle lamenta boataria sobre fim da MTV Brasil". Jornal do Brasil, 17 de agosto de 2012
  13. a b "MTV Brazil Heads to Viacom Intl.". Variety, 29 de julho de 2013
  14. "MTV passa a ser TV por assinatura e deixa de pertencer ao Grupo Abril". PortalImprensa, 29 de julho de 2013
  15. "MTV migra para TV paga e deixa de pertencer à Abril". Estadão, 30 de julho de 2013
  16. " Sem MTV, Abril quer sair do negócio de televisão", Tela Viva News, 1 de agosto de 2013
  17. "Equipe da MTV foi ignorada pela Viacom". Estadão, 30 de julho de 2013
  18. "Troca de Canais". E-mail enviado aos clientes da operadora, 28 de agosto de 2013
  19. "MTV Ask Mama". MTV Ask Mama, 14 de setembro de 2013
  20. "Acervo da atual MTV poderá ser utilizado pela nova MTV da Viacom". 'vcfaz.TV, 17 de setembro de 2013
  21. "Batido o martelo: acervo da MTV Brasil fica com a Viacom". RD1, 17 de setembro de 2013
  22. Terra Networks. «Fiuk apresentará programa e Supla terá reality show na nova MTV». 24 de Setembro de 2013. Consultado em 26 de setembro de 2013 
  23. Rodrigues, Stella (24 de setembro de 2013). «Nova MTV mostra sua cara, aparentemente um pouco mais pop». Rolling Stone. Consultado em 16 de março de 2014 
  24. Oliveira, Fernando (1 de outubro de 2013). «Enquanto nova MTV não estreia, Mãe Dináh lixa as unhas por horas a fio no sinal da emissora a cabo». Mundo da TV. R7. Consultado em 2 de outubro de 2013 
  25. Gregnanin, Carol (2 de outubro de 2013). «Nova MTV estreia com Fiuk inseguro e Supla roubando a cena». Na TV. Internet Group. Consultado em 2 de outubro de 2013 
  26. Maurício Stycer, Maucício (22 de março de 2014). «Em livro, ex-diretor culpa a internet pelo fim da MTV Brasil» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]