História da TV Globo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Este artigo aborda a História da TV Globo, relacionando os mais relevantes eventos ocorridos desde a concessão pelo governo federal em 1957.

Século XX[editar | editar código-fonte]

Concessão e fundação[editar | editar código-fonte]

Em julho de 1957, o Presidente da República, Juscelino Kubitschek, aprovou a concessão de TV para a Rádio Globo e, em 30 de dezembro do mesmo ano, o Conselho Nacional de Telecomunicações publicou um decreto concedendo o canal 4 do Rio de Janeiro à TV Globo Ltda. Sendo assim a TV Globo foi oficialmente criada no dia 26 de abril de 1965, com a transmissão do infantil Uni Duni Tê.[1] Também estavam na programação dos primeiros dias a série infantil Capitão Furacão e o telejornal Tele Globo, embrião do Jornal da Globo (1967-1969), que posteriormente seria o atual Jornal Nacional.

Expansão[editar | editar código-fonte]

Em 1966, a TV Globo chegou ao estado de São Paulo[2] com a aquisição do canal 5 que, desde 1952, funcionava como a TV Paulista, de propriedade das Organizações Victor Costa. Em 5 de fevereiro de 1968, foi inaugurada a terceira emissora, em Belo Horizonte, e as retransmissoras de Juiz de Fora e de Conselheiro Lafaiete, além de um link de micro-ondas que ligava o Rio de Janeiro a São Paulo.

Em 1968, Roberto Marinho adquiriu a geradora de Minas Gerais, a TV Globo Minas.[1]

As primeiras emissoras afiliadas à Globo foram a TV Gaúcha (atual RBS TV Porto Alegre) e a TV Triângulo (atual Rede Integração de Uberlândia), no ano de 1967, a TV Anhanguera (Rede Anhanguera), em 1968 e a TV Guajará e a TV Coligadas (atual NSC TV Blumenau), em 1969. Também em 1969 no Ceará começou a entrar em testes a TV Verdes Mares, que foi inaugurada no dia 31 de janeiro de 1970 em Fortaleza. A TV Verdes Mares começou a sua transmissão no canal 10, onde se mantém até hoje, no sistema analógico, e no canal 33 da televisão digital.

Em 1972, Roberto Marinho adquiriu a geradora de Pernambuco, Globo Recife e até hoje permanece com o mesmo canal no sistema analógico: 13.

Acordo com a Time-Life[editar | editar código-fonte]

Em 1962, um acordo assinado entre Time-Life e as Organizações Globo (atual grupo Globo), holding de Roberto Marinho, proporcionou a Marinho o acesso a um capital em torno de 6 milhões de dólares, o que lhe garantiu recursos para comprar equipamentos e infraestrutura para a Globo. Em troca, Time-Life teria participação em 30% de todos os lucros auferidos pelo funcionamento da TV Globo. Como comparação, a maior TV brasileira na época, a TV Tupi, tinha sido construída com um capital em torno de US$ 300.000.

O acordo foi considerado ilegal, pois a Constituição Brasileira naquela época proibia qualquer pessoa ou empresa estrangeira de possuir participação em uma empresa brasileira de comunicação. O acordo foi investigado por uma CPI em 1967. Como uma tentativa de legalizar o acordo, mencionava-se claramente nos termos deste acordo que a Time-Life ou Time Inc. não tinha o direito de participar ou de interferir na administração da Globo. Na prática, Time-Life possuía grande influência dentro da Globo: Joseph Wallach, o ex-diretor da Time-Life na Califórnia, se tornou um diretor executivo dentro da Globo.[3][4]

Década de 1960[editar | editar código-fonte]

A celebração católica Santa Missa em seu Lar – atual Santa Missa – começa a ser transmitida em fevereiro de 1968, sendo assim o programa mais antigo em exibição pela emissora.

A primeira grade de programação da emissora era composta por programas como Sempre Mulher, apresentado por Célia Biar às 14 horas, Festa em Casa, com Paulo Monte, que vinha em seguida, e Show da Noite, às 22h20, com Gláucio Gil. Estas três atrações estrearam no dia 26 de abril de 1965.

Ilusões Perdidas foi a primeira novela da emissora, escrita por Enia Petri e estrelada por Leila Diniz.

Outros programas eram o Uni Duni Tê, com a Tia Fernanda, às 11 da manhã. Logo depois, às 11h20, era apresentada a Sessão Zás-Trás, com Márcia Cardeal. No final da tarde, às 17 horas, a criançada pôde conferir Capitão Furacão, cujo personagem-título era interpretado por Pietro Mário. O primeiro telejornal foi o Tele Globo.

No dia 1º de maio, estava formada a grade do final de semana. Câmara Indiscreta, às 13 horas, com Augusto César Vanucci e Renato Consorte, Clube das Garotas, às 14h20, com Sarita Campos, TeveFone, às 16 horas, com Luiz de Carvalho, Jonas Garret e Mário Luiz Barbato e Em Busca do Tesouro, às 18h20.

Numa transmissão ao vivo de seu programa Show da Noite, Gláucio Gil que era bastante conhecido pelos telespectadores do Rio de Janeiro, faleceu em 13 de agosto de 1965.[5] Após sua morte devido a um infarto a emissora logo saiu do ar.[5] O programa era do gênero de entrevistas em que ele recebia convidados em seu sofá e sua estreia ocorreu no lançamento da TV Globo.[5]

Os primeiros oito meses da TV Globo foram um fracasso, o que levou à contratação de Walter Clark, na época com 29 anos, para o cargo de diretor-geral da emissora. Clark foi um dos grandes responsáveis pelo sucesso da emissora. Em janeiro de 1966, o Rio de Janeiro sofreu uma das suas piores inundações; mais de cem pessoas morreram e aproximadamente vinte mil ficaram desabrigadas. A cobertura da tragédia feita ao vivo pela TV Globo foi um marco na história da emissora, que fez sua primeira campanha comunitária, centralizando a arrecadação de doações em dois de seus estúdios. Nessa altura, a transmissão das imagens ainda era em preto e branco. Ainda naquele ano, a Globo chegou ao estado de São Paulo com a aquisição do canal 5 que, desde 1952, funcionava como a TV Paulista, de propriedade das Organizações Victor Costa.

Em busca de audiência das classes populares, a emissora lançou programas como Dercy Espetacular, no início de 1966, aos domingos, às 19 horas; O Homem do Sapato Branco, a Discoteca do Chacrinha e Buzina do Chacrinha, às quartas e domingos, respectivamente. Além disso, contava com Silvio Santos, líder absoluto de audiência.

Deu certo. Junto com a audiência conquistada, começava a chegar o prestígio e o grande elenco de artistas, advindos de emissoras como Tupi, Excelsior, Rio e Record. Regina Duarte, Francisco Cuoco, Jô Soares, entre outros, pouco a pouco, integram-se ao cast da emissora. Em 1967, a TV Gaúcha afiliou-se a TV Globo. Em 5 de fevereiro de 1968, foi inaugurada a terceira emissora, em Belo Horizonte, e as retransmissoras de Juiz de Fora e de Conselheiro Lafaiete, além de um link de micro-ondas que ligava o Rio de Janeiro a São Paulo.

Foi nessa época que o governo federal, liderado pelo marechal Costa e Silva, deu prioridade ao desenvolvimento de um moderno sistema de telecomunicações, criando o Ministério das Comunicações e concedendo à população uma linha de crédito para a compra de televisores. Outro impulso foi um decreto elaborado pelo ministro Delfim Neto que isentou as empresas de rádio e televisão de imposto de importação sobre equipamentos, isto permitiu à empresa se renovar e ao mesmo tempo utilizar a cotação oficial do dólar para reduzir suas despesas de importação. Além disso, com o advento do videoteipe, a produção de programais locais foi logo se tornando escassa, sendo a maior parte da programação produzida no Rio de Janeiro e em São Paulo, o que impulsionou as grandes emissoras dessas cidades a formarem redes nacionais.

O início da TV Globo como uma rede de emissoras afiliadas por todo o país se dá a partir de 1969 quando entrou no ar o Jornal Nacional, primeiro telejornal em rede nacional, ainda hoje transmitido pela emissora e líder de audiência nacional.[1] O primeiro programa foi apresentado por Hilton Gomes e Cid Moreira.

Década de 1970[editar | editar código-fonte]

Em 1970, em seus cinco anos, a emissora transmitiu pela primeira vez a Copa do Mundo, vencida pelo Brasil. Grande parte das "inovações" impostas na grade de programação e na forma de produção dos programas foi obtida graças à contratação de profissionais oriundos da TV Excelsior (cuja concessão fora cassada pelo Governo Militar no mesmo ano) e que já operava com muitos dos parâmetros utilizados pela Globo para criar seu "Padrão Globo de Qualidade".

Em 21 de abril de 1971, entrou no ar a Rede Globo Brasília, no canal 10, apresentando uma partida do Vasco contra o Flamengo (ao vivo do Rio de Janeiro) e o programa Som Livre Exportação. No mesmo dia, entrou no ar o vespertino "Jornal Hoje", no ar até hoje e único telejornal vespertino exibido pela emissora, ao contrário das concorrentes.

Sede da Globo em Brasília

Em 22 de abril de 1972 foi inaugurada a Rede Globo Nordeste, em Pernambuco. Também naquele ano a Globo participou do pool de emissoras que efetuou a 1ª transmissão nacional e oficial em cores, junto com as concorrentes Rede Tupi, TV Record, TV Bandeirantes entre outras. A televisão mostrou a abertura da Festa da Uva, em Caxias do Sul, em 19 de fevereiro.

Sede da Globo no Rio de Janeiro.

Em 31 de março, dia da inauguração do sistema de televisão em cores no Brasil, a Globo exibiu o especial "Meu Primeiro Baile", o primeiro programa da televisão brasileira inteiramente gravado em cores. Também transmitiu com exclusividade nesse mesmo ano os Jogos Olímpicos de Verão de 1972 de Munique, sendo a sua primeira Olimpíada, além de ser a primeira a ser transmitida totalmente ao vivo no Brasil, dando início à cobertura do evento.[6]

Em 1973, estreou o "Globo Repórter", que permanece ainda em exibição. No mesmo ano, entrou no ar o programa dominical "Fantástico", que também permanece em exibição.

Em 11 de março de 1974 entra no ar a sessão vespertina de filmes "Sessão da Tarde". Em 25 de abril a Globo inicia as coberturas jornalísticas internacionais de maneira inesperada: Sandra Passarinho viaja às pressas para Madrid e em seguida para Lisboa para cobrir a Revolução dos Cravos.[carece de fontes?]

Em 1975 é implantado no país o conceito de rede de TV, devido ao sucesso da programação nacional. Em 1977 toda a programação da emissora passa a ser a cores. Em 1982 a Globo introduz o uso do satélite, que permite que a programação nacional passe a ser exibida simultaneamente por todas as emissoras.

Em 1975 a Globo foi proibida pelo Governo Federal, na época da ditadura militar, de exibir a novela Roque Santeiro, com 34 capítulos gravados. A emissora já contava com uma programação nacional, e no lugar da novela proibida foi colocada a reprise da novela Selva de Pedra de 1972. Em 1985, com o fim da ditadura e da censura, com a posse do governo civil, a nova versão da novela voltou ser gravada e exibida com sucesso.

A partir de 1976 é o momento em que a Globo começa a construir o que seria chamado de "Padrão Globo de Qualidade", em que o horário nobre é preenchido com duas novelas de temática mais leve, encaixadas por telejornais curtos e sintéticos (o atual Praça TV e o Jornal Nacional), uma telenovela de produção nobre e com enredo mais forte, que seria chamada a partir de então de "novela das oito" (atual "novela das nove") e a partir das 22h uma linha de shows, filmes ou o "Globo Repórter" (antes a linha de shows começava às 21h15, posteriormente às 21h30), sempre com bastante regularidade de horário e programação. Este padrão nada mais é do que a chamada "grade fixa", tanto na vertical (sequência dos programas no dia), quanto na horizontal (respeito à sequência ao longo dos dias da semana), orquestrada por Walter Clark e José Bonifácio de Oliveira Sobrinho (mais conhecido como "Boni") em 1960, antes responsáveis pela programação da extinta TV Excelsior. A grade fixa é utilizada pela Globo nos dias de hoje fielmente, exceto aos verões nos horários de shows após as 22h, que são substituídos por minisséries, reprises de filmes e o Big Brother Brasil atualmente. O padrão seria decisivo para a conquista da liderança de audiência, pois, no final da década de 1970, as duas grandes redes, a Rede de Emissoras Independentes e a Rede Tupi, estavam se deteriorando por falta de recursos e estratégia, e a Rede Bandeirantes não havia crescido o suficiente nessa época, sobrando apenas a Globo como uma alternativa de certa qualidade, somada à estreia das novas sessões de cinema, o Festival de Inverno e a Sessão de Gala.

Em 1977, toda a programação da emissora passa a ser a cores e é também forçada pelo mesmo Governo Federal a não exibir a novela Despedida de Casado, sendo substituída por outra novela. No mesmo ano estreia Os Trapalhões, considerado o programa de humor de maior tempo no ar. Em 1978, a emissora transmite a Copa do Mundo de 1978. Após o encerramento do evento esportivo, estreou o Globo Esporte, o programa esportivo ainda em exibição, e Bom Domingo, com as atrações: Som Brasil, Concertos para a Juventude, Operação Resgate, O Bem-Amado, Balança Mas Não Cai, Alerta Geral, Fantástico, A Festa é Nossa, Os Trapalhões, Dallas, O Planeta dos Homens, Geração 80, Chico Total, Esporte Espetacular e Globo Gente. Outra estreia foi o Domingo Maior, a segunda sessão de filmes exibido pela Globo. O programa já estreou Alerta Geral. exibido na Sexta Super, Bom Domingo e Domingo Global, entre 1979 e 1984, apresentado por Cid Moreira (1979-1981), Francisco Cuoco (1981-1982) e Armando Bogus (1982-1984), uma das atrações musicais que marcaram essa semana no Brasil e no mundo.

Década de 1980[editar | editar código-fonte]

Em 1980, nos quinze anos da emissora, estreava o Globo Rural, no comando de Carlos Nascimento. Neste mesmo ano, ia ao ar o programa TV Mulher. Em 5 de maio estreia O Vale a Pena Ver de Novo, sessão de reprises de novelas da emissora. Em maio estreia Sexta Super sempre depois da novela das oito até 1988, horário atualmente ocupado pelo Globo Repórter. Em julho desse mesmo ano, era fechada a Rede Tupi de Televisão, e boa parte do elenco da Tupi foi para a Globo.[carece de fontes?]

Em 1981, Viva o Gordo faz o tom de comédia na Globo, muitas vezes com sátiras contra o governo. Em abril estreia o Supercine. Em 31 de dezembro de 1982, a Globo se transformou em rede nacional de televisão. E também, fez que toda a programação, fosse ao Brasil inteiro via satélite, antes restrita ao Rio de Janeiro e outros estados e entrava no ar a Corrida de São Silvestre.

Em 1983, estreavam o Bom Dia Praça, o Bom Dia Brasil, o Praça TV com SPTV, RJTV, e DFTV, e (inspirado no formato do Jornal do Almoço da RBS TV), o infantil Balão Mágico, que permaneceu no ar até 1986 e o Vídeo Show, no ar até 2019. Haviam também os shows Sexta Super e Terça Nobre, com as atrações: Saudade Não Tem Idade, Brasil Pandeiro, Grandes Nomes, O Planeta dos Homens, Show do Mês, Disco Show, Geração 80, Primeira Exibição, Chico City, Globinho, O Bem-Amado, Aplauso, Globo de Ouro, Alerta Geral, Casal 20, Operação Resgate, Chico Anysio Show, Duro na Queda, Os Gatões, Batalha dos Astros, Globo Cor Especial, O Homem de Seis Milhões de Dólares, A Festa é Nossa e Disneylândia. Havia também Os Trapalhões com Renato Aragão, devido o desentendimento entre os quatro humoristas

Em 1984, estrearam as novelas Amor com Amor se Paga, Vereda Tropical e Corpo a Corpo. Reestreia em 25 de março, Os Trapalhões, com a volta do quarteto. Em 1985, nos 20 anos da emissora, entra no ar Armação Ilimitada, e a novela Roque Santeiro, esta última um grande sucesso. No mesmo ano, também estreava o Corujão, nas madrugadas de segunda a domingo. Ainda em 1985, a Globo exibe o especial SOS Nordeste com quatro horas num domingo de agosto. No mesmo ano, é anunciada a criação da campanha e do programa Criança Esperança.

Em 1986, estreia o programa infantil Xou da Xuxa e a série Anos Dourados. No mesmo ano, teve lugar o primeiro show da campanha Criança Esperança, dedicado à Declaração Universal dos Direitos da Criança como tema, dentro do especial que comemorou os 20 anos de Os Trapalhões. O primeiro show da campanha Criança Esperança teve direção de Victor Paranhos e supervisão geral de Walter Lacet, com apresentação de César Filho e Os Trapalhões, artistas diversos e grande elenco da Globo.

Em 1988 estreia a sessão semanal de filmes Tela Quente, que só exibia filmes inéditos. No mesmo ano é levada ao ar a novela Vale Tudo, um dos maiores sucessos da teledramaturgia brasileira.

Em 1989, estreava o programa Domingão do Faustão. No mesmo ano também entrava no ar a sessão Temperatura Máxima, que antes era exibida às terças-feiras, mudando para o domingo no mesmo ano. A linha de shows após a novela das oito era formada por Tela Quente, TV Pirata, Chico Anysio Show, Futebol e Cinema Especial, Globo de Ouro e Globo Repórter, e às dez e meia, minisséries brasileiras e internacionais. Nos domingos de março, às sete horas da noite, a emissora exibia o humorístico Os Trapalhões e as oito da noite, o jornalístico Fantástico.

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

Em março de 1990, o programa Globo Repórter passa a ser exibido nas noites de terça-feira. Mas, dois meses depois, em maio, passa para as noites de sexta. Em abril, estreia às 20h a novela Rainha da Sucata.

Transmite a Copa do Mundo FIFA de 1990, vencida pela Alemanha. No horário das 18 horas, exibe Barriga de Aluguel.

Em 1991, a Globo lança no Brasil a série animada Os Simpsons, produzida pela FOX, exibida nas tardes de sábado.

Ainda em 1991, estreava a novela Felicidade, primeira novela da Globo a ter uma mulher na direção geral: Denise Saraceni.

No início de 1992, estreia o grande sucesso do horário das 20h: Pedra sobre Pedra. Em 1992, transmite as Olimpíadas de 1992 e faz cobertura sobre os escândalos de corrupção do Governo Federal, tendo ocorrido à época o impeachment de Fernando Collor. Em 28 de abril daquele, estreia o humorístico Casseta & Planeta, Urgente!. Em 3 de agosto de 1992 estreou a telenovela De Corpo e Alma, de Glória Perez. A novela ficou marcada pelo o assassinato da atriz Daniella Perez filha de Glória Perez, em 28 de dezembro.

Em abril de 1993 a Globo estreia o primeiro telejornal da emissora em São Paulo, o Jornal da Globo, que passava a ser apresentado por Lillian Witte Fibe. Em maio de 1993, estreava o Programa Xuxa, comandado por Xuxa, com diversas diferenças em relação ao Xou da Xuxa, o programa era voltado para toda a família. A apresentadora queria utilizar uma linguagem diferente com as crianças. O que não agradou e ficou somente cinco meses no ar.

Em 1994, a emissora transmite a Copa do Mundo nos Estados Unidos, acompanhando o tetracampeonato da seleção brasileira, depois de 24 anos de espera. Neste ano Xuxa volta a comandar um programa, o Xuxa Park, exibido aos sábados das 8 às 11h55, o que marca a volta da apresentadora à televisão brasileira e ao público infantil. Em abril de 1994, Ivani Ribeiro volta a escrever um grande sucesso, o remake de A Viagem (1975) no horário das 19h. Ivani morreria no ano seguinte. Em 11 de abril volta o telejornal vespertino, Jornal Hoje, com Willian Bonner e Cristina Ranzolin de segunda a sábado. Em 1 de maio, durante o Grande Prêmio de San Marino, morre Ayrton Senna. A Globo faz uma grande cobertura, transmitindo também o velório do piloto.

Em 1995, Os Trapalhões saía do ar depois de dezoito anos de exibição na Globo. Em março de 1995 estreava a novela A Próxima Vítima, um dos maiores sucessos da teledramaturgia da Globo. No mesmo ano, o canal Top Sports da Globosat tem seu nome alterado para Sportv.

No final de março de 1996, entra nas noites de domingo o sitcom Sai de Baixo. Em 16 de setembro, a apresentadora Angélica chega à emissora para comandar o Angel Mix e protagonizar a novela infantil Caça Talentos. Em 15 de outubro, é lançado o canal Globo News.

Em 5 de abril de 1997, entra no ar o Planeta Xuxa, programa voltado para o público jovem e adulto, que no ano seguinte se transferiu para os domingos se tornando grande fenômeno de audiência consagrando Xuxa como a primeira mulher a entrar na disputa de audiência aos domingos, que antes era apenas protagonizada por homens, como Faustão, Gugu e Sílvio Santos. Em 1997, o Domingão do Faustão começa a perder audiência pela primeira vez para o Domingo Legal, apresentado por Gugu Liberato no SBT.

Em 1998 a emissora transmite a Copa do Mundo de 1998, vencida pela anfitriã, França. Em julho do mesmo ano, Xuxa entra em licença-maternidade, o Planeta Xuxa é substituído por vários artistas que se revezavam no comando do programa, enquanto que o Xuxa Park é substituído pelo programa Xuxa 12 Anos com Você. A apresentadora volta da licença em novembro. Em outubro do mesmo ano, a emissora estreava o humorístico infanto-juvenil A Turma do Didi e em dezembro, o Show da Virada

Em 18 de outubro de 1999 estreia o Mais Você, com Ana Maria Braga.

Século XXI[editar | editar código-fonte]

Década de 2000[editar | editar código-fonte]

A década de 2000 foi marcada por comemorações de importantes efemérides, como os cinquenta anos da televisão no Brasil. Programas como Caldeirão do Huck e Altas Horas estrearam em abril de 2000. Em outubro de 2001 estreia a novela O Clone, um dos maiores sucessos da teledramaturgia da emissora. Em agosto de 2003, morre o fundador da Globo, Roberto Marinho. Em 2009, a novela Caminho das Índias foi eleita a melhor telenovela, ganhando o prêmio Emmy Internacional.

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

A década de 2010 foi marcada pelas comemorações dos cinquenta anos da emissora.

Em janeiro de 2011, um helicóptero da emissora é atingido por tiros de fuzil durante uma reportagem sobre operação policial no Morro da Mineira, na cidade do Rio de Janeiro. Em abril daquele ano o Jornal Hoje, completou quarenta anos. Em dezembro, Fátima Bernardes deixa a bancada do Jornal Nacional depois de quatorze anos. Ela iria apresentar o novo programa Encontro com Fátima Bernardes, que estreou em junho de 2012.

Em março de 2012, estreou a novela Avenida Brasil, um dos maiores sucessos da teledramaturgia da emissora. Em março de 2013, o programa Vídeo Show completou trinta anos. Em abril, agosto e dezembro, respectivamente, os programas Globo Repórter, Fantástico e Esporte Espetacular completaram quarenta anos.

Em agosto de 2019, o jornalista Sérgio Chapelin se aposenta e deixa a emissora depois de cinquenta anos. No mês seguinte, o Jornal Nacional completaria também cinquenta anos no ar.

Década de 2020[editar | editar código-fonte]

2020

No dia 1° de janeiro, o Grupo Globo prossegue com o programa de reorganização administrativa UmaSóGlobo, que resulta na centralização da TV Globo, Canais Globo, Som Livre, Globoplay, Globo.com e Diretoria de Gestão Corporativa (DGCorp) em um único núcleo administrativo. Com isso, Paulo Daudt Marinho, que dirigia a antiga Unidade de Negócios Digitais da Globosat, torna-se o novo diretor dos Canais Globo (TV Globo, canais Globosat e gestão de rede de afiliadas). O cargo de diretor-geral da Globo, existente desde a fundação da emissora é extinto, e Carlos Henrique Schroder que ocupava esta função desde 2013, torna-se diretor de Criação e Produção de Conteúdo, com jurisdição sobre os departamentos de Entretenimento, Esporte e Jornalismo da Globo e de suas co-irmãs.[7] No dia seguinte, o autor de telenovelas Aguinaldo Silva é dispensado depois de quarenta anos na emissora.[8]

Em 29 de janeiro, a atriz Regina Duarte aceita o cargo da Secretaria Especial da Cultura do Governo Jair Bolsonaro e é afastada da emissora depois de 51 anos.[9]

Durante o mês de março foram interrompidas as produções dos programas Mais Você, Encontro com Fátima Bernardes (voltando no mês seguinte), Se Joga (retornando em março de 2021), Caldeirão do Huck, Altas Horas e Domingão do Faustão por conta do avanço da pandemia de COVID-19. Além dos programas, as produções das novelas inéditas Salve-se Quem Puder, Amor de Mãe, Nos Tempos do Imperador, Malhação: Toda Forma de Amar, Malhação: Transformação e Um Lugar ao Sol foram interrompidas, além das séries humorísticas, contribuindo para o fechamento dos Estúdios Globo até o mês de agosto. Por conta disso, a emissora passou a exibir reprises dos programas semanais, retornando entre os meses de julho e agosto com plateia virtual e as novelas passaram a ser substituídas por reprises de grandes sucessos. No caso de Amor de Mãe e Salve-se Quem Poder, as novelas ganharam uma segunda parte, voltando em 2021. O jornalismo passou as ser o principal carro chefe, com o aumento da duração do Bom dia Praça, Bom dia Brasil, Jornal Hoje, Jornal Nacional e Jornal da Globo. Também estreou o especial Combate ao Coronavírus, ficando no ar até maio.[10][11]

Durante o mês de junho, como parte da política de reestruturação e também devido à crise financeira causada pela pandemia, a Globo decidiu dispensar grande parte do seu casting, incluindo atores de longa data, encerrando o serviço por contrato fixo. No entanto, os atores poderiam voltar a participar das produções do canal através de contrato por obra.[12][13]

Em 23 de junho, o Grupo Globo entrou com um processo contra a FIFA pela suspensão imediata do pagamento de uma parcela de US$90 milhões (R$462 milhões), referente aos direitos de transmissão da Copa do Mundo FIFA de 2022. O motivo alegado foi a recessão econômica por conta da pandemia de COVID-19.[14] No mesmo dia, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro deu parecer favorável à Globo, suspendendo o pagamento da parcela, garantindo assim o direito de renegociar os valores junto ao Tribunal Arbitral da Suíça.[15] Apesar da briga judicial, a FIFA em divulgação ao relatório dos números de audiência da Copa de 2018, destacou a Globo como a maior audiência no Brasil nas transmissões do evento.[16] Mesmo mantendo a disputa judicial com a FIFA pelos direitos de transmissão dos torneios por ela organizados, que iriam até 2022, a Globo transmitiu o segundo jogo da semifinal da Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2020. Isso porque o Mundial de Clubes, apesar de estar incluído no contrato, não seguia as mesmas regras do contrato com a Conmebol, que não foi rescindido, garantindo a transmissão tanto pela Globo (TV aberta) como pela SporTV (TV por assinatura).[17][18] Em 19 de março de 2021, o processo foi arquivado pela 6ª vara empresarial do Rio de Janeiro após as duas partes chegarem a um acordo. Com isso, os direitos do Mundial de Clubes de 2021 e 2022 e da Copa do Mundo de 2022 seguiriam mantidos pela Globo.[19] Em outubro a emissora renunciou aos direitos de exclusividade de transmissão da Copa de 2022 pelas suas plataformas digitais. A renúncia ocorreu depois de tentativas de redução do valor do acordo para a transmissão do evento por meios digitais. No entanto, manteve a cobertura do evento pelos canais da TV aberta e por assinatura.[20]

Em 6 de agosto, devido à crise financeira potencializada pela pandemia de COVID-19, a Globo manifestou em nota, o interesse em rescindir o contrato com a CONMEBOL, comitê responsável pela Copa Libertadores. Segundo a nota, houve uma tentativa de renegociação do contrato com o comitê, com validade até 2022, mas não se chegou a um acordo, e o câmbio do dólar ficou instável desde a assinatura. A Globo alegou que a situação foi agravada pelo efeito devastador da pandemia na economia, o que provocou um aumento no valor do contrato em quase R$ 100 milhões por ano. O valor pago pelos Canais Globo, foi de US$ 65 milhões de dólares (o equivalente a R$ 346 milhões de reais) para transmitir os jogos de futebol até 2022, tanto na TV aberta quanto na fechada.[21]

Devido também à crise financeira causada pela pandemia de COVID-19, a Globo solicitou a rescisão contratual com a Liberty Media, responsável pelos direitos de transmissão da Fórmula 1. A justificativa para o rompimento foi que a Liberty pediu pelo menos US$ 22 milhões de dólares para a renovação do acordo de exibição em 2021 e a emissora tinha expectativa de investir no máximo US$ 20 milhões. Além disso, pandemia fez com que o dólar sofresse constantes altas, levando a emissora a decidir que não seria mais interessante investir para obter os direitos. Apesar do imbróglio, a Globo poderia voltar a exibir as corridas, já que no Brasil a Rio Motorsports seria uma nova parceria da própria Liberty. Nesse novo modelo de negócios, a Rio Motorsports seria responsável pela construção do novo autódromo no Rio de Janeiro e também pelos direitos de transmissão, vendidos a qualquer emissora que se interessar. A Liberty (através da Rio Motorsports) pretende negociar a transmissão com um canal de TV aberta e outro de TV paga. Segundo se apurou, foram procurados, além da Globo, a Band e a Record. A Band se interessou, mas quer aguardar a consolidação da parceria com a Rio Motorsports e a Record não se interessou.[22][23] Em novembro de 2020 a Rio Motorsports perdeu todos os direitos de negociar a transmissão da F1 (já tinha perdido também os direitos da MotoGP),[24] a Liberty Media comunicou em seu site que reincluiu o autódromo de São Paulo, o Governador de SP anunciou a negociação de um novo acordo com F1 para realizar corrida em Interlagos até 2025.[25] A Globo comunicou em fevereiro de 2021 que não houve acordo e não faria mais a transmissão da F1, a partir de 2021, com os direitos sendo repassados à Rede Bandeirantes e BandSports para o biênio 2021-2022.[26][27]

Em 10 de agosto foram retomadas as gravações da segunda fase das novelas Salve-se Quem Puder e Amor de Mãe, com elenco, equipe e capítulos reduzidos, além de medidas rígidas de segurança. Já Nos Tempos do Imperador voltou a ser gravada apenas em 2021.[28]

Visando reforçar seu portfólio de esportes após perder os direitos de transmissão da Copa Libertadores para o SBT e também de transmissão das competições da Fórmula 1, a Globo fechou no dia 18 de setembro de 2020 um contrato de direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Italiano de Futebol. O pacote adquirido pela emissora, cobria partidas até 2021 e a sua primeira exibição começou três dias depois da assinatura do contrato, em 21 de setembro, com a transmissão da partida entre Milan e Bologna. Havia dois meses que o Campeonato Italiano não era exibido no Brasil, devido à crise econômica causada pela pandemia de COVID-19, que fez com que a DAZN, detentora dos direitos, desistisse de seguir com a transmissão.[29][30]

Em 20 de outubro, o Grupo Globo fechou um patrocínio milionário com o Grupo Caoa, subsidiária das marcas Hyundai e Chery no Brasil, garantindo a exposição das marcas nos intervalos comerciais e telenovelas das 21h por três anos.[31]

Em novembro foi anunciada a venda da Som Livre, gravadora responsável pela distribuição das trilhas sonoras das telenovelas do canal, desde os anos 70. O Grupo Globo não divulgou quando a empresa seria vendida definitivamente. As trilhas das produções serão distribuídas através de direct-to-consumer, apenas com o selo Globo.[32]

Em 3 de novembro, a quatorze dias do lançamento oficial do aplicativo de streaming Disney+ no Brasil, a Globo divulgou um acordo com o grupo de mídia norte-americano The Walt Disney Company, para que este pudesse ser contratado junto ao Globoplay, em valores que variavam entre R$ 37,90 e R$ 69,90, a depender do tipo de assinatura (anual ou mensal). Para divulgar a estreia do Disney+ e solidificar a parceria, a Globo exibiu os dois primeiros episódios de The Mandalorian (live-action de Star Wars) na Tela Quente, na véspera da estreia do aplicativo.[33][34]

Em 19 de novembro Ricardo Waddington anunciou que iria deixar o cargo de diretor de criação e produção de conteúdo, passando a comandar a área de entretenimento da Globo a partir de dezembro. O executivo que já tinha sido diretor geral da Globo, de 2013 a 2019, assumiu a função em 2020.[35]

Em 1°. de dezembro novas mudanças e dispensas foram feitas, principalmente no departamento de jornalismo, com a saída da diretora de jornalismo Cristina Piasentini, que deixou a direção do núcleo, depois de doze anos.[36]

2021

Em 25 de janeiro, é comunicada a saída de Fausto Silva depois de 32 anos a frente do Domingão do Faustão. Fausto apresentaria o programa até o fim de dezembro.[37][38] Em 17 de junho, o apresentador titular decidiu antecipar sua saída do canal. Com isso, o dominical passaria a ter o comando de Tiago Leifert, que esteve à frente da atração no dia 13, cobrindo a ausência de Fausto por conta de um tratamento contra a infecção urinária.[39] Horas depois da mudança de apresentador, a marca Domingão deixa de ser utilizada pela emissora e é substituída pelo quadro Dança dos Famosos, que passa a ser atração própria.[40]

Devido à pandemia de COVID-19, no início de março de 2021 a Globo decidiu afastar das gravações de novelas os atores com mais de oitenta anos.[41] Menos de duas semanas depois, foram também afastados os atores com mais de 69 anos.[42]

Em 13 de março, a emissora, junto com outros veículos do Grupo Globo (TV por assinatura, jornal impresso, streaming e a gravadora Som Livre), foi alvo de uma notícia falsa publicada pelo Correio da Manhã sobre sua suposta venda ao Grupo J&F, com a operação intermediária pelo Banco BTG Pactual, estimada em R$25 bilhões, com o objetivo de manter a soberania jornalística visando as eleições 2022.[43] Em nota publicada pelo Valor Econômico, tanto a Globo, como a J&F e o Banco BTG negaram as informações.[44]

Em 23 de março voltam a ser interrompidas as gravações de telenovelas e séries até o dia 19 de abril, devido ao agravamento da pandemia de COVID-19.[45]

A emissora finaliza o projeto "Uma Só Globo", dando início também às mudanças nas mídias sociais, usando definitivamente o nome TV Globo, além de apresentar a sua mudança ao público durante os intervalos comerciais.[46]

Em 1° de abril foi anunciada a venda definitiva da Som Livre para a Sony Music. Os valores da transação foram estimados em R$ 1,4 bilhão. A aprovação da venda dependeria do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o que ocorreu em 4 de novembro.[47][48][49] No dia 15, a emissora passou a disponibilizar suas trilhas sonoras de novelas e séries, além de podcasts e músicas usadas no realitys musicais no aplicativo Deezer, também criando um pacote exclusivo no Globoplay para assinantes com um ano grátis na conta premium.[50]

O Grupo Globo substituiu em 28 de abril a presidência do Conselho de Administração, que era ocupada por Roberto Irineu Marinho desde agosto de 2003, quando morreu seu pai e fundador do conglomerado, Roberto Marinho. Com a aprovação unânime do Conselho, seu irmão João Roberto Marinho assumiu a presidência, e Roberto Irineu passou a ser vice-presidente do grupo, junto com o irmão mais novo dos três, José Roberto Marinho.[51]

Em 27 de maio, foram adquiridos os direitos de todos os jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. Até então, o canal detinha os direitos apenas para jogos da Seleção Brasileira e Argentina como mandantes. A aquisição dos jogos passou a ser vista como um contra-ataque, já que a emissora perdeu as licitações dos direitos de transmissão da Liga dos Campeões da Europa (temporada 2021/22 até 2023/24) e da Copa América de 2021 para o SBT.[52][53][54]

A audiência geral da Globo no mês de junho foi a pior para esse mês em toda a história da emissora. Com 11,3 pontos, foi o terceiro mês consecutivo com audiências decrescentes.[55]

Em 6 de agosto a emissora anunciou a contratação de Marcos Mion para o comando do Caldeirão a partir de 4 de setembro, enquanto que Luciano Huck passa a assumir o Domingão com Huck, dominical em substituição ao Domingão do Faustão, no horário até então tomado pela Dança dos Famosos.[56]

Em 28 de setembro foi anunciado o fim de Malhação, após 27 temporadas. A última temporada inédita a ir ao ar foi Toda Forma de Amar, que teve o final antecipado devido às medidas para conter a pandemia de COVID-19. Desde então só foram exibidas reprises como Viva a Diferença e Sonhos, levando também ao cancelamento das produções das temporadas Transformação e Eu Quero é Ser Feliz. O planejamento da emissora é que uma nova grade de programação substitua o horário da novela teen.[57]

Em 25 de outubro a Globo e a CONMEBOL chegaram a um acordo e optaram por encerrar a arbitragem na Suíça, em razão do rompimento do contrato em agosto de 2020 pelos direitos de transmissão da Copa Libertadores da América entre 2019 e 2022. Com isso, a emissora poderá voltar a participar das negociações referentes aos direitos de transmissão da Libertadores e da Copa Sul-Americana entre os anos de 2023 e 2026.[58]

No dia 1 de dezembro, a Globo lançou a campanha de fim de ano com todos os artistas e jornalistas da emissora.[59] No mesmo dia, estreou sua nova logomarca, com cores vibrantes e fluorescentes com varias versões em 3D.[60] Com isso, alguns programas, como Jornal da Globo, Globo Repórter, Globo Esporte e Globo Comunidade tiveram suas logomarcas alteradas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «sobre TV - Rede Globo». tudosobretv 
  2. «Microfone: História da Rede Globo.». 22 de agosto de 2014. Consultado em 4 de fevereiro de 2017 
  3. Helena Sousa (julho de 1998). «The re-export of the US commercial television model time-life/Globo/SIC: replicating business strategies?» (PDF) (em inglês). Universidade do Minho. pp. 1–15. Consultado em 17 de novembro de 2007 
  4. A história secreta da Rede Globo. [S.l.]: Tchê!. 1 de janeiro de 1987 
  5. a b c Castro, Thell de (8 de junho de 2014). «Em 1965, apresentador da Globo teve enfarte e morreu ao vivo». Notícias da TV. Universo Online. Consultado em 9 de junho de 2014 
  6. «Os Jogos Olímpicos na Televisão Brasileira – Munique 1972 - Surto Olímpico». www.surtoolimpico.com.br. Consultado em 11 de agosto de 2021 
  7. «Neto de Roberto Marinho é promovido e vai dividir comando de Globo unificada». Notícias da TV - UOL. 8 de novembro de 2019. Consultado em 1 de dezembro de 2019 
  8. «Globo decide não renovar contrato com Aguinaldo Silva». UOL. 2 de janeiro de 2020. Consultado em 2 de janeiro de 2020 
  9. «Regina Duarte é 'demitida' ao vivo da TV Globo». Notícias ao Minuto. 30 de janeiro de 2020. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  10. «Amor de Mãe sai do ar no sábado 21». Uol. Consultado em 16 de março de 2020 
  11. Redação (16 de março de 2020). «Globo altera programação e aumenta cobertura jornalística da Covid-19». Rede Globo.com. Consultado em 14 de novembro de 2020 
  12. «De frente para a TV: Muitos ficaram chocados com a dispensa de medalhões da Globo, mas não é justo só receber se trabalhar?». Extra Online. Consultado em 15 de março de 2021 
  13. «Por que a Globo decidiu não manter contrato fixo com estrelas». NaTelinha. Consultado em 15 de março de 2021 
  14. REDAÇÃO (23 de junho de 2020). «Globo entra na Justiça contra a Fifa e pode perder a Copa do Mundo de 2022». Notícias da TV. Consultado em 4 de fevereiro de 2021 
  15. ANDRADE, VINÍCIUS (23 de junho de 2020). «Globo tem primeira vitória contra a Fifa, e pagamento de R$ 463 milhões é suspenso». Notícias da TV. Consultado em 4 de fevereiro de 2021 
  16. «Marcel Rizzo - Fifa vê Globo com maior audiência do mundo na Copa, e ruptura não interessa». www.uol.com.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2021 
  17. «Marcel Rizzo - Mesmo em 'guerra' com a Fifa, Globo vai transmitir o Mundial de Clubes». www.uol.com.br. Consultado em 1 de março de 2021 
  18. «A Globo vai passar a final do Mundial de Clubes 2020? | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 1 de março de 2021 
  19. «Reportagem: Gabriel Vaquer - Justiça arquiva processo da Fifa contra Globo e Copa do Mundo fica na TV». www.uol.com.br. Consultado em 20 de março de 2021 
  20. «Globo renuncia à exclusividade dos direitos digitais da Copa do Mundo». Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes. 18 de outubro de 2021. Consultado em 19 de outubro de 2021 
  21. «Globo comunica a CONMEBOL que quer rescindir contrato de transmissão da Libertadores». Terra. Consultado em 18 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2020 
  22. «Globo oficializa encerramento de transmissão da F1 a partir de 2021». UOL. Consultado em 29 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2020 
  23. «Empresa vai cuidar de direitos da F1 e não descarta negócios com Globo». UOL. Consultado em 29 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2020 
  24. «Rio Motorsports perde direitos da F1 e inventa "incertezas da Covid-19 na Europa"». Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2020 
  25. «Governador de SP anuncia acordo com F1 para realizar corrida em Interlagos até 2025». Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2020 
  26. «Gabriel Vaquer - Sem acordo, Globo desiste de Fórmula 1 para 2021; Band agora negocia». www.uol.com.br. Consultado em 6 de fevereiro de 2021 
  27. «Globo não fecha acordo e desiste de transmitir a F1 após 41 anos». ISTOÉ DINHEIRO. 5 de fevereiro de 2021. Consultado em 6 de fevereiro de 2021 
  28. «Gravações de 'Salve-se quem puder' e 'Amor de mãe' são retomadas nesta segunda-feira: segurança é o mais importante». Extra. Consultado em 10 de agosto de 2020 
  29. «Globo compra direitos do Italiano e vai dividir transmissão com a Band». UOL. Consultado em 20 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2020 
  30. «Globo exibe Campeonato Italiano». Globo Comunicação e Participações S.A. (Imprensa Globo). Consultado em 20 de setembro de 2020. Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2020 
  31. «Globo fecha patrocínio milionário e inédito de 3 anos para novelas». www.uol.com.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2021 
  32. Naian Lucas (18 de novembro de 2020). «Som Livre é colocada à venda pelo Grupo Globo». Na Telinha. Consultado em 18 de novembro de 2020 
  33. «Rede Globo exibirá episódios de The Mandalorian na TV aberta». Omelete. Consultado em 8 de novembro de 2020. Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2020 
  34. «Disney+ e Globoplay vão oferecer assinatura conjunta no Brasil». Omelete. Consultado em 8 de novembro de 2020 
  35. Mauricio Stycer (19 de novembro de 2020). «Ricardo Waddington assume comando do entretenimento da Globo; Schroder sai». UOL. Consultado em 19 de novembro de 2020 
  36. Redação (1 de dezembro de 2020). «Globo faz novas mudanças e demite sete jornalistas veteranos». Na Telinha. Consultado em 1 de dezembro de 2020 
  37. «TV Globo brinca nas redes sociais com meme sobre namoro fictício de Selena Gomez e Faustão em anúncio de saída do apresentador». G1. Consultado em 26 de janeiro de 2021 
  38. «Faustão deixa TV Globo em dezembro e agradece a emissora». oglobo.globo.com. Consultado em 26 de janeiro de 2021 
  39. Bode.io. «Tiago Leifert nas tardes de domingo». Globo Imprensa. Consultado em 17 de junho de 2021 
  40. «No lugar de Faustão, 'Domingão' com Tiago Leifert terá novo nome». Extra Online. Consultado em 17 de junho de 2021 
  41. «Globo veta atores com mais de 80 em novelas, diz colunista». IstoÉ Gente. 2 de março de 2021 
  42. «Globo aumenta restrições e veta atores com mais de 69 anos em novelas». Splash. 12 de março de 2021 
  43. «BTG negocia venda do Grupo Globo para J%S da família Batista». 1 Bilhão Educação Financeira. 13 de março de 2021. Consultado em 15 de março de 2021 
  44. «Grupo Globo faz esclarecimento sobre notícia falsa em relação à empresa». Valor Econômico. Consultado em 15 de março de 2021 
  45. «Globo decide paralisar gravações de séries e novelas até 19 de abril». G1. Consultado em 27 de março de 2021 
  46. «Reportagem: Ricardo Feltrin - Globo mostra ao público o projeto "Uma Só Globo"». www.uol.com.br. Consultado em 30 de março de 2021 
  47. «Som Livre é vendida pela Globo para a Sony Music». G1. Consultado em 1 de abril de 2021 
  48. LACERDA, GABRIEL VAQUER e LI (11 de novembro de 2021). «Cade aprova venda da Som Livre para a Sony Music e faz Globo faturar R$ 1,4 bilhão». Notícias da TV. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  49. TudoCelular.com (4 de novembro de 2021). «Cade autoriza a venda da gravadora Som Livre, do Grupo Globo, para a Sony Music Entertainment». TudoCelular.com. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  50. «Assinantes do Globoplay terão acesso a um ano grátis de Deezer Premium». Canaltech. 15 de abril de 2021. Consultado em 18 de junho de 2021 
  51. «Globo muda alta cúpula, e Roberto Irineu Marinho é substituído após 18 anos». Notícias da TV. 28 de abril de 2021 
  52. «Globo adquire direitos de transmissão das Eliminatórias Sul-Americanas». www.uol.com.br. Consultado em 3 de junho de 2021 
  53. «Globo adquire direitos de transmissão de todos jogos das eliminatórias sul-americanas». ge. Consultado em 3 de junho de 2021 
  54. «Após perder 5 eventos, Globo recupera eliminatórias sul-americanas da Copa - 31/05/2021 - UOL Splash». www.uol.com.br. Consultado em 3 de junho de 2021 
  55. Ibope na TV aberta: Globo registra pior mês de junho de sua história
  56. «Estreou em 1999 : A trajetória de Marcos Mion, agora de volta à Globo». www.uol.com.br. Consultado em 11 de agosto de 2021 
  57. «Globo cancela 'Malhação' e vai reformular grade - Patrícia Kogut, O Globo». Patrícia Kogut. Consultado em 29 de setembro de 2021 
  58. «Globo e Conmebol chegam a entendimento e encerram arbitragem na Suíça». ge. Consultado em 25 de outubro de 2021 
  59. Fabio Augusto (1 de dezembro de 2021). «Com artistas badalados, Globo lança vinheta de fim de ano e novo logotipo». Observatório da TV. Consultado em 4 de dezembro de 2021 
  60. Jornal Nacional (1 de dezembro de 2021). «TV Globo estreia nova identidade visual». g1.com. Consultado em 4 de dezembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]