Som Livre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Som Livre
Som Livre.png
Parentesco Grupo Globo (Anteriormente Organizações Globo)
Fundação 1969
Fundador(es) João Araújo
Distribuidor(es) Som Livre
Gênero(s) Trilhas sonoras
coletâneas
vários
País de origem Brasil Brasil
Localização Rua Assunção n° 443, Botafogo, Rio de Janeiro, RJ
Página oficial http://www.somlivre.com (site oficial da gravadora)

A Som Livre é uma gravadora musical brasileira. Foi fundada em 1969 com a finalidade de desenvolver e comercializar trilhas sonoras de novelas produzidas pela Rede Globo, e pertence a SIGLA (Sistema Globo de Gravações Audiovisuais Ltda) e a Globo Comunicação e Participações S.A. Seu fundador é o produtor musical João Araújo.

História[editar | editar código-fonte]

A primeira trilha lançada pela Som Livre foi O Cafona (1971). Em seguida, outras trilhas memoráveis foram produzidas por compositores e cantores brasileiros e lançadas pela gravadora: O Bem Amado (Toquinho e Vinícius de Moraes), O Bofe (Roberto Carlos e Erasmo Carlos); O Primeiro Amor (Antônio Carlos e Jocafi); O Espigão e Corrida do Ouro (Zé Rodrix), Os Ossos do Barão (Paulo Sérgio e Marcos Valle) e O Rebu (Raul Seixas e Paulo Coelho).

Além das trilhas sonoras, a Som Livre expandiu o catálogo com coletâneas, gravações exclusivas de artistas nacionais e estrangeiros e projetos culturais. Vários nomes importantes já fizeram parte do elenco da Som Livre, dentre os quais Tim Maia, Rita Lee, Lulu Santos, Barão Vermelho, Cazuza (filho do fundador, João Araújo, e vocalista do Barão Vermelho de 1982 a 85), Luiz Melodia, Gal Costa, Simone, Jorge Ben Jor, Elis Regina, Fafá de Belém, Moraes Moreira, Djavan, Novos Baianos, Fábio Jr., Agepê, Francis Hime, Xuxa e Kelly Key. Hoje que fazem parte da Som Livre é Luan santana, Cristiano Araújo, Banda Malta, Henrique e Juliano, Naldo Benny, Neto LX, Thaeme e Thiago, Fernando e Sorocaba, Gabriel Gava, Dennis DJ, Marcos e Belluti, Conrado e Aleksandro, entre outros nomes famosos. Há muitos anos mantém uma parceria com a Igreja Católica, produzindo vídeos e DVDs para a mesma. Uma parte fundamental da história musical brasileira está, assim, registrada em gravações da companhia.

A gravadora participa dos projetos lançados pela Banda Calypso desde 2008 com a divulgação e lançamentos dos seus álbuns.

Atualmente, a Som Livre é uma subsidiária integral da TV Globo e continua fortemente presente no mercado musical desenvolvendo e atuando na produção e venda de CDs, DVDs, ring tones para celular e distribuição eletrônica de música. Com capacidade para cerca de 80 lançamentos por ano, a empresa concentra-se em produtos relacionados com os programas das Organizações Globo (p.ex., trilhas de novelas, GNT Jazz, Good Times 98 e Malhação). Além dos produtos musicais, a Som Livre também comercializa, como licenciada da Globo Marcas, DVDs de programas da TV Globo como TV Pirata e Casseta & Planeta.

O êxito da parceria entre Rede Globo e Som Livre, no entanto, não se restringe às trilhas das novelas, séries e especiais da emissora. Uma artista em especial repetiu nas vendas de seus discos o sucesso que faz na televisão: Xuxa.

Desde seu primeiro disco na Som Livre - "Xou da Xuxa", de 1986 -, Xuxa não apenas se tornou um fenômeno fonográfico como acabou se tornando a dona do álbum mais bem sucedido da história da gravadora e do Brasil: "Xou da Xuxa 3", de 1988, teve a impressionante marca de 10.816.704 de cópias vendidas. Um sucesso fonográfico que segue até hoje com a série "Xuxa só para Baixinhos", que recentemente ganhou uma caixa reunindo seus oito álbuns - uma forma de celebrar uma das séries que mais deram certo na história do disco no Brasil. [1]

Em 2008, a gravadora criou o subselo Som Livre Apresenta (posteriormente rebatizado de SLAP), com o intuito de lançamentos de novos artistas e projetos inéditos de artistas consagrados, como Tiago Iorc, Little Joy e Companhia Itinerante.

2009: Investimento no gospel[editar | editar código-fonte]

Apesar de já ter distribuído algumas coletâneas da Aline Barros, somente em 2009, a Som Livre começou a contratar nomes do segmento gospel para lançarem seus produtos através da gravadora, departamento que pouco tempo depois passou a ser conhecido como Você Adora. O primeiro nome foi o Diante do Trono, em seguida, vieram nomes como Pastor Antônio Cirilo, Lázaro, Jamily, Alda Célia, Palavrantiga, Dan e Daniel, Chris Durán, entre outros, nesta divisão voltada para cantores e grupos da música gospel, e atualmente, em seu cast artístico encontram-se, entre outros nomes, Gui Rebustini, André Valadão, Davi Sacer [2] , PG, Rose Nascimento, David Quinlan, Ton Carfi, Ludmila Ferber, Jonas Maciel, Ana Nóbrega, Pamela, Alex & Alex, Bruno Branco, Eliane Silva, Andrea Fontes.[3] e Além disso, criaram o Troféu Promessas, para reconhecer o talento dos artistas que cantam este tipo de música, mas o projeto acabou sendo abraçado pela GEO, antiga empresa de eventos da Globo.

Referências

  1. 40 anos de Som Livre: uma história contada pelas novelas da Rede Globo
  2. Tarcísio Wallace Sant'ana (10 de junho de 2011). Davi Sacer grava pela Som Livre o seu primeiro CD/DVD ao vivo - No caminho do Milagre Super Gospel. Visitado em 27 de novembro de 2011.
  3. Amigo de Cristo. Som Livre lança novo CD do Pastor Antônio Cirilo, do Santa Geração. Visitado em 27 de novembro de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]