Canais Globo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Canais Globo[1]
Captura de tela
Desenvolvedor Globo Comunicação e Participações S.A.[1]
Plataforma Android, iOS, web, Smart TV, Windows
Lançamento 2011 (11 anos)
Idioma(s) Português
Gênero(s) Vídeo sob demanda
Página oficial canaisglobo.globo.com

Canais Globo[1] é uma plataforma digital de streaming de vídeos sob demanda da Globo, empresa subsidiária do Grupo Globo.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Foi lançado em 2011, como o nome de MUU, inicialmente disponível para assinantes da operadora NET, que era parceira do negócio.[2][3] Em 2014, foi renomeado para Globosat Play, já com maior disponibilidade de operadoras para o acesso.[4] Em 2020, com a unificação de alguns negócios do Grupo Globo (entre eles, a extinção da marca Globosat), foi renomeado novamente para Canais Globo.[5]

Acesso[editar | editar código-fonte]

O serviço está disponível para assinantes de operadoras de TV Paga e pode ser acessado através deSmarts TV, smartphones Android e iOS e web player.[6]

Diferenças para o Globoplay[editar | editar código-fonte]

O Canais Globo se assemelha com outro serviço de streaming da Globo, o Globoplay. Porém, este pode ser acessado por qualquer usuário, bastando ter um cadastro na Globo.com para usufruir dos conteúdos gratuitos e uma assinatura para acessar os conteúdos premium. Enquanto o primeiro é necessário ter uma assinatura em alguma operadora de TV por assinatura ou assinar o plano "+ canais ao vivo" do Globoplay e acessar os canais do portifólio por lá.[7]

Portifólio[editar | editar código-fonte]

O serviço oferece a transmissão ao vivo e os conteúdos já exibidos pelos canais pagos da Globo. Os canais disponíveis e indisponíveis do serviço são os mesmos ofertados nas operadoras de TV por assinatura e para assinantes do "Globoplay +canais ao vivo".[8]

Tiago Maranhão em uma reportagem para o SporTV em agosto de 2014 na Coreia do Norte com Jong Song-ok, ganhadora do Campeonato Mundial de Atletismo de 1999.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. Em parceria com o Grupo Consórcio Brasil
  2. a b c Em parceria com a NBC Universal
  3. Em parceria com os estúdios 20th Century Studios, Universal Studios, Walt Disney Pictures, Paramount Pictures e Metro-Goldwyn-Mayer.
  4. a b c d e f Em parceria com a PlayboyTV América Latina

Referências

  1. a b c d «Empresas do Projeto Uma Só Globo» (em inglês). Globo.com. Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  2. «Net lança site com vídeos do SporTV, Multishow, Telecine e outros canais». Tecnoblog. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  3. Martins, Leo (11 de agosto de 2011). «Muu mistura TV e internet e oferece programação da Globosat». Gizmodo Brasil. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  4. REDAÇÃO (15 de maio de 2014). «Globosat aposenta Muu e unifica serviços de vídeos sob demanda». Notícias da TV. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  5. «Globosat Play vira Canais Globo e mantém streaming de TV paga». Tecnoblog. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  6. «Canais Globo: saiba como baixar e ativar o app na smart TV». TechTudo. Consultado em 10 de dezembro de 2021 
  7. TudoCelular.com (31 de agosto de 2020). «Globoplay + canais ao vivo é liberado a todos os assinantes do serviço de streaming». TudoCelular.com. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  8. «Globo integra canais pagos no Globoplay». Consultado em 29 de janeiro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]