Google Stadia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Google Stadia
Stadia logo.svg
Stadia Wordmark.svg
Desenvolvedor(es) Google
Tipo(s) Serviço de jogos eletrônicos por subscrição
Lançado 19 de novembro de 2019
Plataforma(s) Google Chrome Android
Website stadia.com
stadia.dev

O Google Stadia (conhecido em seu desenvolvimento como Project Stream), é um serviço de streaming de jogos eletrônicos (jogos em nuvem) multiplataforma e multijogador, da empresa Google,[1][2][3] lançado em novembro de 2019,[4] onde o jogo é executado e guardado nos servidores da empresa e apenas a ação é transmitida para o dispositivo do jogador através do navegador Google Chrome e internet,[5][6] sem uso de equipamento adicional (como vídeo-game) e sem a necessidade de instalação do jogo.[3] Mas é possível também utilizar com o auxílio do Chromecast Ultra, smartphone com o aplicativo,[7] Gaming Hub e,[8][9] Mi Box.[10]

O aplicativo Stadia na plataforma Google Play — inicialmente apenas disponível com um código — é de acesso livre.[11]

História[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O Project Stream foi o primeiro sinal da Google de interesse em produtos de videogame, porém rumores indicavam que a empresa já trabalhava em um serviço chamado Project Yeti desde pelo menos 2016. A Google também contratou o executivo da indústria de jogos Phil Harrison e foram vistos recrutando desenvolvedores durante eventos do setor em 2018.[12]

O principal diferencial do Project Stream de serviços anteriores, como o OnLive, GeForce Now e PlayStation Now, é a sua capacidade de ser executado no navegador Chrome de desktop, ao invés de plataformas de jogos específicos (vídeo-game), além do suporte à vários tipos de motores de jogos, como: Unreal Engine, CryEngine, Vulkan, Unity, AMD, Havok.[3] O serviço usa o hardware gráfico AMD Radeon.

O Google anunciou o serviço em outubro de 2018 e, logo depois, abriu convites para os testadores beta com acesso ao jogo Assassin's Creed Odyssey.[13] Os jogadores podem solicitar acesso e aqueles que atingiram um mínimo de velocidade da Internet podem executar o jogo em seus navegadores Chrome.[3]

O Stadia disponibiliza título na qualidade 4K para quem joga pelo navegador Chrome, até então, disponível apenas com um Chromecast Ultra.[14] Apesar de o serviço ainda não ter sido oficializado, no menu, os usuários podem escolher a opção de largura de banda que a plataforma consome.

Em 2020, Google anunciou parceria com algumas desenvolvedoras: Unity Technologies e o projeto "Stadia Makers", no evento virtual "Google for Games Developer Summit" (Android, Stadia e, ChromeOS), prevendo apoiar a comunidade de desenvolvedores independentes (estúdios indie),[15][16] oferecendo três benefícios: assistência da engine Unity3D; hardware de desenvolvimento gratuito, e; financiamento.[15] A expansão da publicação e promoção própria (self-publishing);[16] Electronic Arts (EA), durante o evento Stadia Connect, para o lançamento de cinco títulos em dois anos;[17] Desenvolvedores dos jogos Harmonix, Splash Damage e Supermassive Games.

Embora em março de 2021, Google tenha encerrado seu estúdio internos de desenvolvimento de jogos,[18][19] Stadia Games and Entertainment[20] - cancelando a produção de vários títulos e diminuindo a quantidade de lançamentos da plataforma -[18][19] em julho de 2022 a empresa anuncia expandi-la ao México, com previsão de ocorrer ainda neste mesmo ano, chegando a um novo território desde 2020.[18]

Desde 2020 tem tido dificuldades em captar alguns grandes jogos para a plataforma. No entanto, recebeu uma grande novidade, a EA confirmou oficialmente a chegada do jogo FIFA 23 ao Google Stadia em 2022 com suporte à crossplay;[21] os jogadores no Stadia poderão competir com jogadores em outras plataformas como a XBOX, PlayStation e computador.[21] Também terá suporte ao HyperMotion 2.[21]

O Stadia oferece uma seleção decente de testes gratuitos, para que possa experimentar os jogos durante um tempo antes de compra-lo.[20]

Compatibilidade[editar | editar código-fonte]

O gadget Chromecast acompanhado do controle físico inicial do Stadia

O Google Stadia é compatível com 18 modelos de smartphones, os aparelhos Pixel da Google e mais quatro aparelhos de outras empresas.[22] Além desses aparelhos, é possível utilizar o serviço em qualquer aparelho com o Android 6.0 ou superior.[23] O serviço temboa adaptação dos jogos entre plataformas, mas nem todos os títulos são otimizados para celulares, por exemplo recomenda-se jogar Football Manager 2020 na televisão ou no computador.[24]

Está em desenvolvimento uma versão progressiva para o sistema operacinal IOS no formato de aplicativo web, será executado na versão móvel do navegador Safari (Apple).[25]

A partir de junho de 2020, foi adicionado um controlador de jogos via smartphone, dispensando a necessidade do jogador utilizar um joystick/controlador físico.[26]

A partir de junho de 2021, o serviço de estará disponível além do Chromecast, em vários modelos de televisões com o sistema Android TV e da Xiaomi Mi Box.[10]

A partir de novembro de 2021, é possível transmitir lives dos jogos diretamente do serviço ao YouTube com qualidade 4K com 60 fps e HDR, sem uso de outro programa,[27] com dois modos disponíveis: “Crowd Choice” (permite enquetes durante a live) e “Crowd Play” (permite convidar um espectador para jogar junto).[28]

Em julho de 2022, entrou em funcionamento nos televisores da Samsung a interface de agregação de jogos (ou HUB dedicado de jogos) chamado "Samsung Gaming HUB";[29] que permite os usuários joguem diretamente da TV, sem a necessidade de um console.[29][30]

Críticas[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O Google Stadia foi revelado durante a Conferência de Desenvolvedores de Jogos (Game Developers Conference) de 2019.

Durante sua versão beta, o serviço recebeu impressões iniciais positivas dos revisores, superando expectativas e fazendo com que o streaming de jogos aparecesse como uma alternativa viável aos jogos de computador. Os revisores relataram que o serviço tinha baixa latência e sentia como se estivesse jogando localmente.[carece de fontes?] Dependendo da velocidade do wi-fi, no entanto, o jogo às vezes reduzia a resolução da tela ou atrasava.

Um teste da The Verge não encontrou problemas de atraso em uma conexão ethernet com fio e ocasionais interrupções em uma conexão wi-fi compartilhada. No entanto, mesmo em uma conexão com fio, o fluxo não era emitido na resolução 4K e, ocasionalmente, ficava confuso com artefatos de compactação. O revisor relatou a melhor experiência no Chromebook Pixel do Google. O Polygon detectou a compactação de áudio do serviço.

O Ars Technica observou que a sequência de login do Project Stream era muito mais simples que a de outros serviços.

Pré-lançamento[editar | editar código-fonte]

Após a revelação do catálogo de jogos no pré-lançamento, a principal crítica foi relacionada a falta de títulos diferentes e exclusivos.[31] Então, poucos dias anterior ao lançamento, o Stadia ganhou mais dez jogos em seu catálogo inicial.[31]

O serviço Stadia teve início ainda em 2019, sendo disponibilizado em três países (Canadá, Estados Unidos e Reino Unido) e em nações membros da União Europeia.[4][3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Junqueira, Daniel (19 de março de 2019). «Stadia: tudo sobre a plataforma de streaming de games do Google». Olhar Digital - O futuro passa primeiro aqui. Consultado em 19 de março de 2019 
  2. Pinheiro, Jessica (19 de março de 2019). «Stadia: Google anuncia sua nova plataforma de streaming de games». The Enemy. Consultado em 19 de março de 2019 
  3. a b c d e Loureiro, Jorge (19 de março de 2019). «Stadia é a plataforma de videojogos da Google». Eurogamer.pt. Consultado em 19 de março de 2019 
  4. a b Ferreira, Victor (19 de março de 2019). «Stadia no Brasil? "Temos planos para outros mercados", diz chefe da plataforma». The Enemy. Consultado em 19 de março de 2019 
  5. Machkovech, Sam (9 de outubro de 2018). «Google's Project Stream: That's really a full Assassin's Creed in my browser». Ars Technica (em inglês). Consultado em 19 de março de 2019 
  6. «Google confirma onde e quando lançará o Stadia». Olhar Digital. Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  7. «Google confirma onde e quando lançará o Stadia». Olhar Digital. Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  8. TudoCelular.com (5 de janeiro de 2022). «CES 2022: Samsung lança telas The Freestyle e Odyssey Ark, e interfaces Home e Gaming Hub». TudoCelular.com. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  9. Ferreira, Victor (3 de janeiro de 2022). «Novas TVs da Samsung terão hub dedicado a games, além de suporte a NFTs». The Enemy. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  10. a b TudoCelular.com (9 de junho de 2021). «Google Stadia chega ao Chromecast, Android TV, Xiaomi Mi Box e mais produtos em junho». TudoCelular.com. Consultado em 9 de dezembro de 2021 
  11. «Google Stadia pode liberar conta gratuita em breve». 28 de fevereiro de 2020. Consultado em 23 de março de 2020 
  12. Amadeo, Ron (1 de outubro de 2018). «Google announces "Project Stream"—a "test" of game streaming in Chrome». Ars Technica (em inglês). Consultado em 19 de março de 2019 
  13. Goslin, Austen (8 de outubro de 2018). «Streaming Assassin's Creed Odyssey in Google Chrome is surprisingly great». Polygon (em inglês). Consultado em 19 de março de 2019 
  14. «Quatro meses depois, agora é possível jogar em 4K pelo Chrome no Google Stadia». 6 de março de 2020 
  15. a b GameVicio. «Google abre programa Stadia Makers para desenvolvedores independentes de jogos - GameVicio» 
  16. a b «Google anuncia o Stadia Makers, iniciativa para ajudar estúdios indie». Oficina da Net. Consultado em 7 de dezembro de 2021 
  17. «EA faz parceria com Google Stadia, serviço de streaming para games» 
  18. a b c «Não morreu: Google Stadia anuncia expansão para o México ainda em 2022». Adrenaline. 30 de junho de 2022. Consultado em 25 de julho de 2022 
  19. a b às 11:14, byPedro Pestana Publicado 1 de Março de 2021 (1 de março de 2021). «Google Stadia: Fecho de estúdios levou ao cancelamento de inúmeros projetos». IGN Portugal. Consultado em 25 de julho de 2022 
  20. a b Gilbert, Jon (19 de julho de 2022). «Amazon Luna vs. Google Stadia: Which is the best streaming subscription?». Android Police (em inglês). Consultado em 25 de julho de 2022 
  21. a b c Fonseca, Bruno (20 de julho de 2022). «FIFA 23 chega ao Google Stadia com crossplay entre todos!». Leak. Consultado em 25 de julho de 2022 
  22. Peters, Jay (30 de abril de 2020). «Google Stadia now works on the OnePlus 8 and OnePlus 8 Pro» (em inglês) 
  23. Li, Abner (11 de junho de 2020). «Google brings experimental Stadia support to all Android phones, mobile touch controls». 9to5Google (em inglês). Consultado em 9 de dezembro de 2021 
  24. Martin6 (5 de agosto de 2020). «Use o Stadia para jogar esses jogos nos seus dispositivos». WebSetNet. Consultado em 9 de dezembro de 2021 
  25. «O Google Stadia está chegando ao iOS nas próximas semanas». ISTOÉ DINHEIRO. 20 de novembro de 2020. Consultado em 7 de dezembro de 2020 
  26. «Google Stadia agora funciona em 'praticamente' qualquer Android». www.tecmundo.com.br. Consultado em 10 de dezembro de 2021 
  27. TudoCelular.com (16 de novembro de 2021). «Stadia agora oferece streaming diretamente para o YouTube em 4K». TudoCelular.com. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  28. Digital, Olhar (8 de dezembro de 2020). «Google Stadia agora permite transmitir lives via YouTube». Olhar Digital. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  29. a b Digital, Olhar (1 de julho de 2022). «Samsung Gaming Hub disponível para jogar sem console nas TVs 2022 da marca». Olhar Digital. Consultado em 25 de julho de 2022 
  30. «TV que não precisa de videogame! Testamos o HUB de games Samsung». Adrenaline. 2 de julho de 2022. Consultado em 25 de julho de 2022 
  31. a b Ferreira, Victor (18 de novembro de 2019). «Google aumenta lista de lançamento do Stadia para 22 jogos». The Enemy. Consultado em 9 de dezembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]