Grooveshark

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grooveshark
Requer pagamento? Não
Gênero Música, Rede social
Cadastro Gratuito
País de origem  Estados Unidos
Idiomas Mundo
Lançamento 2007
Desenvolvedor Escape Media Group
Proprietário Escape Media Group
Página oficial Grooveshark

Grooveshark foi um site de compartilhamento de músicas on-line. O site permitia que o usuário fizesse o upload de suas músicas que ficavam disponíveis para serem ouvidas por outros usuários[1] [2] [3] . Grooveshark tinha um fluxo médio de 50 a 60 milhões de música por mês e cerca de 400 000 usuários com uma taxa de crescimento de 2 a 3% por mês.

Visão Geral[editar | editar código-fonte]

O serviço oferecia um mecanismo de busca de músicas pelo nome da faixa, artista ou álbum. Uma vez localizada a música, o usuário poderia ouvi-la na interface HTML[4] através de transmissão (streaming), criar playlists e compartilhá-los por e-mail em sites de relacionamento como Facebook, Twitter e StumbleUpon, ou permitir que outras pessoas escutem as músicas através de widgets em Flash que podem ser publicados em blogs do Wordpress[5] .

O Grooveshark não permitia que o usuário baixe os arquivos para seu computador, as músicas podem ser ouvidas apenas através do site ou dos widgets criados a partir de playlists. O site oferecia a opção de adquirir os arquivos de áudio em lojas on-line, como Amazon.com ou iTunes. Também disponibilizava aplicativos para aparelhos móveis com o sistema Android e Blackberry[6] .

Licenciamento e críticas[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Em 18 de abril de 2011, o vice-presidente de assuntos externos Paul Geller divulgou uma carta aberta a indústria fonográfica sobre a legalidade do Grooveshark, em um esforço de explicar que o Grooveshark é legal, mesmo que ele ainda não esteja completamente licenciado.

Encerramento do Grooveshark[editar | editar código-fonte]

Segundo informação do site da Tecmundo sobre o serviço...

''Grooveshark sempre foi um dos serviços de streaming de músicas mais controverso de todos. A polêmica gerada pelas não muito claras diretrizes de respeito às leis autorais fizeram dele um sistema nada querido pela indústria fonográfica. Recentemente, quase cinco mil músicas no Grooveshark foram consideradas ilegais e a multa imposta poderia chegar à marca dos US$ 730 milhões.

Por causa disso, o Grooveshark anunciou há pouco que está encerrando as suas atividades no mercado de todo o mundo. Isso mesmo... A partir de agora não é mais possível acessar o serviço de streaming. Todos que tentam fazer isso se deparam com uma mensagem de despedida enviada pela equipe de desenvolvimento do serviço, que diz “Adeus” depois de quase dez anos de atividades.

No anúncio, o Grooveshark assume ter falhado na questão de licenciamento das músicas, “apesar das melhores intenções”. Também foi revelado que o encerramento das atividades faz parte de um acordo com algumas das maiores gravadoras do planeta, assim como a limpeza de servidores e exclusão de qualquer trabalho que seja protegido por algum tipo de lei autoral vigente.

Outro recado foi dado em relação aos concorrentes: “Quando começamos, poucos serviços ofereciam o que nós queríamos oferecer e o que vocês mereciam. (...) Hoje há centenas deles que são amigáveis e que tem preços justos, incluindo Spotify, Deezer, Google Play, Beats, Rhapsody e Rdio”.

Que o Grooveshark descanse em paz!''

Dia 19/07/2015 o Criador do serviço foi encontrado morto

Josh Greenberg, fundador do site Grooveshark, é encontrado morto[editar | editar código-fonte]

Ele tinha 28 anos; não há sinais de crime ou suicídio, diz polícia dos EUA. 
Site chegou a ter 20 milhões de usuários, mas foi desativado após ação.
[editar | editar código-fonte]

Do G1, em São Paulo

Josh Greenberg, um dos fundadores do Grooveshark, morreu aos 28 anos (Foto: Reprodução/Twitter/ JoshGreenberg)

Josh Greenberg, de 28 anos, um dos fundadores do site norte-americano Grooveshark, foi encontrado morto no domingo (19). A informação foi confirmada nesta segunda-feira (20) pela polícia de Gainesville, na Florida, onde Josh morava.

O Grooveshark, criado quando Josh tinha 19 anos, foi um dos serviços de música mais populares do mundo. Mas o site foi desativado em abril de 2015, após uma ação judicial por direitos autorais.

Segundo o jornal "The Gainesville Sun", ele foi achado morto em sua cama pela namorada, que tinha passado o final de semana fora de casa. Não havia sinal de violência ou suicídio, de acordo com a polícia. O "Gainesville Sun" afirma que também não havia indício de uso de drogas.

A mãe de Josh, Lori Greenberg, disse ao "Gainesville Sun" que o filho estava aparentemente saudável e "animado com novos projetos que ele estava iniciando", e que ela ficou "perplexa" com a notícia. Uma autópsia foi realizada na manhã desta segunda, mas os resultados ainda não foram divulgados.

saiba mais

  • Grooveshark é desativado após acordo em processo milionário
  • Serviço digital de música Grooveshark é processado pela EMI

Grooveshark desativado Os três criadores do Grooveshark (Josh Greenberg, Andrés Barreto e Sam Tarantino) desativaram o serviço de transmissão digital de músicas em abril de 2015. Segundo uma nota publicada no site, a ação aconteceu por causa de um acordo estabelecido durante um processo movido pelas grandes gravadoras americanas.

O Grooveshark era alvo de um processo por violação de direitos autorais que poderia condenar a empresa a pagar até US$ 736 milhões (mais de R$ 2,2 bilhões). O valor seria estabelecido pelo pagamento de US$ 150 mil por cada uma das mais de 4 mil músicas oferecidas de forma considerada ilegal no site. Segundo a própria empresa, o serviço chegou a ter mais de 20 milhões de usuários, compartilhando cerca de 15 milhões de músicas.

"Nós começamos há quase 10 anos com o objetivo de ajudar os fãs a compartilhar e descobrir música. Mas apesar das nossas melhores intenções, cometemos erros muito sérios", publicaram os responsáveis pelo Grooveshark, em nota. "Falhamos em obter licenças de quem é dono dos direitos de grande parte da música no serviço. Isso foi errado. Nós nos desculpamos. Sem reservas."

O serviço de streaming encerrou suas atividades online mundialmente em 30 de Abril de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. CrunchBase: Grooveshark Company Profile. Visitado em 13 de Janeiro de 2010.
  2. Will Mueller (24 de Maio de 2008). Grooveshark – Free Legal Online Music. Visitado em 3 de Fevereiro de 2010.
  3. Grooveshark profile by Obsessable. Visitado em 3 de Fevereiro de 2010.
  4. Robin Wauters (26 de Outubro de 2009). The New Grooveshark: Faster, Prettier And Still Phenomenal. Visitado em 13 de Janeiro de 2010.
  5. Jennifer Van Grove. Grooveshark Goes Social; New Facebook App, WordPress Plugin, and Tinysong API. Visitado em 13 de Janeiro de 2010.
  6. Grooveshark Mobile Music. Visitado em 3 de Fevereiro de 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre Internet é um esboço relacionado ao Projeto Internet. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.