TV Globo Brasília

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
TV Globo Brasília
Globo Comunicação e Participações S.A.
Brasília, Distrito Federal
Brasil
Tipo Empresa privada
Canais
10 VHF analógico
21 UHF e 10.1 Virtual digital
Outros canais 24 (Claro TV)
10 (Sky)
08 (Oi TV)
20 NET
210 (GVT TV)
Sede Distrito Federal (Brasil) Brasília, DF
SRTVN, Qd. 701, Conj. A - Asa Norte
MAPA
Rede Rede Globo
Fundador Roberto Marinho
Pertence a Grupo Globo
Proprietário Roberto Irineu Marinho
Antigo proprietário Roberto Marinho (1971-2003)
Acionista(s) Roberto Irineu Marinho (sócio presidente)
José Roberto Marinho e João Roberto Marinho (sócios majoritários)
Presidente Roberto Irineu Marinho
Fundação 21 de abril de 1971 (45 anos)
CNPJ 27.865.757/0025-71
Prefixo ZYA 508
Emissoras irmãs CBN Brasília
Cobertura Distrito Federal e partes do Entorno
Potência 30 kW
Página oficial redeglobo.globo.com

TV Globo Brasília é uma emissora de televisão brasileira sediada em Brasília, Distrito Federal. Opera nos canais 10 VHF e 21 UHF digital, e é uma emissora própria da Rede Globo. Devido a dificuldade de recepção em áreas distantes de Brasília, a emissora também opera no canal 25 UHF no Gama e no 20 UHF em Taguatinga. Seus estúdios ficam no Setor de Rádio e Televisão Norte (SRTVN), na Asa Norte do plano piloto da capital. Seus transmissores analógicos ficam na Torre de TV de Brasília, no Eixo Monumental, e seus transmissores digitais ficam na torre de Torre de TV Digital de Brasília, na região administrativa de Sobradinho.

História[editar | editar código-fonte]

Sede da emissora, na Asa Norte.

Antes da criação da emissora, o sinal da Rede Globo chegava na capital federal através da TV Nacional hoje atual TV Brasil, pertencente ao Governo Federal, entre 1967 e 1969. Neste ano, o Grupo Globo anteriormente chamado de Organizações Globo ganharam uma concessão do MiniCom para implantar uma emissora própria em Brasília. Após dois anos de preparativos, a TV Globo Brasília entrou no ar em 21 de abril de 1971, no aniversário de 11 anos da cidade.[1] A emissora transmitiu uma partida de futebol entre Vasco e Flamengo, e o programa Som Livre Exportação.

Desde sua fundação, a emissora foi estrategicamente fundamental pela sua inserção no noticiário nacional, para as pautas sobre a política. Em 1983, o Bom Dia Brasil passou a ser produzido a partir de Brasília, pois na época seu formato era predominantemente de matérias sobre política e economia.

Em 1994, a emissora sofreu um incêndio nas suas instalações, mas isso não impediu a produção da programação. Até 1995, a programação da emissora também abrangia os municípios do Entorno do Distrito Federal, porém após a criação da antiga TV Rio Vermelho, hoje atual TV Anhanguera de Luziânia, a programação ficou restrita apenas ao Distrito Federal. Em 1996, com a produção do Bom Dia Brasil passando a ser feita no Rio de Janeiro, a TV Globo Brasília passou apenas a participar com matérias para a rede e com comentários nos telejornais.

Em 7 de setembro de 2014, em uma das ondas de protestos que ocorriam no país, um grupo de manifestantes tentou invadir a sede da emissora na Asa Norte. Vândalos apedrejaram carros que estavam no estacionamento e tentaram arrombar a porta de acesso ao prédio, mas foram contidos pelos seguranças e dispersados pela Tropa de Choque da Polícia Militar.[2]

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Proporção de tela Programação
10.1 21 UHF 1080i Programação principal da TV Globo Brasília / Globo HD

A emissora iniciou oficialmente suas transmissões digitais em 22 de abril de 2009,[3] durante o DFTV 2ª edição. Em 2 de dezembro de 2013, os telejornais da emissora passaram a ser produzidos em alta definição.[4]

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Globo Brasília, bem como as outras emissoras da cidade de Brasília e do entorno do Distrito Federal, irá cessar suas transmissões pelo canal 10 VHF em 26 de outubro de 2016, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[5]

Programação[editar | editar código-fonte]

Grade nacional[editar | editar código-fonte]

A emissora produz e também participa de programas em rede nacional, como:

Rede Globo
GloboNews

Grade local[editar | editar código-fonte]

  • Bom Dia DF: Telejornal, com Guilherme Portanova. De segunda à sexta, das 6h00 às 7h30;
  • DFTV 1ª edição: Telejornal, com Fábio William. De segunda à sábado, das 12h00 às 12h50;
  • Globo Esporte DF: Jornalístico esportivo, com Viviane Costa. De segunda à sábado, das 12h50 às 13h20;
  • DFTV 2ª edição: Telejornal, com Antônio de Castro. De segunda à sábado, das 19h15 às 19h35;
  • Globo Comunidade: Jornalístico, com Marina Franceschini. Domingos, das 7h30 às 8h00;
  • Radar DF: Boletim informativo, com Guilherme Portanova (manhãs) e Antônio de Castro (tardes). De segunda a sexta, durante a programação.

Inicialmente, o jornalismo da TV Globo Brasília era composto apenas pela edição local do Jornal Nacional, apresentada por Heitor Ribeiro, e posteriormente por Júlio César. Em 1976, a emissora passou a exibir o boletim Jornalismo Eletrônico, apresentado por Luís Lopes Correia, que durou até 1978. Em 1979, a edição local do Jornal Nacional foi substituída pelo Jornal das Sete, apresentado por Carlos Campbell, que durou até 1º de janeiro de 1983.

Neste ano, com a reformulação total do jornalismo regional das emissoras e afiliadas da Rede Globo e a adoção do padrão jornalístico Praça TV, estreou em 3 de janeiro o DFTV, inicialmente apenas com a edição noturna apresentada por Carlos Magno. Em junho do mesmo ano, estreou a edição vespertina do jornal, apresentada por André Duda. Entre março de 1983 e março de 1989, também houve uma 3ª edição do telejornal, exibida após o Jornal da Globo, e entre 25 de março de 1984 e 21 de junho de 1987, o telejornal também era exibido aos domingos após o Fantástico. Em 1989, assim como a 3ª edição, a 1ª edição do telejornal foi extinta, voltando apenas em 1992.

Em 7 de janeiro de 1991, a exemplo das emissoras do Rio de Janeiro e Recife, a TV Globo Brasília estreou o Bom Dia DF, apresentado por Carlos Campbell. Seguindo o mesmo padrão do Bom Dia Brasil, o programa também contava com entrevistas e debates sobre política, feitos por Alexandre Garcia. Outros nomes como Paulo José Cunha, André Duda, Fabiana Fernandez, Carlos Magno e Claudia Bomtempo também apresentaram o telejornal na década de 1990. No mesmo ano, também estreou o Globo Comunidade, apresentado nas manhãs de sábado, e posteriormente aos domingos a partir de 1996.

No fim dos anos 90 e início da década de 2000, os padrões jornalísticos Bom Dia Praça e Praça TV sofrem novas reformulações para adotar uma linha editorial mais popular e ligada a comunidade. É neste ínterim que o Bom Dia DF e o DFTV passam por modificações nos cenários e no comando das atrações. Fernanda de Bretanha passou a comandar o telejornal matinal em 2001, enquanto Alexandre Garcia e Márcia Zarur passaram a comandar o DFTV 1ª edição no mesmo ano. Luiz Carlos Braga, que já comandava o DFTV 2ª edição desde 1996, permaneceu no comando do telejornal até 2008, quando foi demitido pela emissora e migrou para a TV Record Centro-Oeste.

Em 2004, Liliane Cardoso assumiu o Bom Dia DF, enquanto Fernanda de Bretanha passou a apresentar o DFTV 1ª edição com Alexandre Garcia em substituição a Márcia Zarur. Em 2007, a exemplo das outras emissoras da Rede Globo, estreou o boletim jornalístico Radar DF, que traz informações a respeito do trânsito e do tempo, além de manchetes curtas. Em 2008, a segunda edição do DFTV passou a ser apresentada por Antônio de Castro. Em março de 2009, o jornalismo da emissora ampliou a participação da comunidade com a criação do DF Móvel, uma redação móvel onde o público participa ao vivo de algum bairro do Distrito Federal.

Em 2011, Alexandre Garcia e Fernanda de Bretanha são substituídos por Fábio William no comando do DFTV 1ª edição. Em 2012, a emissora passa a dispor do Globocop, dando mais dinamismo aos telejornais com cobertura aérea ao vivo. No mesmo ano, em 21 de agosto, o Globo Esporte passa a ser inteiramente local, sob o comando de Gabriel Ramos e Viviane Costa. Em 2013, Liliane Cardoso deixa a bancada do Bom Dia DF, sendo substituída por Guilherme Portanova.

Entre 7 de novembro e 19 de dezembro de 2015, a emissora exibiu aos sábados o especial Distrito Cultural, apresentado por Márcia Zarur, que mostrou os acontecimentos da música, literatura e das artes no Distrito Federal.[6]

Equipe[editar | editar código-fonte]

Membros atuais[editar | editar código-fonte]

Jornalistas e apresentadores
Repórteres
  • Bárbara Lins
  • Bruna Roma
  • Camila Bonfim
  • Camila Guimarães
  • Caroline Dulley
  • Clara Franco
  • Claudia Bomtempo
  • Delis Ortiz
  • Edson Ferraz
  • Fabiano Andrade
  • Fernando Rêgo Barros
  • Flávia Marsola
  • Geraldo Beckher
  • Gioconda Brasil
  • Giovana Telles
  • Heloísa Torres
  • Kenzô Machida
  • Letícia de Oliveira
  • Lívia Veiga
  • Luísa Doyle
  • Marcelo Cosme
  • Marcos Losekann
  • Maria Fernanda Soares
  • Natália Godoy
  • Natália Passarinho
  • Rita Yoshimine
  • Vinícius Leal
  • Vladmir Neto
  • Wellington Valadão
  • Zileide Silva

Membros antigos[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]