Gama (Distrito Federal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Região Administrativa do Gama
Bandeira do Gama
Bandeira
Hino
Região Administrativa II
Fundação: 12 de outubro de 1960 (56 anos)
Lei de criação: 4545 de 10 de dezembro de 1964

Mapa do Gama

Limites: Santo Antônio do Descoberto (GO), Recanto das Emas, Riacho Fundo II, Park Way, Santa Maria e Novo Gama (GO)
Distância de Brasília: 40 km
Administrador(a): Maria Antônia Rodrigues Magalhães[1]
Área  
 - Total 276,30[2] km²
População  
 - Total 141.911[3] habitantes '
IDH 0,815 elevado SEPLAN/2000[4]
Site governamental www.gama.df.gov.br
Setor Central
Setor Oeste
Setor Leste: área comercial, residencial e industrial

Gama é uma região administrativa do Distrito Federal brasileiro.

História[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 1746, o bandeirante Antônio Bueno de Azevedo saiu de Paracatu, em Minas Gerais, chefiando uma grande tropa rumo ao noroeste. Depois de ter atravessado chapadas, rios, veredas e ribeirões, chegou, no dia 13 de dezembro, num riacho em cujas areias descobriu ouro. A decisão foi de fundar ali um povoado, o qual recebeu o nome de Santa Luzia, em homenagem à santa do dia. O riacho ficou conhecido como Rio Vermelho, já que tinha suas águas sempre barrentas por causa da lavagem do ouro. O povoado de Santa Luzia se transformou no que é hoje a cidade de Luziânia, em Goiás.

No começo de 1747, chegou, a Santa Luzia, o primeiro sacerdote, a pedido do próprio Bueno: o padre Luís da Gama Mendonça. Supõe-se que, em homenagem ao padre, foi dado o nome "Gama" ao platô e ao ribeirão. As terras que hoje constituem a região administrativa do Gama, pertenciam às fazendas do Ipê, Alagado da Suzana, Ponte Alta e Gama.

Com a transferência da capital do Brasil para o interior do país, as terras dessas quatro fazendas foram desapropriadas pelo Governo de Goiás, no período de 1956 a 1958, sob responsabilidade da Comissão Goiana de Cooperação para a Mudança da Capital do Brasil, tendo, por presidente, Altamiro de Moura Pacheco.

A sede da Fazenda Gama ficava próxima ao local onde hoje está o Catetinho (primeira residência oficial de Juscelino Kubitschek), porém a cidade veio a ser instalada a oito quilômetros deste ponto de referência. O então presidente da república Juscelino Kubitschek visitou a Fazenda Gama em 02 de outubro de 1956, na ocasião de sua primeira visita à região onde seria construída a futura capital federal.

A região administrativa, assim como as outras do Distrito Federal (exceto o Plano Piloto), foi criada para alojar as pessoas residentes em invasões ou núcleos populacionais provisórios, solução encontrada para abrigar o excedente populacional em virtude da construção de Brasília, surgindo, então, as denominadas "cidades-satélites", conforme a Lei Número 3751, de 13 de abril de 1960.

O arquiteto Paulo Hungria, em maio de 1960, desenvolveu a planta urbanística da cidade, na forma de colmeia, dividindo-a em cinco setores: Norte, Sul, Leste, Oeste e Central. O Setor Central (para atividades mercantis) não foi detalhado em função das necessidades futuras. Porém, coube ao engenheiro José Maciel de Paiva, por ordem do então prefeito Israel Pinheiro (ex-presidente da Novacap), instalar um núcleo pioneiro e promover as primeiras transferências, iniciadas a partir de setembro de 1960. Foi auxiliado pelo engenheiro José Carlos Godoy, pelo fiscal Agnelo Dias Correia (que juntamente com sua mulher são considerados os moradores pioneiros da cidade), pelo mestre-de-obras Joaquim Santana, entre outros. A então cidade-satélite foi fundada no dia 12 de outubro de 1960. O povoamento inicial foi efetuado com a remoção de 30 famílias residentes na Barragem do Paranoá, em 1960. Posteriormente a cidade recebeu grande parte dos moradores da Vila Amaury e da Vila Planalto. Em 1970, foram transferidos os habitantes instalados no Setor de Indústria de Taguatinga.

Gama hoje possui cerca de 141.911 habitantes (PDAD/2015).

O padroeiro da cidade é São Sebastião, cuja festa litúrgica se dá em 20 de janeiro.

Setores[editar | editar código-fonte]

O Gama foi projetado para ter cinco setores, sendo que cada um com uma especialidade diferente.

Existem áreas residenciais e comerciais no Setor Oeste. Já no Setor Leste, o que predomina é o comércio e indústria, além das moradias, sendo que no Norte e no Sul foi criada a parte nobre da cidade com lotes maiores, ficando o setor Sul como "setor de mansões da cidade do Gama" destinada para áreas de moradias. No Setor Central, o comércio é forte, com grande movimentação de pessoas e facilidade para encontrar estabelecimentos com nomes famosos. Também existe o chamado Setor Industrial. Teoricamente pertence ao Setor Leste, mas com a construção civil já fortemente presente nesse ponto e também voltada para habitação, além de indústrias, fábricas e oficinas tem se consolidado como um setor independente e autônomo.

Atualmente a cidade conta com nove setores sendo eles:

  • Setor Leste
  • Setor Central
  • Setor Industrial
  • Setor Norte
  • Setor Oeste
  • Setor Sul
  • Vila DVO Cidade Nova
  • Ponte Alta Sul
  • Ponte Alta Norte

Economia[editar | editar código-fonte]

A maioria da população é de classe média. A renda média é superior a cinco salários mínimos por família, conforme pesquisa da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) em 2015. Praticamente metade dos moradores da cidade trabalham no Gama. Além do funcionalismo público, o comércio consolidado é a principal atividade econômica, movimentando 6,5 mil empresas, empresários calculam que cerca de 600 mil pessoas das cidades vizinhas frequentam o Gama por dia transformando-a em polo econômico e geográfico para cidades goianas vizinhas (Novo Gama, Valparaíso, Cidade Ocidental, Luziânia e Santo Antônio do Descoberto). Há faculdades, bancos, indústrias e o Gama Shopping. Também estão presentes redes de academias, farmácias e supermercados. O setor de indústria do Gama foi transformado em área mista, possibilitando a incorporação de empreendimentos comerciais e habitacionais, também possui a SMA (Setor de Múltiplas Atividades) onde contará com aproximadamente 500 empresas.

Educação[editar | editar código-fonte]

Tanto o ensino fundamental quanto o ensino médio são oferecidos pela rede pública federal e entidades particulares. Existem quatro unidades de ensino superior particular: Faculdade Apogeu, Faciplac, Faculdade Fortium, Faculdade JK e uma universidade pública: Universidade de Brasília. Existe também um campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de​ Brasília, o Campus Gama, localizado próximo à estação do BRT.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Além das potencialidades econômicas, o Gama ganhou projeção nacional graças ao futebol. No fim da década de 1990, a Sociedade Esportiva do Gama escreveu seu nome entre os grandes do país, vencendo competições e grandes times do eixo Rio-São Paulo. O Estádio Walmir Campelo Bezerra, mais conhecido por Estádio do Bezerrão que está situado no setor central é sede de jogos da Sociedade Esportiva do Gama, equipe de maior torcida entre os clubes do DF, e por sua estrutura de alto nível chegou a ser utilizado até mesmo pela Seleção Brasileira em 2008 em um jogo amistoso contra Portugal. A arena multiuso possui um anfiteatro e um espaço para a realização de shows. O jogador Kaká, eleito melhor jogador do mundo em 2007, nasceu no Gama.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Os limites da Região Administrativa do Gama são formados ao sul, Paralelo 16º03`S e limita a Região com os Municípios de Santo Antônio do Descoberto e Novo Gama do Estado de Goiás. O Rio Descoberto faz o limite oeste , a leste limita a Região Administrativa de Santa Maria e ao Norte limitam as Regiões de Recanto das Emas, Riacho Fundo e Núcleo Bandeirante. Os Decretos nºs. 11.921/1989, 14.604/1993 e 15.046/1993 fixaram os limites das Regiões Administrativas do Distrito Federal. A região administrativa ocupa uma área de 276,34 km² e tem 15,37 km² de área urbana, situada 30 km a sudoeste de Brasília.

Clima[editar | editar código-fonte]

Segundo a classificação de Köppen, internacionalmente adotada, os tipos de clima do Distrito Federal são o tropical - Aw e o tropical de altitude - Cwa e Cwb.

O clima da Região Administrativa do Gama, que é o mesmo do Distrito Federal, caracteriza-se por dois períodos distintos: um seco, com ausência quase total de chuvas, no inverno, que vai de maio a setembro; e outro chuvoso, as abundância de águas no verão acabou com a substituição das florestas pela cana, que ia de outubro a abril, com uma precipitação pluviométrica anual que excedia os 1.500 mm, caiu 65% e pode diminuir ainda mais, sendo necessário o racionamento de água. A temperatura média anual que era de 23º C, agora pode superar os 46 graus, sendo os meses de Setembro e Outubro são os mais quentes e os meses de Junho e Julho os mais frios. A umidade relativa média anual é de 55%, porém nos meses mais secos, que são Julho e Agosto, chega a uma média de 18%, este número devido a pouca humidade do ar devido a falta de chuva e de árvores, pode chegar a níveis desérticos.

Forma e Relevo[editar | editar código-fonte]

O relevo da região, em quase sua totalidade, é suave plano e suave ondulado, tendo como característica própria um grande vale, denominado Vale do Tamanduá. As variações altimétricas do relevo, de acordo com Atlas do Distrito Federal da Companhia do Desenvolvimento do Planalto Central - CODEPLAN, apresentam níveis correspondentes: Superfícies planas, nas cotas acima de 1.200 m, sendo 1.271 m altitude máxima aproximada, cobertas predominante por cerrado e cerradão; Superfície, nas cotas de 1.000 a 1.200 m, coberta por cerrado ralo, cerrado, cerradão e algumas manchas de mata ciliar; e Superfície, nas cotas inferiores a 900 m, indo até 1.000 m, coberta por cerrado ralo, mata sub-caducifólia e algumas manchas de mata ciliar. A Região Administrativa do Gama apresenta solos, em sua maioria, ácidos e com baixa fertilidade, predominando solos com horizonte B dos tipos câmbico, latossólico e textual, bem como algumas manchas de solo hidromórfico e, em pequena quantidade, os solos aluviais, situados nas baixadas às beiras dos ribeirões e córregos.  

Rodovias[editar | editar código-fonte]

A principal saída da cidade se dá ao norte pela DF-480 que liga até a DF-003 EPIA - Estrada Parque Indústria e Abastecimento (depois de passar ou pela EPIP ou pela DF-001), dando acesso à Brasília. À nordeste a DF-483 liga ao centro de Santa Maria. Ao sul, a DF-290 liga as cidades de Santa Maria e Novo Gama e também dá acesso às BR-040 e BR-060. A zona rural da cidade conta com a DF-475 recentemente asfaltada sendo a única saída do lado oeste próxima ao cemitério.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Perfil do administrador». Administração Regional de Gama, DF. 1 de janeiro de 2015. Consultado em 1 de janeiro de 2015 
  2. http://www.gama.df.gov.br/sobre-a-ra/conheca-ra.html
  3. «Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios - 2010/2011» (PDF) 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M das Regiões Administrativas do Distrito Federal». Secretaria de Planejamento e Orçamento do Governo do Distrito Federal (SEPLAN/DF). 2000. Consultado em 22 de julho de 2012 

http://www.codeplan.df.gov.br/component/content/article/261-pesquisas-socioeconomicas/319-pdad-2015.html https://www.achetudoeregiao.com.br/df/gama/dados_gerais.htm

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gama (Distrito Federal)