Ideal TV

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ideal TV
ID TV S.A.[1]
Spring Televisão S.A.[2]
Tipo Rede de televisão aberta comercial
País Brasil
Fundação 1 de outubro de 2007 (1.ª fase)
1 de outubro de 2013 (2.ª fase)[nota 1]
Extinção 20 de julho de 2009 (1.ª fase)
3 de dezembro de 2020 (2ª fase, exceto na parabólica)
Pertence a Grupo Kalunga[3][4]
Grupo Spring de Comunicação
Antigo proprietário Grupo Abril (2007–2015)
Presidente José Roberto Garcia
Paulo Sérgio Garcia[5]
Cidade de origem São Paulo, SP
Slogan Perto de quem vai longe
Formato de vídeo 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Canais irmãos Loading
Afiliações AgroBrasil TV (2014)
Rede Mundial (2014–2017; 2018–2020)
TV Universal (2017–2018)
Emissoras afiliadas Lista de emissoras
Disponibilidade aberta e gratuita
Digital
Disponibilidade por satélite
Claro TV
Canal 11
Vivo TV
Oi TV
Sky
Canal 16
StarOne C2
4010 MHz (1140 MHz Banda L), Horizontal (Analógico)
SES-6
4162 MHz Banda L, Horizontal (HDTV)
Disponibilidade por cabo
Claro TV
Canal 25 (São Paulo)
Vivo TV
TVN
Canal 14 (Canoas)
Multimidia TV
Canal 19
Oi TV
RCA
CaboNNet
Supermidia
Canal 38
TBL
Canal 32
TV Alphaville
Canal 324
TV Litorânea
Canal 9
Jundicabo TV
Canal 45
Cabovisão
Canal 51
TCM
Canal 29

Ideal TV (também identificada como IDTV) é uma rede de televisão aberta brasileira sediada em São Paulo, capital do estado homônimo. Foi lançado primeiramente na televisão por assinatura, em 1 de outubro de 2007, pelo Grupo Abril.[6] O canal encerrou suas transmissões em 30 de julho de 2009 devido à recusa das operadoras de TV paga em distribuí-lo em conjunto com outros canais da Abril.[7][8][9]

Retornou ao ar pela TV aberta em 1 de outubro de 2013, substituindo a transmissão da MTV Brasil, canal musical da Abril Radiodifusão que encerrou suas atividades no dia anterior.[10] Em dezembro de 2013, foi iniciado um processo de venda das concessões da rede para o Grupo Spring de Comunicação, sendo totalmente transferidas em outubro de 2015.[11][12][13] A Spring pretendia lançar uma nova programação para a TV, que aluga sua grade para a Rede Mundial, da Igreja Mundial do Poder de Deus.[14][15][16]

Após ter seu controle transferido para o Grupo Kalunga, foi anunciado que a Ideal TV seria substituída por um projeto de novo canal com programação baseada em cultura pop e geek denominado Loading, com lançamento previsto para 7 de dezembro de 2020. No dia 3 de dezembro de 2020, terá seu sinal interrompido na TV Aberta e na TV por Assinatura, sendo substituída pela programação experimental do canal sucessor. Porém, seguirá no ar apenas nas parabólicas.[17]

História[editar | editar código-fonte]

Lançamento pela TV paga e encerramento[editar | editar código-fonte]

Lançado originalmente em 1º de outubro de 2007 na TV por assinatura, a programação do canal era composta por programas voltados para a área empresarial com três núcleos: gestão de negócios, gestão de carreira e bem viver, destinada ao público empreendedor, ávido por informação e atento aos acontecimentos mundiais, profissionais que vivem o desafio diário de mostrar bons resultados para a empresa, manterem-se competitivos no mercado de trabalho e ainda ter tempo para a vida pessoal. A programação também contava com boletins informativos ao longo da programação, com notícias atualizadas durante todo o dia.[6] O formato do canal era denominado de canal de negócios segundo o jornal britânico Financial Times. Inicialmente, era transmitido 18 programas de produção própria, aquisições de produtoras nacionais e internacionais – incluindo da BBC.[6] Ele era presente na TVA, Telefônica TV Digital e TVN.[8][9] Em 20 de julho de 2009 o canal foi encerrado às 23h59. Os motivos para o encerramento do canal foram a recusa das operadoras Sky e NET em incluir o canal em seus pacotes e os baixos índices de audiência.[7][8][9]

Relançamento pela TV aberta[editar | editar código-fonte]

No dia 1º de outubro de 2013 às 00h01min, a Ideal TV retornou as suas transmissões, substituindo a MTV Brasil.[18] O Grupo Abril optou por relançar o canal a fim de permanecer dono da concessão na TV aberta até que as negociações fossem concluídas.[19]

Nele, a programação é composta totalmente por produções nacionais feitas pelo canal juntamente com produtos da Elemídia. Este, exibe durante os intervalos notícias também veiculadas em elevadores de edifícios comerciais, supermercados, universidades, hotéis, academias, shoppings, entre outros.[20] As notícias entram na TV no mesmo formato das dos elevadores. São fotografias com legendas de duas linhas informando o fato. No fundo, apenas uma trilha branca, sem locução. A TV de elevador da velha MTV, além de ser opção de conteúdo para intervalos sem comerciais, cumpre uma função legal. A legislação exige que as TVs abertas dediquem pelo menos 5% de sua programação ao jornalismo. Com a promoção da Elemídia a conteúdo de TV aberta, uma rede composta por uma geradora (o canal 32 de São Paulo) e 42 retransmissores, presentes nas principais cidades do país, passou a transmitir "TV de elevador".

Em 1º de fevereiro de 2014, a emissora passou a transmitir em rede nacional, pelo satélite StarOne C2, no lugar do BRZ. No dia 15 de março de 2014, Ideal TV passou a retransmitir parte da programação do canal AgroBrasil TV e desde março de 2014, também passou a abrir espaços para outros programas terceirizados, principalmente aos finais de semana.[carece de fontes?]

Venda ao Grupo Spring[editar | editar código-fonte]

O Grupo Abril anunciou por comunicado em 18 de dezembro de 2013 a venda da Abril Radiodifusão, que transmite a Ideal TV, para o Grupo Spring de Comunicação, que edita a edição brasileira da revista Rolling Stone.[21][22] Os valores da transação não foram divulgados, mas segundo fontes ouvidas pelo jornal Folha de S. Paulo, a venda foi fechada em cerca de R$ 350 milhões e foi realizada pelo banco americano JP Morgan.[23][24] A venda ainda terá que ser aprovada pelo Ministério das Comunicações e pelo CADE.[11]

A ideia do Grupo Spring é fazer um canal aos moldes do E!, com foco em cinema, música, entretenimento e o mundo das celebridades.[14][25] Os donos das lojas Kalunga, rede de papelarias focada em produtos de escritório e escolar serão sócios da nova emissora, que aos poucos está sendo concretizado.[15]

Sem ter as concessões transferidas para o Grupo Spring, o Grupo Abril decide fechar um acordo com a Igreja Mundial do Poder de Deus, liderada pelo apóstolo Valdemiro Santiago, para a locação de horários da emissora para a programação religiosa da igreja, a Rede Mundial.[26] Os sócios do negócio com a Spring, os donos da Kalunga negaram a negociação de venda de horários para a igreja quando consultados pela coluna Outro Canal, do jornal Folha de S. Paulo.[27]

Em agosto de 2014 a grade de programação da Ideal TV passa a ser quase que exclusivamente dedicada às pregações da Igreja Mundial, tirando do ar a AgroBrasil TV e outros locatários, mantendo alguns poucos programas da própria IdealTV.[carece de fontes?]

Apesar de a venda das concessões do canal para o Grupo Spring pelo Grupo Abril já esteja consumada, ela foi feita sem a aprovação do Ministério das Comunicações, que não teria recebido o pedido de a transferência de concessão da Abril Radiodifusão para o Grupo Spring.[28] A Abril ainda é o responsável pelo canal e informou para o jornal Folha de S. Paulo, em reportagem publicada em 3 de agosto de 2014, que a transferência das concessões para o Grupo Spring foi protocolada em 29 de julho de 2014.[28] A empresa afirmou ainda que o canal ficará sob a responsabilidade do grupo até que o Ministério das Comunicações aprove a venda para a Spring.[28]

De acordo com o último balanço financeiro da Abril Comunicações S.A., razão social adotada pelo Grupo Abril desde 2012, a venda das concessões da Abril Radiodifusão foi aprovada pelo CADE em 17 de janeiro de 2014.[12]

Após mais de um ano da venda do canal para a Spring, a Ideal TV ainda segue sob o controle da Abril, que ainda aguarda aprovação do Ministério das Comunicações para que as operações sejam transferidas para a Spring.[16] O ministério ainda analisa a venda da emissora de um grupo para o outro, enquanto o Ministério Público Federal entrou com uma ação contra as empresas, alegando que a venda da concessão da Ideal TV é ilegal.[29][30] O canal ainda exibe a programação da Igreja Mundial.[16][29][30]

Em 22 de outubro de 2015, é publicado no Diário Oficial da União a transferência das retransmissoras da Ideal TV para a Spring.[13] No ano seguinte, o presidente em exercício Michel Temer e Gilberto Kassab, então titular do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações,[31] aprovam a transferência da concessão da Abril Radiodifusão para a Spring de forma precária, até a aprovação da renovação da outorga pelo Congresso Nacional.[32] A Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal do Brasil, em relatório do senador Otto Alencar, deu parecer favorável à renovação da licença da Ideal TV em maio de 2017.[33]

Posteriormente, foi apresentado um requerimento de informações ao MCTIC[34]. As informações foram divulgadas pelo ministério em 11 de agosto de 2017, e foram recebidas pelo Senado Federal no dia 15 de agosto de 2017[35][36][37]. Em 11 de julho de 2019, foi apresentado um novo parecer, recomendando o arquivamento do ofício[38], pois foi entendido que com o decreto e as explicações do MCTIC, os trâmites foram seguidos de forma totalmente legalizada. O parecer foi aprovado na CCT no dia 10 de setembro de 2019[39], e foi arquivado no dia 12 de setembro de 2019.[40]

O Ministério Público Federal entrou com uma ação civil pública contra a Abril e a Spring, acusando as duas empresas de efetuarem o negócio da venda das concessões da Ideal TV ilegalmente.[41][42] O ministério acusa as empresas de desviarem a finalidade da concessão, e que a transferência da mesma para terceiros é proibido por lei, já que para se obter uma licença de radiodifusão é necessário passar por licitação pública.[41][42] A Abril alegou para o ministério que acreditava não precisar de licitação prévia, com base na lei nº 4.117 de 1962 e no decreto nº 52.795 de 1963, mas o ministério argumenta que a Abril deveria ter feito a transferência durante a venda da emissora, em 2013.[41][42] Posteriormente, o controle do canal passa a ser apenas do Grupo Kalunga.[3][4]

Em 21 de março de 2017, a Ideal TV passou a retransmitir a programação da TV Universal, controlada pela Igreja Universal do Reino de Deus, no lugar da programação da Rede Mundial, da igreja homônima liderada por Valdemiro Santiago.[43] A retransmissão da programação da Rede Mundial pela Ideal TV foi encerrada a meia-noite do mesmo dia.[44][45] A transmissão durou até 6 de julho de 2018, quando o canal volta a reexibir programas antigos, além de exibir conteúdo da NBR.[46] Porém, no dia 14 de outubro do mesmo ano, o canal volta a retransmitir a programação da Rede Mundial.

Substituição por novo canal[editar | editar código-fonte]

Em 26 de outubro de 2020, é apresentado para o público o projeto de um novo canal, intitulado Loading. A nova emissora terá como foco o público jovem, apresentando videoclipes, animes, programas de conteúdo geek, tokusatsu, filmes, além de produção própria. As instalações serão no mesmo prédio que abrigou por quase 30 anos a Rede Tupi e por quase 23 anos a MTV Brasil em Sumaré, além de ocupar a frequência do extinto canal do Grupo Abril, hoje controlado pelo Grupo Spring de Comunicação, mantedor do novo projeto, que terá transmissão não só na TV aberta, como na TV por assinatura e no streaming, com previsão de estreia para dezembro de 2020.[47][48][49]

Dias após o anúncio, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região barrou a venda das concessões da Ideal TV pelo Grupo Abril para o Grupo Spring, condenando as empresas e o Ministério das Comunicações por omissão à não extinção do contrato do repasse. Segundo a Justiça, com a venda à Spring, a Abril obteve um enriquecimento ilícito de R$ 290 milhões, sendo que, após o fim da MTV Brasil, deveria ter solicitado a cessão de suas outorgas.[50]

Programas[editar | editar código-fonte]

Primeira fase[editar | editar código-fonte]

Entre 2007 e 2009, a Ideal TV produziu e exibiu os seguintes programas:

  • Assembleia Geral
  • Chefe na Cozinha[51]
  • Day Off[51]
  • Empresa Ideal[51]
  • Jornal Ideal
  • Luz, Carreira, Ação
  • Outdoor Ideal
  • Pense Grande
  • Selva Corporativa
  • Siga o Mestre[51]
  • Sobre Formigas e Gafanhotos[52] (Entre Formigas e Gafanhotos)
  • Só Elas Sabem[51]
  • SOS Carreiras[51]
  • Traders 1a e 2a temporada[51]
  • Trajetória Ideal[51][52]
  • Virou Case[51]
  • Você High Tech[51]

Segunda fase[editar | editar código-fonte]

Com o retorno em TV aberta, o canal passa a exibir os programas de seu último ano no ar,[51] durando até 2014 com a locação da grade para o canal AgroBrasil TV. Em março, a programação da AgroBrasil TV é substituída pela Rede Mundial, que passa a ocupar 22 horas da Ideal TV.[14][15][16] No mesmo ano, reestreia o Jornal Ideal com formato de telejornal. A programação atual é composta por duas exibições diárias do telejornal apresentado por Taciane Ribeiro, além de reprises do programa Sobre Formigas e Gafanhotos (alternando com a versão anterior, o Entre Formigas e Gafanhotos).[44] Em 2016, passou exibir os programas da NBR.

Atualmente não veicula produções próprias, alugando 22 horas diárias para a Igreja Mundial. Durante as madrugadas a programação é preenchida por conteúdo jornalístico da TV Brasil.[3][4]

Notas e referências

Notas

  1. A Ideal TV encerrou suas atividades em 20 de julho de 2009, em sua fase como um canal pago. Posteriormente, voltou ao ar como TV aberta no dia 1 de outubro de 2013, substituindo a MTV Brasil em sua rede terrestre.

Referências

  1. http://sistemas.anatel.gov.br/se/public/view/b/form.php?id=57dbab84ee8b7&state=TV-C4
  2. Macedo, Paulo (21 de outubro de 2016). «Decreto autoriza Abril a repassar concessão de TV para Spring». PropMark. Consultado em 8 de julho de 2020 
  3. a b c Victor Bianchin (3 de setembro de 2020). «De casa nova, acervo da MTV Brasil pode estar perto de restauração». UOL Tab. Consultado em 13 de setembro de 2020. Pascotto permanece trabalhando no prédio do Sumaré após a venda, agora como funcionário da Kalunga. Ele trabalha no conteúdo da Ideal TV que não é arrendado e que inclui material da EBC (Empresa Brasil de Comunicação) e do Telecurso 2000. 
  4. a b c Cristina Padiglone (6 de julho de 2020). «Sete anos após fim da antiga MTV Brasil, acervo deixa ex-sede». Telepadi. Consultado em 13 de setembro de 2020. É preciso dizer que enquanto esteve no edifício antes batizado como Victor Civita, no Sumaré, o acervo foi guardado e preservado com os devidos cuidados e profissionalismo de Valter Pascotto, que continua dando expediente no endereço e cuida das transmissões do canal 32 UHF, hoje controlado pelo Grupo Kalunga, com conteúdo locado para igrejas. 
  5. https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2020/10/27/startup-cria-canal-multiplataforma-para-jovens.html.
  6. a b c «Ideal TV oferece programação para "atravessar a crise econômica"». BOL. 28 de abril de 2009. Consultado em 23 de outubro de 2015 
  7. a b «Consumidor perde na briga entre MTV e Sky». PROTESTE. 17 de julho de 2008. Consultado em 23 de outubro de 2015 
  8. a b c «Net Brasil não renova com MTV e Sky tira canal do ar». Observatório do Direito à Comunicação. 4 de junho de 2008. Consultado em 23 de outubro de 2015 
  9. a b c Fernando Lauterjung (18 de junho de 2009). «Grupo Abril deixa de produzir dois de seus canais pagos». Tela Viva. Consultado em 23 de outubro de 2015. Arquivado do original em 17 de novembro de 2015 
  10. «TV Abril estreia com programas de negócios e carreiras». TV Magazine 
  11. a b Castro, Daniel; Pacheco, Paulo (18 de dezembro de 2013). «Abril vende canal da MTV para editora da revista Rolling Stone». Notícias da TV. Universo Online. Consultado em 19 de dezembro de 2013 
  12. a b «Balanço financeiro de 2013 da Abril Comunicações S.A.» (PDF). Grupo Abril. 31 de março de 2014. pp. 36, 47, 89. Consultado em 10 de agosto de 2014. Arquivado do original (PDF) em 12 de agosto de 2014 
  13. a b «Imprensa Nacional - Visualização dos Jornais Oficiais». pesquisa.in.gov.br. Consultado em 23 de outubro de 2015 
  14. a b c Ex-MTV pode virar um canal sobre celebridades
  15. a b c Flávio Ricco (26 de junho de 2014). «Donos da Kalunga são sócios da ex-MTV». Coluna do Flávio Ricco. UOL 
  16. a b c d «Ministério Público vai à Justiça contra venda de canal de TV pela Abril». O Globo. 10 de abril de 2015. Consultado em 17 de abril de 2015 
  17. «Canal Loading, que substitui MTV, estreia dia 7 de dezembro; saiba mais». www.uol.com.br. Consultado em 2 de dezembro de 2020 
  18. Canal que vai substituir a MTV Brasil tem programação para apenas quatro meses
  19. Glasberg, Rubens (1 de agosto de 2013). «Sem MTV, Abril quer sair do negócio de televisão». Tela Viva. Converge Comunicações. Consultado em 2 de agosto de 2013. Arquivado do original em 3 de agosto de 2013 
  20. Castro, Daniel (8 de outubro de 2013). «'Velha' MTV mistura TV de elevador com canal de recursos humanos». Notíticas da TV. Consultado em 8 de outubro de 2013 
  21. «Nota - Abril Radiodifusão». Assessoria de Imprensa. Grupo Abril. 18 de dezembro de 2013. Consultado em 18 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 19 de dezembro de 2013 
  22. Ribeiro, Igor (18 de dezembro de 2013). «Abril vende espólio da MTV a Spring». Meio & Mensagem. Consultado em 19 de dezembro de 2013 
  23. «Grupo da 'Rolling Stone' compra o canal da antiga MTV». Ilustrada. Folha de S. Paulo. 18 de dezembro de 2013. Consultado em 21 de dezembro de 2013 
  24. Possebon, Samuel (18 de dezembro de 2013). «Abril vende outorgas de TV para ex-VP da Band e do SBT». Tela Viva. Converge Comunicações. Consultado em 19 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 6 de janeiro de 2015 
  25. Substituto da MTV Brasil, novo canal de celebridades só sairá no meio de 2014
  26. Flávio Ricco; José Carlos Nery (13 de julho de 2014). «Ex-MTV terá programação religiosa». Coluna do Flávio Ricco. UOL. Consultado em 16 de julho de 2014 
  27. Keila Jimenez (16 de julho de 2014). «Michel Teló produz série sertaneja para o 'Fantástico'». Outro Canal. Folha de S. Paulo. Consultado em 16 de julho de 2014 
  28. a b c Ricardo Mendonça (3 de agosto de 2014). «Canal da antiga MTV foi vendido sem aval público obrigatório». Poder. Folha de S. Paulo. Consultado em 3 de agosto de 2014 
  29. a b Cláudia Souza (14 de abril de 2014). «Ministério Público Federal de São Paulo processa Grupo Abril por venda ilegal da MTV». Associação Brasileira de Imprensa. Consultado em 17 de abril de 2015 
  30. a b «Ministério Público afirma que canal da MTV foi vendido de forma ilegal pela Abril». Comunique-se. 13 de abril de 2015. Consultado em 17 de abril de 2015 
  31. «DECRETO DE 20 DE OUTUBRO DE 2016». Consultado em 15 de agosto de 2017 
  32. Paulo Macedo (21 de outubro de 2016). «Decreto autoriza Abril a repassar concessão de TV para Spring». Porpmark. Consultado em 15 de agosto de 2017 
  33. «PARECER (SF) Nº 41, DE 2017». Senado Federal do Brasil. Consultado em 15 de agosto de 2017 
  34. https://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento?dm=5281431&ts=1553207874180&disposition=inline
  35. https://sei.mctic.gov.br/sei/controlador_externo.php?acao=documento_conferir&codigo_verificador=2104291&codigo_crc=61F01FB8&hash_download=7498240eb3a80554b8acdffcca0c364f8e49a715774d240c64d7e6457423196489e9fbd2970fd0dbe1ebc03130ca2b891357fd1b48c411ed9667ad3f7a8e6f2d&visualizacao=1&id_orgao_acesso_externo=0
  36. https://sei.mctic.gov.br/sei/controlador_externo.php?acao=documento_conferir&codigo_verificador=2079355&codigo_crc=5BB93660&hash_download=7e1dbee5846024c1467a922c26a1125b717d504597c80ebda3fee8e7b89f61ccd3ebf1ef41376071f042e4581f09590ad545585d239bb9d67cf94fa6c3bf2d73&visualizacao=1&id_orgao_acesso_externo=0
  37. https://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento?dm=7103403&ts=1569418016952&disposition=inline
  38. https://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento?dm=7979533&ts=1569418017030&disposition=inline
  39. https://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento?dm=8007408&ts=1569418017102&disposition=inline
  40. https://legis.senado.leg.br/diarios/ver/101881?sequencia=59
  41. a b c Paula Zogbi (18 de dezembro de 2015). «MPF/SP entra com ação contra Abril por venda ilegal da MTV». Infomoney. Consultado em 20 de dezembro de 2015 
  42. a b c «MPF/SP entra com ação contra a Abril para cancelar venda ilegal de canal que transmitia a MTV». Ministério Público Federal. 18 de dezembro de 2015. Consultado em 13 de março de 2019 
  43. «Universal assume programação da Ideal TV». Niterói Mais. 21 de março de 2017. Consultado em 22 de março de 2017. Arquivado do original em 22 de março de 2017 
  44. a b Gabriel Vaquer (24 de março de 2017). «Por alto valor mensal, IURD arrenda ex-MTV Brasil e tem terceiro canal quase 24 horas». TV História. Consultado em 24 de março de 2017 
  45. «Ideal TV deixa de transmitir a programação da Igreja Mundial». Niterói Mais. 21 de março de 2017. Consultado em 21 de março de 2017. Arquivado do original em 22 de março de 2017 
  46. «Ideal TV rompe com a TV Universal e as tretas com o Grupo Spring». tvsdorj. Consultado em 9 de julho de 2018 
  47. «Donos da antiga MTV Brasil lançam canal aberto com foco no público jovem - Mercado». NaTelinha. Consultado em 28 de outubro de 2020 
  48. Braziliense', 'Correio (27 de outubro de 312). «Loading: Estreia em dezembro nova emissora de cultura pop». Diversão e Arte. Consultado em 28 de outubro de 2020  Verifique data em: |data= (ajuda)
  49. {Citar web|URL=http://vcfaz.tv/2020/10/loading-ideal-tv-sera-extinta-e-novo-canal-para-o-publico-jovem-sera-lancado/%7Ctitulo=Loading: Ideal TV será extinta e novo canal para o público jovem será lançado|publicado=VCfaz.tv|data=26 de outubro de 2020|acesso-data=27 de outubro de 2020}}
  50. «Justiça barra venda da MTV e obriga ação do governo». NaTelinha. 17 de novembro de 2020. Consultado em 18 de novembro de 2020 
  51. a b c d e f g h i j k Samuel Possebon (20 de setembro de 2013). «No lugar da MTV, TV Abril terá programas de negócios e carreiras». Tela Viva. Consultado em 13 de março de 2019 
  52. a b Débora Spitzcovsky (9 de abril de 2009). «Sustentabilidade na TV Ideal». Planeta Sustentável. Abril. Consultado em 2 de março de 2016. Arquivado do original em 8 de março de 2016