Igreja Mundial do Poder de Deus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Igreja Mundial do Poder de Deus
Impd-logo.png
Orientação Neopentecostal
Fundador Valdemiro Santiago de Oliveira
Origem 9 de março de 1998 (19 anos)
Sede São Paulo capital
Número de membros 350,000 (Estimativa do IBGE) em 2010
Número de igrejas 3000 mil aproximadamente.
Países em que atua Brasil Brasil
Portugal Portugal
Espanha Espanha
Estados Unidos Estados Unidos
África do Sul África do Sul
Angola Angola
Moçambique Moçambique
Uruguai Uruguai
Paraguai Paraguai
Argentina Argentina
México México
Colômbia Colômbia
Japão Japão

Peru Peru
Filipinas Filipinas
Suíça Suíça
Bolívia Bolívia
Itália Itália

A Igreja Mundial do Poder de Deus é uma igreja evangélica neopentecostal fundada na cidade de Sorocaba, em 9 de março de 1998 por Valdemiro Santiago.

A sede da Igreja Mundial do Poder de Deus encontra-se no Grande Templo dos Milagres, no bairro do Brás, em São Paulo, alternando as principais reuniões com o maior templo em atividade, a Cidade Mundial dos Sonhos de Deus.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro templo da Igreja Mundial do Poder de Deus iniciou-se em Sorocaba, tendo como fundador o apóstolo Valdemiro Santiago, sua esposa bispa Franciléia e um pequeno grupo de membros.[carece de fontes?]

Valdemiro Santiago fundou a Igreja Mundial em 9 de março de 1998 após se desligar do quadro de pastores da Igreja Universal do Reino de Deus, da qual fora bispo por 18 anos, por conta de desentendimentos com Edir Macedo.[1]

Inicialmente não houve muita divulgação do trabalho. Panfletos e fitas cassetes de testemunhos eram utilizados no trabalho evangelístico.[carece de fontes?]

Política[editar | editar código-fonte]

Em 2010, a Igreja Mundial elegeu dois deputados federais, José Olímpio (PP-SP) e Francisco Floriano (PR-RJ), e um estadual, Rodrigo Moraes (PSC-SP).[2] Em 2014, José Olímpio foi reeleito com mais de 154 mil votos, e Francisco Floriano foi reeleito com mais de 47 mil votos. Elegeu Milton Rangel (PSD-RJ) para deputado estadual a partir de 2015 com 28 mil votos[3], e o deputado estadual Missionário Volnei (PR-RS) com 33.255 votos.

Mídia[editar | editar código-fonte]

Valdemiro Santiago publicou livros e gravou mídias pela sua editora WS Music.[4]. A IMPD conta com a revista Avivamento Urgente.[5]

Depois de se converter entre 2003/04, o repórter Herbeth de Souza, migrou para Igreja Mundial se tornou um porta voz ativo da igreja.[6] Herbeth de Souza trabalhou no extinto Aqui Agora, no programa Cidade Alerta e depois no Ratinho. Em 2001, para a TV Gazeta apresentou um quadro chamado “Impacto”, dentro do programa Mulheres.[7]

Rádios[editar | editar código-fonte]

De 2010 a 2012, operou uma minirrede de rádios, denominada "Sê Tu uma Bênção", que operava em Jundiaí em 98,1 FM. Esta rede foi desfeita e em 2013 chegou a anunciar o retorno[8] que não ocorreu.

Atualmente na 91.7, a Rádio Nova Mundial apresenta uma programação 24 horas.

TV[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Rede Mundial

A IMPD fica conhecida no Brasil a partir de 2008, quando o Grupo Bandeirantes aluga 22 horas da Rede 21,[9] fato que gerou polêmica, pois nunca houve a concessão de um grupo de comunicação a uma igreja só para fins religiosos. Possuía duas horas diárias na RedeTV e quatro horas na Bandeirante.[9]

Em 2009, alugou algumas horas da igreja à RedeTV!, que chegou até vencer a Rede Bandeirantes na Grande São Paulo.[10]

Em novembro de 2013 comprou horários na Rede TV![11]

Obras Sociais[editar | editar código-fonte]

A Associação Mundial de Assistência Social (AMAS) é uma entidade filantrópica ligada à IMPD, destinada à assistência social, que conta com equipe de voluntários.[12]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Dissidências[editar | editar código-fonte]

Em 2001 o Missionário Vini Silva funda a Igreja Mundial do Poder de Cristo

Em 2006 o Apóstolo Agenor Duque e sua esposa, a Bispa Ingrid Duque, fundaram a Igreja Apostólica Plenitude do Trono de Deus.

Em abril de 2009, o Bispo Roberto Damásio, na época o braço direito do apóstolo, desligou-se e inaugurou a sua própria igreja, Igreja da Fé Renovada em Cristo em São Paulo.[13]

Em 2011 o Bispo José Silva deixou a Igreja Mundial para fundar a Igreja Evangélica Celeiro de Deus em Curitiba.

Simonia[editar | editar código-fonte]

O pastor Givanildo de Souza, discípulo de Valdemiro desde 1998, deixou a igreja em agosto de 2010 com denúncias de simonia. Denunciou que os bens sagrados eram barganhados e teria sido humilhado por não praticar campanha da "água benta" que custaria 100 reais; então, segundo ele, ao enviar a renda menor para igreja sede, era acusado de roubo. Givanildo era responsável pela direção e arrecadação de 14 igrejas da Mundial. Saiu da denominação em setembro de 2010 e fundou sua própria igreja, a Igreja Missionária do Amor, em Araçatuba.[14]

Crise financeira[editar | editar código-fonte]

Desde outubro de 2013, a IMPD atravessa grave crise financeira devendo entre R$ 13 milhões e R$ 21 milhões para o Grupo Bandeirantes, perdendo a locação de 22 horas diárias da Rede 21, e de quatro horas diárias nas madrugadas da Band. O espaço seria ocupado pela Igreja Universal do Reino de Deus, de Edir Macedo.[1] A Igreja Mundial se desfez de quatro horas de horário na madrugada da BAND, perdeu os horários no Canal 21, deixou a programação da Rede TV, entregou os horários da CNT, saiu de diferentes retransmissoras de diversos Estados, suspendeu os projetos de programação na Argentina, México e Colômbia.[1]

Fazenda milionária[editar | editar código-fonte]

Após disputas com a Igreja Universal do Reino de Deus, sofreu denúncias de que teria uma fazenda comprada por 29 milhões de reais. A Fazenda Santo Antonio do Itiquira, localizada em Santo Antônio do Leverger, MT, com 10.174 hectares de terras e milhares de cabeças de gado, está em nome da empresa W. S. Music, do apóstolo e sua esposa.[1]

Desde janeiro de 2013 a Divisão de Investigações sobre Crimes contra a Fazenda, da Polícia Civil, apura um suposto crime de lavagem de dinheiro, em processo que corre em sigilo.[1]

Até os dias atuais não foi comprovado que a fazenda pertence ao Apóstolo Valdemiro.

Dias após a reportagem da fazenda, um ex-pastor da Igreja Universal declarou a coluna de um site "O crescimento da Igreja Mundial estremeceu as bases da Universal", afirma Didini, fundador do ministério Caminhar, ex-apresentador do "25ª Hora", da Record.

"O fato é que a Mundial tem as mesmas características de evangelho de massa, proclama-o na linguagem do povo e tem presença maciça nos meios de comunicação de massa", afirma o pastor Didini. "É tudo o que o bispo Macedo não quer."

A assessoria da Igreja Universal não respondeu ao pedido para se manifestar sobre as declarações de seu ex-pastor, afirma o site UOL.[15]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]