Igreja Evangélica Congregacional do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Igreja Evangélica Congregacional do Brasil
Classificação Protestante
Orientação Evangélica
Política Congregacional
Associações Conselho Latino Americano de Igrejas[1]
Área geográfica  Brasil
Origem 1942 (76 anos) [2]
Ramo de(o/a) Igreja Evangélica Congregacional da Argentina
Congregações 375[3]
Membros 50.000[4]
Site oficial www.iecb.org.br


A Igreja Evangélica Congregacional do Brasil (IECB) é uma denominação reformada congregacional no Brasil, fundada em 1942 por missionário argentinos e é hoje a terceira maior denominação congregacional no país.[5][6][7][8]

História[editar | editar código-fonte]

A IECB foi fundada por missionários congregacionais da Argentina que começaram a trabalhar no Brasil inicialmente no Estado do Rio Grande do Sul a partir de 1938. Muitas igrejas independentes surgiram no Estado dissidentes das igrejas luteranas, fortemente concentradas no Rio Grande do Sul, com a advento do movimento pietista. O Pastor Karl Spittler foi um dos líderes da fundação da denominação, que organizou-se em 11 de Janeiro de 1942, constituída inicialmente por 7 igrejas.[9] A partir de então a igreja cresceu e espalhou-se por vários estados do Brasil. Inicialmente a maioria dos pastores não eram formados, mas a partir de 1948 o Instituto de Teologia da Argentina começou a enviar pastores para as igrejas do Brasil.[3][6]

Em 1949 a igreja recebeu o Pastor Richard Knerr, vindo dos Estados Unidos, ano em que passou a receber apoio das igrejas congregacionais estadunidenses. Em 1961 foi fui fundado o Instituto Bíblico Evangélico Congregacional em Ijuí, para atender os pastores brasileiros e a partir de 1970 os próprios pastores brasileiros assumiram a liderança da denominação.

Ano Comunidades Membros[2]
1949 38 8.882
1959 107 18.004
2000 221 28.001
2004 375 42.000[3]
2010 50.000[4]

A partir de 1970 a IECB transformou seus Instituto Bíblico em Seminário e chegou aos estados de Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e mais recentemente ao Amazonas. Além disso o trabalho missionário da igreja originou também igrejas no Paraguai, que em 2000, já constituam cerca de 19 comunidades. [2] É atualmente a terceira maior denominação congregacional, depois da União das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil e Igreja Cristã Evangélica (Brasil).

Doutrina[editar | editar código-fonte]

A denominação não ordena mulheres, é uma igreja reformada, evangélica e usa como línguas oficiais o Alemão , Espanhol e Português.[3] A igreja confessa a doutrina da Trindade, infalibilidade da Bíblia, a volta de Cristo, na indissolubilidade do casamento e dos dons carismáticos .[9]

Relações Intereclesiásticas[editar | editar código-fonte]

A Igreja Evangélica Congregacional do Brasil é a única denominação congregacional brasileira membro do Conselho Latino Americano de Igrejas[1]

Referências

  1. a b «Igrejas membro do Conselho Latino Americano de Igrejas no Brasil». Consultado em 18 Nov. 2016. 
  2. a b c «História da acessodata=18 Nov. 2016» 
  3. a b c d «Reformiert Online: Igreja Evangélica Congregacional do Brasil». Consultado em 18 Nov. 2016. 
  4. a b «Protestantismo no Brasil». Consultado em 18 Nov. 2016. 
  5. «Igreja Evangélica Congregacional do Brasil». Consultado em 18 Nov. 2016. 
  6. a b «Global Ministries: Igreja Evangélica Congregacional do Brasil». Consultado em 18 Nov. 2016. 
  7. «Igreja Evangélica Congregacional do Brasil». Consultado em 18 Nov. 2016. 
  8. «Calviniso no Brasil». Consultado em 18 Nov. 2016. 
  9. a b «Doutrina da Igreja Evangélica Congregacional do Brasil». Consultado em 18 Nov. 2016.