Igrejas Evangélicas Reformadas no Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Igrejas Evangélicas Reformadas no Brasil
Classificação Protestante
Orientação Calvinista
Associações Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas
Área geográfica Brasil
Origem 1933 (85 anos)
Congregações 10
Membros 2.700
Site oficial ierb.org.br

As Igrejas Evangélicas Reformadas no Brasil são um conjunto de igrejas que formam uma federação criada no Brasil por imigrantes holandeses. Hoje a federação faz parte da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas, tem relações ecumênicas com igrejas brasileiras e reformadas em todo o mundo.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A partir de 1911 um grupo de holandeses imigraram para o Brasil. Sob a liderança de Leendert Verschoor e Jacob C Voorsluys foram fundadas igrejas em Carambeí no Paraná. Posteriomente foi estabelecida uma igreja na colônia Castrolanda, inaugurada em 5 de julho de 1953.[2] No final da década de 1940 foi fundada também uma igreja na Colônia de Holandeses de Monte Alegre, no município de Telêmaco Borba.[3][4] Com o tempo, esta igreja de Monte Alegre, passou a denominar-se Igreja Reformada Libertada de Monte Alegre e tudo indica que a comunidade começou a manter contato com os demais grupos holandeses na região, iniciando os primeiros laços com a comunidade de Carambeí, sendo assim, começaram então a receber os cuidados espirituais do reverendo W. V. Muller que atuava lá.[2] Até que em setembro de 1956 a colônia de Monte Alegre recebeu o reverendo Los,[5] que atendeu a comunidade até outubro de 1965 e no que se tem registro, este reverendo chegou a receber no dia 22 de outubro de 1959 em sua residência na colônia a visita do príncipe consorte dos Países Baixos, Bernardo de Lippe-Biesterfeld, quando este passou pela região.[5] Em 17 de agosto de 1966 foi estabelecida também uma igreja na colônia de Arapoti.[2]

Anos mais tarde as igrejas se organizaram e entraram e contato com as Igrejas Reformadas Holandesas, Igrejas Reformadas Liberadas, Igreja Presbiteriana do Brasil, Igrejas Cristãs Reformadas na América do Norte e as Igrejas Reformadas na Argentina (IRA), com quem teve união até 1962.[2] Porém, devido as diferenças entre estas denominações e o desenvolvimento de uma cultura própria dos membros da igreja, decidiram formar uma denominação separada em 1933, as Igrejas Reformadas no Brasil.[6]

Na Reunião Nacional, em 1958, as Igrejas Reformadas no Brasil já haviam decidido caminhar rumo à independência.[2] Assim, no dia 18 de junho de 1962, foi realizada a ‘Reunião Nacional’ das Igrejas Reformadas que tinha como tema: ‘A formação de uma só denominação’. Para tal também convidaram a Igreja Protestante Holandesa de São Paulo e a Igreja Reformada Libertada de Monte Alegre. Nesta reunião decidiu-se pela independência e desvinculação da IRA.[2]

Em 1962 as igrejas se separaram do Presbitério das Igrejas Reformadas na Argentina, seguindo totalmente independente desde então.[7] Com o passar dos anos, ampliou sua atuação territorial no Paraná,[8] atendendo comunidades em Tibagi, Ponta Grossa e Curitiba. Abrangeu também o interior do estado de São Paulo, efetivando presença, por exemplo, na cidade de Itararé. O grupo continua expandindo sua atuação, ainda que discretamente.[2][9]

Doutrina[editar | editar código-fonte]

A igreja aceita a ordenação feminina e subscreve o Credo dos Apóstolos, Credo de Niceia, Credo de Atanásio, Catecismo de Heidelberg e a Confissão Belga.[7]

Relações inter-eclesiásticas[editar | editar código-fonte]

As igrejas são membro da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas[1] e tem acordo de cessão bilateral de ministros com a Igreja Evangélica Luterana do Brasil bem como a Igreja Presbiteriana do Brasil.[2]

Referências

  1. a b «Membros da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas». Consultado em 23 Jun. 2015. 
  2. a b c d e f g h «Igrejas Evangélicas Reformadas no Brasil: História». Consultado em 23 Jun. 2015. 
  3. «Stukjes Nederland in Brazilië» (em holandês). Holambra. Consultado em 9 de abril de 2018. 
  4. «Hollandse kolonie in Brazilië opgeheven» (em holandês). Digibron. 16 de setembro de 1971. Consultado em 9 de abril de 2018. 
  5. a b Door Roel Kleine (2004). «Nederlanders in Brazilië» (em Neerlandês). Consultado em 9 de abril de 2018. 
  6. «BBK: Igrejas Evangélicas Reformadas no Brasil». Consultado em 23 Jun. 2015. 
  7. a b «Reformed Online: Igrejas Evangélicas Reformadas no Brasil». Consultado em 23 Jun. 2015. 
  8. Hilda de Oliveira Ladeira (1976). «Um estudo sôbre a imigração holandesa nos campos gerais». Universidade Estadual de Ponta Grossa. Consultado em 9 de abril de 2018. 
  9. Wilson de Lima Lucena (2009). «Igreja Evangélica Reformada no Brasil em Castrolanda - Religião, Educação e Trabalho em uma Colônia Holandesa: um estudo de caso» (PDF). Universidade Presbiteriana Mackenzie. Consultado em 9 de abril de 2018.