Itararé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades com este nome, veja Itararé (desambiguação).
Itararé
  Município do Brasil  
Prefeitura Municipal de Itararé
Prefeitura Municipal de Itararé
Símbolos
Bandeira de Itararé
Bandeira
Brasão de armas de Itararé
Brasão de armas
Hino
Lema Itararé pro-labor
"Itararé para o Trabalho"
Gentílico itarareense
Localização
Localização de Itararé em São Paulo
Localização de Itararé em São Paulo
Itararé está localizado em: Brasil
Itararé
Localização de Itararé no Brasil
Mapa de Itararé
Coordenadas 24° 06' 54" S 49° 20' 27" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Municípios limítrofes Sengés (PR), Riversul, Itaberá, Itapeva, Nova Campina, Bom Sucesso de Itararé
Distância até a capital 345 km[1]
História
Fundação 28 de agosto de 1893 (128 anos)
Administração
Prefeito(a) FUNCKA (PP, 2021 – 2024)
Vereadores 13
Características geográficas
Área total [2] 1 003,576 km²
População total (estimativa IBGE/2021[3]) 50 778 hab.
Densidade 50,6 hab./km²
Clima subtropical (Cfa)
Altitude 750 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 18460-000 - 18469-999
Indicadores
IDH (PNUD/2000[4]) 0,732 alto
PIB (IBGE/2010[5]) R$ 590 338,710 mil
PIB per capita (IBGE/2010[5]) R$ 11 803,25
Sítio www.itarare.sp.gov.br (Prefeitura)
camaraitarare.sp.gov.br (Câmara)

Itararé é um município brasileiro do estado de São Paulo situado na divisa do estado de São Paulo e do Paraná. Sua população, conforme estimativas do IBGE de 2021, era de 50 778 habitantes.[3] O município é formado pela sede e pelos distritos de Pedra Branca de Itararé e Santa Cruz dos Lopes.[6][7]

História[editar | editar código-fonte]

Itararé situa-se em uma área conhecida como Campos de São Pedro, que vai do rio Verde até o rio Itararé, que dá o nome ao município.

Antiga estação ferroviária, hoje o centro de eventos e sede da Guarda Civil Municipal e da Guarda Mirim

Inicialmente habitado por índios Guainazes, tornou-se ponto conhecido de bandeirantes, exploradores, jesuítas e estudiosos, firmando-se como um dos pontos de descanso dos tropeiros que convergiam do sul levando animais para a feira de Sorocaba pelo conhecido Caminho das Tropas.

A Barreira de Itararé, é o ponto onde o rio se estreita e suas margens se unem, o que fornecia aos viajantes uma passagem natural, evitando um rio caudaloso e perigoso de atravessar. O rio foi estabelecido como divisa entre as vilas de Sorocaba e Curitiba, então Quinta comarca de São Paulo, que com sua emancipação em 1853, tornou Província do Paraná, passando o rio Itararé a ser a divisa.

A organização do município teve início em 1725 com a doação de 3 sesmarias com o propósito de povoamento e desenvolvimento da agricultura e criação. As 3 propriedades acabaram na mão de um mesmo dono, que registrou a propriedade como "Fazenda de São Pedro" em 1836. Com o desmembramento constante da propriedade, no ano de 1879 um dos fazendeiros constrói uma capela no ponto de maior aglomeração, à margem do riacho da "Prata", elevando seu status para povoado.

De passagem a caminho do sul, o naturalista e historiador, Auguste de Saint-Hilaire, registra em seu livro a situação do povoado, o encontro do riacho da "Prata" com o rio Itararé e até mesmo a existência de índios bárbaros que atacam fazendas próximas à mata.

Seguindo o mesmo caminho de Auguste de Saint-Hilaire, o célebre naturalista francês, Jean Baptiste Debret fez uma aquarela da ponte de madeira que existia sobre o rio Itararé, retratando a dificuldade em se atravessar com os animais na estreita ponte.

No dia 10 de março de 1885 torna-se Freguesia, em janeiro de 1891 torna-se Curato e 3 de fevereiro de 1891 torna-se Distrito de Paz. Com a lei nº 197 de 28 de agosto de 1893 , decretada pelo congresso legislativo do estado de São Paulo, cria-se o Município de São Pedro de Itararé, desvinculando-o do município de Itapeva (da Faxina). Em 31 de outubro do mesmo ano e feita a primeira eleição para a Câmara Municipal. No dia 8 de dezembro de 1897 passou a ser Paróquia. O prefeito só passou a surgir em 1898, sendo eleito anualmente pelos vereadores. Finalmente, pela lei nº 1887, de 8 de dezembro de 1922 foi definida como Comarca, contudo a cerimônia de instalação deu-se somente em 26 de fevereiro de 1923.

Presidente Getúlio Vargas e sua comitiva durante a Revolução de 1930 na então estação ferroviária, hoje centro de eventos.
Igreja Matriz

Durante a Revolução de 1930, quando Getúlio Vargas partiu de trem rumo a capital federal (então Rio de Janeiro), esperava-se que ocorresse uma grande batalha em Itararé, que não ocorreu pois a cidade acolheu Getúlio na estação ferroviária, permitindo sua entrada no Estado de São Paulo, e os militares depuseram o presidente Washington Luís em 24 de outubro daquele ano.

Durante a Revolução Constitucionalista de 1932 foi uma das frentes de batalha, quando os paulistas consideravam que São Paulo estava sendo tratado como terra conquistada, sendo governada por tenentes de outros estados e sentiam, segundo eles, que a Revolução de 1930 fora feita contra São Paulo.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Itararé em tupi-guarani significa "pedra que o rio cavou", pois o rio Itararé corre em um leito rochoso que foi sendo desgastado pela correnteza formando altos paredões, grandes cachoeiras e belas grutas.[8]

Principais Eventos[editar | editar código-fonte]

Paço Municipal

Festa do Milho Verde: Festa organizada pela associação de moradores do bairro Vila Santa Terezinha, que possui barracas que comercializam o milho dentre suas mais diversas formas: natural, mingau, bolo, sorvete, pamonha, etc;

Cavalgada: Realizada no último final de semana do mês de janeiro, abrangendo o eixo entre Bom Sucesso de Itararé a Sengés;

Festa de São Pedro: Quermesse realizada em homenagem ao padroeiro do município, São Pedro. Há exposições e comercialização de produtos, lanches, gêneros alimentícios e entretenimentos em geral;

Concurso Miss Itararé: Realizado para eleger a garota que representará o município, como parte das comemorações de aniversário realizada no mês de agosto.

Desfile e Festa de Aniversário do Município - 28 de agosto: Durante um período de cinco dias em média, é realizado no centro de eventos o rodeio, a exposição agropecuária, shows em geral, queima de fogos de artifício no encerramento, sendo neste local instalado uma grande estrutura que agrega serviços de alimentação e entretenimento, stands de exposição, barracas de artesanato, leilão de gado, etc.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Diversas cachoeiras, trilhas de ecoturismo em geral, trekking, mountain bike, parapente e vários outros esportes de aventura.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Possui uma área de 1.003,576 km², representando 0,4043% do estado, 0,1086% da região e 0,0118% de todo o território brasileiro. Localiza-se a uma latitude 24º06'45" sul e a uma longitude 49º19'54" oeste, estando a uma altitude de 740 metros.

Clima[editar | editar código-fonte]

Dados climatológicos para Itararé
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 26,6 26,8 26,2 25,1 21,7 20,7 20,7 22,7 24,3 25,4 25,5 26,7 26,6
Temperatura média (°C) 22,2 22,3 21,7 19,7 16,5 15,1 14,8 16,2 18,1 20 20,5 21,7 18,9
Temperatura mínima média (°C) 18,9 18,9 18,3 16,1 12,2 9,7 9,2 10,5 12,4 14,8 16,6 18,1 9,2
Chuva (mm) 177 112 86 49 71 63 59 41 98 95 101 122 1 074
Umidade relativa (%) 79 80 78 74 74 76 71 68 69 73 75 76 73
Horas de sol 222 204 196 185 178 186 228 254 210 208 198 204 2 478
Fonte: https://pt.climate-data.org/america-do-sul/brasil/sao-paulo/itarare-43701/

O clima de Itararé é considerado subtropical úmido (Cfa de acordo com a classificação climática de Köppen-Geiger), com as quatro estações do ano relativamente definidas. A temperatura média anual é de 19 °C. O verão é morno com precipitação relativamente alta e o inverno é fresco com moderada queda do nível de precipitação. A temperatura média no inverno é de 15 °C com mínimas que podem atingir temperaturas negativas (mínima histórica -4,1°C em 1975) e no verão, nos meses mais quentes, a média é de 22 °C podendo atingir máximas de até 35 °C .A pluviosidade anual gira em torno de 1100 mm.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Gruta da Barreira

Dados do Censo - 2000 População total: 46.554

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Prédio da Câmara Municipal

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Transporte[editar | editar código-fonte]

Ferrovias[editar | editar código-fonte]

Atualmente, a cidade é atendida pelo Ramal de Pinhalzinho da antiga Fepasa, parte do chamado Tronco Principal Sul. O ramal, localizado fora do perímetro urbano da cidade, se encontra concedido ao transporte de cargas pela Rumo Logística.[9]

No passado, Itararé também já foi atendida por outras duas históricas ferrovias, o Ramal de Itararé original da antiga Estrada de Ferro Sorocabana e a Linha Itararé-Uruguai da antiga Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande, que a atravessavam em seu centro urbano. Esta última, de posse da antiga Rede Ferroviária Federal, teve seu trecho entre as cidades de Itararé e Jaguariaíva desativado nos anos 1980 e era pejorativamente conhecido como o "pior trecho ferroviário do Brasil", devido às suas inúmeras curvas tortuosas. Os seus trilhos foram arrancados em 1993.

Com a construção de um segundo ramal na cidade, o tráfego no Ramal de Itararé acabou diminuído e devido ao fim do trecho entre Itararé e Jaguariaíva da Linha Itararé-Uruguai nos anos 1990, a Fepasa acabou por desativar de vez o trecho final do antigo ramal da Sorocabana. Os trilhos deste foram retirados em 1996 e o pátio de manobra da antiga estação funciona hoje como o centro de eventos do município.[10]

Aeródromo[editar | editar código-fonte]

Desativado desde 2014, com pista de 1300m em terra, Anteriormente homologado sob o código ICAO SDID, hoje o terreno está destinado à implantação de um frigorífico[11][12][13]

Filhos Ilustres[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Telecomunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade era atendida pela Companhia de Telecomunicações do Estado de São Paulo (COTESP), que construiu em 1974 a central telefônica que é utilizada até os dias atuais. Em 1975 passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[14], até que em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica. Em 2012 a empresa adotou a marca Vivo para suas operações de telefonia fixa[15][16][17][18].

Meios de comunicação[editar | editar código-fonte]

Emissoras de rádio[editar | editar código-fonte]

  • Educadora Fafit FM 88,7
  • 94 FM 94,3
  • Clube AM 1550

Referências

  1. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 28 de janeiro de 2011 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. a b «Estimativa populacional 2021 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2021. Consultado em 2 de setembro de 2021 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2010». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 [ligação inativa]
  6. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  7. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  8. «Itararé - História e Fotos». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  9. «Serrinha -- Estações Ferroviárias do Estado de São Paulo». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 28 de outubro de 2020 
  10. «Itararé -- Estações Ferroviárias do Estado de São Paulo». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 28 de outubro de 2020 
  11. «PORTARIA ANAC Nº 2215/SIA, DE17 DESETEMBRO DE2014» (PDF). Agência Nacional de Aviação Civil 
  12. «Plano Aeroviário do Estado de São Paulo» (PDF). Agência Nacional de Aviação Civil 
  13. «Doação de terreno do aeródromo de Itararé causa polêmica entre empresários e agricultores» 
  14. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  15. «Telesp vai servir mais 86 cidades do estado». Acervo Folha de S.Paulo 
  16. «Patrimônio da COTESP incorporado pela TELESP» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  17. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  18. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Wikinotícias Categoria no Wikinotícias