Bom Sucesso de Itararé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bom Sucesso de Itararé
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Bom Sucesso de Itararé
Bandeira
Brasão de armas de Bom Sucesso de Itararé
Brasão de armas
Hino
Gentílico bom-sucessense-itarareense
Localização
Localização de Bom Sucesso de Itararé em São Paulo
Localização de Bom Sucesso de Itararé em São Paulo
Bom Sucesso de Itararé está localizado em: Brasil
Bom Sucesso de Itararé
Localização de Bom Sucesso de Itararé no Brasil
Mapa de Bom Sucesso de Itararé
Coordenadas 24° 19' 04" S 49° 08' 38" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária[1] Sorocaba
Região imediata[1] Itapeva
Municípios limítrofes Itararé, Nova Campina, Apiaí, Barra do Chapéu, Sengés (PR)
Distância até a capital 270 km
História
Fundação 27 de outubro de 1993 (26 anos)
Administração
Prefeito(a) Luiz Humberto Campos (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 133,221 km²
População total (Censo IBGE/2010[3]) 3 571 hab.
Densidade 26,81 hab./km²
Clima subtropical (Cfb)
Altitude 950 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[4]) 0,660 médio
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 28 696,315 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 7 354,26
www.bomsucessoitarare.sp.gov.br (Prefeitura)

Bom Sucesso de Itararé é um município brasileiro do estado de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

O município de Bom Sucesso de Itararé foi criado em 27 de outubro de 1991. Sua formação administrativa teve início recente, com a criação, em 27 de dezembro de 1985, do distrito com sede no povoado de Bom Sucesso, no município de Itararé. Resultou de uma série de desmembramentos e fez parte de uma região de formação histórica marcada pelo tropeirismo e pela extração de minérios. A origem do primeiro núcleo de Bom Sucesso de Itararé foi a implantação, em 1929, da serraria Junqueira Mello no bairro de Terra Boa, que vigorou por um período de três anos.

O patrimônio local foi formado por uma série de doações feitas por fazendeiros da região, que providenciaram a abertura de estradas de acesso ao povoado que, até então, costumava se comunicar com as demais localidades por antigas trilhas de tropeiros. A primeira estrada, aberta pelas serrarias Junqueira Mello e Lumber, ligava Bom Sucesso ao município de Itararé, e a segunda, aberta em 1948 por Luiz Sguario, ligava-o ao município de Itapeva.

Sua primeira indústria de extração mineral, instalada em 1949, veio somar-se aos outros fatores que interagiram para o desenvolvimento da região.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Possui uma área de 133,221 km², representando 0,0537% do estado, 0,0144% da região e 0,0016% de todo o território brasileiro. Localiza-se a uma latitude 24º19'04" sul e a uma longitude 49º08'38" oeste, estando a uma altitude de 950 metros. Sua população estimada em 2005 era de 3 797 habitantes.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo 2000

População Total: 3 231

  • Urbana: 1 954
  • Rural: 1 277
  • Homens: 1 669
  • Mulheres: 1 562

Densidade demográfica (hab./km²): 24,26

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 29,51

Expectativa de vida (anos): 65,20

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 3,40

Taxa de Alfabetização: 85,82%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,693

  • IDH-M Renda: 0,603
  • IDH-M Longevidade: 0,670
  • IDH-M Educação: 0,805

(Fonte: IPEADATA)

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade era atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[6], que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[7], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[8] para suas operações de telefonia fixa.

Em 1992, um ano após a emancipação, a cidade ainda tinha apenas uma linha telefônica, do tipo "vilafone", que atendia a todos os habitantes da época, estimados em 5,5 mil.[9] O então prefeito José Pedro de Andrade chegou a entrar em contato com a Telesp, mas ainda não havia previsão de instalação de uma rede telefônica para a cidade.[9] "Estamos isolados, sem ligação por asfalto, sem médico e sem comunicação", lamentou. "Se ocorrer uma emergência, não sei a quem recorrer."[9]

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  7. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  8. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 
  9. a b c José Maria Tomazela (16 de novembro de 1992). «Há vários novos municípios que têm apenas um telefone». São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. O Estado de S. Paulo (29 151): Cidades 3. ISSN 1516-2931. Consultado em 3 de novembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]