Igreja Renascer em Cristo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Igreja Apostólica Renascer em Cristo
Fxemoji u1F546.svg
Logomarca da igreja
Orientação Evangelicalismo
Neopentecostalismo
Fundador Estevam Hernandes
Sônia Hernandes
Origem 1986
Sede São Paulo, Brasil
Líder espiritual Estevam Hernandes
Número de igrejas 315
Países em que atua Brasil, Angola e Estados Unidos
Escritura(s) Bíblia (cânon protestante)

Igreja Apostólica Renascer em Cristo é uma igreja cristã neopentecostal sediada em São Paulo, Brasil.[1] A igreja foi fundada em 1986 pelo casal Estevam Hernandes e Sônia Hernandes. Em 2007, a igreja possuía 2 milhões de membros e mais de 1.200 templos no Brasil e ao redor do mundo,[2][3] sendo na época, a terceira maior denominação cristã brasileira.[4] Em 2011, o número de templos foi reduzido para 315, sendo a grande maioria no estado brasileiro de São Paulo, além de uma pequena presença nos Estados Unidos e em Angola.[5][1] A Renascer possui a Teologia da Prosperidade como uma das bases de sua doutrina e é considerada parte da terceira onda do pentecostalismo.[6][7]

A Renascer possui uma emissora de TV (Rede Gospel), uma rede de estações de rádio (Gospel FM), uma editora e uma linha de confecções. É também conhecida por ser uma das organizadoras da Marcha para Jesus, realizada anualmente desde 1993 em São Paulo e que reúne um público de diferentes igrejas evangélicas.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Estevam e Sônia Hernandes (conhecidos respectivamente como Apóstolo Estevam e Bispa Sônia) fundaram a igreja em 1986. Estevam nasceu em uma família católica de classe média-baixa e se converteu aos 20 anos, na Igreja Pentecostal da Bíblia no Brasil, tornando-se, em pouco tempo, líder de jovens. Trabalhou, por 12 anos, na gerência de marketing e vendas das empresas Xerox e ItauTec. Sônia nasceu em uma família evangélica e frequentou desde criança a Igreja Evangélica Independente de Cambuci, onde o pai tinha um cargo de liderança. Era nutricionista e tinha uma loja de roupas. O casal passou a frequentar a Igreja Pentecostal da Bíblia do Brasil antes de fundar a Renascer. Pouco tempo depois da fundação da igreja, a denominação começou a atrair um amplo público formado por jovens, profissionais liberais e empresários.[8]

Inicialmente, as reuniões eram feitas na casa de Hernandes, sendo posteriormente transferida para uma pizzaria.[7] Com o aumento do número de membros, foi disponibilizado um espaço na Igreja Evangélica Árabe de São Paulo, ainda na Vila Mariana. O foco principal era em cultos para jovens. Após um rápido crescimento, é adquirido um prédio na Avenida Lins de Vasconcelos, na Mooca, onde seria erguida a sede internacional, com capacidade para até 5 mil pessoas.[carece de fontes?]

Em 2005, o casal Hernandes fundou a Confederação das Igrejas Evangélicas Apostólicas do Brasil (CIEAB), que reune hoje, segundo o site da associação, 1.500 líderes que representam 260 ministérios apostólicos. A CIEAB oferece assessoria em 12 áreas: jurídica, contábil e fiscal, ministerial, espiritual, política, musical, em informática, em comunicação, em projetos sociais, em eventos, em idiomas e em missões. A igreja também mantém a Associação Renascer de Empresários e Profissionais (AREPE), que tem o objetivo de "estabelecer aliança entre profissionais liberais, empresários e profissionais cristãos para crescimento, por meio de Direcionamento, Relacionamento e Aperfeiçoamento".[1]

Em 1993, a igreja organizou a primeira edição da Marcha para Jesus, em São Paulo. O evento, que desde então é realizado todos os anos, e reúne um público interdenominacional, de diferentes igrejas evangélicas de todo o país.[1]

No dia 18 de janeiro de 2009, o templo principal da Igreja Renascer em Cristo, no bairro do Cambuci, em São Paulo, desabou. O telhado caiu, matando 9 pessoas e ferindo 115 pessoas.[9] Em 2010, a gravadora Gospel Records encerrou temporariamente suas atividades, retornando em 2020. Nesse período, o ministério de louvor Renascer Praise passou a fazer parte do casting da Sony Music, e mais tarde, da Universal Music Brasil.[1]

Em 2016, a igreja passou por sua maior crise, tendo de fechar 70% de seus templos.[5] Em abril de 2020, a igreja demitiu 15 funcionários do canal de TV Rede Gospel devido a pandemia de Covid-19.[10]

Mídia[editar | editar código-fonte]

A igreja é conhecida por sua forte estratégia midiática para divulgar as suas crenças. A Igreja Renascer em Cristo mantém o ministério de louvor Renascer Praise, um grupo musical que participa dos cultos da igreja. Em 1990, a igreja fundou a gravadora Gospel Records e começaram a alugar espaços na Rádio Imprensa.[1]

A partir de 1992, a Igreja Renascer começou a alugar alguns horários na programação da Rede Manchete e posteriormente, da CNT. A primeira concessão veio em 1996, no governo Fernando Henrique Cardoso, quando a igreja fundou a Rede Gospel; em 2000, a igreja arrendou as emissoras da Manchete FM, surgindo a Manchete Gospel FM. Em setembro de 1999, as rádios foram vendidas ao empresário Orestes Quércia,[11] que criou a rede NovaBrasil FM. No final de 2002, a Renascer passa a transmitir em uma frequência própria em São Paulo. A partir da mudança, a rede de estações de rádio muda de nome para Gospel FM.[12]

Em janeiro de 1999, em meio à grave crise da Manchete, o Grupo Bloch, proprietário da rede de televisão, decidiu fazer um acordo de arrendamento com a igreja.[13] O então Ministro das Comunicações, Pimenta da Veiga, reprovou o acordo. Alguns dias depois, a Renascer disse que não iria pagar as dívidas da Manchete, ferindo o acordo. Após um mês de muita tensão entre o Grupo Bloch e a Igreja Renascer, o acordo foi rompido em fevereiro do mesmo ano, alegando o descumprimento de cláusulas contratuais.[14]

Um dos mais famosos adeptos da Renascer foi o jogador de futebol Kaká, que frequentou a Renascer até 2010, quando deixou a denominação.[15]

Práticas musicais[editar | editar código-fonte]

A Igreja Renascer em Cristo possui uma atividade musical intensa, envolvendo numerosos grupos musicais, que produzem interpretações de músicas ("louvores") que incluem uma grande variedade de gêneros, tal como rock, funk, pagode, e outros. Esta riqueza de estilos e expressões supostamente gera considerável interesse em um amplo público.[16]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Prisão nos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Em 2007, Estevam e Sônia Hernandes foram presos ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Miami, nos Estados Unidos, acusados de levar cerca de US$ 56 mil dólares em dinheiro em espécie não declarado, incluindo US$ 9 mil escondidos dentro de um exemplar da Bíblia.[17][18] O casal ficou preso em regime fechado e semi-aberto por um ano antes de retornar ao Brasil. A volta foi antecipada para que o casal pudesse cuidar do filho mais velho, internado na UTI após uma cirurgia.[19][8]

Condenação pelo TCU[editar | editar código-fonte]

Em 2012, a Fundação Renascer, mantida pela igreja, foi condenada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) a devolver R$ 785 mil aos cofres públicos, acusada de mau uso no repasse de verbas governamentais do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) entre os anos de 2004 e 2005, para uso na alfabetização de jovens e adultos.[20] Sônia Hernandes, que era presidente da fundação, também foi multada em R$ 100 mil.[20] Segundo o TCU, foram feitos saques na conta do convênio sem identificação do destinatário dos recursos. Outras irregularidades também foram detectadas pelo tribunal.[20]

Referências

  1. a b c d e f g «Igreja Renascer em Cristo». Media Ownership Monitor. Repórteres Sem Fronteiras e Intervozes - Coletivo Brasil de Comunicação Social. Consultado em 3 de janeiro de 2022 
  2. Azevedo, Solange; Nunes, Walter (12 de janeiro de 2007). «As acusações contra o casal». Época. Consultado em 3 de janeiro de 2022 
  3. «Igreja Renascer aceita doações por débito automático». O Globo. Consultado em 3 de janeiro de 2022. Arquivado do original em 17 de janeiro de 2007 
  4. «MP de São Paulo pede prisão de líderes da Igreja Renascer». G1. 30 de novembro de 2006. Consultado em 3 de janeiro de 2022 
  5. a b Loes, João; Cardoso, Rodrigo (9 de setembro de 2011). «O declínio da igreja da bispa Sônia». IstoÉ. Consultado em 3 de janeiro de 2022 
  6. Feltrin, Ricardo (9 de janeiro de 2007). «Teoria da Prosperidade, expansionismo e música são "bases" da Renascer». Folha de S.Paulo. Consultado em 3 de janeiro de 2022 
  7. a b «Saiba mais sobre a Igreja Renascer em Cristo». Folha de S.Paulo. 9 de janeiro de 2007. Consultado em 3 de janeiro de 2022 
  8. a b «Sônia e Estevam Hernandes». Media Ownership Monitor. Repórteres Sem Fronteiras e Intervozes - Coletivo Brasil de Comunicação Social. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  9. Kraul, Chris (20 de janeiro de 2009). «Collapse of Brazil church roof kills 9». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  10. Feltrin, Ricardo (9 de abril de 2020). «Em plena pandemia, Igreja Renascer faz demissão em massa em TV». Splash UOL. Consultado em 3 de janeiro de 2022 
  11. Daniel Castro (10 de setembro de 1999). «Igrejas evangélicas disputam FM em SP». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de junho de 2018 
  12. Laura Mattos (11 de dezembro de 2002). «Missionário arrenda FMs de Quércia e horário de Mion». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de junho de 2018 
  13. Sciarretta, Toni (5 de janeiro de 1999). «Igreja Renascer assume Rede Manchete». Folha de S.Paulo. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  14. Lee, Anna; Finotti, Ivan (13 de fevereiro de 1999). «Manchete rompe contrato com Renascer». Folha de S.Paulo. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  15. «Kaká e mulher rompem com a Igreja Renascer, diz revista». Terra. 4 de dezembro de 2010. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  16. Dolghie, Jacqueline Ziroldo (1 de dezembro de 2004). «A Igreja Renascer em Cristo e a consolidação do mercado de música gospel no Brasil: uma análise das estratégias de marketing». Ciencias Sociales y Religión/Ciências Sociais e Religião (6): 201–220. ISSN 1982-2650. doi:10.22456/1982-2650.2273. Consultado em 25 de julho de 2022 
  17. Rohter, Larry (19 de março de 2007). «Brazil's Top TV Preachers Land in Hot Water in Miami». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  18. «Polícia norte-americana prende fundadores da Renascer». Folha de S.Paulo. 9 de janeiro de 2007. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  19. Alves, Adriana (3 de agosto de 2009). «Casal Hernandes celebra volta ao país após prisão». Agora São Paulo. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  20. a b c «Bispa Sônia, da Renascer, terá de devolver R$ 785 mil, decide TCU». Folha de S.Paulo. 28 de janeiro de 2012. Consultado em 4 de janeiro de 2022 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]