Irmãos de Plymouth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Casa de Oração)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2015). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Os Irmãos de Plymouth são diversos grupos cristãos protestantes adenominacionais com origem em Dublin, na Irlanda, por volta de 1825.

Nomenclatura[editar | editar código-fonte]

Também chamados de Darbistas embora muitos de seus correlegionários rejeitem qualquer nomenclatura. No Brasil são mais conhecidos como Casa de Oração e em Portugal como Assembleia dos Irmãos. Outro nome comum em alguns países é de Igreja dos Irmãos, Irmãos Unidos, Irmãos Livres, “Gospel Hall Brethren” (Estados Unidos) ou “Biserica Creștină după Evanghelie” (Romênia).

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros irmãos eram membros da ala evangélica da Igreja da Inglaterra e oriundos de igrejas protestantes livres que começaram a se reunir na Irlanda e Grã-Bretanha. Um dos seus primeiros líderes foi John Nelson Darby, que pretendia restaurar um cristianismo simples e expunha a Bíblia com um paradigma teológico dispensacionalista.

O movimento ganhou rapidamente adeptos em áreas historicamente não-protestantes, como a Europa latina, o Oriente Médio, Índia, China, Filipinas e América Latina; contudo, suas congregações consistiam de pequenos grupos.

O movimento sofreu várias divisões, como entre os irmãos abertos e os exclusivos, além de surgirem formas nativas do movimento dos irmãos, principalmente em Kerala, Índia e o movimento do pequeno rebanho liderado por Watchman Nee.

História em Portugal[editar | editar código-fonte]

A primeira presença do movimento em Portugal ocorreu em 1854 pelo engenheiro químico inglês Thomas Chegwin, que iniciou uma missão entre os trabalhadores das minas de cobre no Palhal (Albergaria-a-Velha). Outro engenheiro britânico, George Colby Mackrow, chega em 1875 e passa a reunir com alguns ingleses em 1877 convida o missionário Richard Holden a vir a Portugal e abriu primeiro templo de uma igreja dos irmãos, em Lisboa - o das Amoreiras.

A Assembléia dos Irmãos publica o hinário "Hinos e Cânticos Espirituais". Existe também um registro jurídico unificado, sob o nome "Comunhão de Igrejas de Irmãos em Portugal", que abriga a maior parte das assembleias, embora haja grupos menores que permanecem não-afiliados.

Doutrinas e práxis[editar | editar código-fonte]

As igrejas dos irmãos ao redor do mundo possuem alguns distintivos históricos que os caracterizaram através dos anos. Embora haja divergência em alguns pontos, a maioria de suas igrejas locais valorizam:

  • A autonomia das igrejas locais, sem a necessidade de "prestar contas" à uma hierarquia superior
  • Liderança múltipla composta por presbíteros (ou anciãos)
  • Ministério da Palavra aberto aos membros que tenham o dom espiritual, de acordo com o conceito de "sacerdócio universal de todos os santos"
  • A não divisão dos crentes entre "Clero" e "Leigos"
  • Celebração da santa ceia aos domingos, sem a necessidade de um "sacerdote" ou de qualquer autoridade eclesiástica para abençoar os emblemas
  • O uso de cobertura (ou "véu") pelas irmãs nos cultos públicos da igreja local
  • Crença na autoridade inerrante da Bíblia, a partir de uma linha doutrinária dispensacionalista e não-pentecostal
  • Evangelismo como missão fundamental da Igreja de Cristo, estimulando os crentes a praticar o evangelismo pessoal
  • Expansão por meio de "pontos de pregação" em locais estratégicos ao evangelismo, normalmente realizado nas casas.

Casa de Oração[editar | editar código-fonte]

"Casa de Oração" é o nome associado no Brasil às igrejas protestantes adenominacionais oriundas do movimento "Irmãos de Plymouth". Embora também seja conhecida como “Igreja dos Irmãos Unidos”, seus líderes rejeitam qualquer nomenclatura dada ao movimento, pois acreditam que a Igreja de Cristo é única e que portanto devem fugir de nomes sectaristas. O nome originou-se no Brasil devido ao fato da expressão "Casa de Oração" ser comumente colocada no topo dos templos onde se reúnem.

A Igreja chegou ao Brasil em 1878 através do missionário inglês Richard Holden fixando no Rio de Janeiro. Holden inicialmente frequentou a Igreja Evangélica Fluminense, mas influenciado pelas ideias do ministro e escritor britânico, John Nelson Darby, iniciou a organizar igrejas seguindo estes princípios.[1]

Anos mais tarde, em 1896 um outro missionário inglês, Stuart Edmund McNair, plantou várias Igrejas em Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo. O ano de 1901 foi marcado com o início do trabalho dos "Irmãos" na região de Carangola-MG. Mais tarde, em 1907, McNair vai para a Inglaterra e Portugal e se dispõe a evangelizar estudantes em Coimbra. Em 1913, McNair volta para o Brasil e vai residir em Carangola, Minas Gerais. Inaugura no ano seguinte em Conceição, Distrito de Carangola a primeira Casa de Oração no Estado de Minas Gerais, construída especificamente para local de reunião dos irmãos. Essa igreja permanece em atividade até os dias de hoje. Considerado 'berço' da Casa de Oração, o município de Carangola, na Zona da Mata, possui atualmente mais de 6 templos, incluindo um Acampamento Bíblico (Acampamento Bíblico de Conceição) próximo a BR-482.

Embora tenha grande expressão nos Estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro, a Igreja dos Irmãos espalhou-se através dos anos para vários Estados da Federação Brasileira. Calcula-se que em 2008 havia 92 igrejas locais instaladas no Estado do Espírito Santo, 66 no Estado de Rondônia e 62 no Estado de São Paulo, enquanto que Estados como Alagoas, Maranhão, Roraima e Sergipe não possuem registros de templos instalados. No total, calcula-se que haja em torno de 756 templos espalhados pelo Brasil.

Membros notáveis[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Hahn, Carl Joseph História do culto protestante no Brasil. 1989
  2. Crowley, Aleister. «The Confessions» [As confissões] (em inglês). Hermetic. Consultado em 24 de outubro de 2010 
  3. «The Brethren Writers' Hall of Fame» [O corredor da fama dos Irmãos escritores] (em inglês). Newble. Consultado em 24 de outubro de 2010 
  4. Elliot, Philip James. «Papers» [Papéis] (em inglês). Wheaton. Collection 277. Consultado em 24 de outubro de 2010 
  5. «Dictionary of Canadian Biography Online» [Dicionário em linha de biografias canadenses] (em inglês). Biographi.ca. Consultado em 24 de outubro de 2010 
  6. «History», Müllers [ligação inativa] 
  7. Quotes from W Nee (PDF)  Parâmetro desconhecido |publishe= ignorado (ajuda).
  8. DeMarco, John M. «El Predicador Bilingue (The Bilingual Preacher)». Consultado em 24 de outubro de 2010  Parâmetro desconhecido |wrok= ignorado (ajuda)
  9. Hibbert, Albert, Smith Wiggleworth – The Secret of His Power [Smith Wiggleworth – o segredo de seu poder], ISBN 1-85240-004-8 (em inglês) .
  10. Arnott, Anne, The Brethren: An Autobiography of a Plymouth Brethren Childhood [Os irmãos: uma autobiografia de uma infância dos irmãos de Plymouth] (em inglês), p. 57 .

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Adams, Norman (1972) Goodbye, Beloved Brethren. Impulse Publications. ISBN 0-901311-13-8
  • Carroll, HK. (1912) Religious Forces in the United States. Nova Iorque
  • Coad, F Roy (2001) A History of the Brethren Movement: Its Origins, Its Worldwide Development and Its Significance for the Present Day. Regent College Publishing ISBN 1-57383-183-2
  • Doolan, Arnold. Um resumido esboço histórico do movimento conhecido como “Irmãos”.Porto, n.d.
  • Dorman (1866) The Close of Twenty-eight Years of Association with JN Darby. Londres
  • Ericson, Gerald Carl.Os Evangélicos Em Portugal. Núcleo: Queluz, 1984
  • Grass, Tim (2006) Gathering to his Name Carlisle: Paternoster
  • Groves, Henry (1866) Darbyism: Its Rise and Development. Londres
  • Groves, Srª. (1869) Biography of AN Groves, 3ª ed. Londres
  • Ironside, HA. (1985) Historical Sketch of the Brethren Movement Loizeaux Brothers ISBN 0-87213-344–3
  • Neatby, William Blair (1901) A History of the Plymouth Brethren; reimpressão by Tentmaker Publications.
  • Kelly, William (1883), Response by William Kelly to J. S. Teulon's Plymouth Brethren [Resposta aos irmãos de Plymouth de JS Teulon] (PDF) (em inglês), Present truth .
  • Pickering, Henry (1918) Chief Men Among the Brethren. Londres: Pickering & Inglis, 1918; Loizeaux Brothers. Neptune, NJ, 1996, ISBN 0-87213-798-8
  • Reily, Duncan Alexander. História documental do protestantismo no Brasil. 1984.
  • Smith, Natan Dylan (1996) Roots, Renewal and the Brethren. Hope Publishing House ISBN 0-932727-08-5
  • Strauch, Alexander (1995) Biblical Eldership: an Urgent Call to Restore Biblical Church Leadership. Lewis & Roth Publishers ISBN 0-936083-11-5
  • Stunt, Timothy CF. (2000) From Awakening to Secession: radical evangelicals in Switzerland and Britain, 1815–35. Edinburgh: T. & T. Clark ISBN 0-567-08719-0
  • Taylor (1866) Biography of Henry Craik. Londres
  • Teulon, JS. (1883) The History and Teaching of The Plymouth Brethren. Londres