Carangola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carangola
  Município do Brasil  
Vista parcial de Carangola
Vista parcial de Carangola
Símbolos
Bandeira de Carangola
Bandeira
Brasão de armas de Carangola
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Rainha do Vale"
Gentílico carangolense
Localização
Localização de Carangola em Minas Gerais
Localização de Carangola em Minas Gerais
Mapa de Carangola
Coordenadas 20° 43' 58" S 42° 01' 44" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Região intermediária[1] Juiz de Fora
Região imediata[1] Carangola
Municípios limítrofes Caiana, Divino, Espera Feliz, Faria Lemos, Fervedouro, Pedra Dourada e São Francisco do Glória.
Distância até a capital 357 km
História
Fundação 7 de janeiro de 1882 (138 anos)
Aniversário 7 de janeiro
Administração
Prefeito(a) Paulo Cesar de Carvalho Pettersen (MDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [3] 353,404 km²
População total (IBGE/2019[4]) 33 000 hab.
Densidade 93,4 hab./km²
Clima tropical de altitude (Cwa)
Altitude 399 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 36800-000 a 36809-999[2]
Indicadores
IDH (PNUD/2010[5]) 0,695 médio
PIB (IBGE/2014[6]) R$ 411 556 mil
PIB per capita (IBGE/2014[6]) R$ 12 317,60
Outras informações
Padroeiro(a) Santa Luzia[7]
Sítio www.carangola.mg.gov.br (Prefeitura)
www.camaracarangola.mg.gov.br (Câmara)

Carangola é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Ocupa uma área de 353,404 km² e sua população em 2019 foi estimada em 33 000 habitantes. O município é cortado pelas rodovias BR-482, MG-111 e MG-265 e está a 357 km de Belo Horizonte.[8]

Economia e infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Importante pólo de desenvolvimento econômico da Zona da Mata Mineira, na economia, destacam-se o café, o leite, a pecuária, a indústria de laticínios e alimentos, a construção civil e a prestação de serviços. Conhecida como "Princesa da Mata", "Rainha do Vale" e "Cidade Universitária", Carangola está localizada estrategicamente entre os estados de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Considerada a terceira maior cidade universitária da Zona da Mata, Carangola possui importantes instituições de ensino superior públicas e privadas, e ainda instituições profissionalizantes. Como principal pólo econômico de prestação de serviços da microrregião, a cidade possui hospitais, clínicas e centros médicos, hotéis, pousadas, repúblicas, jornais e revistas, sites de notícias, emissoras de Rádio e TV.

O centro comercial de Carangola conta com diversas lojas, escritórios, agências bancárias, redes de eletrodomésticos, supermercados, academias, lanchonetes e music bar. O Calçadão da Rua Pedro de Oliveira, inaugurado em 2012 trouxe muito mais conforto e segurança aos visitantes/dia que circulam pelo maior centro da região.

Importantes rodovias interligam o município aos demais centros urbanos tais como BR-040, BR-116, BR-262, BR-101, BR-482, MG-111, MG-265 e MG-834.

Linhas da Estrada de Ferro Leopoldina

Até a década de 1970, o município era cortado por duas importantes ferrovias, as chamadas Linha de Carangola e Linha do Manhuaçu da Estrada de Ferro Leopoldina, responsáveis pelo escoamento do café da região e por transportar passageiros aos municípios mineiros, capixabas e fluminenses. Carangola possuía a principal estação de trens do Leste de Minas. Após a desativação de ambas, sobretudo grande parte da última ferrovia, os trilhos foram erradicados do município em 1977, e desde então, a antiga estação abriga o atual Terminal Rodoviário Wigdston Mendes de Souza. Este, localizado na região central da cidade, oferece dezenas de viagens de ônibus por linhas intermunicipais e interestaduais.

Até a década de 80, Carangola possuía um importante Aeroporto Regional, localizado no atual Bairro Novos Tempos, sendo utilizado por empresas e famílias nobres como a família Kamil. Inclusive, há registros de apresentações anuais da esquadrilha da fumaça após as solenidades de abertura das exposições agropecuárias do município.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

Carangola, 1934. Arquivo Nacional.

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[9] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Juiz de Fora e Imediata de Carangola.[1] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Muriaé, que por sua vez estava incluída na mesorregião da Zona da Mata.[10]

Situada na encosta do Planalto Atlântico, Carangola está a leste do estado de Minas Gerais, pertencendo a mesorregião da Zona da Mata. O município de Carangola está constituído atualmente pela sede e pelos distritos de Alvorada, Lacerdinha e Ponte Alta de Minas.

Principais bairros[editar | editar código-fonte]

  • Aeroporto
  • Alterosa
  • Amendoeiras
  • Armindo Cunha
  • Bela Vista
  • Caixa d'Água
  • Capitão Severino
  • Carrapatinho
  • Centro
  • Chevrand
  • Cidade Nova
  • Coroado
  • Dadinho
  • Eldorado
  • Floresta
  • Mirante do Vale
  • Morro do Jacaré
  • Novos Tempos
  • Ouro Verde
  • Panorama I
  • Panorama II
  • Petrópolis
  • Ponte Vedra
  • Residencial Alpes Mansões
  • Residencial Casa Grande
  • Residencial Campo Verde
  • Residencial Santa Maria
  • Residencial Vale dos Ipês
  • Residencial Village
  • Residencial Jardins do Lago
  • Residencial Jardins Turmalina
  • Rosário
  • Santa Emília
  • Santa Maria
  • Santo Onofre
  • Triângulo
  • Varginha I
  • Varginha II
  • Vila Cruzeiro
  • Vitória

Distritos e localidades rurais[editar | editar código-fonte]

  • Alvorada
  • Barcelos
  • Barnabés
  • Barroso
  • Borboleta
  • Conceição
  • Córrego da Mata
  • Córrego do Galo
  • Furriel
  • Lacerdinha
  • Meia Lua
  • Papagaio
  • Parada General
  • Ponte Alta de Minas
  • Ponte Geraldo
  • Residência
  • Santa Bárbara
  • Santo Antônio
  • São Bento
  • São João Batista
  • São Manoel
  • Serra da Galdina
  • Serra das Velhas

Ônibus urbano[editar | editar código-fonte]

Em Carangola, assim como nas cidades de médio e grande porte, o transporte coletivo urbano é uma concessão pública de prestação de serviço. Os horários de circulação de ônibus têm início às 06:00, com término às 22:00.

Comércio[editar | editar código-fonte]

Na economia, destacam-se os três principais setores econômicos: o setor primário, secundário e terciário.

A base econômica de Carangola está assentada na agricultura e na pecuária, na cafeicultura e em prestações de serviços. Na indústria, destacam-se os laticínios para produção de leite e derivados.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município possui dois hospitais públicos, uma policlínica municipal, pronto-socorro regional, diversas clínicas, consultórios médicos diversificados e vários postos de saúde. No município são realizados diversos procedimentos cirúrgicos, com destaque para cirurgias bariátricas e transplante de córneas. Há ainda, a previsão para a construção de um terceiro centro hospitalar com 120 leitos.

Principal Centro de Saúde da Região do Caparaó, o município disponibiliza serviços como berçário, centro cirúrgico, cintilografia, clínica médica, clínica cirúrgica, centro de tratamento e terapia intensiva, densitometria óssea, fisioterapia, hemodiálise, hemodinâmica, mamografia digital, raio x, ressonância magnética, tomografia computadorizada helicoidal, ultrassonografia – doppler color, urgência e emergência e unidade de tratamento intensivo neo-natal.

Os dois hospitais são importantes centros de atração de pessoas que habitam os municípios de MG, ES e RJ e atendem uma população estimada em mais de 1,5 milhão de habitantes. Além dos hospitais, a cidade conta com o maior Pronto Socorro Regional (PSR 24h) da Região do Caparaó, interligado à rede de urgência e emergência via 192 e 193.

  • Hospital Casa de Caridade de Carangola (HCCC).
  • Hospital Evangélico de Carangola (HEC).
  • Pronto Socorro Regional (PSR 24h).
  • Hospital dos Olhos de Carangola (HOC).
Região central de Carangola

Educação[editar | editar código-fonte]

Ensino Superior[editar | editar código-fonte]

O ensino superior é suprido pela:

  • Universidade do Estado de Minas Gerais
  • Universidade Aberta e Integrada de Minas Gerais – UAITEC
  • Universidade Doctum (UniDoctum) – Campus Carangola
  • Faculdade FAEL
  • Faculdade Única
  • Faculdade Multivix
  • Universidade Norte do Paraná (UNOPAR)
  • Universidade Paulista (UNIP)
  • Rede Promove de Ensino - FAVENORTE / FATAP
  • Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)
  • UniFAVENI
  • UniCesumar
  • Estácio

A Comarca[editar | editar código-fonte]

A Comarca de Carangola abrange quatro municípios: Carangola, Faria Lemos, Fervedouro e São Francisco do Glória. Possui três varas, sendo uma do Juizado Especial. O município também é servido com amplos serviços notariais e registros.

Carangola

Energia elétrica[editar | editar código-fonte]

Servido de energia elétrica pelos serviços da Companhia Energética de Minas Gerais – CEMIG. Contudo, já se encontra em fase de funcionamento no município uma central hidrelétrica – PCH Carangola – da empresa Carangola Energia S/A.

Ambiente[editar | editar código-fonte]

O município tem importante inserção no meio ambiente, haja vista que é banhado pelo rio Carangola, sub-afluente do rio Paraíba do Sul, sendo assim integrante do Comitê da Bacia do Rio Paraíba do Sul.

É de relevância que se observe que o rio Carangola é um rio federal, haja vista que ele banha duas unidades da federação, o Estado de Minas Gerais e o Estado do Rio de Janeiro. Contudo, até a presente data, oficialmente o rio Carangola não foi devidamente reconhecido como um rio de domínio federal.

Além disso, o município dista pouco do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro e do Parque Nacional do Caparaó, e, nesse sentido, possui órgãos estaduais voltados aos interesses do meio ambiente, tais como, Núcleo Operacional de Florestas, Pesca e Biodiversidade de Carangola do Instituto Estadual de Florestas (IEF) e 06º Grupo da Polícia Militar do Meio Ambiente de Carangola.

A cidade vem sofrendo com as constantes enchentes (transbordamentos) do Rio Carangola que corta a área urbanizada, em forma de vale, onde se localiza o comércio e onde se concentra a mancha habitacional urbana. O assoreamento dos cursos d´àgua, o desmatamento das margens e a falta de tratamento de adequado dos dejetos, a poluição, associadas as fortes chuvas do período mais quentes do ano são as principais causas[11] das enchentes.

Em janeiro de 2020 o município foi atingido por uma enchente que atingiu um nível recorde, superando a de 1985, que até então havia sido a maior dos últimos tempos.[12] Em 1985, o Rio Carangola subiu seis metros acima do nível normal, atingindo 3,80 metros acima das pontes centrais da cidade. Na época, quatro mortes foram contabilizadas e mais de 2.500 famílias ficaram desabrigadas[13].

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

  • CTC - Carangola Tênis Clube;
  • CCC - Carangola Campestre Clube;
  • SESI – CAT – Mauro Lopes Valadão;
  • AABB – Associação Atlética Banco do Brasil;
  • Rancho da Ilha;
  • Clube do Cavalo.

Serviço social[editar | editar código-fonte]

O município possui importantes órgãos e colaboradores na área da ajuda social, a saber:

  • Lions Club de Carangola;
  • Rotary Club de Carangola;
  • Rotaract Club de Carangola;
  • Interact Club de Carangola;
  • Jovens Construindo a Cidadania (JCC);
  • Maçonaria;
  • Ordem DeMolay: Capítulo Carangola nº 66;
  • Lar Divina Providência;
  • Lar Evangélico de Carangola;
  • Asilo de Idosos de Carangola;
  • Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE);
  • Sociedade São Vicente de Paulo;
  • Instituto São José (Orfanato);
  • Gran Priorato Templário do Brasil (GPTB)

Serviço Militar[editar | editar código-fonte]

Após alguns anos sem o Serviço Militar, a união de forças, entidades assistenciais e a administração pública conseguem reativar o TG 04/002, pertencente a 4ª Região Militar (4ª RM). A primeira turma a ocupar o espaço do quartel iniciou-se em janeiro de 1995 com 38 soldados, sob o comando dos sargentos Agnelo e Souza Neto. Desde então, os moradores da cidade e de sua microrregião se orgulham em ter uma representação das Forças Armadas Brasileiras por perto. Em 2018, o Tiro de Guerra (TG), sediado em Carangola, comemora 100 anos de fundação, com o selo comemorativo dos Correios.

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Citações culturais[editar | editar código-fonte]

Ano de 2011: A carangolense Maria Gomes Valentim, de 114 anos foi declarada a pessoa mais idosa do mundo, após veiculação no Click Carangola, TV Alterosa e SBT.

Em 1998, no filme Central do Brasil, do diretor Walter Salles, a protagonista Dora, papel vivido pela atriz Fernanda Montenegro, escrevia cartas sob ditado de pessoas analfabetas em uma estação de trem. Logo no início do filme, vários clientes de Dora, procedentes de diversos municípios citam suas cidades, Carangola é uma delas.

Destaque na TV[editar | editar código-fonte]

Hélio Ziskind e a Turma do Cocoricó da TV Cultura, levaram ao ar em 2000 o programa Cocoricó em: O Gigante da Floresta, que mais tarde se transformou em um espetáculo musical de teatro. Criado a partir de fatos reais, o programa educativo conta a saga do jequitibá - que em tupi-guarani significa o gigante da floresta, localizado na cidade mineira de Carangola - de forma lúdica, abordando a mobilização da população local em preservar esta árvore, após um incêndio criminoso que durou onze dias. O esforço envolvido na "operação de salvamento" irradia uma atitude de comprometimento com a vida que se recria com as "flores brancas" que nasceram na primavera seguinte.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (15 de janeiro de 2013). «Áreas dos Municípios». Consultado em 27 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 27 de novembro de 2017 
  4. «RESOLUÇÃO Nº 3, DE 26 DE AGOSTO DE 2019 - RESOLUÇÃO Nº 3, DE 26 DE AGOSTO DE 2019 - DOU - Imprensa Nacional». www.in.gov.br. Consultado em 28 de agosto de 2019 
  5. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 27 de novembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  6. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2014). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2014». Consultado em 27 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 27 de novembro de 2017 
  7. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 16. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  8. Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). «Municípios de Minas Gerais». Consultado em 22 de dezembro de 2014 
  9. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 27 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 27 de novembro de 2017 
  10. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 27 de novembro de 2017 
  11. «Enchentes: causas, consequências, como prevenir - Brasil Escola». Brasil Escola. Consultado em 14 de junho de 2020 
  12. «Carangola e Orizânia decretam estado de calamidade pública; veja os trabalhos após as chuvas que atingiram a Zona da Mata». G1. Consultado em 14 de junho de 2020 
  13. www.nonap.com.br, Nonap-Tecnologia Criativa |. «Atiradores do TG/1985 promovem encontro de confraternização». Jornal da Cidade Online. Consultado em 14 de junho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Carangola
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.