Igreja Videira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Igreja Videira
Classificação Protestante
Orientação Pentecostal Reformada Fundamentalismo cristão
Líder Aluízio Silva [1]
Associações VINHA - Videira e Ministérios Associados
Área geográfica Principalmente no Brasil em todos os estados da federação, e em 32 países, dentre eles: Estados Unidos, Canadá, Moçambique, Zâmbia, Perú, Paraguai, Argentina, Chile, Uruguai, Holanda, Bélgica, França, Alemanha, Portugal, Japão, Afeganistão, Iraque e Inglaterra.
Fundador Aluízio Antônio da Silva e Marcelo Almeida[1]
Origem 1997 (22 anos)[1]
Goiânia, Goiás[1]
Separado de Igreja Luz Para os Povos[2]
Congregações +-900 Igrejas Videiras e +- 400 igrejas filiadas
Membros 300.000 membros (2018)[3]
Site oficial www.igrejavideira.com.br

A Igreja Videira, é uma denominação cristã, fundada em Goiânia, Goiás, em 1999, pelo pastor Aluízio A. Silva. Adota o sistema de igrejas em células, baseando-se na ideia de propagação da fé feita por todos os crentes, os quais são sacerdotes e ministros de Deus, sempre sujeitos a sua liderança, devendo o liderado obediência para cumprir plenamente o propósito. Acreditam ainda no discipulado, onde irmãos mais velhos na fé ensinam os mais novos. É atualmente uma das maiores denominações religiosas em Goiânia, com aproximadamente 150.000 membros pelo Brasil. Apesar de ser uma igreja em células, a Videira não se declara parte do movimento G12, MDA ou M12. A denominação tem a sua própria visão a cerca do modelo celular. [3]

História[editar | editar código-fonte]

Os fundadores da Igreja Videira, Aluízio A. Silva e pastor Marcelo Almeida, foram inicialmente ordenados pastores na Igreja Luz Para os Povos, em 1988.[2]

A Igreja Videira foi fundada em 1997, sob a liderança dos dois fundadores, com um grupo de aproximadamente 200 pessoas, após ruptura não amigável com a Igreja Luz Para os Povos. Inicialmente as duas denominações não tiveram boas relações, já que a liderança desta exigia a retratação e retorno dos fundadores da Igreja Videira.

Todavia, em 2009, o pastor Aluízio A. Silva pediu publicamente perdão ao Apóstolo Sinomar Fernandes, pela forma "truculenta" como ocorreu a separação das igrejas em 1997.

O principal motivo da separação foi o desejo, por parte do pastor Aluízio da implantação do modelo de igrejas em células, enquanto parte da liderança da antiga denominação não estavam engajados no modelo. [4]

Outro motivo provável para a separação seria a demasiada preferência que os membros da Igreja davam em ouvir o pastor Aluizio em suas poucas oportunidades de pregar. A Igreja, após sua liderança de jovens e, depois liderança do ministério de louvor, cresceu bastante. A Igreja cresceu a ponto de serem necessários dois cultos aos domingos, sendo um pela manhã, e um anoite. Os membros costumavam ir, em maioria, nas reuniões em que ele iria pregar. Isso aconteceu com mais frequência na época em que ele passou a ministrar um estudo sobre a carta aos Romanos.

Percebendo o constrangimento, o pastor Aluizio pediu aos seus líderes que o enviasse para outra congregação para pastorear. Assim sendo, a Igreja Luz Para Os Povos abriu uma nova congregação no Jardim América e deixou aos cuidados do pastor Aluizio. Mas nesta congregação só poderia haver reunião no domingo pela manhã, pois anoite todos os membros deveriam ir para a sede da Igreja. Porém, com pouco tempo, os irmãos estavam lotando a congregação pela manhã e deixando de ir anoite para a sede da Igreja. Eles iam para ouvir os sermões do pastor Aluizio. O pastor dizia que ele não era responsável por isso, pois era o favor de Deus sobre ele, pois ele lutava com um problema de dicção, onde falava muito rápido as palavras.

O pastor conta que, antes da separação, ele fez um teste diante de Deus. Ele ia participar de uma reunião com o Apóstolo Sinomar e os demais pastores de governo da Igreja para formalizar sua saída. Ele pediu á Deus que, se alguém na reunião pedisse que ele ficasse, então seria um sinal de que ele não deveria sair. Mas se todos os membros do conselho ficassem em silêncio, então ele saberia que deveria se separar. Na reunião, todos se mantiveram em silêncio diante das suas palavras, entendendo ele que deveria sair. O pastor Aluizio contou aos seus pastores que teve uma visão, onde Deus o dizia que "ele estava sendo desleal, pois estava edificando uma Igreja dentro da Igreja".

O Apóstolo Sinomar foi até a congregação no Jardim América para anunciar a saída do pastor Aluizio. Segundo alguns membros, o Apóstolo repetiu as afirmações do pastor Aluizio o chamando de "desleal, por estar edificando uma Igreja dentro da Igreja". No fim daquela reunião, o Apóstolo pediu que os que quisessem permanecer na Igreja Luz Para Os Povos, saíssem com ele da reunião. Assim, os que ficaram passaram a andar com o pastor Aluizio.

A Igreja Videira então passou a se reunir em um núcleo na casa do Naor Pedroza, que mais tarde se tornou pastor e líder do Ministério de jovens da Igreja, chamado Radicais Livres. Em 1997, o núcleo se mudou para um pequeno prédio no setor Jardim América, onde passou a reunir aproximadamente 300 membros. Mas a Igreja Videira foi oficializada com esse nome no dia 20 de fevereiro de 1999. O pastor Aluizio confessou que a ideia do nome foi sugerida pelo pastor Naor Pedroza. Em março de 2001 a Igreja já reunia 2.400 membros. O prédio já não comportava mais esse número de pessoas, sendo necessário uma mudança.

O prédio onde a Igreja se reuni atualmente foi comprado em 2002. Ele comporta 4.300 pessoas sentadas. O pastor Aluizio conta que, na ocasião, o prédio custava cerca de 1,5 milhão de reais. Ele pretendia financiar o valor por muitos anos, mas um irmão decidiu pagar todas as parcelas como oferta para a obra. O pastor conta que experimentou do mesmo favor ao decidir comprar a atual rádio Vinha FM (91,9 MHz) em 2008. A rádio hoje está em segundo lugar no seguimento gospel na cidade, atrás apenas da rádio Paz FM (89,5 MHz).

Em 2003 a Igreja conseguiu comprar uma escola. Atualmente, chamada de Escola Videira, ela é referencia na educação por princípios e contém quase mil alunos matriculados.

Crenças[editar | editar código-fonte]

A Igreja crê na Inerrância bíblica, na doutrina do Nascimento virginal de Jesus, Expiação (visão de substituição penal), na existência de uma igreja universal composta de todos os crentes. Além disso, rejeita o divórcio, embora aceite como membros pessoas divorciadas, porém o mesmo não é permitido para os pastores. Não tem normas específicas quanto ao uso de roupas, mas prioriza o bom senso e a santidade em toda a maneira de se vestir, considera a homossexualidade um pecado. Quanto a participação das mulheres, permite que elas sejam pastoras, lhes restringindo a tomada de decisões e o governo da igreja, ficando a cargo destas o cuidado com as redes de crianças e juvenis.

A Igreja crê que a salvação é dada unicamente pela fé, sem a participação das obras. Defende também que toda a vida cristã é vivida na perspectiva da graça de Deus, sendo essa um favor imerecido, dado á todo aquele que crê, independente de suas obras. Nesta visão, encontra-se muita semelhança com os sermões do famoso pastor Joseph Prince, fundador da Igreja New Creation Church com sede em Cingapura. Na semelhança deste último, o pastor Aluizio recebe muitas criticas de evangélicos de igrejas mais tradicionais, ou de pentecostais legalistas por defender a visão da graça de Deus.

A Visão dos Vencedores é a forma como a igreja afirma que todos os crentes são salvos, porém alguns reinarão e outros não. Nesta visão do Watchman Nee, todos os crentes são salvos, pois os santos não podem cair da graça, porém alguns receberão galardão e outros não. O Pastor Aluizio Silva, em seu livro Efesios, O Mistério de Jesus Revelado, defende a doutrina da Eleição Incondicional, deixando à entender que a doutrina da Eleição condicional é incoerente, pois é Deus que opera o arrependimento. O Pastor Naor Pedroza, respondendo uma pergunta sobre a doutrina da Eleição, diz que Deus escolheu os eleitos e que a Eleição não tem nada a ver com o homem.

Assim, os líderes da Igreja Videira ensinam o Monergismo. No Livro: Efesios o Mistério de Jesus revelado, o Pastor Aluizio Silva declara "Nós podemos dizer que Cristo morreu apenas pela Igreja" (Expiação limitada) e coloca depois desta afirmação uma ilustração sobre a Eleição divina, o que caracteriza uma crença na substituição penal (expiação definida).

Nas referências e notas do Livro Efesios, O Mistério de Jesus revelado, O Pastor Aluizio traz os livros que expõem a doutrina da Eleição: de Martin Llyod Jones e John Stott. Todas essas posições e referências caracterizam uma doutrina Monergista.

A denominação também afirma a continuidade dos dons carismáticos, posição conhecida como Continuísmo.

Ainda assim, a denominação não pode ser descrita como uma igreja calvinista. Conforme a descrição do pastor Aluízio Silva sobre a igreja: {{quote2|somos muito agostinianos, um pouco calvinistas, arminianos, luteranos e wesleyanos. Temos muito dos pentecostais, carismáticos e do ensino da fé. Faz parte da nossa herança a ênfase na profundidade e integridade da palavra de Deus do irmão Nee. Fomos contagiados por uma paixão pela glória de Deus.

Em um vídeo público no YouTube com o título "A Igreja Videira é Calvinista", o pastor Aluízio responde que o único ponto que ele não crê do calvinismo é a expiação limitada, mas se fosse limitada ele não teria problema com isso. Assim assumindo um papel parecido com a escola de Saumur e o posicionamento Amiraldista.

Eventos[editar | editar código-fonte]

A partir do ano 2000 a igreja passou a realizar anualmente a Conferência Radicais Livres, que ocorre em Goiânia no mês de setembro.[5][6][7]

Em 2001, a Igreja realizou o "Batismo dos mil", onde mil pessoas foram batizadas no parque Vaca Brava.

Em 2003, foi realizado mais um grande batismo, onde cinco mil pessoas foram batizadas nas águas em um evento organizado pela Igreja no ginásio Goiânia Arena.

Em 2012, cerca de 50 mil participantes estiveram presentes a conferência.[8] No ano de 2014 a Conferência contou com a participação de 40 mil pessoas[9], e em 2015, 50 mil, sendo transmitida em TV Aberta[10][11] e rádio.[12] A partir do ano de 2016, a Conferência passou por uma nova estruturação, sendo o evento a partir de então apenas para os líderes de células de jovens e adolescentes de todo o Brasil, e a partir de 2017 de 2 em 2 anos.

A Igreja ficou conhecida em Coxim, São Paulo, por manifestações contra a pedofilia.[13]

Referências

  1. a b c d «Sobre a Igreja Videira». Consultado em 6 de maio de 2019 
  2. a b «Galeria de fotos históricas da Igreja Videira». Consultado em 6 de maio de 2019 
  3. a b «Igreja Videira tem 40.000 membros». 13 de setembro de 2018. Consultado em 3 de fevereiro de 2019 
  4. Guilherme Burjack de Carvalho (2014). «Pontifícia Universidade Católica de Goiás:Vencedores e Vencedores: Uso de Marketing Multinível como estratégia de expanção de uma igreja nepentecostal» (PDF). Consultado em 6 de maio de 2019 
  5. «Título ainda não informado (favor adicionar)» 
  6. «Conferência Radicais Livres». Consultado em 22 de maio de 2015. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2016 
  7. «Conferência Radicais Livres 2014». Consultado em 6 de maio de 2019 
  8. «Conferência Radicais Livres reúne 50 mil pessoas». Consultado em 6 de maio de 2019 
  9. «Conferência Radicais Livres reúne 40 mil pessoas em Goiânia». Consultado em 6 de maio de 2019 
  10. «Transmissão Aberta da Conferência Radiciais Livres=6 de maio de 2019» 
  11. «Sobre a Conferência Radicais Livres». Consultado em 22 de maio de 2015. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  12. «Coferência Radicais Livres transmitida por rádio». Consultado em 5 de setembro de 2014 
  13. «Igreja Videira protesta cntra pedofilia» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Camera-photo.svg
Ajude a melhorar este artigo sobre Arquitetura ilustrando-o com uma imagem. Consulte Política de imagens e Como usar imagens.