Igreja Lusitana Católica Apostólica Evangélica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Igreja Lusitana
 


[[Imagem:|150px|Imagem: Igreja Lusitana]]






Projeto Catolicismo · uso desta caixa


Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde novembro de 2018). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Igreja Lusitana é a diocese extra provincial da Comunhão Anglicana em Portugal. O atual bispo diocesano da Igreja Lusitana é D. Jorge Pina Cabral. E a igreja está em plena comunhão com o Arcebispo de Cantuária.

Catedral da Igreja Lusitana, na Rua das Janelas Verdes, em Lisboa.

Características[editar | editar código-fonte]

Católica

A Igreja Lusitana não se considera uma comunidade resultante dos movimentos reformadores do séc. XVI.

Mantém a fé católica, a fé integral da Igreja, sustentada "sempre, por todos e em toda a parte" (S. Vicente de Lerins). Por esse motivo não aceita algumas doutrinas ensinadas por parte da cristandade e não recebidas universalmente.


Apostólica

O ministério da Igreja Lusitana faz parte desta missão apostólica e é sinal visível da continuidade histórica da missão confiada directamente por Cristo aos apóstolos para dar testemunho e servir na comunidade em que se integra.


Episcopal

Aceita e defende a sucessão apostólica, ou seja, a sucessão ininterrupta, testemunhada pela comunidade da Igreja e santificada pelo dom de Deus, de todos os bispos católicos a partir dos apóstolos.


Evangélica

Proclama o Evangelho, a Boa Nova de que Deus ama todos os homens e os quer salvar: "de tal maneira amou Deus o mundo que lhe deu o seu único filho para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna" (S. João, 3:16)


Afirma os Sacramentos como sinais exteriores de uma graça interior, espiritual, instituídos e ordenados por Jesus Cristo para santificação e perdão dos pecados: Baptismo e Eucaristia. Tal como a tradição dos sacramentos na perspectiva anglicana.

Reconhece como Ritos Sacramentais, como uma parte de estados de vida aprovados nas Escrituras: Confissão ou absolvição dos Pecados, Confirmação (o Crisma na terminologia Católica Romana), Unção dos doentes, Casamento, Ordenação.


O celibato dos ministros ordenados (padres/Rev.) não é obrigatório.


Em Sínodo Diocesano da Igreja Lusitana, em 1991, é aprovada a ordenação de mulheres.

História[editar | editar código-fonte]

Alguns pastores anglicanos ingleses e americanos que passaram por Lisboa em 1839 e 1868, junto com alguns padres e leigos católicos Romanos que rejeitaram os dogmas do Concílio Vaticano I (1869-70) conduziram ao estabelecimento da Igreja Lusitana em 1880. Adotou originalmente uma tradução do Livro de Oração Comum de 1662. Desde o princípio a igreja foi ajudada pela Igreja Episcopal dos Estados Unidos.

Expande-se para o norte do país em 1880 através da integração da missão de Diogo Cassels na recém criada Igreja Lusitana.

No começo que a igreja foi auxiliada por um conselho dos bispos presidido pelo Lord Plunkett, nesta época bispo da diocese de Meath, na Irlanda. O primeiro bispo português foi consagrado em 1958.

A integração total ocorreu em 1980 quando a igreja se transformou um diocese extraprovincial sob a autoridade do Arcebispo da Cantuária.

Bispos
  1. Henrique Riley - (1880), presidente do primeiro sínodo
  2. Joaquim Santos Figueiredo - (1922), não chegou a ser consagrado
  3. António Ferreira Fiandor - (1958 - 1961), primeiro bispo a ser consagrado
  4. Luís Rodrigues Pereira - (1962 - 1979)
  5. Fernando da Luz Soares - (desde 1980-2013)
  6. José Jorge Tavares de Pina Cabral - (desde 2013)

Organização[editar | editar código-fonte]

De acordo com o seu website, a Igreja Lusitana constitui uma diocese com a seguinte organização:

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Igreja Lusitana Católica Apostólica Evangélica

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • http://arquivo.igreja-lusitana.org/
  • Cabral, Joana dos Santos de Pina. A Igreja Lusitana: reforma católica em Portugal?. Porto: F.L.U.P. (mimeografado), 1995;
  • Igreja Lusitana. Esboço da história da Igreja Lusitana. Vila Nova de Gaia: Sínodo da I.L.C.A.E., 1949
  • Noyes, Henry Edwar. Church reform in Spain and Portugal: a short history of the Reformed Episcopal Churches of Spain and Portugal, from 1868 to the present time. Londres: 1897.
  • https://www.igreja-lusitana.org/index.php/igreja-lusitana/historia
  • Peixoto, Fernando, Diogo Cassels 1844-1923, 2ª edição, Estratégias Criativas, ISBN 9789898459527, Novembro de 2018.
  • Cassels, Diogo, A Reforma em Portugal: A história resumida já publicada na «Igreja Lusitana» nos anos de 1897 e 1898, revista, aumentada e dividida em cinco capítulos, Estratégias Criativas, 2018 (reedição de 1908), 153-173.