Hinduísmo em Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Não existem muitos registos da prática do Hinduísmo em Portugal.

Actualmente, existe uma comunidade Hindu de aproximadamente 9000 pessoas[1], a grande maioria residente nas áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto. As suas origens remontam a Indianos que emigraram das ex-colónias Portuguesas de África, principalmente de Moçambique, e da antiga Goa e de outros territórios do Estado Português da Índia.

A partir da década de 1990 e sobretudo a partir da primeira década do século XXI, verificou-se uma afluência de hindus de origem nepalesa em Portugal, fruto das migrações laborais com origem nesse país sul-asiático. Também a partir da década de 1990 é possível encontrar em Lisboa uma pequena comunidade Hare Krishna, constituída sobretudo por indivíduos caucasianos de origem portuguesa, brasileira e de outros países da Europa.

De acordo com a embaixada da Índia em Lisboa, os Indianos em Portugal são na sua maioria Gujaratis (sendo o Gujarati ensinado no Centro Cultural da Comunidade Hindu de Lisboa), Punjabis e Goeses. A maioria dos hindus é de afiliação gujarati, residindo na capital, Lisboa, mas algumas famílias habitam também no Porto.

História[editar | editar código-fonte]

A Comunidade Hindu portuguesa é fruto de um processo migratório marcado essencialmente por duas fases[2]:

  • Primeiro grande fluxo de indianos saídos do estado do Gujarate para se fixar em Moçambique, na altura colónia portuguesa na altura, data do século XIX;
  • Segundo grupo, na segunda metade do séc. XIX, resultante do fluxo de comerciantes indianos provenientes de Diu em direcção às províncias de Inhambane e Lourenço Marques.

Locais de culto em Portugal[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Costa, Catarina (2015). Dharma – O destino é de quem nele acredita: estratégias de manutenção do matrimónio hindu em diáspora, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa
  2. Costa, Catarina (2015). Dharma – O destino é de quem nele acredita: estratégias de manutenção do matrimónio hindu em diáspora, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Trovão, Susana (2001) De Moçambique a Portugal. Reinterpretações identitárias do Hinduismo em viagem, Lisboa, Fundação Oriente, 373 pags.
  • Trovão, Susana; Rosales, Marta (ed.) (2010) Das Índias. Gentes, movimentos e pertenças transnacionais, Lisboa, Edições Colibri, 207 pags.
  • Lourenço, Inês (2009) Os Corpos da Devi. Religião e Género em Diáspora, Dissertação de doutoramento em Antropologia, ISCTE-IUL.