Grupo Bandeirantes de Comunicação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grupo Bandeirantes de Comunicação
Razão social Rádio e Televisão Bandeirantes S.A.
Tipo Empresa de capital fechado
Gênero Mídia
Fundação 6 de maio de 1937 (80 anos)
Fundador(es) João Jorge Saad[nota 1]
Sede São Paulo, SP
Presidente Johnny Saad
Vice-presidente
  • Marcelo Meira
  • (vice-presidente executivo)
  • Paulo Saad Jafet
  • (vice-presidente de canais pagos)
  • Mário Baccei
  • (vice-presidente de rádio)
  • Diego Guebel
  • (vice-presidente de televisão)
  • André Aguera
  • (vice-presidente de rede)
Empregados 5.400 (2011)
Produtos
Faturamento R$ 1,4 bilhão (2011)
Website oficial band.com.br

Grupo Bandeirantes de Comunicação (comumente referido apenas como Grupo Bandeirantes) é um conglomerado de mídia brasileiro criado a partir da inauguração da Rádio Bandeirantes, primeiro veículo de comunicação do grupo, no dia 6 de maio de 1937.[2][3][5][10] Seu fundador é o empresário paulista João Jorge Saad,[nota 1] que assumiu o comando da emissora de rádio das mãos de seu sogro, o político Ademar de Barros.[1][2] O conglomerado é atualmente presidido por Johnny Saad, filho de João Jorge, que desde o falecimento de seu pai, em 1999, assume essa função na empresa.[11][12]

A empresa atualmente é composta por duas redes de televisão aberta, um canal aberto via satélite, quatro canais de televisão por assinatura, cinco redes de rádio, cinco estações de rádios locais independentes, duas publicações impressas, uma gravadora, negócios de eventos e de tíquetes, empresas de mídia digital, uma empresa distribuição de mídia, além de atuar com o mercado de out of home.

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Fotografia de Ademar de Barros.

A história do Grupo Bandeirantes de Comunicação inicia-se com a criação da PRH-9, Sociedade Bandeirante de Radiofusão, fundada por José Nicolini em 6 de maio de 1937, na cidade de São Paulo.[2][5][13][14] A emissora foi criada por Nicolini, seguindo seu sonho, para "lançar aos ares de Piratininga as ondas sonoras de programas finamente escolhidos".[2][13] A emissora posteriormente adotou o nome "Rádio Bandeirantes", no plural, e foi vendida ao empresário da mídia Paulo Machado de Carvalho em 1945, fazendo com que a rádio fisese parte do grupo das Emissoras Unidas.[2][13][15]

Dois anos após a aquisição da emissora por Paulo Machado de Carvalho, em 1947, a rádio é novamente vendida, dessa vez para o político paulista Ademar de Barros.[16] No mesmo ano, Ademar de Barros transfere o controle da rádio para seu cunhado, o empresário João Jorge Saad.[16] Saad, que trabalhava como mascate, só assumiu a emissora após muita insistência de seu sogro.[16] A rádio passa a ser definitivamente de Saad em 1951.[16]

Décadas de 1950 e 1960[editar | editar código-fonte]

O jogador de futebol Pelé no final da copa de 1958, que foi transmitida pela Cadeia Verde Amarela.

A história do grupo com a televisão se inicia em 1952, quando o governo federal, comandado por Getúlio Vargas, outorga ao grupo uma concessão para a instalação de uma estação de televisão em São Paulo.[17] Tal concessão, embrião da futura TV Bandeirantes, foi revogada no governo de Juscelino Kubitschek, mas ela acabou sendo recuperada em 1964, durante o governo João Goulart.[16]

Para transmitir a Copa do Mundo FIFA de 1958, a Rádio Bandeirantes forma a Cadeia Verde Amarela, uma rede de emissoras de rádio independentes que foi criada com o objetivo principal de transmitir as partidas da competição futebolística.[15][18] A rede integrou, na época, 400 emissoras de rádio em todo o país e atingiu 90% da audiência em São Paulo, o maior índice de audiência marcado na história da emissora.[19]

Vista aérea do Jardim Leonor, no distrito do Morumbi, bairro em que o Edifício Radiantes é situado.

Em 1961, a construção do Edifício Radiantes, localizado no distrito do Morumbi, é iniciada.[2][15][16] O edifício, que foi apelidado como "Palácio Encantado", foi o primeiro prédio projetado para abrigar uma estação de televisão na América Latina.[15][16] A Rádio Bandeirantes se muda para o local em 1965.[19][20] A construção é inaugurada definitivamente em 1967, quando a TV Bandeirantes entra no ar.[2][16][21]

Dois anos após a sua inauguração, o edifício sofre um incêndio de grandes proporções, que atinge fortemente os seus equipamentos.[2][16] O prejuízo do incêndio para a TV Bandeirantes foi muito grande, devido a emissora não ter feito um seguro.[16] A emissora se manteve no ar com um caminhão de externas, e transmitiu seu próprio incêndio.[2][15] Para repor o que foi perdido no incêndio, a emissora compra novos equipamentos, mais modernos e em cores.[2][16]

Décadas de 1970 e 1980[editar | editar código-fonte]

As transmissões definitivas em cores se iniciam em 1972, em cadeia com as outras emissoras, que transmitiram a Festa da Uva direito de Caxias do Sul.[2][15][16] Para transmitir em cores, a TV Bandeirantes contou com apoio da rede norte-americana NBC, que lhe ofereceu o seu famoso pavão para o ajuste de cores dos televisores em suas transmissões.[15] Para divulgar que está transmitindo em cores, a emissora usa a frase "A imagem colorida de São Paulo" como slogan.[2]

Já em 1974, o Teatro Bandeirantes, situado na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, é inaugurado.[15] O espaço foi criado para abrigar os musicais produzidos pela TV Bandeirantes, que havia aumentando o espaço para programa do gênero em sua programação.[15] No ano seguinte, entra no ar a rádio Bandeirantes FM, hoje conhecida como Band FM, sendo uma das primeiras emissoras de rádio FM que entraram no ar.[22]

Ainda em 1975, a TV Vila Rica, de Belo Horizonte, é adquirida pelo grupo.[21][23] Como a adquisição da emissora mineira, inicia-se o processo de formação e de expansão da Rede Bandeirantes.[21][23] A expansão da rede começa a se estender com a fundação da TV Guanabara, que foi inaugurada pelo grupo no Rio de Janeiro, em 1977.[15][23] As transmissões para a rede através de satélite começam a serem feitas em 1982.[23] A emissora passa a adotar o nome "Band" em 1989, junto com o lançamento de uma nova marca.[23][24] No mesmo ano, é criada a Bandsat, primeira rede de rádio via satélite do Brasil.[19]

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

Imagem aérea da Torre da Band, de onde se transmitem os sinais de rádio e TV do grupo em São Paulo. A construção foi inaugurada em 1996.

No início da década de 1990, a Rádio São Paulo é vendida para o bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, que tinha acabado de comprar a Rádio e TV Record.[25][26][27] Seis anos depois, em 1996, entra no ar o Canal 21 pelo sinal aberto em UHF, na cidade de São Paulo.[28][29] No final do mesmo ano, a nova torre de transmissão do grupo em São Paulo, chamada de Torre da Band, é inaugurada.[30]

Em 1998, é fundada a operadora de televisão por assinatura TV Cidade, numa sociedade formada junto com o Jornal do Brasil, com o SBT e com as empresas norte-americanas Horizon e Adelphia.[31][32] A operadora foi uma das primeiras empresas a aturarem fora dos sistemas TVA e NET no mercado de TV a cabo.[31] No ano seguinte, o empresário João Jorge Saad vem a falecer, em decorrência de um câncer generalizado.[33][34] Dessa forma, os negócios do grupo passaram a ser administrados por seu filho, João Carlos Saad, mais conhecido como Johnny.[11][12]

Década de 2000[editar | editar código-fonte]

O Canal 21 inicia a criação de sua rede, em 2000, com a afiliação da TV Super, de Belo Horizonte.[35] No ano seguinte, com a criação da central de jornalismo do grupo, o canal de notícias BandNews TV é lançado na televisão por assinatura.[15][36] Um segundo canal por assinatura, o BandSports, com uma programação voltada ao esporte, é lançado em 2002.[36][37]

Ônibus usado pelo canal BandSports durante os Jogos Olímpicos de Verão de 2012, em Londres, Reino Unido.

Em 2003, o Canal 21 passa a se denominar Rede 21.[38][39] No ano seguinte, o grupo adquire a Rádio Sucesso de São Paulo, concorrente direta da Band FM.[40] A emissora foi transformada em uma filial da nova cadeia de emissoras do grupo, a BandNews FM, rede de rádio all news lançada em 2005.[2][41] No mesmo ano, a rádio Nativa FM, do Grupo Camargo de Comunicação, é incorporada pela empresa.[42] E no mesmo ano, o grupo lança um novo canal, o TV Terra Viva.[36][43]

Numa parceira com a Gamecorp, a PlayTV é lançada em 2006, substituindo a Rede 21.[44] No mesmo ano, fruto de uma parceria com a Gradiente e a TVA, a Band transmite pela primeira vez em alta definição, tendo a Copa do Mundo FIFA de 2006 como o primeiro evento a ser exibido no formato pela emissora.[45][46] No ano seguinte, a Rádio SulAmérica Trânsito é criada, resultado de uma parceira com a MPM Propaganda e a SulAmérica Seguros.[2] Também é lançado o Metro Jornal, através de uma joint venture com a empresa sueca Metro International.[47]

Um rapaz distribuindo uma edição do jornal Metro em São Petersburgo, Rússia, em 2007. O jornal foi lançado no mesmo ano no Brasil.

Ainda em 2007, a Band Internacional inicia suas transmissões nos Estados Unidos, após o canal ter sido incluído no line-up da operadora via satélite DirecTV.[48] A One Brasil é fundada no mesmo ano.[49] No final desse ano, a Band inicia as suas transmissões digitais na cidade de São Paulo, em um pool formado com as outras emissoras paulistanas, que também inciaram as suas transmissões digitais.[50][51]

Após um escândalo envolvendo a Gamecorp, em 2008, o grupo cancela o contrato de dez anos que tinha com a empresa, fazendo que a Rede 21 volte ao ar.[52][53] Meses depois, o grupo fecha contrato para ceder 22 horas da programação do 21 para a Igreja Mundial do Poder de Deus.[54] No mesmo ano, a rádio Stereo Vale FM é incorporada pelo grupo.[55] Também é lançada a rádio Mit FM, com os naming rights da montadora de automóveis Mitsubishi Motors e com participação da agência de publicidade Africa.[56][57] No mesmo ano, a BandNews FM Campinas é lançada.[58] A TV Minuto é adquirida pelo grupo ainda em 2008.[59]

Em 2009, o grupo cria a holding Outernet, com o objetivo de reunir todos os seus negócios de de mídia out of home.[59][60] Também é criado o portal de internet eBand, que concentra todos os veículos do grupo na web.[61][62] Ainda no mesmo ano, o canal pago Sexprivé é criado em parceira com a produtora de filmes pornográficos Brasileirinhas e a Band Internacional é lançada em Angola.[36][63]

Leila Lopes, vencedora do concurso do Miss Universo de 2011, que foi organizado e transmitdo pelo grupo.

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

A cidade paulista de Ribeirão Preto passa a contrar com filiais das rádios Bandeirantes e BandNews FM a partir de 2010.[64][65] Também é criada a Enter, empresa especializada em eventos.[66] A nova empresa passa a organizar a São Paulo Indy 300, nova etapa da Fórmula Indy, feita no Brasil.[67] Ainda no mesmo ano, a Band transmite pela primeira vez em três dimensões (3D), em parceria com a NET e a Sony.[68][69] No final do ano, o grupo adquire o controle acionário da TV Cidade, que no ano seguinte passa a se chamar Sim TV.[70][71][72]

O portal eBand é substituído por um novo, chamado Band.com.br, em 2011.[73] Também em 2011, o grupo organiza e transmite para todo o mundo a edição de 2011 do Miss Universo, que na ocasião foi realizado no Brasil.[74][75] Ainda no mesmo ano, o grupo adquire o controle da Editora Haple, que publica o jornal de classificados Primeiramão.[76][77] A nova iluminação da Torre da Band, desenvolvida pela Philips, é lançada no mesmo ano.[78] A Band Internacional é lançada no Paraguai.[63]

Em 2012, após a Mitsubishi Motors rescindir o contrato que tinha com o grupo, a rádio Mit FM encerra suas atividades.[79] No mesmo ano, o grupo adquire a rádio MPB FM, do Rio de Janeiro.[80][81] O novo canal pago do grupo, o Arte 1, também é lançado no mesmo ano.[82][83] A empresa fecha uma parceria, no mesmo ano, com o provedor de internet UOL, que envolve infraestrutura e conteúdo.[84] Também é lançada uma nova rede de rádio, a Bradesco Esportes FM, criada em parceria com o banco Bradesco.[85][86]

Empresas do grupo[editar | editar código-fonte]

Radiodifusão[editar | editar código-fonte]

Televisão aberta[editar | editar código-fonte]

Televisão por assinatura[editar | editar código-fonte]

Redes de rádio[editar | editar código-fonte]

Emissoras independentes[editar | editar código-fonte]

Mídia impressa[editar | editar código-fonte]

Mídia digital[editar | editar código-fonte]

Out of home[editar | editar código-fonte]

  • Otima — joint venture com a Odebrecht, Kalítera Engenharia e APMR Investimentos e Participações, responsável pelo mobiliário urbano dos pontos de ônibus da cidade de São Paulo.[111]
  • Outernet — principal empresa de out of home do grupo, que atua com diversas outras empresas.[59]

Outras empresas[editar | editar código-fonte]

  • Band Content Distribuition — distribuição de conteúdos.[113]
  • Band Music — gravadora.[114]
  • Enter — promotora de eventos.[115]
  • payleven — empresa de pagamentos online.[116]
  • TkT1 — venda de ingressos.[117]

Notas

  1. a b A data de fundação do grupo é considerada a partir da data de inauguração da Rádio Bandeirantes, que foi fundada por José Nicolini em 1937, mas o Grupo Bandeirantes considera João Jorge Saad como sendo o seu fundador.[1][2] Saad só viria a assumir a emissora em 1.º de julho de 1947.[2]
  2. Apesar de ser considerado um veículo de televisão por assinatura pela Bandeirantes, o Terra Viva é um canal de televisão aberta por manter seu sinal descodificado no satélite e possuir uma emissora que transmite seu sinal aberto por cerca de 11 horas em São Paulo, além de exibi-lo por streaming pela internet sem cobrar pagamentos ou exigir a assinatura de um serviço de televisão paga.[90]

Referências

  1. a b «Institucional» (PDF). Grupo Bandeirantes de Comunicação. 20 de abril de 2012. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p Thell de Castro (maio de 2007). «70 anos de história». Tele História. Consultado em 27 de dezembro de 2016. Arquivado do original em 29 de junho de 2007 
  3. a b «História». Grupo Bandeirantes de Comunicação. Consultado em 9 de abril de 2016 
  4. «Rádio e Televisão Bandeirantes S.A.». Junta Comercial do Estado de São Paulo. Consultado em 10 de abril de 2016 
  5. a b c Igor Ribeiro (4 de maio de 2012). «Band 75 anos: mais de 30 marcas e R$ 1,4 bi». Meio&Mensagem. Consultado em 10 de abril de 2016 
  6. Flávio Ricco; José Carlos Nery (29 de dezembro de 2015). «Bandeirantes faz operação financeira de R$ 250 milhões». Coluna do Flávio Ricco. UOL. Consultado em 10 de abril de 2016 
  7. Flávio Ricco; José Carlos Nery (7 de janeiro de 2016). «Grupo Bandeirantes sofre nova reestruturação em sua direção». Coluna do Flávio Ricco. UOL. Consultado em 10 de abril de 2016 
  8. «Quem faz». Grupo Bandeirantes de Comunicação. Consultado em 10 de abril de 2016. Arquivado do original em 7 de março de 2016 
  9. «Diego Guebel assume a vice-presidência de Televisão do Grupo Bandeirantes». Tela Viva. 14 de julho de 2016. Consultado em 14 de julho de 2016 
  10. Milton Parron (29 de abril de 2015). «Uma história que nasceu há 78 anos». Memória com Milton Parron. Band.com.br. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  11. a b Marcos Júnior. «Johnny Saad». Que Fim Levou?. Terceiro Tempo. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  12. a b «Johnny Saad». ISTOÉ Dinheiro. 2 de dezembro de 2011. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  13. a b c «Nenê de Vila Matilde». Carnaval Paulista. Flogão. 31 de julho de 2007. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  14. «Inaugura-se hoje uma nova estação de rádio paulistana». Folha da Manhã (4029). 1 páginas. 6 de maio de 1937. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  15. a b c d e f g h i j k Elmo Francfort (5 de outubro de 2001). «O canal dos Bandeirantes». Sampa Online. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  16. a b c d e f g h i j k l «Dono do "palácio encantado" começou como mascate». Ilustrada. Folha de S.Paulo. 11 de outubro de 1999. Consultado em 27 de dezembro de 2016 
  17. «DECRETO Nº 30.945, DE 5 DE JULHO DE 1952». Senado Federal. Consultado em 27 de dezembro de 2016 
  18. Carlos Massaro (3 de junho de 2013). «Rádios do Grupo Bandeirantes formam rede para transmissão de amistoso da Seleção Brasileira». Tudo Rádio. Consultado em 27 de dezembro de 2016 
  19. a b c «Rádio Bandeirantes completa 70 anos». Bastidores do Rádio. 4 de maio de 2007. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  20. Luiz Carlos Gondim. «REQUERIMENTO Nº 1195, DE 2012» (Microsoft Word). Assembleia Legislativa de São Paulo. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  21. a b c Felipe Van Deursen (18 de abril de 2011). «Como se consegue a concessão para operar um canal de TV no Brasil?». Mundo Estranho. Consultado em 28 de dezembro de 2016. (...) A TV Bandeirantes, lançada em São Paulo em 1967, compra a TV Vila Rica, de Belo Horizonte, e se transforma em Rede Bandeirantes (...) 
  22. Thomaz Rafael (1 de outubro de 2016). «Conheça o trabalho de Murillo Huada à frente da Band FM». Portal Sucesso. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  23. a b c d e «Parabéns, Band!». Pró-TV. 14 de maio de 2012. Consultado em 28 de dezembro de 2016. Arquivado do original em 3 de julho de 2015 
  24. Marcelo Tomaz (maio de 2007). «Especialista avalia evolução da marca da Band». Tele História. Consultado em 15 de janeiro de 2017. Arquivado do original em 21 de fevereiro de 2010 
  25. Jadir Gonçalves Rodrigues. «Política, carisma, poder e mídia: Lógicas interpretativas da Igreja Universal do Reino de Deus» (PDF). Universidade Federal de Goiás. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  26. «Morre o homem que vendeu a Rede Record ao Pastor Edir Macedo». d24am.com. 15 de setembro de 2010. Consultado em 29 de dezembro de 2016. (...) Paulinho comandou a Record até 1990, quando a emissora passou às mãos de Edir Macedo (...) 
  27. «Corpo de "Paulinho" é velado em São Paulo». Jovem Pan Online. UOL. 29 de dezembro de 2016. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  28. a b Daniel Castro (21 de setembro de 1996). «Novo Canal 21 entra no ar hoje à noite com transmissão-teste». Ilustrada. Folha de S.Paulo. Consultado em 9 de abril de 2016 
  29. a b Daniel Castro (18 de fevereiro de 2016). «Band pede R$ 1 bilhão para vender canal de TV à Igreja Universal». Notícias da TV. UOL. Consultado em 9 de abril de 2016 
  30. «Bandeirantes exibe réveillon da Paulista». Ilustrada. Folha de S.Paulo. 31 de dezembro de 1996. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  31. a b Elvira Lobato (21 de dezembro de 1998). «Novos operadores assumem TV a cabo». Folha de S.Paulo. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  32. Flávio Ricco; José Carlos Nery (13 de maio de 2016). «TV Band é a menos responsável pela crise do Grupo Bandeirantes». Coluna do Flávio Ricco. UOL. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  33. Cristian Avello Cancino (11 de outubro de 1999). «Morre João Saad, criador da Bandeirantes». Ilustrada. Folha de S.Paulo. Consultado em 16 de janeiro de 2016 
  34. «Perfil de João Jorge Saad». Tele História. Maio de 2007. Consultado em 15 de janeiro de 2017. Arquivado do original em 21 de fevereiro de 2010 
  35. Daniel Castro (20 de junho de 2000). «Canal 21 fecha acordo e quer virar rede nacional». Ilustrada. Folha de S.Paulo. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  36. a b c d e f g h Maurício Araújo (14 de julho de 2014). «2001: O nascimento da Band programadora». TV Magazine. Consultado em 9 de abril de 2016 
  37. «BandSports oferece cardápio alternativo». ISTOÉ Gente. 27 de maio de 2005. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  38. «A nova Rede 21». Rede 21. Consultado em 28 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 23 de novembro de 2005 
  39. «Rede 21 estréia programação em rede nacional». Área Vip. 19 de agosto de 2003. Consultado em 28 de dezembro de 2016 [ligação inativa] 
  40. «26/09/2004 a 02/10/2004». Blog da Magaly Prado. UOL. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  41. a b Diego Junqueira. «Notícia é tudo». Portal da Comunicação. UOL. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  42. a b «Grupo Bandeirantes e Grupo Camargo fazem incorporação de rádios». Portal da Comunicação. UOL. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  43. «Canal Terraviva, do Grupo Bandeirantes, estréia dia 8 na Sky». UOL. 2 de agosto de 2005. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  44. «Lulinha troca nome da Rede 21 para PlayTV». Ilustrada. Folha de S.Paulo. 13 de abril de 2006. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  45. Agência Estado (26 de abril de 2006). «Gradiente, Band e TVA exibirão Copa em alta definição». O Estado de S. Paulo. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  46. Taís Fuoco (26 de abril de 2006). «Gradiente, TVA e Band se unem para transmitir jogos da Copa em alta definição». UOL. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  47. a b «Metro Publisher será lançado em abril». Propmark. 7 de fevereiro de 2007. Consultado em 9 de abril de 2016 
  48. Samuel Possebon (29 de maio de 2007). «Band Internacional e Bandnews chegam aos EUA via DirecTV». Tela Viva. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  49. «One Brasil Mídia Interativa S.A.». Junta Comercial do Estado de São Paulo. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  50. «TV digital será lançada neste domingo em São Paulo». Coletiva.net. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  51. «TV digital - NOTÍCIAS - TV digital estréia em São Paulo com transmissão de emissoras abertas». G1. Globo.com. 2 de dezembro de 2007. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  52. Daniel Castro (29 de dezembro de 2016). «Band rompe com empresa de filho de Lula». Outro Canal. Folha de S.Paulo. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  53. «Insatisfeita com parceria, Band rompe acordo com empresa de filho de Lula». Portal Imprensa. 13 de junho de 2008. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  54. Venício A. de Lima (23 de novembro de 2008). «Estado laico e radiodifusão religiosa». Observatório da Imprensa. Consultado em 16 de janeiro de 2016 
  55. Daniel Starck (20 de outubro de 2014). «Exclusivo: Stereo Vale FM já atua com grade popular em São José dos Campos». Tudo Rádio. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  56. Rodrigo Oliveira (3 de junho de 2008). «Exclusivo - Rádio Mitsubishi: a novidade do Grupo Bandeirantes». Tudo Rádio. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  57. Thiago Vinholes (25 de junho de 2008). «Mitsubishi no rádio». Autoesporte. Globo.com. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  58. Daniel Starck (23 de setembro de 2008). «Exclusivo: Bandnews estréia dia 6 em Campinas». Tudo Rádio. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  59. a b c Keila Guimarães (10 de julho de 2012). «Mídia out of home cresce com grupos». Propmark. Consultado em 9 de abril de 2016 
  60. «Band Outernet S.A.». Junta Comercial do Estado de São Paulo. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  61. Thiago Rosa (7 de julho de 2009). «Grupo Bandeirantes lança portal de conteúdo na internet». Portal Imprensa. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  62. «eBand: Grupo Bandeirantes Lança Portal». TV Magazine. 11 de julho de 2009. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  63. a b Lincoln de Brito (9 de novembro de 2016). «Val Marchiori estreia programa na Band Internacional». TV Magazine. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  64. «Rádio Bandeirantes e BandNews FM chegam a Ribeirão Preto». Bastidores do Rádio. 23 de março de 2010. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  65. Carlos Massaro (29 de março de 2010). «BandNews FM segue com programação especial para estréia em Ribeirão Preto». Tudo Rádio. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  66. «Grupo Bandeirantes de Comunicação cria empresa especializada em grandes eventos». Band.com.br. UOL. 20 de dezembro de 2010. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  67. «Mídia e mercado - 09 de março de 2010». Mídia e Mercado por Dídimo Effgen. Folha Vitória. 9 de março de 2010. Consultado em 29 de dezembro de 2016. (...) O Grupo Bandeirantes, em conjunto com a Prefeitura de São Paulo, serão os promotores do evento, batizado de “São Paulo Indy 300” (...) 
  68. «NET e Band farão transmissão da Fórmula Indy ao vivo em HD 3D para São Paulo» (PDF). NET. 12 de março de 2010. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  69. «Formula Indy em São Paulo será transmitida em 3D». Olhar Digital. UOL. 11 de março de 2010. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  70. Samuel Possebon (9 de agosto de 2010). «Bandeirantes compra participação de sócios na operadora de cabo TV Cidade». Tele Time. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  71. «Grupo Bandeirantes reestrutura TV Cidade e lança nova marca». Tela Viva. 3 de janeiro de 2011. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  72. «Band, a grande perdedora da 12.485». Blog do Gindre. 21 de maio de 2012. Consultado em 16 de janeiro de 2016 
  73. Bárbara Sacchitiello (28 de junho de 2011). «A nova cara da Band na internet». Meio&Mensagem. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  74. «Brasil sediará Miss Universo 2011». Guia da Semana. 20 de dezembro de 2010. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  75. «Em 2011, SP vai sediar escolha da Miss Universo». Destak. 20 de dezembro de 2010. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  76. a b «Grupo Bandeirantes assume o Primeiramão». Band.com.br. UOL. 27 de agosto de 2011. Consultado em 10 de abril de 2016 
  77. a b «Primeiramão agora é do Grupo Bandeirantes». Adnews. 25 de agosto de 2011. Consultado em 10 de abril de 2016 
  78. «Band inaugura nova iluminação de torre de transmissão». Philips. 6 de junho de 2011. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  79. Bárbara Sacchitiello; Nathalie Ursini (14 de fevereiro de 2012). «Rádio Mit FM encerra atividades». Meio&Mensagem. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  80. Bárbara Sacchitiello (13 de junho de 2012). «MPB FM passa para o comando da Band». Meio&Mensagem. Consultado em 9 de abril de 2016 
  81. «MPB FM 90,3 é nova integrante da Band». Band.com.br. UOL. 11 de junho de 2012. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  82. Lizandra de Almeida (4 de junho de 2012). «Canal Arte 1 nasce para cumprir cotas na TV por assinatura». Tela Viva. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  83. Bárbara Sacchitiello (6 de novembro de 2012). «Novo canal da Band leva arte ao ar». Meio&Mensagem. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  84. «UOL e Band fazem parceria em conteúdo e infraestrutura». Mercado. Folha de S.Paulo. 18 de outubro de 2012. Consultado em 16 de janeiro de 2016 
  85. Felipe Collins Figueiredo (12 de maio de 2012). «Bradesco Esportes FM estreia programação». Propmark. Consultado em 16 de janeiro de 2016 
  86. Anderson Cheni (8 de agosto de 2014). «Sem muito alarde, Bradesco Esportes FM "reestreia" no dial». Comunique-se. Consultado em 9 de abril de 2016 
  87. a b c «TV». Grupo Bandeirantes de Comunicação. Consultado em 9 de abril de 2016. Arquivado do original em 22 de agosto de 2016 
  88. Núria Coelho (23 de junho de 2005). «Grupo Bandeirantes lança o canal Terra Viva». Portal Imprensa. Consultado em 9 de abril de 2016 
  89. «Canal Terra Viva». Portofólio de Veículos. Meio&Mensagem. Consultado em 10 de abril de 2016 
  90. «O canal». TV Terra Viva. Consultado em 10 de abril de 2016 
  91. «Bandeirantes anuncia lançamento de novo canal». Band.com.br. UOL. 20 de março de 2013. Consultado em 9 de abril de 2016 
  92. Samuel Possebon (29 de maio de 2007). «Band Internacional e Bandnews chegam aos EUA via DirecTV». Tela Viva. Consultado em 9 de abril de 2016 
  93. Gustavo Martins (12 de agosto de 2008). «Canal erótico pago da Band e Brasileirinhas estréia em setembro». UOL. Consultado em 9 de abril de 2016 
  94. a b c d «Rádios». Grupo Bandeirantes de Comunicação. Consultado em 25 de março de 2017 
  95. «Quem Somos». BandNews FM. Consultado em 9 de abril de 2016 
  96. Ademir Medici (18 de julho de 2000). «Rádio Bandeirantes reconstitui sua história». Diário do Grande ABC. Consultado em 9 de abril de 2016 
  97. Bárbara Sacchitiello (11 de maio de 2012). «Rádio Bradesco Esportes entra no ar». Meio&Mensagem. Consultado em 28 de março de 2016 
  98. Amanda Martins (1 de junho de 2016). «A rádio Alpha FM já chegou ao Rio em 94.9». BandNews FM Rio de Janeiro. Consultado em 2 de junho de 2017 
  99. «Institucional». Band Vale FM. Consultado em 9 de abril de 2016 
  100. «Bandeirantes inaugura 1ª rádio brasileira nos EUA». Band.com.br. UOL. 10 de março de 2016. Consultado em 9 de abril de 2016 
  101. Luiz Gustavo Pacete (11 de fevereiro de 2016). «A estratégia do Grupo Bandeirantes nos EUA». Meio&Mensagem. Consultado em 28 de março de 2017 
  102. Carlos Massaro (5 de setembro de 2015). «Extra: Educadora FM chega aos 37 anos em Campinas e região». Tudo Rádio. Consultado em 9 de abril de 2016 
  103. Carmen Cagnoni (15 de setembro de 2007). «As marcas no dial». Portal da Comunicação. UOL. Consultado em 9 de abril de 2016 
  104. Daniel Starck (1 de julho de 2016). «Plantão: Rádio Trânsito surge em São Paulo após o fim da parceria com a SulAmérica Seguros». Tudo Rádio. Consultado em 1 de julho de 2016 
  105. «Tendência: São Paulo ganha outro jornal de distribuição gratuita». Portal Imprensa. 9 de março de 2007. Consultado em 9 de abril de 2016. [...] nos próximos meses, o Grupo Bandeirantes coloca no mercado editorial de jornais de distribuição gratuita [...] 
  106. Nonato Viegas (16 de outubro de 2015). «Câmara Empresarial do Tribunal de Justiça afirma que direito da marca é de outro jornal, o Metrô News». Época Negócios. Consultado em 9 de abril de 2016. [...] parceria da Bandeirantes com a empresa sueca Metro Internacional [...] 
  107. «Quem Somos». Primeiramão. Consultado em 10 de abril de 2016 
  108. «UOL e Band.com.br anunciam parceria inédita». Band.com.br. UOL. 16 de outubro de 2012. Consultado em 9 de abril de 2016 
  109. «Rádio Ipanema sairá do ar em FM a partir de 18 de maio». Entretenimento. Zero Hora. 11 de maio de 2015. Consultado em 9 de abril de 2016 
  110. «Com One Brasil, Band investe em games». Meio&Mensagem. 10 de maio de 2013. Consultado em 9 de abril de 2016. O Grupo Bandeirantes ampliou os investimentos na área de games. Por meio da One Brasil, sua empresa de mídia interativa [...] 
  111. «Consórcio cria marca para mobiliário de SP». Meio&Mensagem. 20 de abril de 2013. Consultado em 28 de março de 2017 
  112. Luiz Gustavo Pacete (2 de fevereiro de 2016). «Interação digital favorece out-of-home». Meio&Mensagem. Consultado em 28 de março de 2017 
  113. «Band e Avianca fecham parceria de conteúdo». Band.com.br. UOL. 1 de julho de 2013. Consultado em 9 de abril de 2016. [...] o Band Content Distribution, área responsável pela distribuição de conteúdos do Grupo Bandeirantes [...] 
  114. Maria Lucia Rangel (11 de abril de 1997). «Clipe». Ilustrada. Folha de S.Paulo. Consultado em 9 de abril de 2016 
  115. «Grupo Bandeirantes lança empresa de eventos». Propmark. 20 de dezembro de 2010. Consultado em 9 de abril de 2016 
  116. «Grupo Bandeirantes e payleven se unem». Band.com.br. UOL. 30 de setembro de 2014. Consultado em 9 de abril de 2016 
  117. Bárbara Sacchitiello (30 de julho de 2013). «Band investe no setor de tíquetes». Meio&Mensagem. Consultado em 9 de abril de 2016 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Wikinotícias Categoria no Wikinotícias
Wikidata Base de dados no Wikidata