Rede Bahia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Rede Bahia de Televisão.
Rede Bahia
Nome(s) anterior(es) Grupo TV Bahia (1985-1998)
empresa privada
Atividade mídia, construção civil, conteúdo e entretenimento, desenvolvimento de novos negócios
Fundação 5 de agosto de 1975 (47 anos)
Fundador(es) Antônio Carlos Magalhães
Sede Salvador, Bahia
Presidente Paulo Cesena
Pessoas-chave ACM Júnior
Paulo Cesena
Renata Correia
Empregados 1 100 (2012)[1]
Produtos televisão, rádio, jornal, internet
Subsidiárias Rede Bahia de Televisão
Bahia Eventos
Bahia FM
Bahia FM Sul
GFM
Jovem Pan FM Salvador
Jornal Correio
iBahia
Santa Helena Construtora
Acionistas Família Magalhães (66,67%)
Grupo EP (33,33%)
Website oficial redebahia.com.br

Rede Bahia é um conglomerado empresarial brasileiro sediado em Salvador, Bahia, fundado pela família Magalhães. Embora conhecido como conglomerado de mídia baiano, atua dentro e fora do estado da Bahia em diversos segmentos e teve início no setor de construção civil, com a Santa Helena Construtora.[1][2]

No segmento das comunicações, o grupo controla uma rede regional de seis emissoras de televisão aberta com cobertura em todos os municípios no estado,[1] sendo a primeira rede de televisão a cobrir toda a Bahia, 4 emissoras de rádio, um jornal diário e três portais eletrônicos, totalizando 14 veículos de comunicação.[2] Há ainda a Bahia Eventos, empresa de conteúdo e entretenimento organizadora de eventos como o Festival de Verão de Salvador, Festival de Inverno Bahia e a Festa Literária Internacional de Cachoeira (FLICA).[3][4]

História[editar | editar código-fonte]

Primórdios[editar | editar código-fonte]

O conglomerado teve início com a fundação, em 5 de agosto de 1975,[5] da Santa Helena Construtora pelo político baiano Antônio Carlos Magalhães. Suas atividades se situavam no mercado de empreendimentos voltados para um público de médio e alto padrão aquisitivo.[2] Três anos depois, em 20 de dezembro de 1978, a atuação empresarial entrou no ramo da comunicação com o jornal então chamado Correio da Bahia.[6] Com a fundação do jornal, foi fundada também a Gráfica Santa Helena, a gráfica responsável pela impressão do jornal Correio.[7] A empresa foi fechada em 2007, mas a estrutura para impressão do jornal foi mantida.[8]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Em 10 de março de 1985, foi inaugurada,[9] pelos empresários ACM Júnior e César Mata Pires,[10] a TV Bahia, emissora de televisão aberta sediada em Salvador, inicialmente afiliada à Rede Manchete,[11] e a partir de 23 de janeiro de 1987, à Rede Globo.[12] Depois, deu-se início a formação de uma rede de televisão em cidades estrategicamente posicionadas nas regiões do estado. Em 5 de novembro de 1988, foi inaugurada a TV Santa Cruz,[13] em Itabuna, sendo a primeira emissora de televisão de propriedade do grupo no interior do estado, também afiliada da Rede Globo. A TV Sudoeste foi a segunda, sendo inaugurada em 31 de março de 1990 em Vitória da Conquista.[14] A TV São Francisco entrou no ar em 1 de dezembro do mesmo ano em Juazeiro,[15] sendo chamada de TV Norte, e a TV Oeste foi a última a ser fundada pelo então Grupo TV Bahia, tendo entrado no ar em 2 de fevereiro de 1991, em Barreiras.[16]

A TV Subaé, de Feira de Santana, entrou no ar em 1 de junho de 1988, sendo a primeira emissora afiliada da Rede Globo no interior da Bahia,[17] mas não foi fundada pela Rede Bahia. Seu fundador foi o empresário feirense Modesto Cerqueira, assim pertencendo ao Grupo Modesto Cerqueira.[18] Somente em abril de 1998, a emissora passou a integrar a rede,[19] quando o grupo feirense vendeu parte de suas ações para sócios do grupo da TV Bahia.[20] No mesmo ano, em 2 de julho, a rede passou a se denominar oficialmente como Rede Bahia de Televisão, ao mesmo tempo em que o grupo midiático assumia a nomenclatura Rede Bahia.[21]

Em 31 de dezembro de 2000,[22] foi inaugurada a TV Salvador, emissora independente com programas locais próprios e produzidos por emissoras da Rede Bahia de Televisão.[23][24]

Rádio[editar | editar código-fonte]

O grupo entrou no ramo empresarial de rádio por meio da GFM, emissora de rádio sediada em Salvador e fundada em 20 de julho de 1988 como Globo FM.[25] Em 1 de dezembro de 1995,[26] foi fundada a Bahia FM Sul em Itabuna, com um formato similar a da coirmã soteropolitana e o nome de 102.1 FM Sul.

Em 2001, é fundada a Rede Tropical Sat, uma rede de emissoras de rádio estadual. A rede chegou a ter 19 afiliadas.[27] Em Salvador, transmitia sua programação por meio da emissora que opera na frequência 92.3 FM, hoje Salvador FM.[28] O projeto foi descontinuado em dezembro de 2005.

Em 1 de janeiro de 2007,[29] foi inaugurada a Bahia FM, também na capital baiana, com formato popular. Em 19 de março de 2010,[30] a última emissora de rádio do grupo foi fundada, a Jovem Pan FM Salvador, na época como CBN Salvador, afiliada à rede CBN.

Outros ramos[editar | editar código-fonte]

Palco 2017 do Festival de Inverno Bahia, promovido pela empresa iContent, integrante do grupo

A Rede Bahia foi composta por várias outras empresas, como a Bahia Cinema e Vídeo (produtora audiovisual),[31] Bahia Edições Musicais (editora musical),[32] Bahia Discos (gravadora),[33] MMDS Bahia (TV por assinatura, representante da NET no estado),[34][35] Pronto Call Center (telemarketing),[36] Pronto Express (distribuição),[36] Pronto Logística (logística),[37] e iLimit (desenvolvedora de websites).[38]

O grupo também manteve a Universidade Corporativa da Rede Bahia (Uniredebahia), universidade empresarial fundada em 19 de agosto de 2001,[39] a primeira do norte-nordeste brasileiro, pautada na gestão das competências.[40] Foi descontinuada em março de 2010.

Vendas[editar | editar código-fonte]

O grupo paulista Empresas Pioneiras, sediado em Campinas e controlador das Emissoras Pioneiras de Televisão (EPTV), comprou um terço das ações da Rede Bahia (pertencentes a César Mata Pires) em junho de 2012.[41][42] No mesmo ano, em março,[43] havia sido confirmada a venda da TV Salvador para um grupo empresarial evangélico,[44] e 1 ano depois, em 5 de março de 2013, a emissora encerra oficialmente sua programação, após a concretização da venda.[45] Em maio de 2013, foi oficializada a venda da MMDS Bahia para a Galaxy Brasil,[46] empresa controlada de forma indireta pela Sky Brasil,[47] em virtude da proibição de controle simultâneo de emissora de radiodifusão e de operadora de TV fechada no Brasil.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Carlos Augusto. «Rede Bahia apresenta novos sócios. Grupo EPTV assume 33% do capital da empresa, ficando 33% com o ex-senador ACM Junior e 33% com os herdeiros de Luís Eduardo Magalhães». Jornal Grande Bahia. Consultado em 4 de novembro de 2014. Arquivado do original em 13 de janeiro de 2016 
  2. a b c Morgado, Fernando (27 de junho de 2008). «Os maiores grupos de mídia do Brasil». Consultado em 12 de março de 2014. Arquivado do original em 12 de março de 2014 
  3. «iContent realiza Festival de Inverno Bahia e Vozes do Brasil no segundo semestre de 2014». ABMP. Consultado em 31 de agosto de 2015. Arquivado do original em 7 de janeiro de 2016 
  4. «iContent produz Festival Artes do Sagrado e amplia sua atuação na área cultural». ABMP. Consultado em 31 de agosto de 2015. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  5. «Santa Helena S A Incorporacoes e Construcoes». cnpj.info. Consultado em 27 de março de 2021 
  6. Guimarães, Gabriel (2009). «QUEBRA-QUEBRA DOS ÔNIBUS NOS JORNAIS IMPRESSOS DE SALVADOR: A polarização do jornalismo a partir da cobertura de manifestação popular durante período de transição política» (PDF). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Consultado em 27 de março de 2021 
  7. Luana Amaral. «Depois que acaba vem outro começo». Correio de Futuro. Consultado em 4 de novembro de 2014. Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2016 
  8. Luzbel, Ricardo (14 de Junho de 2007). «GRÁFICA SANTA HELENA FECHA». Bahia Notícias. Consultado em 29 de junho de 2015 
  9. «[Full HD] "Bahia Meio Dia" - 36 anos da TV Bahia (10/03/2021)». YouTube. Muito Além do BATV. 10 de março de 2021. Consultado em 27 de março de 2021 
  10. «Deputados baianos vão a Sarney denunciar Magalhães». Folha de S.Paulo: A-6. 14 de janeiro de 1987. Consultado em 27 de março de 2021 
  11. «BAHIA INAUGURA NOVA TV». Jornal do Brasil. 11 de janeiro de 1985. Consultado em 29 de novembro de 2021 
  12. «BAIANOS AINDA ESTÃO CONFUSOS TENDO A GLOBO EM DOIS CANAIS». Jornal do Brasil. 25 de janeiro de 1987. Consultado em 29 de novembro de 2021 
  13. «Conheça a TV Santa Cruz». TV Santa Cruz - Rede Bahia de Televisão. Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 10 de setembro de 2004 
  14. «TV Sudoeste completa hoje 29 anos contribuindo com o desenvolvimento de Vitória da Conquista e região». Blog de Giorlando Lima. 31 de março de 2019. Consultado em 27 de março de 2021 
  15. «TV São Francisco». www.redebahia.com.br. Consultado em 27 de julho de 2020 
  16. «TV Oeste». Rede Bahia. Consultado em 27 de março de 2021 
  17. «Conheça a TV Subaé». iBahia. TV Subaé. Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 11 de março de 2005 
  18. «Grupo MC». grupomc-gmc.blogspot.com. Consultado em 19 de maio de 2019 
  19. «TV BAHIA AMPLIA REDE». Meio & Mensagem. 20 de abril de 1998. Consultado em 29 de novembro de 2021 
  20. «TV Subaé comemora 20 anos e promete TV Digital para 2009». Jornal Grande Bahia. 7 de junho de 2008. Consultado em 10 de março de 2021 
  21. da Nova, Luiz Henrique (maio de 2003). «Eleições 2000: O príncipe do cotidiano da cidade da Bahia» (PDF). Universidade Federal da Bahia. Consultado em 2 de janeiro de 2022 
  22. «TV SALVADOR». Imóveis na TV. Consultado em 27 de março de 2021 
  23. «Nossos Programas - TV Salvador». TV Salvador. Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 28 de agosto de 2004 
  24. «TV Salvador». TV Salvador. Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 19 de janeiro de 2009 
  25. Bittencourt, Fábio (11 de julho de 2012). «Globo FM: rádio faz aniversário e realiza série de promoções». Correio 24 Horas. Consultado em 27 de março de 2021 
  26. Oliveira, Emília (14 de dezembro de 2010). «Mudanças marcam nova fase da rádio 102.1 Fm Sul». iBahia. Consultado em 27 de março de 2021 
  27. «Tropical Sat». iBahia. Consultado em 25 de julho de 2021. Arquivado do original em 3 de janeiro de 2002 
  28. «Rede Tropicalsat». Rede Bahia. Consultado em 25 de julho de 2021. Arquivado do original em 11 de janeiro de 2005 
  29. «RÁDIO BAHIA FM ENTRA NO AR E DISPUTA FICA MAIS ACIRRADA NO MERCADO». Bahia Já. 31 de dezembro de 2006. Consultado em 27 de março de 2021 
  30. «Rede Bahia vai administrar a mais nova rádio soteropolitana: CBN Salvador, prefixo 107, 7 frequência FM». Jornal Grande Bahia. 15 de março de 2010. Consultado em 27 de março de 2021 
  31. «Bahia Cinema & Vídeo / Salvador-Bahia-Brasil». ServNet. Bahia Cinema e Vídeo. Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 10 de julho de 1997 
  32. «Bahia Edições Musicais». Rede Bahia. Consultado em 25 de julho de 2021. Arquivado do original em 11 de maio de 2003 
  33. «Bahia Discos». Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 4 de maio de 2001 
  34. «NET». Rede Bahia. Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 16 de fevereiro de 2001 
  35. «MMDS Bahia». iBahia. Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 27 de abril de 2009 
  36. a b «Pronto Express». Rede Bahia. Consultado em 25 de julho de 2021. Arquivado do original em 11 de maio de 2003 
  37. «Pronto Logística». Rede Bahia. Consultado em 25 de julho de 2021. Arquivado do original em 15 de fevereiro de 2002 
  38. «ILIMIT Internet & Business». Ilimit. Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 9 de junho de 2002 
  39. «Rede Bahia lança hoje a Universidade de Negócios». Uniredebahia. Correio da Bahia. 19 de agosto de 2001. Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 7 de janeiro de 2002 
  40. «Missão e Princípios». Uniredebahia. Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 6 de maio de 2007 
  41. «Anunciada compra de 33% das ações da Rede Bahia pela EPTV». G1. 14 de junho de 2012. Consultado em 19 de junho de 2012 
  42. «EPTV formaliza compra de 33% da Rede Bahia». Via EPTV. A Cidade. 19 de junho de 2012. Consultado em 19 de junho de 2012. Arquivado do original em 31 de dezembro de 2012 
  43. Oliveira, Mary (1 de março de 2012). «EXCLUSIVO: TV Salvador é vendida a igreja». Gente & Mercado. Consultado em 12 de agosto de 2015. Arquivado do original em 24 de setembro de 2015 
  44. «TV Salvador é vendida a grupo de evangélicos». BNews. 1 de março de 2012. Consultado em 12 de agosto de 2015 
  45. «Último Fala Bahia TV - Editorial». falabahia. 5 de março de 2013. Consultado em 27 de março de 2021 – via YouTube 
  46. Hobaika, Marcelo (17 de maio de 2013). «ANÁLISE 303/2013». ANATEL. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  47. «Controle da MMDS Bahia passa para a Galaxy, controlada indiretamente pela Sky.». tele.síntese. 24 de maio de 2013. Consultado em 31 de agosto de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]