NSC Comunicação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NSC Comunicação
Razão social NC Comunicações S.A.
Tipo Subsidiária
Slogan Conteúdo que move é o que conta
Indústria Mídia
Fundação 16 de agosto de 2017 (6 meses)
Fundador(es) Carlos Sanchez
Sede Florianópolis, SC,  Brasil
Área(s) servida(s) Santa Catarina
Locais Florianópolis, Blumenau, Chapecó, Criciúma, Joaçaba, Joinville
Proprietário(s) Carlos Sanchez
Presidente Mário Neves (CEO)
Pessoas-chave
  • Carlos Sanchez
  • Leonardo Sanchez
  • Marcus Sanchez
Serviços
Holding Grupo NC
Subsidiárias NSC TV
Significado da sigla
  • Nossa
  • Santa
  • Catarina
Website oficial nsccomunicacao.com.br

A NSC Comunicação é um conglomerado de mídia brasileiro sediado em Florianópolis, SC. Foi criado em 2017 com o fim do processo de transição dos antigos veículos de comunicação pertencentes ao Grupo RBS para o Grupo NC em Santa Catarina, e seu surgimento se deu juntamente com a NSC TV, rede de televisão do grupo afiliada à Rede Globo. Fazem parte do grupo, além das 6 emissoras de televisão da NSC TV, 8 emissoras de rádio, 5 jornais e 3 portais de notícias, totalizando 22 veículos.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Grupo RBS

O Grupo RBS teve seu marco inicial em 3 de julho de 1957, quando Maurício Sirotsky Sobrinho e Frederico Arnaldo Ballvé adquirem a Rádio Gaúcha de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Em 29 de dezembro de 1962 é inaugurada a TV Gaúcha, embrião da RBS TV. Em 1970, é adquirida a Zero Hora, e em 1973 é criada a RBS Rádios, que englobaria várias emissoras de rádio juntamente com a Gaúcha ao longo das décadas seguintes.

No fim da década de 1970, a Rede Brasil Sul de Comunicações (nomenclatura antiga do grupo) já era o maior grupo de comunicação do estado, e é nesse contexto que eles iniciam sua expansão para Santa Catarina. Em 1º de maio de 1979, o grupo inaugura seu primeiro veículo, a TV Catarinense de Florianópolis. Da década de 1980, até meados da década de 2000, o grupo adquire e inaugura vários outros veículos de comunicação nas principais cidades do estado, e consolida sua posição também como o maior grupo de comunicação de Santa Catarina, detendo mais de 20 veículos de comunicação.

Transição e formação[editar | editar código-fonte]

O Grupo RBS começou a passar por problemas financeiros no ano de 2011, quando seus membros foram denunciados pelo Ministério Público por crimes contra o sistema financeiro nacional, dando início a Operação Zelotes, que também investigou outras 70 empresas (números até março de 2015) pelos mesmos motivos.[1][2] Entre 2014 e 2015, o grupo demitiu dezenas de funcionários nos dois estados, dando inicio a uma série de boatos sobre a venda dos seus veículos para outros grupos de comunicação.[3][4]

Em 2016, sites divulgaram informações que davam conta de uma venda das operações catarinenses da RBS TV e de outros veículos para o empresário Lírio Parisotto (proprietário do grupo Videolar).[5] O Grupo RBS inicialmente negou as informações através de comunicado oficial.[6] Porém um mês depois, em 7 de março, foi confirmada a venda por meio de reunião com funcionários de Florianópolis, na então sede do Diário Catarinense, e transmitida via videoconferência aos funcionários das filiais do interior. Além de Parisotto, Carlos Sanchez (proprietário do Grupo NC) também foi anunciado como novo proprietário dos veículos, dividindo a sociedade.[7][8][9] A venda das operações foi aprovada sem restrições pelo CADE em 15 de julho.[10] Parisotto posteriormente abandonou a sociedade em função de um escândalo pessoal com Luiza Brunet, deixando Carlos Sanchez e outros acionistas do Grupo NC como proprietários integrais do novo grupo de comunicação.[11]

Em outubro, o Grupo NC iniciou a descaracterização da antiga marca nos veículos. Eles deixaram de fazer menção à sigla "RBS" nos programas, vinhetas, fachadas de prédios, peças publicitárias, entre outros. Em 27 de fevereiro de 2017, o grupo extinguiu a TVCOM, emissora local da TV por assinatura, diminuindo para 21 o número de veículos a integrar o futuro conglomerado de mídia.[12]

Em 3 de maio de 2017, foi lançada durante o Jornal do Almoço da RBS TV uma votação popular para escolher o nome da futura rede de televisão e de suas emissoras, bem como da divisão de mídia do conglomerado do Grupo NC.[13] O telespectador poderia votar pela internet até 15 de maio em três nomes, desenvolvidos pela Interbrand: DNC (que significa DNA Catarinense), Lig (que significa Ligada em Santa Catarina) e NSC (que significa Nossa Santa Catarina).[14] O resultado foi divulgado no mesmo telejornal em 16 de maio, e deu como escolhida a última opção por 66,28% dos votos.[15]

Em 15 de julho, o Grupo NC realizou um evento para funcionários e colaboradores em Florianópolis, onde apresentou a marca da NSC Comunicação, futura subsidiária de comunicação do grupo, e confirmou sua estreia para o dia 16 de agosto. Um dia antes, será feito o lançamento da NSC TV, concluindo oficialmente a transição da antiga RBS TV, com a estreia de sua nova programação no dia seguinte.[16]

Em 31 de agosto, o grupo lançou a Versar, uma revista que passa a circular junto com os jornais durante o fim de semana, e é voltada para o lifestyle.[17] Em 11 de novembro, deixaram de circular as edições de sábado e domingo dos jornais A Notícia e Jornal de Santa Catarina, que juntamente com o Diário Catarinense, passaram a contar com uma edição única de fim de semana que circula aos sábados.[18]

Em 20 de dezembro, foi lançado o portal NSC Total, substituindo o ClicRBS SC. O portal reúne notícias, análises, opinião, esportes, entretenimento e serviços de Santa Catarina, com destaque para as regiões de Florianópolis, Joinville, Blumenau, Chapecó, Itajaí, Criciúma e Lages.[19]

Veículos[editar | editar código-fonte]

Sede da NSC TV e das rádios de Florianópolis, em 2010
Filial de Blumenau, em 2017
Filial de Joinville, em 2010

Televisão[editar | editar código-fonte]

Rádio[editar | editar código-fonte]

Mídia impressa[editar | editar código-fonte]

Internet[editar | editar código-fonte]

Antigos veículos[editar | editar código-fonte]

  • TVCOM SC (extinta durante o processo de transição)

Referências

  1. «Processado por crime financeiro, dono de afiliada da Globo pode pegar até quatro anos de prisão». R7. 20 de fevereiro de 2011. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  2. ALVES, Murilo Rodrigues; BRANDT, Fábio; FABRINI, Fábio (28 de março de 2015). «Empresas dizem não ter conhecimento da investigação da Operação Zelotes». O Estado de S. Paulo. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  3. «Nota conjunta contra a demissão em massa no Grupo RBS». Sul21. 6 de agosto de 2014. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  4. Renner, Maurício (5 de novembro de 2015). «RBS contrata Explorer para call center». Baguete. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  5. «SC: Jornalista da RIC Record divulga venda do Grupo RBS; empresa nega». NaTelinha - UOL. 5 de fevereiro de 2016. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  6. «Comunicado». Grupo RBS. 5 de fevereiro de 2016. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  7. «RBS anuncia venda das operações de mídia em Santa Catarina». Grupo RBS. 7 de março de 2016. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  8. «Grupo RBS anuncia de jornais, rádios e TV em Santa Catarina». Folha de S.Paulo. 7 de março de 2016. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  9. «Quem são e o que pensam os novos donos». Diário Catarinense. 7 de março de 2016. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  10. Rodrigues, Eduardo Frade (15 de julho de 2016). «Despacho SG Nº 853/2016». Sistema Eletrônico de Informações - CADE. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  11. Bergamo, Mônica (18 de agosto de 2016). «Lírio Parisotto deixa sociedade do Grupo RBS». Folha de S.Paulo. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  12. «SC: Grupo RBS/Globo encerra atividades da TVCOm após 17 anos». NaTelinha - UOL. 28 de janeiro de 2017. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  13. «Novo nome da RBS SC será escolhido por meio de votação popular». Acontecendo Aqui. 19 de abril de 2005. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  14. «Público vai decidir o novo nome da RBS TV em Santa Catarina». Diário Catarinense. 3 de maio de 2017. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  15. «NSC será o novo nome da RBS TV em Santa Catarina». Diário Catarinense. 16 de maio de 2017. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  16. «NSC inicia implantação da nova marca em Santa Catarina». Diário Catarinense. 15 de julho de 2017. Consultado em 17 de julho de 2017 
  17. Reis, Camille (31 de agosto de 2017). «Saiba mais sobre o lançamento da Versar, nova plataforma de conteúdo da NSC Comunicação». Diário Catarinense. Consultado em 11 de novembro de 2017 
  18. «Jornais da NSC Comunicação lançam Superedição de Fim de Semana». Diário Catarinense. 10 de novembro de 2017. Consultado em 11 de novembro de 2017 
  19. «NSC Comunicação lança portal com sete sites e conteúdo para cada região». Diário Catarinense. 19 de dezembro de 2017. Consultado em 21 de dezembro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikidata Base de dados no Wikidata