Widescreen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de 16:9)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Exemplo de imagem na proporção de tela widescreen.

Ecrã panorâmico (em inglês, widescreen) designa um ecrã de televisão, ou monitor, com uma projeção (de cinema ou outro meio) que apresenta um maior valor para a razão entre largura e altura do ecrã activo (a que exibe a imagem), do que o clássico formato pitagórico 4:3 (1,3[3] = 1,333...). Isso quer dizer que, por cada 1 cm de altura, a imagem tem uma largura de cerca de 1,33 cm.

Os formatos de ecrã panorâmico mais conhecidos são 1,77:1 (16:9), 2,33:1 (21:9) e 2,66:1 (cinemascope). Este último formato é mais comum em salas de exibição e projeção comercial de cinemas.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Os filmes feitos para serem passados em ecrã panorâmico foram criados nos Estados Unidos nos anos 50 que antigamente se chamava cinemascope, como reação à popularização das transmissões televisivas. Os aparelhos de televisão foram criados com o mesmo formato de imagem do cinema de então (4:3) e os estúdios para se diferenciar, criaram uma imagem mais próxima da visão humana (por ser mais larga – wide em inglês) através do sistema widescreen, que se popularizou entre os produtores cinematográficos, tornando-se majoritário (há filmes desde os anos 50 que continuam a ser produzidos no formato anterior por razões de economia) desde então.

Atualmente, o formato de ecrã panorâmico 16:9 é o formato utilizado na grande maioria das produções de conteúdos televisivos. A esmagadora maioria das televisões vendidas atualmente são televisões 16:9, e, muitas delas, de alta definição.

Vantagens dos formatos de ecrã panorâmico[editar | editar código-fonte]

Uma ecrã widescreen é a soma da parte amarela (antigo formato 4:3), acrescendo as laterais da parte vermelha. Com o formato 16:9, vê-se uma imagem maior (na verdade, mais larga: razão do "wide") do que com o formato 4:3.

Um ecrã widescreen oferece uma imagem alargada em relação ao 4:3. É ideal para se ver filmes tais quais eles foram planejados por seus criadores para esse formato. Muitos aparelhos como DVDs ou decodificadores oferecem o recurso de ajuste do tamanho do ecrã, seja para se "cortar" as bordas da imagem ou criar duas barras pretas acima e abaixo da imagem nas televisões 4:3.

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

As emissões de televisão em ecrã panorâmico surgiram nos anos 90 com recurso aos sistema analógico PALplus. Este sistema é uma extensão do padrão PAL de emissão para permitir as emissões analógicas em formato 16:9 compatíveis com televisores 4:3. Permitia a emissão em 576p25 e a manutenção das 576 linhas de resolução vertical do sinal original em aparelhos equipados com o respectivo decodificador.

Na maioria dos rafaeis (não compatíveis) a emissão era semelhante a um letterbox normal. No caso de a televisão ser já um modelo 16:9 (mesmo sem decodificador PALPlus), o sistema sinalizava o formato correto e permitia à televisão adaptar o formato, removendo as barras e restituindo uma imagem em proporções corretas e que ocupa todo o ecrã, se bem que com perda de resolução vertical.

Utilização em canais livres[editar | editar código-fonte]

RTP[editar | editar código-fonte]

A RTP iniciou as emissões neste formato em 5 de dezembro de 1997[1] através do sistema PALplus, utilizando-o para alguns programas e filmes. As emissões da TeleExpo criada especificamente para cobrir a Expo98 também recorreram maioritariamente a este formato.

A partir de meados de 2010 esta estação abandonou progressivamente a utilização do PAL Plus (que incluía sinalização para ampliar automaticamente a imagem em ecrãs 16:9) recorrendo ao simples letterbox, ou seja apenas colocando barras pretas em cima e embaixo da imagem mantendo-se no entanto o formato de emissão sinalizado com 4:3.

Em 2012 a RTP iniciou oficialmente emissões de teste na RTP 2 em 16:9 anamórfico. A primeira emissão totalmente em 16:9 foi no dia 27 de Abril, às 13h47, com o programa Zig Zag.

A 14 de Maio de 2012 começa a difusão integral no formato 16:9 do canal RTP 2.

A 8 de Junho de 2012 a RTP 1 surpreendeu ao emitir, sem ser previamente anunciado, a sessão de abertura e o jogo inaugural do Euro 2012 em 16:9. No mesmo dia, transmite um pequeno programa [2] a explicar os formatos panorâmicos.

A RTP Informação começou a emitir em 16:9 com a Volta à França. No dia 7 de julho de 2012, a RTP Informação emitiu o programa "Inovar é Fazer" em 16:9.

No dia 14 de janeiro de 2013, a RTP1 começou a emitir em 16:9 integral, aquando do começo de uma grelha de programação reformulada. De fora tinham ficado os programas de informação da RTP por na altura não ter havido reportagens suficientes em 16:9 de forma a que estas tivessem sido emitidas no novo formato.

Todos os canais e programação da RTP passaram a ser emitidos no formato panorâmico a partir de 13 de julho de 2015 exceto a RTP Madeira, que utiliza material antigo em comparação com os demais canais, apenas emite em 16:9 na emissão simultânea com a RTP3 (continuando com o DOG proporcionado em 4:3).

SIC[editar | editar código-fonte]

Este canal nunca emitiu em ecrã panorâmico até 2013, mas vários canais da SIC já transmitem em 16:9, sendo que:

- a SIC Mulher e a SIC Radical começaram a transmitir em 07/10/2013;

- a SIC K passou a transmitir no referido formato no dia do seu 4° aniversário, a 18/12/2013;

Desde o inicio do ano de 2015 que a SIC tem feito "testes" com as séries da madrugada transmitindo-as em anamórfico 16:9 sem flag. A 6 de setembro de 2015, passou em 16:9 com flag (embora com o DOG ainda proporcionado para 4:3) a gala de lançamento da novela Coração d'Ouro. A 7 de setembro de 2015, a referida novela foi emitida em 16:9 com flag e com o DOG com proporções 16:9, a primeira novela a emitir na SIC generalista neste formato. As emissões da SIC e da SIC Notícias (que ainda estavam por transitar) passaram a ser em 16:9 integral a 3 de outubro de 2015.

TVI[editar | editar código-fonte]

A TVI foi pioneira na sua utilização logo em 1994 (tendo recorrido à sua exibição), mas abandonou o sistema após pouco tempo.

Nunca os canais fechados da TVI emitiram em 16:9 mas o +TVI (já extinto) emitiu em 16:9 2 anos após o seu nascimento, Contudo os canais restantes e a TVI generalista começaram as emissões em 16:9 integral a 3 de outubro de 2015.

No resto da Europa[editar | editar código-fonte]

No resto da Europa, a grande maioria dos canais nacionais europeus são emitidos em 16:9.
Pelo menos na TDT inglesa (Freeview), na TDT francesa e na TDT suíça todos os canais são emitidos em 16:9, quer canais nacionais, quer canais locais.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Tecnologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.