TV Globo São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo.
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
TV Globo São Paulo
Globo Comunicação e Participações S.A.
São Paulo, SP
Brasil
Tipo Empresa privada
Canais Digital: 18 UHF
Virtual: 5 PSIP
Outros canais 05 e 205 HD (SKY)
24 e 524 HD (Claro TV)
204 HD e 205 (Vivo TV)
05 e 305 HD (Vivo TV Plus)
18 e 501 HD (NET São Paulo)
18 (NET ABC Paulista)
205 (GVT TV)
17 e 217 HD (TV Alphaville)
15 e 515 HD (Vivo TV Fibra)
Analógico:
05 VHF (1966-2017)
Sede Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, SP
Avenida Doutor Chucri Zaidan, 46 e 1901/ Rua Evandro Carlos de Andrade, 160 - Vila Cordeiro
MAPA
Slogan 24 horas ligada em São Paulo
Rede Rede Globo
Fundador Roberto Marinho
Pertence a Grupo Globo
Proprietário Roberto Irineu Marinho
Antigo proprietário Roberto Marinho (1966-2003)
Administração Grupo Globo
Acionista(s) Roberto Irineu Marinho (sócio presidente)
José Roberto Marinho e João Roberto Marinho (sócio majoritários)
Presidente Roberto Irineu Marinho
Fundação 24 de março de 1966 (51 anos)[nota 1]
CNPJ 27.865.757/0027-33
Prefixo ZYB 850
Nome(s) anteriore(s) TV Paulista (1952-1967)
TV Globo Paulista (1967-1968)
Emissoras irmãs Rádio Globo São Paulo
CBN São Paulo
Cobertura Cobertura - TV Globo São Paulo.svg
Coord. do transmissor 23° 34' 4.9" S 46° 39' 1.5" O
Potência 15 kW
Página oficial redeglobo.globo.com/sao-paulo

TV Globo São Paulo é uma emissora de televisão brasileira sediada em São Paulo, capital do estado homônimo. Opera no canal 5 (18 UHF digital), e é uma emissora própria da Rede Globo. Seus estúdios de produção e jornalismo ficam no bairro da Vila Cordeiro, além dos escritórios comerciais e administrativos, localizados em um edifício na mesma quadra (Edifício Jornalista Roberto Marinho), e seus transmissores ficam na Torre da Globo, no alto do Edifício Trianon Corporate, no Espigão da Paulista.

A emissora é co-geradora da Rede Globo, juntamente com a TV Globo Rio de Janeiro e a TV Globo Brasília (apenas no Bom Dia Brasil), cobre grande parte da Região Metropolitana de São Paulo e três cidades fora dela (Bom Jesus dos Perdões, Ibiúna e Nazaré Paulista), e é uma das treze emissoras da Rede Globo no estado de São Paulo, juntamente com as afiliadas EPTV Campinas, EPTV Central, EPTV Ribeirão, TV Diário, TV Fronteira Paulista, TV TEM Bauru, TV TEM Itapetininga, TV TEM São José do Rio Preto, TV TEM Sorocaba, TV Tribuna Santos, TV Vanguarda São José dos Campos e TV Vanguarda Taubaté.

História[editar | editar código-fonte]

A TV Paulista foi a antecessora da TV Globo São Paulo. Entrou no ar oficialmente em 14 de março de 1952, através do canal 5 VHF, foi criada pelo deputado Oswaldo Ortiz Monteiro, que "repassou" o controle da emissora em 1955 à Organização Victor Costa.

Depois de ganhar a concessão do canal 4 do Rio de Janeiro, o grupo de Roberto Marinho precisava de um canal em São Paulo para formar uma rede. Acabou comprando essa emissora em 24 de março de 1966. No primeiro momento o canal 5 operava como uma espécie de afiliada da TV Globo Rio de Janeiro. Mais tarde, o nome TV Paulista foi abandonado e a emissora passou a ter o mesmo nome da coirmã carioca como TV Globo Paulista em 24 de março de 1967 e TV Globo São Paulo em 24 de março de 1968 (Atualmente quem possui o direito do nome TV Paulista é o apresentador Augusto Liberato, o Gugu, para uma rede de retransmissoras, chamado Sistema TV Paulista).

A TV Globo São Paulo entrou em operação ocupando o mesmo edifício onde funcionava a TV Paulista, na Rua das Palmeiras, 315, no bairro Santa Cecília, que atualmente, é ocupado pelas Rádios Globo e CBN. Após um incêndio no prédio em 1969, a TV Globo de São Paulo foi transferida para estúdios separados na Praça Marechal Deodoro, 340 e Avenida Angélica, 424, no mesmo bairro, imóvel alugado onde permaneceu durante 30 anos e onde eram produzidos programas como TV Mulher, Balão Mágico, Globo Rural e o Jornal da Globo (esse último a partir de 1993). Em 1970, a TV Globo tinha escritório Comercial na Rua Canadá, no Jardim América, que mais tarde foi transferido para a Alameda Santos, onde também funcionava a Galeria Arte Global.

Instalações da emissora, em 2002

Em 29 de janeiro de 1999, a emissora mudou-se para os dois novos prédios de médio porte especialmente projetados e construídos para geração de jornalismo e entretenimento, na Avenida Doutor Chucri Zaidan, 46, no bairro da Vila Cordeiro. O jornalismo passou a contar com dois estúdios de 400 m², além da ampla redação sem paredes que passou a ser cenário do Jornal da Globo. O Jornal Hoje também passou a ser produzido em São Paulo (permanecendo em estúdio até julho de 2001). A inauguração contou com a presença de autoridades, incluindo o então Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, acompanhado pelo então presidente do Congresso Nacional, o deputado federal Antônio Carlos Magalhães (sócio da TV Bahia e de seus familiares) e oito ministros de estados (o secretário dos direitos humanos, José Gregori).[1]

Em outubro do mesmo ano, estreou o Mais Você, gerado de São Paulo até fevereiro de 2008, quando foi transferido para o Projac no Rio de Janeiro. Mais tarde, foi inaugurado o estúdio de shows com 600 m² para a gravação do Programa do Jô e posteriormente do Altas Horas. Em janeiro de 2004, alguns dos programas do Domingão do Faustão passaram a ser gravados em São Paulo, em domingos alternados.

Em 26 de abril de 2007, a emissora inaugurou ao lado dos seus estúdios o Edifício Jornalista Roberto Marinho, transferindo seu setor comercial do antigo escritório localizado na Alameda Santos.[2] O novo edifício abriga no último pavimento um "glass studio" com vista para a Ponte Octávio Frias de Oliveira, que é utilizado desde 12 de maio de 2008 nos telejornais locais da emissora e no Bom Dia Brasil.

Em 1° de dezembro de 2014, com a reformulação da grade matinal da Rede Globo, o Bom Dia São Paulo ganha mais 15 minutos e passa a ir ao ar às 6h00, com 1h30 minutos de duração. A emissora também passa a ter um bloco exclusivo para a Grande São Paulo no Bom Dia Brasil, apresentado por Rodrigo Bocardi.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Torre digital da emissora, no alto do Edifício Trianon Corporate, em 2009
Canal virtual Canal digital Proporção de tela Programação
5.1 18 UHF 1080i Programação principal da TV Globo São Paulo / Globo

A emissora iniciou suas transmissões digitais em 2 de dezembro de 2007, dia do lançamento da televisão digital no Brasil, pelo canal 18 UHF. Para a nova tecnologia, a emissora construiu uma nova torre no alto do Edifício Trianon Corporate, no Espigão da Paulista, que contém uma iluminação especial com um espectro de cores igual ao do logotipo da emissora. Em 2 de dezembro de 2013, seus telejornais locais passaram a ser exibidos em alta definição.[3]

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Globo São Paulo, bem como as outras emissoras da Região Metropolitana de São Paulo, cessou suas transmissões pelo canal 05 VHF em 29 de março de 2017, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[4] O sinal foi cortado às 23h59, durante o Big Brother Brasil, e foi substituído pelo aviso do MCTIC e da ANATEL sobre o switch-off.

Programação[editar | editar código-fonte]

Grade nacional[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a programação nacional da Rede Globo gerada no Rio de Janeiro, a TV Globo São Paulo é responsável pela geração de parte da grade nacional em seus estúdios no Brooklin, bairro de São Paulo.

Programas
Jornalismo e esportes

Transmissões especiais[editar | editar código-fonte]

Transmissões esportivas[editar | editar código-fonte]

Futebol
Vôlei
Basquete
Automobilismo
Outros

Equipes de transmissão[editar | editar código-fonte]

Futebol
Automobilismo

Grade local[editar | editar código-fonte]

Ponte Octávio Frias de Oliveira, que serve como cenário dos telejornais locais da emissora no estúdio panorâmico

Equipe[editar | editar código-fonte]

Membros atuais[editar | editar código-fonte]

Jornalistas e apresentadores
Repórteres
  • Ananda Apple
  • Alberto Gaspar
  • Alessandra Cunha
  • André Azeredo
  • Andrei Kampff
  • Andressa Rogê
  • Ana Paula Campos
  • Bruna Vieira
  • Camila Silva
  • Carla Modena
  • Carla Vilhena
  • César Galvão
  • César Menezes
  • Cínthia Toledo
  • Edgar Alencar
  • Elaine Bast
  • Filippo Mancuso
  • Gabriela Lisbôa
  • Graziela Azevedo
  • Giuliana Girardi
  • Guilherme Pereira
  • Guilherme Roseguini
  • Janaina Lepri
  • Jean Raupp
  • José Roberto Burnier
  • Leonardo Bianchi
  • Márcio Canuto
  • Marcelo Poli
  • Marco Aurélio Souza
  • Mauro Naves
  • Michelle Loreto
  • Natália Ariede
  • Neide Duarte
  • Patrícia Falcoski
  • Paula Akemi
  • Phelipe Siani
  • Philipe Guedes
  • Renata Cafardo
  • Renata Ribeiro
  • Renato Biazzi
  • Renato Peters
  • Roberto Paiva
  • Roberto Kovalick
  • Sabina Simonato
  • Tiago Eltz
  • Tonico Ferreira
  • Veruska Donato
  • Walace Lara
  • Zelda Mello

Membros antigos[editar | editar código-fonte]

Área de cobertura[editar | editar código-fonte]

A área de cobertura oficial da TV Globo São Paulo engloba 32 municípios, a maioria da Região Metropolitana de São Paulo. 10 municípios da Grande São Paulo, que fazem parte do Alto Tietê, pertencem à área de cobertura oficial da TV Diário.

Relação de municípios cobertos:[5]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Declaração de Marluce Silva sobre Governo FHC[editar | editar código-fonte]

No dia 29 de janeiro de 1999, durante a inauguração da nova sede da TV Globo em São Paulo, que contou com a presença de toda a cúpula do governo, Marluce Dias da Silva, principal executiva da Rede Globo, criticou duramente o secretário dos direitos humanos, José Gregori, do Governo FHC:[1]

Em nenhum momento a Rede Globo consegue pensar na hipótese de qualquer tipo de controle externo ou governamental em relação a programação da TV.
Marluce Silva[1]

A crítica foi feita alguns dias depois que Gregori anunciou que o governo pretende implantar modelo de controle (classificação etária nos horários) que inclui até censura à imprensa televisiva, na qual este o modelo proposto no início do segundo governo FHC, desrespeita claramente a legislação imposta pela Constituição de 1988. Na época, o Governo FHC foi acusado de querer pressionar redes de TVs brasileiras, com intuito de não exibir notícias negativas sobre o governo no aspecto de economia e casos de violência.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. A emissora foi adquirida por Roberto Marinho em 24 de março de 1966, chegando também a exibir as produções geradas pela TV Globo Rio de Janeiro. No entanto, só teve seu nome alterado para TV Globo Paulista em 24 de março de 1967, e posteriormente TV Globo São Paulo em 24 de março de 1968.
  2. O Bom Dia São Paulo é exibido em rede estadual para as afiliadas paulistas da Rede Globo. O seu último bloco é reservado para os noticiários regionais destas emissoras

Referências

  1. a b c d «Globo inaugura nova sede em SP». TV Crítica. GeoCities. 30 de janeiro de 1999. Consultado em 22 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 8 de maio de 2002 
  2. «Rede Globo inaugura nova sede em SP». Jornal Hoje. 26 de abril de 2007. Consultado em 25 de julho de 2016 
  3. «Jornalismo da Globo passa a ser exibido em alta definição». Jornal Nacional. 12 de março de 2013. Consultado em 25 de julho de 2016 
  4. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 25 de julho de 2016 
  5. «Atlas de Cobertura». Rede Globo. Consultado em 29 de outubro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
TV Paulista
Canal 5 de São Paulo
1967 - presente
Sucedido por
-