José Roberto Marinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Roberto Marinho
Nascimento 26 de dezembro de 1955 (63 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Fortuna R$ 17,46 bilhões (2016)[1]
Parentesco Roberto Marinho (pai)
Stella Goulart Marinho[2] (mãe)
Roberto Irineu Marinho (irmão)
João Roberto Marinho (irmão)
Filho(s) Paulo Daudt Marinho
Flávia Daudt Marinho[3]
Ocupação Empresário
Cargo Presidente da Fundação Roberto Marinho
Vice- presidente do Conselho de Administração do Grupo Globo

José Roberto Marinho (Rio de Janeiro, 26 de dezembro de 1955) é um empresário brasileiro.[4]

Filho do jornalista Roberto Marinho, José controla atualmente a Fundação Roberto Marinho, criada por seu pai em novembro de 1977.[5] O Conselho do Grupo Globo é presidido por seu irmão mais velho, Roberto Irineu Marinho.[6][7]

Foi listado em 2016 entre os 70 maiores bilionários do Brasil pela revista Forbes, ocupando o 6º lugar.[1][7]

Carreira[editar | editar código-fonte]

José Roberto Marinho estudou História na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC−Rio) e Geografia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).[8]

Em 1972, começou sua carreira como repórter do jornal O Globo onde atuou nos editoriais de Política e Cidades. Em 1980, foi designado repórter especial de Política na sucursal de Brasília e em 1981, retornou ao Rio de Janeiro e passou a atuar como editor-assistente do Jornal[8][9]

Em maio de 1983, José Roberto Marinho foi designado para o cargo de subchefe da redação do jornal O Globo onde permaneceu até 1984. Nesse ano, deixou o cargo para ocupar o cargo de diretor de programação de FM do Sistema Globo de Rádio, onde mais tarde ocupou os cargos de diretor-geral e de vice-presidente.[8]

Em 1992, fundou o Instituto Acqua pela preservação dos recursos hídricos. José Roberto ficou na Presidência da entidade até 1998.[8][9]

Em 1998, José Roberto Marinho assumiu a Vice-Presidência de Responsabilidade Social do Grupo Globo, liderando os projetos de ação comunitária, e tornou-se também diretor-geral da Fundação Roberto Marinho.[7][8][9]

Referências

  1. a b «70 maiores bilionários do Brasil em 2016». Forbes. Consultado em 29 de agosto de 2016 
  2. Milton Neves. Terceiro Tempo, ed. «João Roberto Marinho». Consultado em 10 de fevereiro de 2013 
  3. Elvira Lobato. «Concessões crescem em família». Folha de S.Paulo. Consultado em 27 de dezembro de 2017 
  4. «J Roberto Marinho». Caras. 19 de junho de 2013. Consultado em 26 de Maio de 2015 
  5. «Roberto Marinho». Estadão. Consultado em 26 de Maio de 2015 
  6. «Encontro Fortuito». Uol. 10 de outubro de 2013. Consultado em 25 de Maio de 2015. Arquivado do original em 30 de setembro de 2015 
  7. a b c «José Roberto Marinho». Forbes. Consultado em 18 de Dezembro de 2018 
  8. a b c d e «Familia Marinho». MediaOwnershipMonitor. Consultado em 18 de Dezembro de 2018 
  9. a b c «José Roberto Marinho é vice-presidente das Organizações Globo». Memória Globo. Consultado em 18 de Dezembro de 2018