TV Escola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
TV Escola
TV Ministério da Educação
Tvescolalogo2014.jpg
Tipo Canal de televisão educativo e público
País  Brasil
Fundação 4 de março de 1996 (21 anos)
Pertence a Ministério da Educação
Cidade de origem Distrito Federal (Brasil) Brasília, DF
Slogan O canal da educação
Formato de vídeo
Canais irmãos
Cobertura Sistema analógico, a cabo, por assinatura e via internet para todo o Brasil
Emissoras afiliadas Ceará TV Metrópole (Caucaia)
Cobertura internacional América Latina
Página oficial tvescola.mec.gov.br
Disponibilidade aberta e gratuita
Analógico
Digital
Disponibilidade por satélite
Claro TV
Canal 08
Oi TV
  • Canal 24
  • Canal 25
Sky
  • Canal 164
  • Canal 380
Algar TV
Canal 694
Vivo TV
Nossa TV
Canal 16
Star One C2
 ???? MHz @ ???? ksps, Vertical 480i (SDTV)

3770 MHz (1380 MHz Banda L), Horizontal (Analógico)

Disponibilidade por cabo
NET
Canal 08
Vivo TV
Canal 188
TVN
Canal 26
ViaCabo
Canal 14
Sim TV
Canal 07
Astro
Canal 07
CaboNNet
Canal 14
SP2
Canal 19
TCM
Canal 18
Adatel
Canal 17
TV Alphaville
Canal 308

TV Escola - O Canal da Educação é um canal de televisão brasileiro educativo que é transmitido em sinal aberto digital terrestre, antena parabólica, a cabo e por assinatura. É a televisão pública do Ministério da Educação, criada para promover a capacitação e atualização permanente dos professores do Brasil.[1] Visa, ainda, facilitar e disponibilizar os conteúdos da grade curricular para educadores e alunos da rede de ensino.

História[editar | editar código-fonte]

A emissora foi criada em setembro de 1995, indo ao ar oficialmente para todo o Brasil em 4 de março de 1996. Em dezembro de 2003, realizou uma das primeiras transmissões de TV digital por IP, através de um projeto experimental denominado TV Escola Digital Interativa (TVEDI). O canal está garantido por lei em todas as operadoras de TV por assinatura.[2]

A TV Escola exibe 24 horas diárias de séries, documentários, programas de debate, jornalísticos entre outros gêneros de conteúdos educativos.[3] Os programas produzidos são distribuídos gratuitamente pela televisão e pela internet, podendo o usuário assistir online ou baixar os conteúdos para assistir no desktop ou em dispositivos móveis, se tornando, assim, uma plataforma indispensável de aprendizado e educação para professores e alunos..[3]

As produções da TV Escola são voltadas para toda comunidade escolar e todos aqueles interessados em aprender, mas, principalmente, para os professores, como o programa Salto para o Futuro,[4] 'e aos alunos, como o Hora do Enem'[5].

O programa mais antigo da TV Escola, o Salto para o Futuro, está no ar há 25 anos, informando e debatendo sobre os principais assuntos relacionados à educação brasileira. Os apresentadores Bárbara Pereira e Murilo Ribeiro recebem, toda semana, especialistas e personalidade que discutem experiências bem-sucedidas e iniciativas inovadoras na área de educação, além de assuntos que afetam toda a sociedade. O programa gera impactos diretos no cotidiano das escolas, e oferece ao público informações, análises e reflexões sobre o dia-a-dia de alunos e professores.

O Hora do Enem é um projeto pensado para quem vai fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), com a finalidade de auxiliar e preparar os estudantes para o ingresso ao ensino superior. O programa foi ao ar pela primeira vez no dia 02 de maio de 2016, comandado pelo apresentador Land Vieira. Juntamente com os convidados, Land e os professores que dão suporte ao programa percorrem todas as áreas do conhecimento cobradas no ENEM, comentam as provas e dão dicas, além de responder e corrigir questões passadas do exame. O aluno pode acompanhar os programas pela TV, baixar os vídeos disponíveis no site da TV Escola ou assistir a veiculação do programa on-line, que vai ao ar de segunda à sexta, às 7h, 13h e 18h, aos sábados, a partir de 15h30, e aos domingos, a partir de 6h30.

Sua grade de programação também é composta por produções cedida por parceiros, como  Canal Futura,  TV Cultura, SESC TV e canais que compõem a Rede de Televisões da América Latina - Rede TAL, como o Canal Encuentro (Argentina), o Sistema Público de Radiofusión - SPR (México). Também licencia produções de canais educativos reconhecidos mundialmente, como British Broadcasting Corporation BBC (Londres), NFB National Film Board of Canadá (Canadá), NHK Word (Japão), EBS TV (Coréia do Sul), France TV (França).

Programas[editar | editar código-fonte]

Próprios e co-produções[editar | editar código-fonte]

Licenciados[editar | editar código-fonte]

Séries

Documentários

  • Nascidos em Bordéis
  • Apenas o Começo
  • Ônibus 174
  • Chomsky e Cia
  • Homem/Mulher: Duas Histórias
  • Eu, Estranho Personagem
  • Santos Dumont - O Homem Pode Voar
  • Arquitetura da Destruição
  • Tesla, Mestre dos Raios
  • Pássaros Mortos
  • Defamação
  • Pequenos Tormentos da Vida
  • A Cor do Som
  • Cataratas do Iguaçu
  • Machado do Brasil
  • O Velho Aquecedor
  • Neste Chão Tudo Dá

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 2003 - Dragão de Prata do II Festival Internacional do Filme Científico de Beijin (China) para Arte e Matemática - Episódio: "Ordem no Caos" na categoria Programas para a Juventude (Venceu)[6]
  • 2014 - Prêmio SBGames na categoria Serious Game para Chico na Ilha dos Jurubebas (Venceu)
  • 2014 - Prêmios TAL - Categoria Produção Educativa Infantil para Os Exploradores de Kuont (Indicado)
  • 2014 - Prêmios TAL - Categoria Produção Interativa para Os Exploradores de Kuont (Indicado)
  • 2014 - Prêmios TAL - Categoria Produção Unitária para Um Apólogo (Indicado)
  • 2015 - Prêmios TAL - Categoria Melhor Conteúdo Educativo para A Última Guerra do Prata (Indicado)
  • 2015 - 7ª edição do Festival ComKids - Prix Jeunesse Iberoamericano - Categoria Interatividade para Chico na Ilha dos Jurubebas (Venceu)
  • 2016 - Prêmios TAL - Categoria Melhor Série Infantil para Fabulosas Coleções do Seu Gonçalo (Indicado)
  • 2016 - Prêmios TAL - Categoria Melhor Conteúdo Educativo para Anthony Knivet - Um Olhar Aventureiro sobre a Colonização do Brasil (Indicado)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «TV Escola, modo de usar - IPAE». www.ipae.com.br. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  2. «Sky não consegue liminar e tem que incluir canais abertos na programação». convergenciadigital.uol.com.br. 20 de junho de 2013. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  3. a b «TV Escola - Ministério da Educação». portal.mec.gov.br/tv-escola. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  4. «TV Escola e o Programa Salto para o Futuro». www.educacao.rs.gov.br. Consultado em 8 de novembro de 2016 
  5. «Conheça». TV Escola. Consultado em 9 de março de 2017 
  6. «Programa co-produzido pela TV Escola ganha prêmio na China». memoria.ebc.com.br. 23 de março de 2003. Consultado em 8 de novembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]