Amazon Sat

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Amazon Sat
Amazônia Cabo Ltda.
Tipo Rede de televisão comercial
País  Brasil
Fundação 10 de setembro de 1988 (27 anos)
por Phelippe Arce Daou
Pertence a Amazonas Distribuidora
Proprietário Amazônia Cabo
Presidente Phelippe Arce Daou
Cidade de origem Amazonas Manaus, AM
Rondônia Porto Velho, RO (concessão)[nota 1]
Sede Bandeira de Manaus.svg Manaus, AM
Avenida André Araújo, 1555 - Aleixo
MAPA
Estúdios Bandeira de Manaus.svg Manaus, AM
Avenida André Araújo, 1555 - Aleixo
Slogan A cara e a voz da Amazônia e do Amazônida
Formato de vídeo 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Canais irmãos Rede Amazônica
Cobertura Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia e Roraima
Página oficial amazonsat.com.br
Disponibilidade aberta e gratuita
Analógico
Digital
Disponibilidade por cabo
NET
Canal 15 (Porto Velho)
Canal 22 (Belém, Manaus, Porto Velho e Rio Branco)
Canal 183 (Atibaia e Bragança Paulista)
SGC A Cabo
Canal 24
CaboTelecom
Canal 131
TVN
Canal 78 (São Luís)
BlueTV
Canal 26 (Brusque)
ViaCabo
Canal 24 (Porto Velho)
Supermidia
Canal 86
CaboNNet
Canal 38 (Penápolis)
Canal 75 (Assis)
Techcable
Canal 3 (Petrópolis)
Canal 27 (Paraíba do Sul e Três Rios)
SupercaboTV
Canal 37
Life TV
Canal 91
ORM Cabo
Canal 24

Amazon Sat é uma rede de televisão brasileira sediada em Manaus, capital do estado do Amazonas. Pertence à Amazônia Cabo LTDA, mesmo grupo que administra o Portal Amazônia, CBN Amazônia e Rádio Echos.

Tem como gênero, a temática social da Amazônia, na qual é localizada. Cobre 5 estados da Região Norte através de TV Aberta (com filiais e retransmissoras) e 6 estados da Região Norte através de TV Fechada.

Também existe a possibilidade de assistir a programação através do seu site e por aplicativos iOS, Android e Windows Phone.

História[editar | editar código-fonte]

O programa de satélite implantado pela Embratel tinha como fundamento terminar o isolamento da Amazônia, dando a esta região as mesmas oportunidades de informações, notícias e entretenimento como no restante do país.

Dentro dessa filosofia, foi concedido um Transponder do novo satélite à Rádio TV do Amazonas, que passou a transmitir seus noticiosos com a cor local, para toda a Amazônia.

Produzindo inicialmente um total de três horas e meia, como foi determinado pelo Ministério das Comunicações como condição básica para a concessão desse canal de satélite, bem como fazer com que a programação da Rede Globo recebida na região não tivesse mais os fades - tela preta - dos intervalos comerciais.

Tempos depois, não subindo mais com a Programação Nacional no seu satélite, a Rádio TV do Amazonas começou o preenchimento dos espaços relativos à programação Globo com produções locais. Iniciava desta forma a grande jornada da criação de um canal exclusivamente com temas amazônicos, denominado Amazon Sat.

Ao longo de todo este tempo, sua programação vem cada vez mais identificada, retratando as características e peculiaridades da região, bem como mostrando verdadeiramente as realidades amazônicas, que muitas vezes são deturpadas no exterior. O Amazon Sat, com isenção e profissionalismo firmou-se como o canal de comunicação gerado na Amazônia para o Brasil e o mundo.

O Amazon Sat é o primeiro canal temático voltado exclusivamente para assuntos amazônicos, seu povo e sua cultura, sua economia e, sobretudo, suas perspectivas de desenvolvimento sustentável da região.

O canal integra o grupo da Rádio TV do Amazonas, afiliada da Rede Globo, nos Estados do Amazonas, Rondônia, Roraima, Acre e Amapá e seu sinal foi levado ao ar pela primeira vez no ano de 1988.

Em 1993, com roupagem nova, foi ao ar tendo como objetivo principal ser a verdadeira cara e voz da Amazônia. Tal objetivo foi conquistado com muito trabalho e importantes doses de sacrifícios.

É um canal de transmissão de televisão via satélite, porém codificado no satélite Star One C2, somente para as emissoras integrantes da Rádio TV do Amazonas.

Ter mostrado um ecossistema que corresponde a um nome falado do mundo e, muitas vezes, menos conhecido, isto não é uma tarefa tão simples. Quem vive e respira a Amazônia, pode compreendê-la melhor e, portanto, defendê-la e transmiti-la com fidelidade.

Em todo o mundo, cada vez mais ganha vigor e atualidade a discussão sobre o papel das empresas como agentes sociais. As empresas já perceberam que o respeito ao meio ambiente e a preocupação com a valorização do homem e da sua cultura estão entre os principais fatores determinantes do sucesso mercadológico. Observa-se a grande preocupação das empresas em vincular sua imagem à noção de responsabilidade social. O que conduz à postura da empresa cidadã, baseada no resgate dos princípios de defesa à natureza, onde enquadra-se com perfeição o Amazon Sat.

O canal destaca, especialmente, a Amazônia com os seguintes temas e pesquisas: científicos, sociais, literários, econômicos, místicos, selvagens e, principalmente, toda a cobertura de notícias através de cinco geradoras, o que nos leva a mostrar uma vasta grade de programação.

Na Internet, recebe-se cerca de 90.000 page views de acessos ao mês, através do Portal Amazônia ou com acesso diretamente ao Canal, através do site. São vinte horas de programação diversificada, sempre voltada para assuntos da região, retratando a imagem real da Amazônia e atingindo os mais variados públicos. São 4.900.000 de quilômetros quadrados, atingindo 60% do território nacional, com três fusos horários. 73%, cobertos por florestas tropicais com densidade demográfica de 3,2 habitantes por quilômetros quadrados, atingindo 12% da população do país, com 16,5 milhões de habitantes.

A partir dessa mudança de sinal do satélite de analógico para digital, a TV Amazonas cessou a transmissão de seus programas através do Amazonsat para suas emissoras afiliadas e agora passa a utilizar um sinal no mesmo satélite Brasilsat B4 somente para geração de programas para a Rede Amazônica, bem como a geração de materiais para suas emissoras em toda a Região Norte, sem interferir na programação do Amazon Sat.

O canal é a primeira emissora da Amazônia a iniciar suas transmissões digitais. A princípio, o sinal digital cobre apenas a região de Manaus, pelo canal 46 UHF.

Cobertura[editar | editar código-fonte]

A área de abrangência compreende as capitais da região amazônica, através de canal aberto e TV a cabo, além de parceiros como Vivax, Neo TV, TV Brasil e TV Nazaré. A distribuição nacional de seu sinal é feito por meio de TV por assinatura, que hoje possui aproximadamente 130 mil assinantes, o que significa que o Amazon Sat é assistido por um público estimado em 800 mil telespectadores, levando-se em consideração que cada ponto de assinatura envolve uma média de quatro telespectadores.

Independente, com equipe de produção própria e uma grade de mais de 30 programas, distribuídos entre os núcleos de jornalismo e produção, o canal aposta na globalização e assina convênio com a operadora de rede de televisão on line JUMPTV, que distribui a programação do canal em sua base, chegando a mais de 80 países.

Nas outras regiões brasileiras, o Amazon Sat é captado somente através de parabólicas com receptor digital, através da aquisição de kit contendo o cartão com o código para decodificação do canal. Entre os anos de 1988 e 2004 o canal podia ser assistido de forma aberta nas antenas parabólicas com receptor analógico, porém devido a uma exigência da Rede Globo feita para as emissoras afiliadas que possuíam canais de satélite de sinal aberto, elas foram obrigadas a codificar os sinais, de forma a não haver concorrência com o sinal da Rede Globo nas parabólicas analógicas.

Lista dos canais[editar | editar código-fonte]

Com a abrangência do Amazon Sat estando presente em toda a Amazônia, cada cidade muda a numeração de acordo com a outorga disponibilizada pelo Ministério das Comunicações ou de acordo com a operadora de televisão a cabo.

Cidade Estado Tipo do sinal Canal Analógico Canal Digital
Ananindeua PA Fechado (NET) 22
Ananindeua PA Fechado (ORM) 24
Ariquemes RO Aberto 15
Assis Brasil AC Aberto 6
Barcelos AM Aberto 9
Barreirinha AM Aberto 13 45 (em implantação)
Belém PA Fechado (NET) 22
Belém PA Fechado (ORM) 24
Beruri AM Aberto 12
Boa Vista RR Aberto 23 22 (em implantação)
Boca do Acre AM Aberto 3
Borba AM Aberto 21 46 (em implantação)
Brasiléia AC Aberto 12
Cacoal RO Aberto 27
Carauari AM Aberto 11 46 (em implantação)
Coari AM Aberto 5 46 (em implantação)
Codajás AM Aberto 10
Cruzeiro do Sul AC Aberto 19
Eirunepé AM Aberto 13
Feijó AC Aberto 13
Guajará-Mirim RO Aberto 5
Humaitá AM Aberto 11 46 (em implantação)
Iranduba AM Aberto 48
Itacoatiara AM Aberto 33 46 (em implantação)
Itamarati AM Aberto 10
Ji-Paraná RO Aberto 14
Ji-Paraná RO Fechado (Diário da Amazônia) 24
Lábrea AM Aberto 10
Macapá AP Aberto 29 30 (em implantação)
Manacapuru AM Aberto 35 45 (em implantaao)
Manaus AM Aberto 44 46
Manaus AM Fechado (NET) 22
Mâncio Lima AC Aberto 7 46 (em implantação)
Manicoré AM Aberto 11
Manoel Urbano AC Aberto 10
Maués AM Aberto 18
Nova Olinda do Norte AM Aberto 29
Oiapoque AP Aberto 12
Ouro Preto do Oeste RO Aberto 16
Parintins AM Aberto 2 46 (em implantação)
Plácido de Castro AC Aberto 35
Porto Velho RO Aberto 22 23
Porto Velho RO Fechado (NET) 15 e 22
Presidente Figueiredo AM Aberto 9
Rio Branco AC Aberto 31
Rio Branco AC Fechado (NET) 22
São Gabriel da Cachoeira AM Aberto 13 46 (em implantação)
São Luís MA Fechado (TVN) 78
Sena Madureira AC Aberto 25
Senador Guiomard AC Aberto 23 43 (em implantação)
Tabatinga AM Aberto 9
Tangará da Serra MT Fechado (RCA) 95
Tapauá AM Aberto 12
Tarauacá AC Aberto 22
Vilhena RO Aberto 14 21 (em implantação)
Xapuri AC Aberto 3

Notas

  1. ZYB 595, Amazônia Cabo Ltda.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Televisão no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.