Teatro Renault

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Teatro Renault
(Antigos Theatro Paramount e Teatro Abril)
Teatro Renault
Teatro Abril (Paramount) 01.JPG
Teatro Renault (antigo Paramount), chamando para o espetáculo Miss Saigon
Nomes alternativos Teatro Paramount (1929-1996) e Teatro Abril (2001-2012)
Tipo Teatro
Estilo dominante Art decô e Eclético
Arquiteto Francisco Augusto da Silva Rocha
Francisco de Paula Ramos de Azevedo
Inauguração 16 de abril de 1929
Restauro abril de 2001
Proprietário atual Time for Fun Entretenimeto
Renault
Número de andares 2
Local São Paulo - SP
Endereço Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 441

Teatro Renault (antigo Teatro Paramount e antigo Teatro Abril) é um teatro brasileiro que foi inaugurado em 1929, incendiado em 1969, reformado em 2000 e reinaugurado em 2001. Localiza-se na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, na cidade de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

Primeiro cinema sonoro da América Latina, foi durante muitos anos um modelo para outros teatros, tendo sido patrocinado pela Paramount Pictures. A área total é de 5.500 metros quadrados, com capacidade para 1.530 espectadores[1] com ampla visibilidade, seja qual for o lugar escolhido. O palco, um dos melhores de São Paulo, possui 210 metros quadrados por 36 metros de altura, incluindo urdimento.

O Cine Theatro Paramount foi inaugurado em abril de 1929 com o filme The Patriot(Alta Traição BRA ou O Patriota PRT).[2] Durante a cerimônia de inauguração, foi proferido um discurso do cônsul brasileiro em Nova Iorque , Sebastião Sampaio (1884-1963)[3], que se tornou o primeiro transmitido com som na América Latina, através do sistema Movietone sound system. [4] Notabilizou-se nos anos 60 por acolher o Festival de Música Popular Brasileira transmitido pela TV Record, em que Edu Lobo e Marília Medalha venceram, em 1967, com Ponteio. No mesmo ano, vaiado enquanto tentava apresentar Beto Bom de Bola, Sérgio Ricardo quebrou o violão no palco e, aos gritos, arremessou-o contra a plateia. No palco, estiveram também Tom Zé, que cantou São São Paulo, meu amor (1968) - um marco da Tropicália - e Caetano Veloso, que cantou Alegria, Alegria - outro hino da Tropicália.

Em 13 de julho de 1969, um incêndio destruiu grande parte de suas instalações.[5] Recuperado nos Anos 1970, entrou em decadência até ser fechado em 1996. Na virada do milênio, suas instalações foram recuperadas pelo Grupo Abril em parceria com a CIE Brasil, subsidiária do grupo mexicano Corporación Interamericana de Entretenimiento.[6][7] Em 2002 foi tombado pelo Conpresp, através da resolução nº 22.[8]

Desde de sua reinauguração em 2001, como Teatro Abril, a casa tem oferecido os mais tradicionais musicais da Broadway e West End. Espetáculos como Les Misérables, O Fantasma da Ópera, O Rei Leão e Miss Saigon.

Em 2012 a T4F - Entretenimentos assinou contrato com a multinacional Renault dos direitos de nome do Teatro Abril que a partir de 1° de novembro do mesmo ano passou a se chamar Teatro Renault.

Crítica[editar | editar código-fonte]

Em 28 de setembro de 2014, foi publicado na Folha de S.Paulo o resultado da avaliação feita pela equipe do jornal ao visitar os sessenta maiores teatros da cidade de São Paulo. O local foi premiado com três estrelas, uma nota "regular", com o consenso: "Palco do musical "O Rei Leão" desde março de 2013, o local de arquitetura "art nouveau" não tem lugares para se sentar em seu hall de entrada nem sinalização para o bebedouro. A bonbonnière tem opções fartas e caras. O espaço entre as fileiras é pequeno, e a visibilidade do palco é boa na plateia mas ruim no mezanino —com pontos cegos, inclusive."[1]

Musicais[editar | editar código-fonte]

A Time For Fun oferece no Teatro Renault, sua principal casa da divisão de teatro, peças do gênero de Teatro musical, trazendo grandes espetáculos da Broadway e West End em suas versões de importação (réplicas), proporcionando a mesma experiência de se assistir ao show em sua casa original em Nova Iorque ou Londres.

O lendário musical francês de Boublil & Schönberg, Les Misérables, foi o escolhido para reinaugurar o Cine-Teatro Paramount, fechado desde 1969, em 2001, sob o nome de Teatro Abril.

Musical Estreia* Encerramento
Les Misérables 25 de Abril de 2001 31 de Março de 2002
A Bela e a Fera 20 de Junho de 2002 21 de Dezembro de 2003
Chicago 28 de Abril de 2004 19 de Dezembro de 2004
O Fantasma da Ópera 21 de Abril de 2005 22 de Abril de 2007
Miss Saigon 12 de Julho de 2007 14 de Dezembro de 2008
A Bela e a Fera (revival) 30 de Abril de 2009 8 de Novembro de 2009
Cats 4 de Março de 2010 19 de Setembro de 2010
Mamma Mia! 11 de Novembro de 2010 18 de Dezembro de 2011
A Família Addams 2 de Março de 2012 16 de Dezembro de 2012
O Rei Leão 28 de Março de 2013 14 de Dezembro de 2014
Mudança de Hábito 05 de Março de 2015 13 de Dezembro de 2015
Wicked 4 de Março de 2016 18 de Dezembro de 2016
Les Misérables (revival) 10 de Março de 2017 10 de Dezembro de 2017
A Noviça Rebelde** 28 de Março de 2018 27 de Maio de 2018
O Fantasma da Ópera (revival) 2 de Agosto de 2018 15 de Dezembro de 2019

(*) Estreia aberta ao público geral; desconsiderando pré-estreias, coletivas de imprensa, sessões para convidados e ensaios abertos.

(**) Musical não realizado pela Time 4 Fun.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Fabiana Seragusa e Rafael Balago (28 de setembro de 2014). «Especial avalia os 60 maiores teatros de SP; veja lista com acertos e falhas». Folha de S.Paulo. www1.folha.uol.com.br. Consultado em 3 de janeiro de 2017 
  2. Correio Paulistano, edição 23453, página 11 (16 de janeiro de 1929). «Alta Traição no Paramount». Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. Consultado em 26 de novembro de 2018 
  3. «Sebastião Sampaio». Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. 2005. Consultado em 26 de novembro de 2018 
  4. Correio Paulistano, edição 23453, página 11 (29 de março de 1929). «O cônsul geral do Brasil fala ao "Movietone" sobre o novo cinema Paramount em S. Paulo». Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. Consultado em 26 de novembro de 2018 
  5. «Fogo destrói TV5 e teatro do 7». Folha de S. Paulo, Ano XLIX edição 14638, página 1. 14 de julho de 1969. Consultado em 26 de novembro de 2018 
  6. «Após reforma, teatro Paramount comportará 2.000 espectadores». Folha de S.Paulo. 29 de março de 2001. Consultado em 26 de novembro de 2018 
  7. Elisa Losada (16 de agosto de 2018). «Teatro Renault». Arquittetando. Consultado em 26 de novembro de 2018 
  8. Conpresp. «Resolução no.22/2002» (PDF). Prefeitura de São Paulo. Consultado em 26 de novembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]