SBT Brasília

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
SBT Brasília
TV Studios de Brasília Ltda.
Brasília, Distrito Federal
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 24 UHF
Virtual: 12 PSIP
Outros canais 21 / 521 HD (NET)
Analógico:
12 VHF (1986-2016)
Sede Distrito Federal (Brasil) Brasília, DF
Slogan Um SBT feito só para o Distrito Federal
Rede SBT
Fundador Silvio Santos
Pertence a Grupo Silvio Santos
Proprietário Silvio Santos
Presidente Guilherme Stoliar
Fundação 14 de julho de 1986 (33 anos)
Prefixo ZYA 509
Nome(s) anteriore(s) TVS Brasília (1986-1990)
Cobertura Distrito Federal e Entorno
Coord. do transmissor 15° 41' 57.3" S 47° 49' 46.6" O
Potência 2 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial www.sbt.com.br/brasilia/home

SBT Brasília é uma emissora de televisão brasileira sediada em Brasília, Distrito Federal. Opera no canal 12 (24 UHF digital), e é uma emissora própria do SBT. Devido a dificuldade de recepção em algumas áreas, opera também pelo canal 27 UHF no Gama. Seus estúdios estão localizados no Setor de Rádio e Televisão Sul (SRTVS), na Asa Sul do Plano Piloto, e seus transmissores estão na Torre de TV Digital de Brasília, na região administrativa do Lago Norte.

História[editar | editar código-fonte]

O Grupo Silvio Santos recebeu a outorga do canal 12 VHF de Brasília no fim de 1984, após vencer uma concorrência pública para mais um canal na cidade. No entanto, em vias de ser inaugurada, a TVS Brasília quase perdeu a sua concessão após o ministro das comunicações Antônio Carlos Magalhães decidir reexaminar todas as 140 outorgas de radiodifusão concedidas pelo ex-presidente João Figueiredo entre 1.º de outubro de 1984 e 15 de março de 1985. A decisão, que também afetaria a futura TV Bandeirantes Brasília, estava dando um prejuízo mensal de 200 milhões de cruzeiros ao SBT,[1] que conseguiu inaugurar a emissora em 14 de julho de 1986. Até então, o sinal da rede chegava ao Distrito Federal pela TV Brasília, que a partir daí tornou-se afiliada à Rede Manchete a partir do dia 30 de junho de 1985.

Com a criação da TVS Brasília, o SBT planejava centralizar o departamento de jornalismo da rede na capital federal, diferente das outras redes que os mantinham em São Paulo e no Rio de Janeiro, porém, isso nunca aconteceu. Ainda no mesmo ano, Silvio Santos reuniu-se com o presidente José Sarney para discutir a questão das outorgas, e disse ao Jornal do Brasil que havia proibido os jornalistas do SBT de fazer críticas ao governo. Em 30 de outubro, o Ministério das Comunicações disse que as concessões do SBT e da Rede Bandeirantes em Brasília estavam mantidas, e que o presidente José Sarney "mostrou interesse em ajudar o grupo empresarial Silvio Santos, o único capaz de evitar o monopólio da Globo".[1]

Ainda no mesmo ano de sua fundação, o SBT Brasília passou a produzir o telejornal local Cidade 12, que era exibido em conjunto na grade com o nacional Noticentro, feito em São Paulo. A partir de 1988, os telespectadores do Distrito Federal passaram a acompanhar o TJ Brasília, que fazia par com o TJ Brasil, do âncora Boris Casoy. Em 1990, o SBT descontinua a marca "TVS" em suas emissoras locais, e a emissora passa a se chamar SBT Brasília.

O TJ Brasília foi extinto em 18 de maio de 1991 para ceder espaço na grade ao jornalístico sensacionalista Aqui Agora, transmitido em rede nacional a partir da sede da rede em São Paulo. No ano seguinte, após os Jogos Olímpicos de Barcelona, a emissora estreou o programa matinal Agenda. O formato era baseado em entrevistas e durou até 1994. Após o fim do programa Agenda, o canal 12 passou a atuar como mera retransmissora do SBT paulistano, sem a inserção de qualquer programação própria, apenas comerciais.

Em 8 de Setembro de 1999, o jornalismo local foi reativado no SBT de Brasília com o telejornal Jornal Cidade Viva. Simultaneamente, a emissora lançou o Programa Alternativo, com exibição aos sábados. O Jornal Cidade Viva foi extinto em 17 de novembro de 2008, sendo substituído pelo SBT Brasília, cuja 2ª edição, que ia ao ar à noite, é denominada Jornal do SBT Brasília.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
12.1 24 UHF 1080i Programação principal do SBT Brasília / SBT

A emissora iniciou suas transmissões digitais em 12 de outubro de 2009, através do canal 24 UHF. Em 4 de agosto de 2014, juntamente com as outras emissoras próprias do SBT, passou a exibir toda a sua programação local em alta definição. A confirmação oficial, no entanto, só veio em 25 de agosto.[2]

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, o SBT Brasília, bem como as outras emissoras da cidade de Brasília e do entorno do Distrito Federal, cessou suas transmissões pelo canal 12 VHF em 17 de novembro de 2016, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[3] A emissora exibiu uma versão compacta do humorístico A Praça É Nossa, que se encerrou às 23h59, seguido de um discurso do ministro das comunicações, Gilberto Kassab. Logo em seguida, o sinal foi interrompido e substituído por um slide do MCTIC e da ANATEL sobre o switch-off.

Programas[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a programação nacional do SBT, o SBT Brasília produz os seguintes programas:

  • SBT Brasília: Telejornal, com Neila Medeiros;
  • Jornal SBT Brasília: Telejornal, com Williane Rodrigues;
  • Jornal de Sábado: Jornalístico, com Felipe Malta;
  • Inside: Programa de variedades, com Rafaela Dornas;
  • Redação SBT: Boletim jornalístico, durante a programação

Equipe[editar | editar código-fonte]

Membros atuais[editar | editar código-fonte]

Apresentadores
  • Felipe Malta
  • Igor Marx
  • Neila Medeiros
  • Rafaela Dornas
  • Williane Rodrigues
Repórteres
  • Daniel Adjuto
  • Débora Bergamasco
  • Galton Sé
  • Julliana Lopes
  • Kátia Gomes
  • Larisse Neves
  • Leonardo Ferreira
  • Rudá Moreira
  • Soane Guerreiro
  • Victoria Melo

Membros antigos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Castro, Thell de (8 de julho de 2018). «Em 1985, Sarney apoiou SBT em Brasília para acabar com monopólio da Globo». Notícias da TV - UOL. Consultado em 18 de agosto de 2018 
  2. Falcheti, Fabrício (22 de agosto de 2014). «Filiadas do SBT terão todos os seus programas locais em HD; entenda». Na Telinha - UOL. Consultado em 28 de abril de 2016 
  3. Craide, Sabrina (25 de outubro de 2016). «Emissoras terão mais prazo para desligar sinal analógico de TV no DF e Entorno». Agência Brasil. Consultado em 4 de novembro de 2016 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Stycer, Maurício (2018). Topa Tudo por Dinheiro. As muitas faces do empresário Silvio Santos. São Paulo: Todavia. 256 páginas. ISBN 9788588808171 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Televisão no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.