SBT Pará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2014). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
SBT Pará
TVSBT - Canal 5 de Belém S/A
Belém, Pará
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 26 UHF
Virtual: 5 PSIP
Outros canais 5 e 505 HD (NET)
6 e 506 HD (Roma Cabo)
ver mais
Analógico:
02 VHF (1981)
05 VHF (1981-2018)
Sede Bandeira de Belém.svg Belém, PA
Rua Presidente Pernambuco, 72 - Campina
Slogan A emissora que é a cara do paraense (local)
A TV que tem torcida (rede)
Rede SBT
Fundador Silvio Santos
Pertence a Grupo Silvio Santos
Proprietário Silvio Santos
Presidente Guilherme Stoliar
Fundação 2 de setembro de 1981 (36 anos)
CNPJ 54.313.564/0001-67
Prefixo ZYB 200
Nome(s) anteriore(s) TVS Belém (1981-1990)
SBT Belém (1990-2012)
Cobertura Cerca de 85% do estado do Pará
Coord. do transmissor 1° 27' 24.3" S 48° 29' 39.6" O
Potência 10 kW
Página oficial sbt.com.br/home

SBT Pará é uma emissora de televisão brasileira sediada em Belém, capital do estado do Pará. Opera no canal 5 (26 UHF digital), e é uma emissora própria do SBT. A emissora foi inaugurada em 1981 pelo empresário Silvio Santos, juntamente com o SBT, após este ter arrematado três concessões da antiga Rede Tupi, sendo a de Belém a da antiga TV Marajoara.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Ver artigos principais: TV Marajoara e Rede Tupi

Em 30 de setembro de 1961, os Diários Associados inauguraram a TV Marajoara, emissora própria da Rede Tupi e primeira emissora da cidade de Belém e do estado do Pará. Durante sua existência, a TV Marajoara produziu vários programas locais e também exibia programas nacionais produzidos pela TV Tupi São Paulo e pela TV Tupi Rio de Janeiro, geradoras da Rede Tupi. Embora estivesse financeiramente em dia com suas dívidas, isso não evitou que o Governo Federal declarasse o seu fechamento em 18 de junho de 1980, juntamente com a Rede Tupi de Televisão.

TVS Belém (1981-1990)[editar | editar código-fonte]

Com o fechamento da Tupi e consequentemente da Marajoara, o Governo Federal leiloou ainda em 1980 as 7 concessões cassadas da Rede Tupi, juntamente com a da TV Excelsior de São Paulo (extinta em 1970), o canal 12 de Brasília e o canal 9 do Rio de Janeiro (antiga TV Continental), para os empresários Adolpho Bloch e Silvio Santos. Silvio arrematou as concessões da Tupi em São Paulo (TV Tupi São Paulo), Porto Alegre (TV Piratini) e Belém (TV Marajoara), além do canal 12 de Brasília (hoje SBT Brasília) e o canal 9 do Rio de Janeiro (TV Corcovado, hoje CNT Rio de Janeiro). As outras concessões foram leiloadas a Adolpho Bloch, que formou a Rede Manchete em 1983.

Através das concessões que adquiriu, Silvio Santos criou em 19 de agosto de 1981 o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), juntamente com suas emissoras próprias, a TVS São Paulo (geradora e atual SBT São Paulo), a TVS Rio de Janeiro (atual SBT Rio, que já existia desde 1976) e TVS Porto Alegre (atual SBT RS, que foi inaugurada em 26 de agosto de 1981). Em 2 de setembro, duas semanas após a inauguração do SBT, a TVS Belém foi oficialmente inaugurada.[1]

No fim deste mês, a pedido do Ministério das Comunicações, a TVS Belém passou do canal 2 VHF para o 5 VHF, como forma de organizar as frequências dos canais de Belém. O canal 2 ficou fora do ar após a troca e só voltaria a ser ocupado novamente em 2 de janeiro de 1987 pela TV Cultura do Pará.

SBT Belém (1990-2012)[editar | editar código-fonte]

Em 1 de janeiro de 1990, a TVS Belém, bem como as outras emissoras próprias do SBT, abandona a nomenclatura TVS e passa a se chamar SBT Belém. A TVS já usava a nomenclatura SBT desde sua fundação, porém só quando transmitia os programas da rede.

No dia 19 de outubro de 2009, um dia após o início do horário de verão no centro-sul brasileiro, o SBT Belém passou a gerar sinal alternativo ao da matriz paulistana, especialmente para os estados das regiões do Norte, Nordeste e Centro-Oeste (apenas Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), por conta das normas impostas pelo Ministério das Comunicações para classificação indicativa dos programas de TV no país (DEJUS). O sinal conhecido como Rede Fuso, consistia em retardar a programação do SBT em 1 hora em relação a geração original, exibindo antes do seriado Supernatural, a série Smallville por 1 hora, garantindo assim que os programas da linha de shows se encaixassem nos horários aptos a sua exibição. No entanto, podia-se notar que a qualidade da imagem era bem inferior a que era gerada pela rede, com alguns chuviscos e travamentos. Isso durou apenas até 23 de janeiro de 2010, quando faltava um mês para o fim da vigência do horário de verão.

SBT Pará (Desde 2012)[editar | editar código-fonte]

Em 1º de junho de 2012, o SBT Belém passa a se chamar SBT Pará.

Em 21 de outubro, novamente por determinação do Ministério das Comunicações, o SBT Pará volta a gerar sinal alternativo para as emissoras das regiões Norte, Nordeste e os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, para adequação as regras de classificação indicativa, em função do horário de verão no centro-sul do país. Logo após a telenovela Carrossel, era exibido o seriado Eu, a Patroa e as Crianças (substituído posteriormente por Arnold) por uma hora, e em seguida o Programa do Ratinho. Durante os sábados, o seriado era exibido logo após o Esquadrão da Moda, e aos domingos não havia o atraso de rede. Desde então, todos os anos, o SBT Pará é responsável por gerar a Rede Fuso do SBT para estas regiões, sempre durante a vigência do horário de verão.

Em 2013, o sinal do SBT Pará passou a ser retransmitido para Aracaju, capital do estado de Sergipe, através do canal 50 UHF, em substituição ao sinal do SBT Nacional que era exibido para a cidade. Em 5 de abril de 2013, o SBT arrendou as retransmissoras da TV Canção Nova Aracaju, para levar o sinal do SBT Pará a todo o estado de Sergipe. No entanto, o mesmo só passou a ser retransmitido durante a vigência do horário de verão, sendo exibido o sinal gerado a partir de São Paulo durante o restante do ano.

Em 18 de novembro do mesmo ano, o SBT Pará inaugurou sua nova sede no bairro Batista Campos, na Travessa Presidente Pernambuco, 72, em substituição a antiga sede que a emissora tinha desde sua fundação, na Avenida Alcindo Cacela, 2304, no bairro da Cremação. Embora a nova sede tinha sido inaugurada apenas em novembro, ela já estava pronta desde o início de 2013, além dos estúdios e da torre de transmissão já estarem sendo utilizados desde 17 de junho.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal físico Resolução de tela Programação
5.1 26 UHF 1080i Principal programação do SBT Pará / SBT

Em 12 de abril de 2014, o SBT Pará iniciou suas transmissões digitais pelo canal 26 UHF, porém ainda em testes. No dia 1º de junho, inaugurou oficialmente seu sinal digital através do canal 26 UHF. A divulgação do sinal digital foi feita através de uma nota postada na página oficial da emissora no Facebook, e em anúncios nos jornais da cidade de Belém. No dia seguinte, o telejornal SBT Pará também mostrou um teaser sobre a nova tecnologia.

Em 4 de agosto, assim como todas as emissoras próprias do SBT, o SBT Pará passa a exibir toda a sua programação local em alta definição. A confirmação oficial, no entanto, só veio em 25 de agosto.[2]

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, o SBT Pará, bem como as outras emissoras de Belém, cessou suas transmissões pelo canal 05 VHF em 30 de maio de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[3]

Programação[editar | editar código-fonte]

Atualmente, a emissora produz apenas o telejornal SBT Pará, apresentado por Valdo Souza, além de gerar localmente o seriado Chaves, ambos no período vespertino de segunda a sexta. Dentre as filiais do SBT, excluindo-se o SBT São Paulo, o SBT Pará é a que possui menor programação local.

Jornalismo[editar | editar código-fonte]

Nos seus cinco primeiros anos de existência, a TVS Belém funcionou como uma mera repetidora do SBT, apenas exibindo comerciais locais, e produzindo matérias para a rede. Em 1987, seguindo o padrão das demais emissoras próprias do SBT, a TVS Belém passou a produzir um telejornal local exibido à noite, o Cidade 5, que iria ao ar em conjunto com o Noticentro, gerado nacionalmente pelo SBT. Este telejornal ficou no ar até 1988, quando foi substituído pelo TJ Pará. A mudança aconteceu simultaneamente ao lançamento do TJ Brasil, que entrava no lugar do Noticentro.

Em 1991, o SBT decidiu extinguir os noticiários locais de suas emissoras próprias. Embora o jornalismo local só tenha sido retomado nestas emissoras a partir de 1999, o SBT Belém constituiu exceção à regra. Durante determinado período da década de 90, a emissora exibia à noite dois telejornais: o TJ Belém e o TJ Pará.

No começo da década de 2000 e após alguns anos sem programação local, foi lançado o telejornal SBT Belém, apresentado por Úrsula Vidal, e o SBT Esporte, apresentado por Edson Matoso. Posteriormente, o SBT Belém foi renomeado como Jornal do SBT Pará. Já em 2011, o nome do programa muda novamente, adotando o atual nome SBT Pará, cuja apresentação ficou a cargo do jornalista Nyelsen Martins de 2011 até 2014.

Em 23 de abril de 2014, o telejornal SBT Pará passa a ser apresentado pelo jornalista Valdo Souza, em substituição a Nyelsen Martins, que estava no comando do SBT Pará anteriormente.[4] No mesmo ano, a emissora fez a cobertura do Círio de Nazaré gerando imagens em alta definição, sendo a primeira emissora do Pará a fazer a transmissão do evento religioso nesse formato.

Em 30 de dezembro de 2016, o SBT Esporte Pará, até então apresentado por Plácido Ramos, Diogo Puget e Pedro Paulo Blanco deixa de ser exibido pela emissora. Com isso, o SBT Pará tem sua duração ampliada em mais 25 minutos, passando a ocupar o espaço do programa, bem como tornando-se o único programa local da emissora.

Entretenimento[editar | editar código-fonte]

Como a emissora sempre se dispôs a produzir programas jornalísticos, a primeira produção do gênero de entretenimento só veio na década de 2000, com a reativação da programação local. Neste ínterim, foi lançado aos sábados o Etc. e tal, programa de variedades apresentado por Úrsula Vidal, e exibido até 2016.

Em 2014, o programa foi temporariamente apresentado por Adriana Cavalcante, em razão de Úrsula Vidal ter se candidatado à deputada estadual nas eleições daquele ano. Em 2016, Úrsula candidatou-se novamente a um cargo eletivo, desta vez para a prefeitura de Belém. Por conta disso, o Etc. & Tal deixou de ser exibido.

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Aragão, Diana (19 de agosto de 1981). «Canal 4 de São Paulo entra no ar hoje». PUC-Rio. Jornal do Brasil. Consultado em 30 de abril de 2016. 
  2. Falcheti, Fabrício (22 de agosto de 2014). «Filiadas do SBT terão todos os seus programas locais em HD; entenda». Na Telinha - UOL. Consultado em 12 de setembro de 2014. 
  3. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 30 de janeiro de 2017. 
  4. Vaquer, Gabriel (23 de abril de 2014). «"SBT Pará" ganha novo apresentador e estreia nova fase nesta quarta». Na Telinha - UOL. Consultado em 25 de abril de 2014. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
TV Marajoara
Canal 2 VHF de Belém
08/1981 - 09/1981
Sucedido por
Fora do Ar (1981-1987)
TV Cultura do Pará