Bagre (Pará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Bagre
Bandeira de Bagre
Brasão de Bagre
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 25 de março
Fundação 25 de março de 1961 (55 anos)
Gentílico bagrense
Prefeito(a) Cledson Rodrigues (PRB)
(2009–2012)
Localização
Localização de Bagre
Localização de Bagre no Pará
Bagre está localizado em: Brasil
Bagre
Localização de Bagre no Brasil
01° 54' 00" S 50° 09' 50" O01° 54' 00" S 50° 09' 50" O
Unidade federativa Pará Pará
Mesorregião Marajó IBGE/2008 [1]
Microrregião Portel IBGE/2008 [1]
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 4 397,290 km² [2]
População 23 855 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 5,42 hab./km²
Altitude 31 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,471 muito baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 70 416,954 mil IBGE/2012[5]
PIB per capita R$ 2 772,54 IBGE/2012[5]
Página oficial
Prefeitura bagre.pa.gov.br

Bagre é um município brasileiro do estado do Pará, pertencente à Mesorregião do Marajó. Localiza-se no norte brasileiro, a uma latitude 01º53'59" sul e à longitude 50º09'52" oeste.[6] [7]

História[editar | editar código-fonte]

São poucas as informações sobre a fundação do povoado que deu origem a esse Município, sabendo-se que foi a época da Proclamação da República. A Lei nº 934, de Julho de 1879, criou no lugar chamado Bagre, que pertencia ao Município de Oeiras, uma capela curada que, através da Lei nº 1.173, de 23 de Abril de 1883, passou para o Município de Melgaço. E em 1887, já no crepúsculo do regimento monárquico, pela Lei nº 1.306, de 28 de novembro, foi elevada á condição de Freguesia, permanecendo, assim, até a República.

Por solicitação de seus habitantes, o governo provisório do Pará – o primeiro republicano – em 1890, pelo Decreto nº 210, de 28 de Outubro, criou o Município de Bagre. Da mesma data é a portaria que nomeava o Conselho de Intendência Municipal, sendo presidido pelo Intendente Manoel Evaristo de Mendonça, eleito no primeiro pleito Municipal ali realizado.

A posse dos nomeados e a instalação oficial do Município, ocorreu a 11 de Novembro de1891, Bagre pertenceu, sucessivamente, aos Municípios de Portel (Decreto nº 72, de 27 de Dezembro de 1930) Curralinho (Decreto nº 72, de 27 de Dezembro de 1930) e, em 1935, com a Lei nº 8, voltou a pertencer a Portel, apresentando-se como um de seus distritos, o que foi considerado pelo Decreto Lei nº 2,972 de 31 de Março de 1938.

Pelo Decreto Lei nº 3.131, de 31 de Outubro de 1938, o Município de Portel perde para Oeiras o distrito de Bagre. Em face do disposto no Decreto Lei nº 4.505, de 30 de Novembro de 1943, o Município de Oeiras e o distrito de Bagre passaram a denominar-se Araticu, constituído de dois distritos Araticu e Bagre, Bagre, até 1961, pertencia ao Município de Araticu, hoje Oeiras do Pará. A Lei nº 2.460, de 29 de Dezembro de 1961, lhe restituiu a autonomia municipal.

O Município é constituído dos distritos de Bagre e Pedreira.

A povoação foi fundada no século XIX, pertencendo então ao município de Oeiras do Pará. Em 1883 passou a pertencer ao município de Melgaço e em 1887 foi elevada a freguesia. Foi município autónomo entre 1890 e 1930. Nesse ano foi anexada ao município de Portel como distrito. Este foi, no entanto, transferido para o município de Curralinho até 1935. Em 1938 voltou ao município de Oeiras do Pará, então conhecido como Araticu, onde se manteve até a sua autonomia ser restaurada em 1961.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A memória cultural e histórica do município de Bagre está intimamente ligada ao Município de Oeiras do Pará. Devido ser criado através do desmembramento do antigo município de Oeiras, ganhando autonomia municipal, em 1961.

Como expressão religiosa, destaca-se a festa de Santa Maria, Padroeira do lugar, realizada no período de 20 a 30 de maio, com Círio fluvial, arraial, ladainha e festa dançante.

Os equipamentos culturais resumem-se a uma biblioteca e uma casa da cultura. Vinculadas à Prefeitura Municipal.

Orla de Bagre[editar | editar código-fonte]

Localizada ao longo da Avenida Barão do Rio Branco onde encontramos também os principais prédios da cidade e a área comercial. Onde culmina todo o movimento, principalmente aos finais de semanas por causa da Praça 29 de Dezembro que é próximo a Orla e o Hidroviário Municipal que encontra-se lanchonetes e outros serviços.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se à latitude 01º53'59" sul e à longitude 50º09'52" oeste, com altitude de 31 metros. Sua população estimada em 2015 é de 23 820 habitantes, distribuídos em uma área de 4 417,699 km².[8] [9]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

A principal drenagem do Município é o rio Jacundá que corta seu território. No sentido Sudeste-Noroeste, tendo como principais afluentes os igarapés Águas-Claras, Açu, Braço, Repartimento do Jacundá e o rio Juruparí que deságua na Baía das Bocas.

Destaca-se, ainda, o rio Panaúba que, em sua foz, na Baia das Araras, banha a sede municipal, e tem como principais afluentes o rio Tachí e os igarapés Pirarucu e Pimental. Fazendo limite a Leste, com Oeiras do Pará, encontra-se o rio Mocajatuba e, a Noroeste, o rio Jaguarajó, limite com Portel. Ao Norte, encontra-se a Baia das Bocas, limite com Melgaço e Baia das Araras, limite com Curralinho, onde estão situados diversos furos e ilhas.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima corresponde ao tipo Ami (Kôppen), média mensal com temperatura mínima superior a 18ºC. Estação seca de pequena duração e umidade suficiente para manutenção da floresta e amplitude térmica que não ultrapassa 5ºC, com ligeira variação para o tipo Aw, com chuvas que ocorrem com incidência de Fevereiro a Abril.

Com temperatura do ar elevada, predominante na Amazônia, com média de 26,3ºC, máxima de 32,4ºC e mínima de 24,1ºC. A umidade relativa está sempre acima de 80%. A precipitação pluviométrica está regulada em cerca 2.202mm anuais.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 14 de agosto de 2013. 
  5. a b «PIBMunicipal2008-2012». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 12 dez. 2014. 
  6. «Estado Pará, Município Bagre». IBGE. 2015. Consultado em 13 de maio de 2016. 
  7. «Bagre, Pará - PA». Geógrafos. Consultado em 13 de maio de 2016. 
  8. «Estado Pará, Município Anajás». IBGE. 2015. Consultado em 13 de maio de 2016. 
  9. «Anajás, Pará - PA». Geógrafos. Consultado em 13 de maio de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.