TV Altamira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
TV Altamira
Prefeitura Municipal de Altamira
Cidade de concessão Altamira, PA
Canais
6 VHF analógico
Rede Rede Cultura do Pará
Rede(s) anterior(es) Rede Tupi (1977-1980)
Rede Globo (1980-1997)
CNT (1997-1998)
Rede Manchete (1998-1999)
TV!, RedeTV! (1999)
Rede Record (1999-2010)
TV Gazeta (2010-2013)
RBTV (2013)
Fundação 17 de janeiro de 1977 (42 anos)
Cobertura Altamira e áreas próximas
Potência Alta

A TV Altamira, também conhecida como TVA, é uma emissora de televisão brasileira localizada na cidade de Altamira, no Pará. A emissora é afiliada à Rede Cultura do Pará e é sintonizada no Canal 6 VHF.

A emissora possui Licença de Funcionamento de Estação RTV sob número 002174/2002-SCM emitida pela ANATEL em 11 de janeiro de 2002 e válida até 30 de novembro de 2015.

No final de 2011, ocorreu referendo no Pará em que eleitores paraenses votaram pela criação ou rejeição dos Estados de Carajás e Tapajós. A cidade de Altamira que abriga a emissora no Tapajós, teve rejeição dos eleitores pela criações desses Estados. Caso tivesse sido aprovada o desmembramento do Pará, a emissora se tornaria a emissora de TV mais antiga do Tapajós.

História[editar | editar código-fonte]

TV Altamira (1976-1979)[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 1976, o Ministério das Comunicações publicou no Diário Oficial da União (DOU) a portaria do Plano Básico de distribuição de 112 canais em UHF para as 51 cidades paraenses (média de 2 Canais em cada cidade), através do Departamento Nacional de Telecomunicações (DENTEL), entre elas, estava Altamira.[1]

Na época, se utilizava VHF para Grandes Centros do Brasil[2] e o Governo Federal do Brasil estava começando a implantar o sistema UHF[3] (até então ainda inexplorado no Brasil só usado em larga escala a partir dos anos 90), por serem maior alcance em cidades menores, como no caso, o município de Altamira.[1]

A emissora entrou no ar em 17 de Janeiro de 1977, tornando-se a segunda emissora mais antiga no interior do Pará (a primeira é a TV Marabá). A emissora exibia a programação da TV Marajoara, emissora própria da Rede Tupi em Belém, através de fitas que chegavam à cidade a bordo dos aviões da TABA, pois na época, a Tupi não tinha sinal de satélite. Quando os aviões por qualquer motivo não pousavam em Altamira, a emissora levava ao ar novamente a programação do dia anterior. Houve também alguns programas de auditório.[vago]

TV Altamira (1980-1996)[editar | editar código-fonte]

Em 1980, a TV Altamira passa um período crítico: as emissoras próprias da Tupi tiveram concessões cassadas (incluindo a TV Marajoara) e a extinção da rede. A emissora passou exibir a programação da TV Liberal de Belém, afiliada à Rede Globo.

Em 1982, quando a programação da Rede Globo passa ser exibida em via satélite, passou ser nova afiliada da rede, deixando exibir programação da TV Liberal e acabando as viagens de aviões da TABA.[vago][carece de fontes?]

Durante afiliação com a Rede Globo, produziu apenas[vago] telejornais locais (exibidos na manhã, tarde, noite e madrugada), no formato semelhante das afiliadas da rede nos anos 80.[carece de fontes?]

TV Altamira (Desde 1997)[editar | editar código-fonte]

Até 1990, a TV Altamira atuou sozinha na região, até que a TV Vale do Xingu, também conhecida como SBT Altamira, afiliada ao SBT, passa a fazer parte da televisão na cidade.

Em 1997, entrou no ar a TV Liberal de Altamira, através do Canal 13, repetindo o sinal gerado da TV Liberal de Belém.

Não se sabe as razões da TV Liberal passasse a transmitir a Rede Globo e TV Altamira deixasse de transmitir a Globo depois de 17 anos como afiliada e com isso, a emissora passou a transmitir a CNT. [carece de fontes?]

Depois de perder a Globo, a TV Altamira passou por dificuldades, passou a ser afiliada da CNT por pouco tempo, e logo mudou para a Rede Manchete até o fim do canal, em 1999, quando mudou nome para TV! e depois para RedeTV!, ambas no mesmo ano. Nesta mesma época foi criada a Fundação de Telecomunicações de Altamira (Funtal), por meio de um decreto da câmara municipal. A TV Altamira passa a ser subordinada ao novo órgão e afiliada da Rede Record. [carece de fontes?]

Em 2001, a sede da emissora fica completamente abandonada e sem programação local. Apesar da lei das concessões e cassações, a concessão do canal 6 pela prefeitura não foi retirada e prosseguiu apenas como repetidora da Record Belém, com alguns problemas técnicos, chegando a passar dias fora do ar .[carece de fontes?]

Em 2005, na administração da prefeita Odileida Sampaio, a TV Altamira volta ao ar com programas locais. Antes da volta da emissora, a prefeitura resolveu investir: contratou o Administrador de Empresas e gaúcho Julio Cesar Prusch, que entre os dias 1º de junho a 5 de agosto, foram contratados e treinados, os novos profissionais na emissora. Prusch foi responsável pela total reforma na sede da emissora (pois contratou e treinou os profissionais), onde reequiparam e colocaram a TV de volta ao ar. Ao mesmo tempo, a prefeitura financiou a reativação da emissora.[carece de fontes?]

Depois de quatro anos fora do ar, a emissora entra no ar com contrato de afiliação com a Rede Record. Durante a permanência como Diretor Geral da TVA-Record, Julio Cesar Prusch recebeu com a equipe 4 prêmios e quando saiu deixou a maior TV do Pará em programação local, com sete programas totalmente produzidos nos estúdios da emissora.[carece de fontes?]

A administração municipal recebeu a tarefa de devolver à comunidade um patrimônio municipal de grande valor, desta vez dando atenção especial à programação local, que foi toda planejada para atender a todos os segmentos da sociedade.[carece de fontes?]

Em junho[vago] de 2010, a emissora deixou a Record e se tornou afiliada da TV Gazeta, causando-lhe queda de audiência e faturamento. No entanto, passou a receber maiores verbas do município por ser proprietária.[carece de fontes?]

Em 8 de junho de 2011, um ano depois de permanecer afiliada à Gazeta, passou ser afiliada à Rede Cultura do Pará, emissora afiliada à TV Brasil. Ao trocar por nova rede, causou mais ainda queda de audiência e faturamento.[carece de fontes?]

Em 17 de fevereiro de 2013, já sob na administração do novo prefeito Domingos Juvenil (PMDB), a emissora transmite a Rede Brasil de Televisão, após passar quase um mês fora do ar. Porém, uma semana depois volta a retransmitir a Rede Cultura do Pará.[carece de fontes?]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Quando a TV Altamira entrou no ar em 1977, era a quinta emissora de TV a surgir no Pará. Hoje, é a terceira emissora mais antiga do Pará.
  • Quando a TV Altamira entrou no ar, apesar de ser a quinta emissora de TV a surgir no Pará (hoje terceira emissora mais antiga) foi a segunda emissora no interior do Pará.
  • Existe outra emissora do Interior do Pará com semelhanças com a TV Altamira: a TV Marabá. A emissora surgiu quase na mesma época (dois meses antes, em 1976), pertence à Prefeitura Municipal de Altamira, exibe a mesma programação vinda de Belém e de Imperatriz (Maranhão).
  • Como acontece as emissoras de TVs brasileiras sintonizadas no Canal 6 VHF, a TV Altamira é sintonizado também na rádio, através em Freqüência modulada (FM), na 87.75 MHz na região.

Referências

  1. a b Guilherme Araújo (13 de abril de 1977). «A TV Marabá Apresenta». Veja. Consultado em 12 de setembro de 2012  Página 83.
  2. Os Grandes Centros em 1976 eram as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Brasília, Recife, Fortaleza, Curitiba e Porto Alegre. Essas cidades tinham canais VHF.
  3. O Governo Federal, na época de Ernesto Geisel (1974-1979), estava implantando as transmissões de TV em UHF, como aconteceu nos Estados Unidos nos anos 40 e 50, mas as emissoras de UHF só surgiram a partir do final dos anos 80 e início dos anos 90 nas capitais brasileiras.

Ver também[editar | editar código-fonte]