TV Brasília

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
TV Brasília
Rádio e Televisão CV Ltda.
Logotipo da TV Brasília desde 2014
Brasília, Distrito Federal
 Brasil
Tipo Comercial
Cidade de concessão Distrito Federal (Brasil) Brasília, DF
Canais Digital: 28 UHF
Virtual: 6 PSIP
Outros canais
Sede Distrito Federal (Brasil) Brasília, DF
Slogan A TV que é daqui
Rede RedeTV!
Rede(s) anterior(es)
Fundador(es) Assis Chateaubriand
Pertence a Diários Associados (50%)
Organizações Paulo Octávio (50%)
Proprietário(s) Condomínio Acionário dos Diários e Emissoras Associados
Paulo Octávio
Antigo(s) proprietário(s) Assis Chateaubriand (1960-1968)
Administração Organizações Paulo Octávio
Acionista(s) 50% Organizações Paulo Octávio

50% Diários Associados

Controlador Diários Associados
Presidente Álvaro Teixeira da Costa
Fundação 21 de abril de 1960 (60 anos)
Prefixo ZYA 506
Emissora(s) irmã(s)
Cobertura
Coord. do transmissor 15° 41' 57.3" S 47° 49' 46.6" O
Potência 2 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial tvbrasilia.com.br

TV Brasília é uma emissora de televisão brasileira sediada em Brasília, Distrito Federal. Opera no canal 6.1 (28 UHF digital) e é afiliada à RedeTV!. Foi fundada em 21 de abril de 1960 por Assis Chateaubriand, no mesmo dia da inauguração de Brasília, e atualmente metade das suas ações pertencem aos Diários Associados e outra metade às Organizações Paulo Octávio. Seus estúdios estão localizados na sede dos Diários Associados no Setor de Indústrias Gráficas, e seus transmissores estão na Torre de TV Digital de Brasília, na região administrativa do Lago Norte. É a emissora mais antiga do Centro-Oeste em atividade e a afiliada mais importante da RedeTV! até hoje.

História[editar | editar código-fonte]

TV Brasília enquanto Tupi (1960-1980)[editar | editar código-fonte]

Enquanto Brasília estava sendo construída, o Governo Federal abriu licitação de três canais, os mesmos sintonizados da então capital Rio de Janeiro: um para o governo, um para Pipa Amaral (TV Rio) e outra para os Diários Associados.

Assis Chateaubriand, fundador da TV Brasília.

A TV Brasília foi fundada pelos Diários Associados de Assis Chateaubriand na noite de 21 de abril de 1960, na mesma data de inauguração da nova capital federal,[1] juntamente com a TV Alvorada e a TV Nacional[2] além do jornal Correio Braziliense, também pertence aos Diários Associados.

Para a transmissão da inauguração da nova capital, os Diários Associados resolveram linkar Belo Horizonte a Brasília, que tinha doze torres com micro-ondas e deles no último momento não operou, dai então foi usado um avião para linkar o elo que estava interrompido para poder assim transmitir a inauguração da cidade. A TV Brasília começou com a missão de registrar todos os acontecimentos da então nova capital do Brasil.

No ano de 1960 a TV Brasília basicamente só retransmitia a programação da TV Tupi do Rio, sem programas locais. Inicialmente operava no canal 5, mais em maio de 1960 migrou para o canal 6, onde se encontra até hoje. Estreou o conteúdo local com o Jornal do Almoço e o 6 no Lance.

Em setembro de 1972, a emissora inaugura novos equipamentos para transmissão de imagens em cores, sendo a primeira emissora no Distrito Federal. Dois anos depois foi responsável por transmitir em rede nacional o concurso da Miss Brasil.

Nos 20 anos que foi afiliada da Tupi a emissora produziu programas como Carrossel - primeira versão entre 1967 e 1972, Feminíssima e telejornais como Agora, Jornal da Cidade, Meio Dia e a versão local do Rede Tupi de Notícias no fim dos anos 70.

Até 1980, foi uma das emissoras da Rede Tupi e uma das poucas que escaparam da cassação de concessão promovida pela ditadura militar nas estações da Tupi em São Paulo, Rio de Janeiro, Belém, Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre e Recife. Pertencia a diversas pessoas ligadas aos Diários Associados. Nesse período, produziu o infantil Carrossel juntamente com a TV Goyá de Goiânia, da qual operava em conjunto. Seus picos de audiência passavam dos 90 pontos de acordo com o IBOPE.

TV Brasília após Rede Tupi (1980-1993)[editar | editar código-fonte]

Devido à extinção da Rede Tupi, juntamente com outras emissoras, até então ligadas à rede extinta, passa a transmitir a programação do REI (Rede de Emissoras Independentes), lideradas pela TV Record e também pela TVS do Rio (que já era retransmitida pela TV Capital, ambas ligadas ao apresentador Silvio Santos, futuro dono do Sistema Brasileiro de Televisão.

Em agosto de 1980, com o tom mais crítico, a emissora estreou o Brasília Urgente, sendo um programa com significativo histórico de realizações, tendo ocupado durante quase dez anos — de 1980 a 1987 — sucessivas vezes o posto de líder de audiência na capital federal. A TV Brasília revelou diversos jornalistas, dentre eles, Ana Paula Padrão, Giuliana Morrone, Júlio Mosquera, Márcia Witczak e outros.

Com o surgimento do SBT, a TV Brasília passa a ser uma de suas principais afiliadas por cinco anos de 1981 até 1986, quando a emissora paulista consegue uma concessão para o canal 12, que foi publicada no Diário Oficial da União. Com isso, a TV Brasília se afiliou à antiga Rede Manchete, tornando-se a principal afiliada daquela rede.

Em 1982 o SBT exibia para a televisão brasileira um espetáculo único no mundo e os telespectadores da TV Brasília puderam assistir com todo o privilégio esse show estrelar. Exibido no dia 14 de março rendendo anúncio no Correio Braziliense e no JB anúncio de duas páginas o show foi transmitido diretamente do Radio City Music Hall de Nova York simultaneamente com os Estados Unidos, Canadá e Inglaterra. O show reuniu nada mais nada menos que 186 estrelas como descreve o anúncio. Juntos dividindo o mesmo palco nomes do cinema, teatro, música e TV ao mesmo tempo. Dentre as estrelas anunciadas estavam Henry Fonda que faleceria no mesmo ano de 82, Liza Minelli, Bette Davis, Sammy Davis Jr, Dustin Hoffman, Brooke Shields, Andy Gibb, um dos irmãos do grupo Bee Gees, Gene Kelly, o dançarino de Cantando na Chuva, Elizabeth Taylor e muitos outros. O show foi ao ar logo depois do Silvio Santos.

Em 1989, ocorreu um incêndio na sede da emissora e, com isso, grande parte do seu acervo se perdeu, desde quando era ainda afiliada da Rede Tupi e da Rede Manchete.

A sede da emissora estabeleceu-se, de 1991 até 2003, no Setor de Indústrias Gráficas, quadra 2, lote 340, no prédio anexo do Correio Braziliense, sede dos Diários Associados em Brasília. Como afiliada a rede carioca, produziu telejornais de rede, como o Brasil 7:30, que tempos depois foi batizado como Telemanhã, além do Telemanchete, jornal local exibido às 19h.

Nova fase dos Associados em Brasília (1993-1999)[editar | editar código-fonte]

Em 1993, juntamente com o resto dos Diários Associados em Brasília, a TV Brasília também foi padronizada visualmente e em seus serviços.

Em 1994, pela primeira vez na história da emissora, a Copa do Mundo não foi exibida por decisão da Rede Manchete, e curiosamente, a Seleção Brasileira ganhou a mesma depois de 24 anos.

Em novembro de 1995, os Diários Associados chegaram a vender a emissora para o então ministro da Agricultura e dono do extinto Banco Bamerindus, José Eduardo de Andrade Vieira, que possuía 49% das ações da Central Nacional de Televisão (CNT). Na mesma época, o empresário, já em crise que logo mais o levaria à falência, vende suas ações na CNT e a TV Brasília volta aos Associados, sem ter trocado de bandeira. A parceria quase foi abalada em 1995, mas acabou durando até 1999, com a falência da Manchete. Por falta de opção, já que todas as outras redes possuem emissoras próprias na cidade, e a CNT já enfrentava um processo de enfraquecimento, a TV Brasília acaba seguindo a transição para TV!, depois RedeTV!, até junho de 2003. Outros programas da Manchete eram exibidos nesse período de transição como o Clip Show, Se Liga Brasil, Jogo do Poder e Mexe Brasil. A TV Brasília exibia esses programas em exaustivas reprises como tapa buracos da programação.

Afiliação com a RedeTV! (1999-2003)[editar | editar código-fonte]

Com o lançamento da RedeTV!, a TV Brasília se renova por completo, alterando formato, grafismo e cenário de seus programas, na época exibindo: Barra Pesada, Brasília Alerta, Brasília Notícias, Clip 105, Mais que emergente, Medina Entrevista e Vida Atual.

Em 2001, a emissora foi comprada pelo político e empresário Paulo Octávio. A negociação à época foi possível porque a emissora era um dos poucos veículos ativos dos Diários Associados que ficou livre do bloqueio judicial movido por Gilberto Chateaubriand.

Em junho de 2001 os Diários Associados passavam por uma grave crise e a emissora era apenas repetidora da programação da Rede TV!. A programação que estreou no mesmo dia do lançamento nacional da sucessora da Manchete já não existia mais. Todos os programas foram extintos na segunda metade do ano 2000 e a TV Brasília ficou retransmitindo a programação do canal. Aos poucos novos programas foram introduzidos e o primeiro deles foi o Agenda Brasília, um programa de entrevistas e voltado para assuntos gerais que estreou em 10 de setembro, logo depois o programa foi para o horário do fim da manhã. O programa foi apresentado por Adeline Delgado e ficou no ar até o começo de 2003. O dono lançou em 4 de dezembro de 2001 o Emprego e Educação onde ele conversava com empresários da capital. No dia 27 de abril de 2002 estreou o Oficina Mix, um programa que ficou menos de um ano no ar e era apresentado por Carolina Monte Rosa. O Oficina Mix trazia entrevistas, musicais e reportagens variadas. O jornalismo voltou em abril do mesmo ano com o Canal 6 Notícias apresentado pela jornalista Sandra Amaral que fazia o telejornal em pé. Antes em janeiro o Barra Pesada voltou a ser exibido depois de um ano fora do ar e no mesmo ano a TV Brasília lança o Auto Giro, que se tornou um sucesso na emissora por 12 anos seguidos, e sendo a única revista eletrônica do setor automobilístico do Distrito Federal até os dias atuais, sendo chamada de Vrum.

Saída da RedeTV!; Programação Local e Independente (2003-2008)[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2003, surpreendendo o mercado publicitário, a emissora deixa a RedeTV!, e passa a ser a primeira afiliada da recém-criada Rede 21 do Grupo Bandeirantes de Comunicação, até então focada apenas na Grande São Paulo. A parceria resultou em uma programação mais qualificada, porém com menor retorno comercial. O objetivo da televisão era se tornar referência no jornalismo local, procurando ser o veículo do brasiliense por excelência, desta forma, eram exibidos três noticiários diários. O Jornalocal - 1ª Edição, às 12h30 o Jornalocal às 19h e o Jornalocal - Edição da Noite a 01h30 da madrugada. Além disso a emissora trabalhava junto com a Rede 21, no Jornal 21, noticiário em rede nacional. A TV Brasília exibia ainda o Manchete da Hora - nove inserções diárias com as notícias que acabaram de acontecer na capital. Segundo descrição do superintendente da época, André Gustavo Stumpf, a Rede 21 é voltado para o público das classes A e B, e com isso a TV Brasília iria trazer uma programação mais sofisticada, com séries cult, filmes, destaques esportivos e noticiários. O Jornal 10, ancorado em São Paulo por Fábio Pannunzio e Ana Luiza Medice, passou a ter desde o dia 21 de agosto, forte presença do canal 6 de Brasília. No ano de 2003 a Mônica Nóbrega troca a Band pelo Canal 6 levando seu programa Viver em Brasília no horário das 14 horas, depois passando para o horário da manhã. E no mesmo ano estrearia Terra de Cowboy, Auto Giro e Porteira Aberta. O jornalista André Gustavo Stumpf assume o comando do Falando Sério, programa exibido em rede nacional onde ele entrevistava políticos.

No dia 21 de abril de 2004 a TV Brasília inaugura sua nova sede no Setor Hoteleiro Norte em Brasília, que funcionou até fevereiro de 2014.No mesmo ano a TV Brasília estreia o De Olho no Mercado, gerado na nova sede, o programa era destaque por trazer nomes altamente renomados no país e pela sua estrutura de conteúdo e grafismos bastante avançada para a época. Ainda nesse ano é lançado o telejornal Acorda Brasília apresentado por Camila Bonfim e o Conteúdo com Arthur Luís, apresentador que anos depois retornaria à emissora para apresentar o Clube TV.

No ano de 2005, a TV Brasília transmitia ao vivo a sua programação e a da Rede 21 pelo site, por meio do software Windows Media Player 9. Em janeiro de 2005 a TV Brasília virou o ano com a estréia de novos programas e vinhetas, todos os programas ganharam novos apresentadores e novos horários. Segundo disse o superintendente da época, André Gustavo Stumpf ao jornal Correio Braziliense, a TV Brasília estava reformulando a sua programação com o intuito de oferecer na TV aberta um canal com estilo de TV fechada. No dia 21 de abril de 2005, a emissora inaugurou novo transmissor, o Larcan 22 Kw, o primeiro produzido no Brasil com tecnologia canadense. Além disso, passou da era analógica para a digital, estreando equipamentos de edição não linear (digital) em todo o departamento de jornalismo. No dia 8 de maio, a TV Brasília inaugura um novo switcher. sendo uma das poucas na cidade a contar com duas centrais de corte, o que possibilita trabalhar nos dois estúdios simultaneamente. No ano seguinte, acompanha a mudança da Rede 21, que passa a se chamar PlayTV e a ser comandada pela Gamecorp, ligada a um dos filhos do então presidente Lula, seguindo com o retorno da Rede 21 em 2008. O ano de 2005 marcou o lançamento de novos programas como o infantil Brasília Animada apresentado na época por Heloísa Bomtempo, o programa de vídeoclipes Turbinado com Flávia Aleixo e a Sessão das Duas com filmes que o público escolhia além de pequenos comentários apresentados pelo jornalista Sérgio de Sá e depois por Márcio Machado. Outros programas foram lançados durante o ano como o Tempos Modernos, Alta Frequência, um musical apresentado por Paloma Lopes com shows de artistas internacionais, o Art Mix, Vitrine Capital apresentado por Lana Canepa, Debate Capital com Kido Guerra e o esportivo A Grande Jogada comandado por Domingos Melo.

No ano de 2006, acompanha a mudança da Rede 21, que passa a se chamar PlayTV e passa a ser comandada pela Gamecorp. afiliação que dura até o ano de 2007 quando a mesma opta por não seguir a grade da PlayTV e passa a ter uma programação própria. A partir do dia 7 de maio de 2007, quando passa a exibir uma grade com programas locais, programas do canal Terra Viva, edições de noticiosos dos canais BandNews TV e BandSports, mantendo no ar apenas dois programas da PlayTV: O Jornal 10 e o bloco Otacraze e poucas semanas depois somente o Otacraze; com isso, a TV Brasília passou a ser uma emissora independente ou seja, sem ter uma grade de programação nacional definida.

O retorno para os Diários Associados e a RedeTV! (2008-2014)[editar | editar código-fonte]

No dia 23 de janeiro de 2008, através da TV Alterosa, os Diários Associados adquirem 50% capital acionário da TV Brasília, pertencente às Organizações Paulo Octávio. Com a transação, a TV Alterosa passou a controlar a gestão do negócio e a parte comercial e editorial da emissora. Com a volta da TV Brasília aos Diários Associados após sete anos, o grupo completa seu "mix" de mídia no Distrito Federal, onde já mantém os jornais Correio Braziliense Aqui DF, o portal Correio Web, além da Rádio Planalto e da Clube FM. A volta da TV Brasília aos Associados ocorreu com base em uma estratégia, na qual a ideia era de fazer em Brasília o mesmo que ocorria em Minas, com a integrações das empresas do grupo e a comunicação entre TV, rádios, internet e jornal impresso. A negociação faz parte da estratégia de expansão dos Associados, dedicados a fazer parcerias e sociedades nos estados onde atua. Luis Eduardo Leão, gerente técnico da TV Alterosa, assume o cargo de superintendente da TV Brasília. O canal continua a pertencer às Organizações Paulo Octávio, que mantêm 50% do capital acionário, sendo que os outros 50% retornam aos Diários Associados que editam o Correio Braziliense. A venda foi assinada na tarde do dia 23 de janeiro, pela representante da Paulo Octavio, Anna Christina Kubitschek Pereira e pelo presidente do Correio, Álvaro Teixeira da Costa.

No dia 29 de maio, foi assinado na presença do presidente da rede, Amílcare Jr., o presidente do Correio Braziliense, Álvaro Teixeira e o vice-governador do DF, Octávio Frias, o acordo de afiliação da RedeTV! com a TV Brasília, na sede do jornal Correio Braziliense. A assinatura que ocorreu na tarde, foi mostrado na noite nos telejornais RedeTV! News e Leitura Dinâmica. Em junho de 2008 a emissora voltou a ser afiliada da RedeTV!, após cinco anos.[3] Nesse período, a RedeTV! foi representada pela filial brasiliense da Rede União, pelo canal 56. Depois de 2006, ficou sem sinal aberto no Distrito Federal, com isso só foi possível sintonizar a RedeTV! pela TV por assinatura ou em antena parabólica. No dia 8 de julho, uma festa realizada no espaço Ilha das Tribos, em Brasília, marcou oficialmente o início da parceria entre a RedeTV! e a TV Brasília, que passa a retransmitir o sinal da RedeTV! em diversos horários. Com a nova grade, a programação da TV Brasília ganha uma abrangência nacional. Brasília, é uma das cidades com pior desempenho em termos de regionalização da programação, atingindo uma média de 6,61% conforme o estudo do Observatório do Direito à Comunicação (2009). A única emissora da capital que ultrapassou a média nacional foi a TV Brasília, com 11% de conteúdos locais transmitidos. As demais emissoras, afiliadas das quatro maiores redes, mantêm índices bem inferiores: RecordTV (8,48%), Globo (5,75%), Band (4,76%) e SBT (3%).

Em fevereiro de 2009, a TV Brasília altera sua grade local no horário nobre e passa a exibir o Notícias das 7, que devido a sua baixa audiência, seria extinto três meses depois. Em agosto, a emissora passa a exibir o programa Antônio Roberto e Você, que também é exibido na TV Alterosa de Minas Gerais, que também pertence aos Diários Associados. Mesmo o Futebol não sendo "o forte" da TV Brasília, no final de 2009 a TV Brasília correu atrás e reformulou o Esporte Show, agora apresentado por Bruno Mendes, deixou de ser um programa focado em todos os esportes para ter um destaque maior no futebol. Usava fórmula de Bancada Democrática que é usado com sucesso nos programas Alterosa Esporte (na TV Alterosa/SBT em Minas Gerais) e no Superesportes (nas emissoras TV Borborema afiliada do SBT em Campina Grande/PB e TV Clube afiliada da Rede Record em Recife/PE).

Em 20 de junho de 2010 a emissora lança a campanha em comemoração aos cinquenta anos com o slogan A TV que enxerga a cidade do seu jeito.

A Capital do Estado de Goiás (Goiânia), desde julho de 2011, passou a receber o sinal da TV Brasilia pelo canal 21 UHF e também pelo canal 22 da NET. Em 14 de novembro, a emissora estreou o programa policial DF Alerta, apresentado por Fred Linhares, sagrando-se fenômeno de audiência, atingindo sucesso absoluto segundo aferição do Ibope.

Em setembro de 2013, devido à mudança na programação local na faixa do meio dia, o programa Bola Dividida passou a ser exibido as 18h00.

Nova sede da TV Brasília e reformulação (desde 2014)[editar | editar código-fonte]

Em 17 de fevereiro de 2014, a TV Brasília lançou sua nova programação, com a criação da "Super Faixa Local", e seus estúdios voltaram a ser localizados na sede dos Diários Associados no Setor de Indústrias Gráficas, sendo oficialmente inaugurados em 29 de abril. No dia 19 de fevereiro, morreu o repórter policial Raphael Britto do programa DF Alerta, vítima de insuficiência renal. No dia 10 de março, estreou o programa Clube TV apresentado por Arthur Luís da Clube FM, que possui jornalismo comunitário, variedades, apresentação de artistas nacionais quando estão fazendo shows pelo Distrito Federal, sorteio de ingressos de shows musicais e exibição de clipes de hits de sucesso que tocam na Rádio Clube FM.Com o sucesso da atração, o formato do programa foi implantado na TV Clube, afiliada da Rede Record em Recife/PE com o programa Agora é Hora. No final de novembro, a emissora atinge a liderança em audiência na faixa do almoço denominada Super Faixa Local com os programas Jornal Local, DF Alerta e Clube TV, assim disputando a audiência com a TV Globo Brasília, RecordTV Brasília e SBT Brasília na preferencia do público.

Em 2015, a TV Brasília passou a transmitir a sua programação local ao vivo pelo Correio Web e por aplicativos móveis. Em 23 de fevereiro, a emissora extinguiu o Jornal Local 2ª Edição, e o horário foi ocupado por programas independentes. No dia 17 de agosto, estreou o talk show político CB.Poder, em parceria com jornal Correio Braziliense, apresentado por Simone Souto. No dia 20 de Dezembro de 2015 o programa Clube TV foi eleito o melhor programa local do Brasil pelo site Na Telinha/Uol, superando o programa A Bahia Que a Gente Gosta exibido na RecordTV Itapoan.

Em 10 de janeiro de 2016, estreou o programa Vrum Brasília, apresentado por Clayton Sousa. Em abril, ocorrerem mudanças na "Super Faixa Local" da emissora, com o programa DF Alerta passando a ser exibido às 11h45 (cortando os 15 minutos finais do Melhor pra Você), e o Jornal Local às 13h10. Em julho, o Clube TV deixa de ser exibido pela emissora, e o radialista Arthur Luis passa a atuar apenas na Clube FM e na gerencia artística das rádios dos Diários Associados no Distrito Federal. Em 19 de setembro, a emissora relançou a 2ª edição do Jornal Local, na apresentação de João Fagundes.[4]

Em fevereiro de 2017, o DF Alerta passa a ser apresentado interinamente pelo repórter Rodrigo Lemes, um dia após Fred Linhares ser contratado pela RecordTV Brasília. Um mês depois, Nikole Lima tornou-se a nova titular do programa, enquanto Wagner Relâmpago passou a fazer os comentários policiais. Em março do ano seguinte, estreou o programa O Conciliador com Todi Moreno. O programa é um instrumento simples de resolução de conflitos em que as partes buscam resolver as suas questões com o auxílio do conciliador Todi Moreno (ex-diretor do Procon/DF)

No dia 14 de novembro de 2019, a emissora assina contrato para transmitir o Campeonato Candango de Futebol, depois de dez anos.[5] Durante este tempo vago, a TV Globo Brasília que detinha os direitos do campeonato, mas mesmo assim, a Rede Globo não exibia os jogos com muita frequência.

Em janeiro de 2020 a jornalista Paula Lobão deixa a emissora. Em 2 de fevereiro, a emissora passa a transmitir o programa Alerta Nacional da TV A Crítica em parceria com a RedeTV!, sendo uma das afiliadas com maior participação no jornalístico.

Em abril de 2020, devido à pandemia do novo coronavírus, a TV Brasília optou por exibir alguns programas diretamente da casa de seus apresentadores, como Vrum, DF Alerta e outros. Alguns apresentadores gravaram vídeos nas redes sociais da emissora, incentivando os telespectadores a cumprirem o isolamento social. No dia 21 de abril de 2020, a TV Brasília exibiu em comemoração aos seus sessenta anos, uma apresentação de Pedro Paulo e Matheus, integrado com a internet e redes sociais e no mesmo dia, mais cedo, foi exibida uma edição especial do Jornal Local em comemoração ao sexagenário da emissora e da capital. Nesse dia não houve exibição do A Tarde é Sua e do horário alugado a Igreja Universal, encerrando às 18:00 na televisão para exibição do Alerta Nacional mas na redes sociais da emissora e YouTube seguiu no ar até as 18:30.

Em 13 de julho de 2020, Nikole Lima deixa a TV Brasília após assinar contrato com a RecordTV Brasília. No dia seguinte, o jornalista Wagner Relâmpago que estava em home office assume a apresentação do DF Alerta. Em 18 de junho de 2020 a jornalista Jéssica Nascimento, que atuava na equipe de reportagem do Jornal Local anuncia a saída da TV Brasília e segue para RecordTV Brasília. Em 21 de julho, Rachel Castro que trabalhava na direção do DF Alerta deixa a emissora rumo ao SBT Brasília. Em agosto, o jornalista Bruno Fonseca (conhecido como Brunoso) é contratado para apresentar o DF Alerta, depois de um ano na TV A Crítica de Manaus, onde apresentava o jornalístico Alerta Nacional. Ainda em 2020 a TV Brasília lança o reality show Os Infiltrados Brasília, sendo o primeiro reality show a ser feito na capital federal e o Vrum Brasília, com 4 anos no ar passa novamente a se chamar somente Vrum, como foi nos tempos de sua passagem pela TV Alterosa.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Uma das razões do rompimento do contrato entre a RedeTV! e a TV Brasília em 2003, foi o incômodo do governador à época, Joaquim Roriz, com as denúncias e críticas contidas em reportagens produzidas pelo núcleo de rede da emissora paulistana, veiculadas no então Jornal da TV! e no Superpop, em horário nobre. À época, o então senador dono da emissora e hoje um dos sócios da TV Brasília, Paulo Octavio, era aliado de Roriz, que foi determinante para a eleição de Paulo Octávio para o Senado Federal. No mesmo ano do rompimento até 2006, a sucessora da extinta Rede Manchete foi representada pela filial candanga da Rede União, pelo canal 56. Depois de 2006, ficou sem sinal aberto no Distrito Federal, com isso só foi possível sintonizar a Rede TV! pela DirecTV, pelo no canal 15 da NET ou em Antena Parabólica, em junho de 2008 a TV Brasília voltou a transmitir o sinal a Rede TV!.

Cogita-se[quem?] também que os sete anos de domínio exclusivo de Paulo Octávio haviam sido previamente estabelecidos em um acordo para salvar a emissora, com exigências de ambas as partes.[carece de fontes?]

Identificação[editar | editar código-fonte]

Logotipo[editar | editar código-fonte]

O primeiro logotipo foi criado com a fundação da emissora em 1960, Simbolizando um índio com antenas no lugar do cocar, ainda chamada TV-Brasília, o visual do índio era muito semelhante ao da TV Itacolomi, porém, com as antenas acima da cabeça e não na franja.

Em 1961, já no canal 6, o índio foi trocado por outro, representando a capital federal. Acaba que esta logomarca se tornou a recorde em tempo de exibição (onze anos) ficando na frente da logomarca de 1986.

Em 1972 Com a formação da Rede Tupi, o seu logotipo passava a ser o mesmo da rede, composto por duas linhas entrelaçadas e três esferas nas cores: azul, vermelho e verde que permaneceu até 1977. A assinatura "TV Brasília" foi até 1975 quando passou a assinar Rede Tupi Brasília. Em 1975 foi lançada uma vinheta semelhante à da rede.

Em 1977, a emissora utilizou um catavento estilizado como logotipo e retornando o uso do nome TV Brasília em suas campanhas publicitárias, mas, devido à má recepção do público, logo retornaram com a logomarca de 1972, só que com as ondas maiores e as cores reordenadas para vermelho, verde e azul.

Em agosto de 1977 a TV Brasília utilizou o mesmo T estilizado da rede, porém, dentro de uma tela. Em 1980 a TV Brasília permaneceu sem logotipo quando afiliada à REI, mas, no final de 1980 a emissora ganha uma logomarca feita por Cyro Del Nero, representando o número 6 estilizado nas cores RGB dentro de uma tela, e com uma tipografia própria, inspirada em Brasília. A vinheta da emissora na época era feita em Computação Gráfica 3D, algo extremamente tecnológico para a época.

Em 1986, logo após a emissora se afiliar a Rede Manchete, a logomarca anterior foi aprimorada, saindo para fora da tela e ficando com as pontas arredondadas. Se tornou a segunda marca mais duradoura da emissora, atrás somente de 1961.

Em 1993, a TV Brasília adota a logomarca padrão dos Diários Associados, mesma também utilizada pela Rádio Planalto, 105 FM e Correio Braziliense na época.

Em 1997 em comemoração aos 37 anos da TV Brasília, foi utilizada uma esfera com o mapa de Brasília, em alusão ao nome da emissora. Juntamente com a nova marca, foi adotado uma nova identidade visual, completamente repaginada e de acordo com as tendências da época e o slogan que era utilizado pela emissora era "Tem que ver", a vinheta da época mostrava pessoas abrindo a lente da câmera em Brasília e fazendo gesto de olhar. A logomarca foi mantida até 2002, um ano após as Organizações Paulo Octávio adquirir 100% das ações da emissora.

Em 2002, já pertencente ao Grupo Paulo Octávio, a TV Brasília passou a utilizar mais o nome "Canal 6" do que o seu próprio, como uma tentativa de se popularizar mais no mercado, todos os programas, marcas e sua identidade visual no geral foram atualizadas, mantendo nenhuma lembrança da época em que era administrada pelos Diários Associados, a logomarca se tornou um simples 6, trocando a tradicional cor azul por um amarelo dourado.

No dia 12 de março de 2003, a emissora passa a ser a primeira afiliada da recém-criada Rede 21 do Grupo Bandeirantes de Comunicação, e com essa nova era, foi desenvolvida uma nova identidade visual, até então, altamente moderna e acima do que a TV Brasília já utilizou anteriormente, foram lançados novos telejornais, policiais, esportivos, entretenimento, séries e até humorísticos, a identidade visual ficou responsável por Ruth Reis, Rubens Duarte e Aguinaldo Abreu, os programas jornalísticos sofreram modificações estéticas em 2004, 2005 e 2007. O Slogan da época era: Aqui é o seu lugar até 2005 quando virou O Canal que pega bem.

Em 2007, após a TV Brasília se tornar independente, boa parte de sua programação foi visualmente alterada, porém, o logotipo do canal permanece o mesmo.

Em 2008 a TV Brasília voltou parcialmente aos Diários Associados, e em julho do mesmo ano, se tornou afiliada novamente à RedeTV!, portanto, em outubro de 2008, a logomarca anterior foi atualizada, ganhando um ar mais "flat" e menos 3D, buscando se atualizar as novidades do mercado e em 2010, com a comemoração dos 50 anos do canal, foi lançado uma vinheta nova, toque sonoro e um slogan novo: A TV que enxerga a cidade do seu jeito.

Em fevereiro de 2014, a TV Brasília retorna a sede dos Diários Associados em Brasília, lança sua nova programação, completamente reformulada com novos estúdios, cenários e equipamentos, juntamente lança a sua nova logomarca que faz uma alusão a de 1997, só que agora representando o mapa de Brasília por 3 telas com as cores do Brasil que juntas formam o croqui original de Lúcio Costa.

Slogans[editar | editar código-fonte]

  • TV Brasília, a emissora que criou tradição na terra de Niemeyer (1960-1972)
  • Maior penetração na sua TV (1978-1979)
  • TV Brasília, mais calor humano (1979)
  • Mais perto de você (1979-1980)
  • A Televisão que o povo gosta (1984-1986)
  • A força de quem acredita no trabalho (1991-1993)
  • A TV com a Nossa Identidade (1993-1997)
  • TV Brasília, Tem que ver! (1997-1999)
  • TV Brasília, Onde Brasília se Vê (1999-2000)
  • A TV da Nossa Cidade (2000-2002)
  • Canal 6, Ligado por você (2002-2003)
  • Aqui é o seu lugar (2003-2005)
  • O Canal que Pega Bem (2005-2008)
  • TV Brasília & Rede TV! Conteúdo em dobro pra você (2008-2010)
  • A TV que enxerga a cidade do Seu Jeito (2010-2014)
  • Amor Federal por Você (2014-2016)
  • Sintonizada com o futuro (2016-2017)
  • A TV que é Daqui (2017-)

Comemorativos[editar | editar código-fonte]

  • 30 Anos Ligada em Você (1990)
  • Há 40 anos a TV da Nossa Cidade (2000)
  • 45 anos no ar (2005)
  • Há 50 anos, a TV que enxerga a cidade do seu jeito (2010)
  • Brasília 55 anos, TV Brasília 55 anos (2015)
  • Há 60 anos crescendo com Brasília (2020)

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Proporção de tela Formato de Vídeo Programação
6.1 28 UHF 16:9 1080p Programação principal da TV Brasília / RedeTV!

A emissora iniciou suas transmissões digitais em caráter experimental em 25 de fevereiro de 2015, através do canal 28 UHF, passando a transmitir oficialmente em 10 de julho do mesmo ano. Em junho de 2016, o Vrum Brasília tornou-se o primeiro programa local transmitido em alta definição pela emissora, e em dezembro de 2017, os demais programas passaram a ser transmitidos no novo formato.

Transição para o sinal digital

Atendendo ao decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Brasília cessou suas transmissões pelo canal 06 VHF em 24 de setembro de 2016, um mês antes da data prevista no cronograma oficial da ANATEL.[6]

Programas[editar | editar código-fonte]

Além de transmitir a programação nacional da RedeTV!, a emissora também produz os seguintes programas:

  • DF Alerta: jornalístico policial com Brunoso
  • Jornal Local: telejornal com Gláucia Guimarães
  • Candangão: esportivo, com Victor Gomes
  • CB.Poder: talk show político com Glaucia Guimarães e jornalistas do Correio Braziliense
  • CB.Saúde: talk show saúde com Denise Rothenburg e jornalistas do Correio Braziliense
  • Momento CBV: talk show saúde com Victor Gomes e doutores do CBV.
  • Vrum: jornalístico sobre automobilismo com Clayton Sousa e João Fusquine
  • Ofertas Vrum: Ofertas de automóveis com Clayton Sousa
  • Vitrine: programa de televendas local
  • Vitrine Gastrô: programa de gastronomia
  • Sabores: programa de gastronomia com Wellington Almeida
  • O Conciliador: programa de serviços com Todi Moreno
  • Hora da Pesca: programa de pescaria
  • Os Infiltrados Brasília: reality show com Vanessa Lamarck e TJ Fernandes

Especiais[editar | editar código-fonte]

  • TV Brasília Run: maratona de corrida
  • TV Brasília Run Kids: maratona de corrida infantil
  • TV Brasília In Live: concerto musical
  • Corrida de Reis: maratona de corrida
  • Circuito Praia do Cerrado: circuito de futevôlei.
  • Live G7 Comédia: Primeira Live de Comédia da TV brasileira.

Programas Independentes[editar | editar código-fonte]

  • Capital de Prêmios: exibição em conjunta com a RecordTV Brasília (geradora do sorteio) e Band Brasília
  • Igreja Universal: produzido pela Igreja Universal do Distrito Federal
  • Brasília na Graça: produzido pela Igreja Internacional da Graça de Deus
  • Programa Disse Jesus
  • Pampa e Cerrado
  • Cooperativismo em Notícia
  • You TV
  • Brunny e Você
  • Por Brasília

Programas antigos[editar | editar código-fonte]

  • 24 Horas
  • 105 FM Conteúdo
  • 105 FM TV
  • 420 Minutos
  • A Cor da Cidade
  • A Grande Jogada
  • Acesso Livre
  • Acorda Brasília
  • Agenda Brasília
  • Agenda Sesc
  • Agora (exibido em rede com a Rede Tupi)
  • Alô Pizza
  • Alta Freqüência
  • Antônio Roberto e Você
  • Art Mix
  • Atualidade
  • Auto Giro
  • Barra Pesada
  • Bem Mais Fácil
  • Beleza em Foco
  • Boas Compras
  • Brasil 7:30 (exibido pela Rede Manchete)
  • Brasil Open
  • Brasília 7:30
  • Brasília 8:00
  • Brasília Animada
  • Brasília Alerta
  • Brasília Black-Tie
  • Brasília é o Show
  • Brasília em Manchete
  • Brasília na Copa
  • Brasília na TV
  • Brasília Notícias
  • Brasília Presente e Futuro
  • Brasília Urgente
  • BRB Cap
  • Brinca Carranquinha
  • BSB Esportes
  • BSB Radical
  • BSB TV
  • Cadê a Solução?
  • Café com Armildes
  • Canal 6 Notícias
  • Canal de Informação
  • Canal de Debates
  • Carrossel (retransmitido pela TV Goyá)
  • Carrossel 2001
  • Cartão Postal
  • Casa Fácil
  • Clima de Fazenda
  • Clip 105
  • Clube de Negócios
  • Clube TV
  • Companhia de Viagem
  • Conteúdo
  • Conversa Brasília
  • Correio na TV
  • Cronistas de Brasília
  • Debate Capital
  • DF Alerta 2ª Edição
  • DF Alerta Turbo
  • Don & Juan e Sua História
  • Edição da Noite
  • Educa, Brasil
  • Emprego & Educação
  • Escolinha Carrossel
  • Espaço Vida na TV
  • Esporte Show
  • Esporte Local
  • Estilozzo
  • Estúdio Livre (hoje na Band Brasília)
  • Evidência
  • Factorama
  • Faça a Diferença
  • Fala Centro-Oeste
  • Falando Sério (exibido em rede com a Rede 21)
  • Fale Certo
  • Feminíssima
  • Festas e Noivas
  • Fórmula Dog
  • Fórmula Horse
  • Gente de Futuro
  • Grande Telejornal BRB
  • Grande Jornal
  • Horóscopo do Dia
  • Humanidades
  • Informativo Bancominas
  • Jogo Rápido
  • Jornal Local 2ª Edição
  • Jornal Local - Edição da Noite
  • Jornalocal - Mundo
  • Jornal da Cidade
  • Jornal da Terra
  • Jornal da Madrugada
  • Jornal da Noite
  • Jornal de Sábado
  • Jornal do Almoço
  • Kaquinho e Cumpadi Bráulio
  • Leitura de Sábado
  • Live Pedro Paulo e Mateus
  • Luiz Carlos Chaves Entrevista
  • Mais que Emergente
  • Manchete da Hora
  • Meio Dia
  • Medina Entrevista
  • Mercado e Bons Negócios
  • Mixando
  • Momento Imobiliário
  • Mundo da Alimentação
  • Nosso Tempo
  • Notícias da Cidade
  • Notícia Local
  • O Campo em Destaque
  • O Dia do Presidente
  • Oficina Mix
  • Opinião Pública
  • Outback Brasil - A Aventura na TV
  • Pampa e Cerrado
  • Paralelo 14
  • Planeta Ação
  • Poltrona Seis
  • Ponto de Encontro
  • Porteira Aberta
  • Programa Alberto Fraga
  • Programa Alternativo
  • Programa @
  • Programa da Cidade
  • Programa Liliane
  • Programa Monica Nóbrega
  • Programa Ricardo Noronha
  • Qual é a boa
  • Questão de Segurança
  • Rede Tupi de Notícias - Brasília
  • Repórter Associados
  • Repórter da Cidade
  • Revista da Noite
  • Ricardo Noronha Show
  • Sabores da Copa
  • Sala de Cinema
  • Safra Brasil
  • Seis no Lance
  • Sessão Animada
  • Sessão das Duas
  • Sessão Fim de Noite
  • Semana Ilustrada
  • Sete da Noite
  • Som da Terra
  • SOS Brasília
  • Super Séries
  • Tá na moda
  • Technotícias
  • Telemanhã (exibido com a Rede Manchete)
  • Telemanchete
  • Tempos Modernos
  • TEN - Tendências & Negócios
  • Terra de Cowboy
  • Terra Viva
  • Top Clip
  • Top Tur
  • TPM
  • Transporte Brasil
  • Tribuna Livre
  • Trilhas do Brasil
  • Túnel do Tempo
  • Turbinado
  • Turismo e Negócios
  • Turismo S/A
  • TV Brasília Convida
  • TV Brasília Debates
  • TV Escola
  • TV Educativa
  • TV Noiva
  • Últimas
  • Via Brasília
  • Viação Cipó
  • Vida Atual
  • Vinho à mesa
  • Visão Geral
  • Vitrine Capital
  • Viva Brasília
  • Viver em Brasília
  • Você e o PAS

Jornalismo[editar | editar código-fonte]

Durante sua afiliação com a Rede Manchete, a emissora produzia diretamente de Brasília para todo o Brasil, o Brasil 7:30. O telejornal era apresentado por Liliane Carvalho (hoje na TV Globo Brasília). Ainda na época, a emissora tinha telejornais locais como: Telemanchete e o Brasília 8:00 (que durou pouco tempo), além do Últimas, que a partir de 2005 se chamaria Manchete da Hora, que era um boletim exibido na programação da emissora. A emissora era responsável também por fazer a cobertura politica nacional para os telejornais da Manchete.

Em 1997, a emissora estreou o Brasília Notícias exibido à noite, substituindo o Repórter da Cidade. e 12:30 o programa Brasília Alerta, apresentado por Henrique Chaves, substituindo o Repórter da Cidade 1ª Edição.

Em 2003, após ser vendida para as Organizações Paulo Octávio a emissora criou o Jornal Local, que na época era exibido ao meio-dia e as 7 da noite, no mesmo horário do antigo Brasília Notícias. Além disso, houve outras reformulações, como a criação, por exemplo: do Canal 6 Notícias em abril de 2002, apresentado pela jornalista Sandra Amaral que fazia o telejornal em pé. No dia 1 de setembro de 2004, houve a volta do jornalismo nas manhãs da emissora, com a criação do Acorda Brasília, inicialmente comandado por Camila Bonfim (hoje na TV Globo). era um jornal matinal que informa o espectador por meio da leitura dos principais jornais do dia. Sua fórmula simples e objetiva foi inédita no Brasil nas TVs de sinal aberto e faz sucesso em vários países porque foge da rigidez dos noticiários tradicionais, sem se distanciar do fato e daquilo que é a verdadeira informação para o espectador. Como também, em 2005, a emissora criou o Jornal da Madrugada exibido a meia-noite, durante o Leitura Dinâmica. Em 2008 a TV Brasília criou o Notícia Local, uma versão curta e resumida do Jornal Local nas manhãs da emissora, e que no fim de sua existência, havia substituído a 1ª edição do Jornal Local aos sábados. o Notícia Local acabou sendo extinguido em 2014. Desde 2017 o JL possui apenas uma unica edição que é exibida durante o meio-dia e a segunda edição foi substituída pela volta do DF Alerta 2ª Edição em 2015, que foi substituída pelo Jornal Local 2ª Edição, que também seria extinto em 2017. E ainda em 2015 a TV Brasília estréia em parceria com o jornal Correio Braziliense o CB.Poder.

Em 2008, os Diários Associados compram de volta 50% da TV Brasília, a emissora estreou no mesmo ano uma edição do Jornal Local que era exibida á Meia-Noite durante o Leitura Dinâmica, porém devido a baixa audiência do programa, o jornal foi retirado do ar em 2013, assim passando a transmitir novamente o Leitura Dinâmica.

No dia 29 de março de 2019, Simone Souto anuncia sua saída da TV Brasília, onde trabalhou 17 anos, sendo 13 anos como apresentadora do Jornal Local e diretora de jornalismo. Durante uma semana, Paula Lobão apresentou interinamente o Jornal Local. Em abril de 2019, o editor-chefe e diretor do programa DF Alerta, Patrício de Macedo assume o cargo de gerente de jornalismo da TV Brasília.[7] Nesse mesmo dia, o DF Alerta passa a ser coordenado por Rachel Castro, atual editora-executiva do programa. Em abril de 2019, o Jornal Local e CB.Poder passam a ser apresentado por Gláucia Guimarães, que também acumula a função de editora-executiva do telejornal vespertino.

Em 2020, por conta da estreia do Alerta Nacional da RedeTV! com Sikêra Júnior, o DF Alerta 2ª Edição passa a ser exibido de manhã e é renomeado para DF Alerta 24h. Em julho do mesmo ano foi criado o CB.Saúde, com formato similar ao do CB.Poder, mas focado nas vantagens e nos problemas do sistema de saúde no Distrito Federal, e pegando embalo com o tema do Coronavírus.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Na segunda metade do ano 2001 todos os programas locais da emissora foram extintos e a TV Brasília ficou apenas retransmitindo a programação da Rede TV! até 2002 quando havia sido vendida para as Organizações Paulo Octávio.

Por operar no canal 6, a emissora podia ser sintonizada na frequência 87,7 MHz FM até 2016, quando a TV Brasília desligou seu sinal analógico.

Abrangência[editar | editar código-fonte]

A TV Brasília abrange todas as cidades do Distrito Federal através do canal 6.1 (28 UHF), e na cidade-satélite de Sobradinho através do canal 29 UHF, além de abranger algumas cidades do estado de Goiás, que ficam no Entorno de Brasília, (Valparaíso, Alexânia, Águas Lindas de Goiás, Formosa, Planaltina de Goiás, Padre Bernardo, Mimoso de Goiás), (Novo Gama),(Cristalina e Luziânia), também conta uma repetidora em Goiânia GO no capital 21 UHF, também pode ser sintonizada em Brasília pela Claro TV no canal 18.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote