TV Brasília

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
TV Brasília
Rádio e Televisão CV Ltda.
Logotipo da TV Brasília desde 2014
Brasília, Distrito Federal
 Brasil
Tipo Comercial
Cidade de concessão Distrito Federal (Brasil) Brasília, DF
Canais Digital: 28 UHF
Virtual: 6 PSIP
Outros canais 18 / 518 (Claro NET)
517 (Vivo TV)
ver mais
Analógico:
05 VHF (1960)
06 VHF (1960-2016)
Sede Distrito Federal (Brasil) Brasília, DF
Slogan A TV que é daqui
Rede RedeTV!
Rede(s) anterior(es)
Fundador(es) Assis Chateaubriand
Pertence a Diários Associados (50%)
Organizações Paulo Octávio (50%)
Proprietário(s) Condomínio Acionário dos Diários e Emissoras Associados
Paulo Octávio
Antigo(s) proprietário(s) Assis Chateaubriand (1960-1968)
Administração Organizações Paulo Octávio
Acionista(s) 50% Organizações Paulo Octávio

50% Diários Associados

Controlador Diários Associados
Presidente Álvaro Teixeira da Costa
Fundação 21 de abril de 1960 (61 anos)
Prefixo ZYA 506
Emissora(s) irmã(s)
Cobertura
Coord. do transmissor 15° 41' 57.3" S 47° 49' 46.6" O
Potência 2 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial tvbrasilia.com.br

TV Brasília é uma emissora de televisão brasileira sediada em Brasília, Distrito Federal. Opera no canal 6.1 (28 UHF digital) e é afiliada à RedeTV!. Foi fundada em 21 de abril de 1960 por Assis Chateaubriand, no mesmo dia da inauguração de Brasília, e atualmente metade das suas ações pertencem aos Diários Associados e outra metade às Organizações Paulo Octávio. Seus estúdios se localizam na sede do jornal Correio Braziliense, onde funciona toda a holding dos Diários Associados no Setor de Indústrias Gráficas, e seus transmissores estão na Torre de TV Digital de Brasília, na região administrativa do Lago Norte. É a emissora mais antiga do país fora do litoral e é considerada a afiliada mais importante da RedeTV! até hoje.

História[editar | editar código-fonte]

Primórdios (1960-1968)[editar | editar código-fonte]

Assis Chateaubriand, fundador da TV Brasília.

Enquanto Brasília estava sendo construída, o Governo Federal abriu licitação de três canais, os mesmos sintonizados da então capital Rio de Janeiro: um para o governo, um para Pipa Amaral (TV Rio) e outra para os Diários Associados. Assis Chateaubriand prometera ao presidente Kubitschek, que construiria as instalações do Correio Braziliense e da TV Brasília em 100 dias, para que assim as entregasse no mesmo dia da inauguração da nova capital, mas o prazo foi completado quatro dias antes. O aparelho de video-tape chegara dos Estados Unidos num avião cargueiro da PanAm que o desembarcara no Rio de Janeiro, outros equipamentos e funcionários foram fornecidos pela TV Itapoan, TV Rádio Clube e a TV Piratini, todas administradas pelos Diários Associados.

A cerimônia de inauguração foi paraninfada pela socialite britânica Shelagh Parnell, às 20 horas do dia 20 de abril de 1960, Discursaram também João Calmon e Gilberto Chateaubriand. A TV Brasília foi fundada pelos Diários Associados de Assis Chateaubriand na noite de 21 de abril de 1960, na mesma data de inauguração da nova capital federal,[1] juntamente com a TV Alvorada e a TV Nacional[2] além do jornal Correio Braziliense, também pertence aos Diários Associados.

Para a transmissão da inauguração da nova capital, os Diários Associados resolveram linkar Belo Horizonte a Brasília, que tinha doze torres com micro-ondas e deles no último momento não operou, dai então foi usado um avião para "linkar" o elo que estava interrompido para poder assim transmitir a inauguração da cidade para as outras emissoras dos Diários Associados. A transmissão da inauguração foi narrada por Oduvaldo Cozzi e Rui Viotti, com reportagens de Carlos Pallut, Carlos Spera e José Carlos de Moraes (Tico-Tico). A TV Brasília começou com a missão de registrar todos os acontecimentos da então nova capital do Brasil. Inicialmente a TV Brasília operava no canal 5 até trocar em junho de 1960 para o canal 6 aonde se encontra até os dias de hoje.

João Calmon, por sua vez, declarou que o canal de televisão, compensaria a falta de teatros, cinemas, estádios ou vida noturna movimentada na cidade. Ele comenta que a TV Brasília amenizaria a monotonia da vida na nova capital em seus primeiros anos.[3] Escolhido para dirigir a TV Brasília, o jornalista Jairo Valladares atuou como gerente de obras durante os trabalhos de construção dos prédios. Em seu texto de abril de 1962, ele descreve um pouco da rotina entre 1959 e 1960: "Hospedagem, naquela época, só mesmo o Brasília Palace, e, após meia hora de sacolejo do táxi, lá chegávamos inteiramente cobertos do pó vermelho de Brasília, como convinha à época. Éramos jovens, e, depois, outros foram chegando".

A TV Brasília produzia pouco mais de 60% de sua programação, mas também retransmitia atrações da TV Tupi do Rio e de São Paulo junto com programas internacionais, mas só passou a se divulgar como afiliada da mesma a partir de 1973, até então, a TV Brasília divulgava e se referia às atrações da Tupi somente a TV Brasília ou em alguns casos referiam como Rêde Associada de Emissoras. No mesmo ano, a escritora Sylvia Orthof chegava à TV Brasília para produzir o primeiro programa infantil da nova capital, o Teatro do Candanguinho, que permaneceu até 1964 na grade da emissora.

No ano de 1961, a TV Brasília, assim como a Alvorada e a Nacional, receberam muitos pedidos de desligamento em massa devido as condições da cidade na época, dentre os nomes da TV Brasília estava Moacir Ruiz, o primeiro locutor da cidade. No início dos anos 60 a TV Brasília abria uma sucursal em Taguatinga, que mais tarde serviria para produzir conteúdos para a população mais afastada, em breve surgindo o Taguatinga na TV, onde o telespectador era o foco principal. No início de tudo a emissora era majoritariamente noturna, mas contava parque de equipamentos técnicos que incluia 2 transmissores, impossibilitando que a emissora saísse do ar com facilidade, estúdio de 300 metros quadrados que era facilmente modificado e um auditório com 400 lugares.

No dia 1º de agosto de 1961 é lançado o programa O Mundo é Das Mulheres, o primeiro programa da emissora que inaugurava as transmissões diurnas na grade da emissora e era apresentado pela Zélia Marcondes e Renée Nunes, dava dicas de decorações, modas, culinária, beleza, horóscopo e etiquetas. O nome do programa gerou muitas críticas machistas na época, sendo assim, tendo o nome alterado no dia seguinte para No Mundo das Mulheres.

No dia 21 de abril de 1964, durante o seu 4º aniversário lança uma nova logomarca, slogan e programação, desta vez com mais séries e menos teleteatros, a mudança ocorreu devido o novo posicionamento da emissora. O Índio volta a ser a marca principal, desta vez com uma aparencia diferenciada, distante da Tupi, porém levemente semelhante à Itacolomi, os programas ganharam junto novos cenários com novos acabamentos para refletir o slogan Programação de Vanguarda. O programa Flash Social não pode ser gravado na semana em que o ex-presidente Castello Branco tomara o poder durante o golpe de 1964 por ordens de Arthur Costa e Silva que obrigara o âncora a ficar com ele durante toda a semana em Belo Horizonte, porém, a programação prosseguiu normalmente. No mesmo ano o Tele-Colégio Canal 6 foi substituido pela TV Escola. Toda a arte visual da emissora, desde as vinhetas até os cenários eram baseados nos monumentos da capital, conceito que seria reaproveitado 50 anos depois, em 2014. No domingo 4 de outubro de 1964, a TV Brasília lançava um dos primeiros programas educativos de auditório do Centro-Oeste. Idealizado e apresentado por Wanderley Mattos, o Nota Dez consistia num gameshow para estudantes do curso elementar e contava com atrativos como prêmios.

Em 15 de janeiro de 1966, devido as enchentes do estado de Guanabara, a TV Brasília lança a campanha, Rio, Brasília está Contigo e campanhas e iniciativas para ajudar os moradores afetados. Mais tarde o Correio Braziliense e a Varig adotaram a iniciativa. O saguão da emissora fora utilizado como o centro de doações, que eram transportadas até o Rio de Janeiro. Porém, a campanha foi iniciada um dia antes devido a sobrecarga de doações, fazendo que o Isto Foi Notícia prolongasse até de madrugada e a programação excepcionalmente abrisse às 10 da manhã.[4]

Em 1966, a TV Brasília promoveu um concurso de grupos de Jovem Guarda, que contou com a participação de dezenas de conjuntos, e deu o primeiro lugar para Os Primitivos, abrindo o caminho para a gravação do primeiro disco do grupo e a primeira banda de rock a lançar um LP no Distrito Federal. No mesmo ano, a mesma TV Brasília, Canal 6, passou a apresentar o programa “Os Reges”, inicialmente com participação exclusiva do grupo, e posteriormente, aberto aos demais grupos jovens da cidade. Apesar da curta duração de suas carreiras, da distância dos grandes centros e do isolamento cultural, a trajetória de alguns grupos contribuiu para afirmar a identidade cultural da cidade e abrir o caminho para futuras iniciativas. Deixaram gravados apenas quatro videotapes na emissora.

Em 1967 surgiria o programa Carrossel, que em em sua fase inicial, apresentado pelo artista Darlan Rosa (Titio Darlan), contava histórias para as crianças enquanto desenhava com as duas mãos simultaneamente. "Eu não sou ambidestro, mas a mão esquerda espelha a direita. Invento Isso só para homenagear a cidade espelhada".[5]

Consolidação Local (1968-1973)[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 1968, a TV Brasília lança o formato Linha Direta de programação, aonde não era mais exibido algum comercial se quer durante a programação. À pedido do diretor artístico da época, Emílio Cerri, a TV Brasília exibiu no dia 15 de junho de 1968 o Elis Especial, no qual a cantora Elis Regina se apresentara no palco da TV Brasília seu repertório musical em benefício da cultural e tradicional Festa dos Estados que ocorre no Distrito Federal.

No ano de 1969 a TV Brasília investe pesado no Departamento Artístico e lança programas de sucesso e alta receptividade local, programas como o A Caminho da Grande Chance que alcançou ótima pontuação no IBOPE[6]

Em 1971, a TV Brasília lança o programa Seis no Lance, apresentado por Nilson Nelson às 12h45, O programa era de informações diárias, com a equipe sempre presente aos principais acontecimentos, mostrando inclusive lances dos jogos, dando ao programa uma movimentação agradável, sem aquele falatório muito comum até então nas apresentações de esporte nas televisões.[7]

Em setembro de 1972, a emissora inaugura novos equipamentos para transmissão de imagens em cores, sendo a primeira emissora a cores no Distrito Federal. Dois anos depois foi responsável por transmitir em rede nacional o concurso da Miss Brasil.

Formação da Rede Tupi (1973-1980)[editar | editar código-fonte]

No dia 17 de setembro de 1973, a TV Brasília Canal 6 passou a contar com mais um programa esportivo em sua programação, era o Raça e Técnica, às segundas-feiras, a partir das 23h30. O departamento especializado da TV Brasília era, então dirigido por Nilson Nelson e contando com a participação de Jorge Martins, como comentarista, Marcus Vinícius, repórter de campo, e Joaquim Santos e Hélio Nunes como cinegrafistas. O novo programa reunia um punhado de novidades no esporte e com a chamada chuva de gols que o torcedor sempre gosta de ver. No primeiro dia os convidados foram o goleiro Rogério e o diretor do CEUB, Jesus Peres, além de Sílvio de Carvalho, do Departamento de Árbitros da FDB. Como jornalista convidado participou Otávio Bariloche. Uma semana depois, o jogador Jairzinho, do Botafogo, foi o entrevistado. A partir do início desse programa, os torcedores do futebol brasiliense puderam acompanhar todos os jogos do CEUB no Campeonato Brasileiro, fora e dentro do DF. Também no ano de 1973, Nilson Nelson e Jorge Martins fizeram no Canal 6 o programa Comandando a Loteca, dando as dicas para as apostas na Loteria Esportiva. A novidade do programa foi uma astróloga que falava sobre os signos dos clubes e suas influências.[7]

Entre 1973 a 1985 a TV Brasília organizou no Ginásio de Esportes Presidente Médici o concurso Miss Brasil e o transmitiu em rede pela Rede Tupi e pelo SBT. A mudança do evento do Rio para Brasília foi motivada pela queda de público que vinha sendo constante no Maracanãzinho.

Para evitar a extinção da TV Brasília e da Rede Tupi, seus funcionários fizeram greve de fome em 1980.

Até 1980, foi uma das emissoras da Rede Tupi e uma das poucas que escaparam da cassação de concessão promovida pela ditadura militar nas estações da Tupi em São Paulo, Rio de Janeiro, Belém, Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre e Recife. Pertencia a diversas pessoas ligadas aos Diários Associados. No dia da extinção da Rede Tupi, a TV Brasília seguiu sua programação normalmente, porém em faixa nacional foram reprisados programas da Tupi e séries que não haviam sido anunciadas anteriormente na grade.

Devido à extinção da Rede Tupi, juntamente com outras emissoras, até então ligadas à rede extinta, passa a transmitir a programação do REI (Rede de Emissoras Independentes), lideradas pela TV Record e também pela TVS do Rio, ambas ligadas ao apresentador Silvio Santos, futuro dono do Sistema Brasileiro de Televisão.

TV Brasília após Tupi (1980-1993)[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 1980, com o tom mais crítico, a emissora estreou o Brasília Urgente, sendo um programa com significativo histórico de realizações, tendo ocupado durante quase dez anos — de 1980 a 1987 — sucessivas vezes o posto de líder de audiência na capital federal. A TV Brasília já revelou diversos jornalistas, dentre eles, Ana Paula Padrão, Álvaro Costa, Giuliana Morrone, Liliane Cardoso e outros. Nesse período, produziu o infantil Carrossel juntamente com a TV Goyá de Goiânia, da qual operava em conjunto. Seus picos de audiência passavam dos 90 pontos de acordo com o IBOPE. Nos fins de semana o Carrossel era gravado ao ar livre.

Com o surgimento do SBT, a TV Brasília passa a ser uma de suas principais afiliadas por cinco anos de 1981 até 1985, quando a emissora paulista consegue uma concessão para o canal 12, que foi publicada no Diário Oficial da União. Com isso, a TV Brasília se afiliou à antiga Rede Manchete, tornando-se a principal afiliada daquela rede. A afiliação com a Rede Manchete foi oficialmente a partir do dia 1º de julho de 1985, no mesmo ano dos 25 anos da emissora com a transmissão do primeiro capítulo da telenovela Antônio Maria. E com a mudança de rede, houve também outro reposicionamento. Para que a TV Brasília se adequasse ao estilo jornalístico da Manchete, foi largado o formato policial do Brasília Urgente, que passou a ter um formato mais político e foi reduzido, mas, manteve as entrevistas. Ainda no ano de 1985 a emissora completou 25 anos, mas a comemoração foi esfriada devido à morte do presidente Tancredo Neves no dia do aniversário da emissora.

No ano de 1988, a TV Brasília firma parceria com a Universidade de Brasília para a produção do Estação Ciência, que também seria retransmitido nacionalmente pela Rede Manchete. O Estação Ciência funcionava em duas vertentes: o programa-documentário e o jornalístico propriamente dito.

Em 1989, ocorreu um incêndio na sede da emissora e com isso, grande parte do seu acervo se perdeu, desde quando era ainda afiliada da Rede Tupi, SBT e da Rede Manchete.

A sede da emissora estabeleceu-se, de 1991 até 2004, no Setor de Indústrias Gráficas, quadra 2, lote 340, no prédio anexo do Correio Braziliense, sede dos Diários Associados em Brasília. Como afiliada a rede carioca, produziu telejornais de rede, como o Brasil 7:30, que tempos depois foi batizado como Telemanhã, além do Telemanchete, jornal local exibido às 19h apresentado pelo Luciano Barroso.

Nova fase dos Associados em Brasília (1993-1997)[editar | editar código-fonte]

Em 1993, juntamente com o resto dos Diários Associados em Brasília, a TV Brasília também foi padronizada visualmente e em seus serviços. Houve novamente outro reposicionamento na emissora, que agora toma uma postura mais comunitária e menos formal.

E em novembro de 1995, os Diários Associados chegaram a vender a emissora para o então ministro da Agricultura e dono do extinto Banco Bamerindus, José Eduardo de Andrade Vieira, que possuía 49% das ações da Central Nacional de Televisão (CNT). Na mesma época, o empresário, já em crise que logo mais o levaria à falência, vende suas ações na CNT e a TV Brasília volta aos Associados, sem ter trocado de bandeira. A parceria quase foi abalada em 1995, mas acabou durando até 1999, com a falência da Manchete. Por falta de opção, já que todas as outras redes possuem emissoras próprias na cidade, e a CNT/Gazeta já enfrentava um processo de enfraquecimento, a TV Brasília acaba seguindo a transição para TV!, depois RedeTV!, até junho de 2003.

Tentativa de rejuvenescimento e crise (1997-2001)[editar | editar código-fonte]

Capa do folder de divulgação da nova programação em 1997.

No início de 1997 a TV Brasília lança a sua nova programação, Na ocasião houve uma grande festa Black Tie na Academia de Tênis para apresentar a a nova imagem ao mercado publicitário. A imagem de emissora comunitária foi deixada de lado para se apresentar uma imagem mais jovem. Programas como o Repórter da Cidade (que virou Brasília Notícias) e o Telemanhã foram trocados e/ou renovados na busca de trazer mais dinamismo aos mesmos e programas de auditório foram lançados como o BSB Radical e o Cor da Cidade, este que foi destaque de audiência na época. A mudança era de extrema necessidade, levando-se em conta que a TV Brasília se encontrava ultrapassada visualmente em relação à concorrência e perdia a cada ano força na audiência, pois, segundo a Folha de São Paulo, no ano de 1995 a TV Brasília se encontrava em 4ª posição na audiência do DF, atrás de Globo, SBT e Bandeirantes e na frente da Record, Nacional e Apoio.[8] A nova programação da emissora foi divulgada ao público durante a VII Meia Maratona de Brasília, do seu jornal irmão Correio Braziliense.

Em 1998 o programa Cor da Cidade foi bem avaliado pela ANDI, sendo considerado o melhor programa regional para o público jovem se destacando em frente às produções nacionais consideradas baratas e sensacionaistas, o Cor da Cidade da TV Brasília e o Teen da TV Guanandi demonstraram sensibilidade ao discutir assuntos sociais e matérias ligadas à realidade adolescente.

No início de 1999, a TV Brasília acaba sendo afetada pela crise da TV Manchete, que havia sido vendida para a Renascer em Cristo, assim, fazendo com que a TV Brasília tenha a sua programação local reduzida e muitos horários ocupados por programas independentes.

Em fevereiro de 1999, Ricardo Noronha leva o programa Ricardo Noronha Show da Rádio OK para a TV Brasília, O programa foi renomeado para Brasília é o Show, que permaneceu até 2002 quando Ricardo Noronha saiu da emissora e retornaria 10 anos depois em 2012 com o Ricardo Noronha Show até ser extinto por definitivo em 2015.

Com o lançamento da RedeTV!, a TV Brasília renova seus programas, alterando formato, grafismo, horário e cenário de seus programas, na época exibindo programas como o Brasília Alerta, Brasília Notícias, Clip 105, Mais que emergente, Ponto de Encontro, Programa @, Medina Entrevista, Humanidades, Vida Atual e outros. A mudança logo trouxe resultados positivos, porém, a situação econômica em que os Diários Associados se encontravam logo se intensificou na TV Brasília, que se viu obrigada a encerrar sua programação local, passando a somente retransmitir a RedeTV!. Ainda no final de 1999, Geraldo Naves é contratado pela TV Brasília, levando o Barra Pesada da TV Bandeirantes junto.

Fase Paulo Octávio (2001-2008)[editar | editar código-fonte]

Em 21 de junho de 2001, a emissora foi comprada pelo político e empresário Paulo Octávio.[9] A negociação à época foi possível porque a emissora era um dos poucos veículos ativos dos Diários Associados que ficou livre do bloqueio judicial movido por Gilberto Chateaubriand.[10] Na época contava com 15 funcionários e não exibia nenhum programa próprio. O segundo semestre daquele ano foi dedicado a capacitar a empresa para enfrentar seus desafios futuros. Aos poucos novos programas foram introduzidos e o primeiro deles foi o Agenda Brasília, um programa de entrevistas e voltado para assuntos gerais que estreou em 10 de setembro, tempos depois o programa foi para o horário do fim da manhã. O programa foi apresentado por Adeline Delgado e ficou no ar até o começo de 2003. Foi lançado em 4 de dezembro de 2001 o Emprego e Educação, aonde Paulo Octávio conversava com empresários da capital mas foi retirado do ar no início de 2010 por conta do agravamento da crise política. No dia 27 de abril de 2002 estreou o Oficina Mix, um programa que ficou menos de um ano no ar e era apresentado por Carolina Monte Rosa. O Oficina Mix trazia entrevistas, musicais e reportagens variadas. O jornalismo voltou em abril do mesmo ano com o Canal 6 Notícias apresentado pela jornalista Sandra Amaral que apresentava o telejornal em pé, sem alguma bancada. Antes em janeiro o Barra Pesada voltou a ser exibido depois de um ano fora do ar e no mesmo ano a TV Brasília lança o Auto Giro, que se tornou um formato de sucesso na emissora por 12 anos seguidos, e sendo a única revista eletrônica do setor automobilístico do Distrito Federal até os dias atuais, sendo chamada de Vrum.

Em junho de 2003, surpreendendo o mercado publicitário, a emissora deixa a RedeTV!, e passa a ser a primeira afiliada da recém-criada Rede 21 do Grupo Bandeirantes de Comunicação, até então focada apenas na Grande São Paulo. A parceria resultou em uma programação mais qualificada, porém com menor retorno comercial. O objetivo da televisão era se tornar referência no jornalismo local, procurando ser o veículo do brasiliense por excelência, desta forma, eram exibidos quatro noticiários diários. O Acorda Brasília, às 8h da manhã o Jornalocal - 1ª Edição, às 12h30 o Jornalocal às 19h e o Jornalocal - Edição da Noite a 01h30 da madrugada. Além disso a emissora trabalhava junto com a Rede 21, no Jornal 21, noticiário em rede nacional. A TV Brasília exibia ainda o Manchete da Hora - nove inserções diárias com as notícias que acabaram de acontecer na capital.

No dia 21 de abril de 2004 a TV Brasília inaugura sua nova sede no Setor Hoteleiro Norte em Brasília, que funcionou até fevereiro de 2014. “Incentivar a produção local não só é importante para toda a comunidade, como também para toda a classe jornalística”, destacou o apresentador do programa Barra Pesada, Geraldo Naves. Além dos três telejornais, a TV Brasília estreou nesse ano o telejornal Acorda Brasília apresentado por Camila Bonfim nas manhãs e o Conteúdo com Arthur Luís, apresentador que posteriormente retornaria à emissora para apresentar o Clube TV. Estavam presentes na solenidade de inauguração o governador Joaquim Roriz, o senador Paulo Octávio (PFL), dono da emissora, o presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação, João Carlos Saad, o diretor-superintendente da TV Brasília, André Gustavo Stumpf, e personalidades da cidade. [11][12]

No ano de 2005, a TV Brasília passa a transmitir ao vivo a sua programação e a da Rede 21 pela internet. No ano seguinte, acompanha a mudança da Rede 21, que passa a se chamar PlayTV e a ser comandada pela Gamecorp, ligada a um dos filhos do então presidente Lula, seguindo com o retorno da Rede 21 em 2008. Nos primeiros meses de 2005, a rede veiculava apenas cinco horas de programação, das 19h à meia-noite. A maior parte da grade era formada por seriados americanos e animes, diferentemente da TV Brasília, na qual os programas independentes e infomerciais não vão no ar, pois a afiliada coloca programas locais, que muitas das vezes lideravam audiência. O ano de 2005 marcou o lançamento de novos programas como o infantil Brasília Animada apresentado na época por Heloísa Bomtempo, o programa de vídeoclipes Turbinado com Flávia Aleixo e a Sessão das Duas com filmes que o público escolhia além de pequenos comentários apresentados pelo jornalista Sérgio de Sá e depois por Márcio Machado. Outros programas foram lançados durante o ano como o Tempos Modernos, Alta Frequência, um musical apresentado por Paloma Lopes com shows de artistas internacionais, o Art Mix, Vitrine Capital apresentado por Lana Canepa, Debate Capital com Kido Guerra e o esportivo A Grande Jogada comandado por Domingos Melo.

No dia 5 de junho de 2006, acompanha a mudança da Rede 21, que passa a se chamar PlayTV e passa a ser comandada pela Gamecorp. afiliação que dura até o ano de 2007 quando a mesma opta por não seguir a grade da PlayTV e passa a ter uma programação própria. A partir do dia 7 de maio de 2007, quando passa a exibir uma grade com programas locais, programas do canal Terra Viva, edições de noticiosos dos canais BandNews TV e BandSports, mantendo no ar apenas dois programas da PlayTV: O Jornal 10 e o bloco Otacraze; com isso, a TV Brasília passou a ser uma emissora independente ou seja, sem ter uma grade de programação nacional definida.

O retorno para os Diários Associados e a RedeTV! (2008-2014)[editar | editar código-fonte]

No dia 23 de janeiro de 2008, através da TV Alterosa,[13] os Diários Associados adquirem 50% capital acionário da TV Brasília, pertencente às Organizações Paulo Octávio.[14] Com a transação, a TV Alterosa passou a controlar a gestão do negócio e a parte comercial e editorial da emissora.[15] Com a volta da TV Brasília aos Diários Associados após sete anos,[16] o grupo completa seu "mix" de mídia no Distrito Federal, onde já mantém os jornais Correio Braziliense e o Aqui DF, o portal Correio Web, além da Rádio Planalto e da Clube FM.[17][18] A volta da TV Brasília aos Associados ocorreu com base em uma estratégia, na qual a ideia era de fazer em Brasília o mesmo que ocorria em Minas, com a integrações das empresas do grupo e a comunicação entre TV, rádios, internet e jornal impresso. A negociação[19] faz parte da estratégia de expansão dos Associados, dedicados a fazer parcerias e sociedades nos estados onde atua. Luis Eduardo Leão, gerente técnico da TV Alterosa, assume o cargo de superintendente da TV Brasília.[20] O canal continua a pertencer às Organizações Paulo Octávio, que mantêm 50% do capital acionário, sendo que os outros 50% retornam aos Diários Associados que editam o Correio Braziliense. A venda foi assinada na tarde do dia 23 de janeiro, pela representante da Paulo Octavio, Anna Christina Kubitschek Pereira e pelo presidente do Correio, Álvaro Teixeira da Costa. No dia 29 de maio, foi assinado na presença do presidente da rede, Amílcare Jr., o presidente do Correio Braziliense, Álvaro Teixeira e o vice-governador do DF, Octávio Frias, o acordo de afiliação da RedeTV! com a TV Brasília, na sede do jornal Correio Braziliense. A assinatura que ocorreu na tarde, foi mostrado na noite nos telejornais RedeTV! News e Leitura Dinâmica. Em junho de 2008 a emissora voltou a ser afiliada da RedeTV!, após cinco anos.[21] Nesse período, a RedeTV! foi representada pela filial brasiliense da Rede União, pelo canal 56. Depois de 2006, ficou sem sinal aberto no Distrito Federal, com isso só foi possível sintonizar a RedeTV! pela TV por assinatura ou em antena parabólica.

No dia 8 de julho, uma festa realizada no espaço Ilha das Tribos, em Brasília, marcou oficialmente o início da parceria entre a RedeTV! e a TV Brasília, que passa a retransmitir o sinal da RedeTV! em diversos horários. Com a nova grade, a programação da TV Brasília ganha uma abrangência nacional.[22] Brasília, é uma das cidades com pior desempenho em termos de regionalização da programação, atingindo uma média de 6,61% conforme o estudo do Observatório do Direito à Comunicação (2009). A única emissora da capital que ultrapassou a média nacional foi a TV Brasília, com 11% de conteúdos locais transmitidos. As demais emissoras, afiliadas das quatro maiores redes, mantêm índices bem inferiores: RecordTV (8,48%), Globo (5,75%), Band (4,76%) e SBT (3%).

Em fevereiro de 2009, a TV Brasília altera sua grade local no horário nobre e passa a exibir o Notícias das 7, que devido a sua baixa audiência, seria extinto três meses depois. Em agosto, a emissora passa a exibir o programa Antônio Roberto e Você, que também é exibido na TV Alterosa de Minas Gerais, que também pertence aos Diários Associados. No final de 2009 a TV Brasília reformulou o Esporte Show, agora apresentado por Bruno Mendes, passa a ter agora destaque maior no futebol. Usava fórmula de ''Bancada Democrática'' que é usado com sucesso nos programas Alterosa Esporte (na TV Alterosa/SBT em Minas Gerais) e no Superesportes (nas emissoras TV Borborema afiliada do SBT em Campina Grande/PB e TV Clube afiliada da Rede Record em Recife/PE).

Em 20 de junho de 2010 a emissora lança a campanha em comemoração aos cinquenta anos com slogan A TV que enxerga a cidade do seu jeito.[23]

A Capital do Estado de Goiás (Goiânia), desde julho de 2011, passou a receber o sinal da TV Brasilia pelo canal 21 UHF e também pelo canal 22 da NET. Em 14 de novembro, a emissora estreou o programa policial DF Alerta, apresentado por Fred Linhares, sagrando-se fenômeno de audiência, atingindo sucesso absoluto segundo aferição do Ibope. O programa DF Alerta foi criado com a intenção de mostrar que um programa policial poderia exibir mais notícias do que apenas crimes. É considerado pela diretoria da emissora como uma revista eletrônica diária.

Em setembro de 2013, devido à mudança na programação local na faixa do meio dia, o programa Bola Dividida passou a ser exibido as 18h00.

Nova sede da TV Brasília e reformulação (desde 2014)[editar | editar código-fonte]

Em 17 de fevereiro de 2014, a TV Brasília lançou sua nova programação, com a criação da "Super Faixa Local",[24][25] e seus estúdios voltaram a ser localizados na sede dos Diários Associados no Setor de Indústrias Gráficas, sendo oficialmente inaugurados em 29 de abril.[26][27][28] No dia 19 de fevereiro, morreu o repórter policial Raphael Britto do programa DF Alerta, vítima de insuficiência renal.[29] No dia 10 de março, estreou o programa Clube TV apresentado por Arthur Luís da Clube FM, que possui jornalismo comunitário, variedades, apresentação de artistas nacionais quando estão fazendo shows pelo Distrito Federal, sorteio de ingressos de shows musicais e exibição de clipes de hits de sucesso que tocam na Rádio Clube FM. Com o sucesso da atração, o formato do programa foi implantado na TV Clube, afiliada da RecordTV em Recife/PE com o programa ''Agora é Hora''. No final de novembro, a emissora atinge a liderança em audiência na faixa do almoço denominada Super Faixa Local com os programas Jornal Local, DF Alerta e Clube TV, assim disputando a audiência com a TV Globo Brasília, RecordTV Brasília e SBT Brasília na preferencia do público.[30]

Em 2015, a TV Brasília passou a transmitir a sua programação local ao vivo pelo Correio Web e por aplicativos móveis. Em 23 de fevereiro, a emissora extinguiu o Jornal Local 2ª Edição, e o horário do Jornal Local, assim como vários outros foram abertos para serem ocupados por programas independentes, essa medida veio pelo reposicionamento da TV Brasilia com a finalidade de incentivar o conteúdo terceirizado e as produtoras regionais. No dia 17 de agosto, estreou o talk show político CB.Poder, em parceria com jornal Correio Braziliense, na época apresentado por Simone Souto. No dia 20 de dezembro de 2015 o programa Clube TV foi eleito o melhor programa local do Brasil pelo site Na Telinha/Uol, superando o programa A Bahia Que a Gente Gosta exibido na RecordTV Itapoan.

Em 10 de janeiro de 2016, estreou o programa Vrum Brasília, apresentado por Clayton Sousa. Em abril, ocorrerem mudanças na "Super Faixa Local" da emissora, com o programa DF Alerta passando a ser exibido às 11h45 (cortando os 15 minutos finais do Melhor pra Você), e o Jornal Local às 13h10. Em julho, o Clube TV deixa de ser exibido pela emissora, e o radialista Arthur Luis passa a atuar apenas na Clube FM e na gerencia artística das rádios dos Diários Associados no Distrito Federal. Em 19 de setembro, a emissora relançou a 2ª edição do Jornal Local, na apresentação de João Fagundes.[31]

Em fevereiro de 2017, o DF Alerta passa a ser apresentado interinamente pelo repórter Rodrigo Lemes, um dia após Fred Linhares ser contratado pela RecordTV Brasília. Um mês depois, Nikole Lima tornou-se a nova titular do programa, enquanto Wagner Relâmpago passou a fazer os comentários policiais. Em março do ano seguinte, estreou o programa O Conciliador com Todi Moreno. O programa é um instrumento simples de resolução de conflitos em que as partes buscam resolver as suas questões com o auxílio do conciliador Todi Moreno (ex-diretor do Procon/DF)

No dia 14 de novembro de 2019, a emissora assina contrato para transmitir o Campeonato Candango de Futebol, depois de dez anos.[32] Durante este tempo vago, a TV Globo Brasília detinha os direitos do campeonato.

Em janeiro de 2020 a jornalista Paula Lobão deixa a emissora. Em 2 de fevereiro, a emissora passa a transmitir o programa Alerta Nacional da TV A Crítica em parceria com a RedeTV!, sendo uma das afiliadas com maior participação no jornalístico. e em abril do mesmo ano, devido à pandemia do novo coronavírus, a TV Brasília optou por exibir alguns programas diretamente da casa de seus apresentadores, como Vrum, DF Alerta e outros. Alguns apresentadores gravaram vídeos nas redes sociais da emissora, incentivando os telespectadores a cumprirem o isolamento social.

No dia 21 de abril de 2020, a TV Brasília exibiu em comemoração aos seus sessenta anos, uma apresentação de Pedro Paulo e Matheus, integrado com a internet e redes sociais e no mesmo dia, mais cedo, foi exibida uma edição especial do Jornal Local em comemoração ao sexagenário da emissora e da capital. Nesse dia não houve exibição do A Tarde é Sua e do horário alugado a Igreja Universal, encerrando às 18:00 na televisão para exibição do Alerta Nacional mas na redes sociais da emissora e YouTube seguiu no ar até as 18:30. Foi cancelado a 3ª edição do TV Brasília Run, que aconteceria em maio de 2020, devido à pandemia.

Em 13 de julho de 2020, Nikole Lima deixa a TV Brasília após assinar contrato com a RecordTV Brasília.[33] No dia seguinte, o jornalista Wagner Relâmpago que estava em home office assume a apresentação do DF Alerta. Em 18 de junho de 2020 a jornalista Jéssica Nascimento, que atuava na equipe de reportagem do Jornal Local anuncia a saída da TV Brasília e segue para RecordTV Brasília. Em 21 de julho, Rachel Castro que trabalhava na direção do DF Alerta deixa a emissora rumo ao SBT Brasília. Em agosto, o jornalista Bruno Fonseca (conhecido como Brunoso) é contratado para apresentar o DF Alerta, depois de um ano na TV A Crítica de Manaus, onde apresentava o jornalístico Alerta Nacional.[34] Ainda em 2020 a TV Brasília lança o reality show Os Infiltrados Brasília, sendo o primeiro reality show a ser feito na capital federal e o Vrum Brasília, com 4 anos no ar passa novamente a se chamar somente Vrum, como foi nos tempos de sua passagem pela TV Alterosa. E ainda em 2020 a TV Brasília encerra a produção do Momento CBV e Vitrine Gastrô.

No primeiro trimestre de 2021, o Chef Vinícius Rossignolli anunciou que irá trocar a TV Brasília pela TV Bandeirantes Brasília levando a extinção do programa em que participava na emissora, o Sabores.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Uma das razões do rompimento do contrato entre a RedeTV! e a TV Brasília em 2003, foi o incômodo do governador à época, Joaquim Roriz, com as denúncias e críticas contidas em reportagens produzidas pelo núcleo de rede da emissora paulistana, veiculadas no então Jornal da TV! e no Superpop, em horário nobre. À época, o então senador dono da emissora e hoje um dos sócios da TV Brasília, Paulo Octavio, era aliado de Roriz, que foi determinante para a eleição de Paulo Octávio para o Senado Federal. No mesmo ano do rompimento até 2006, a sucessora da extinta Rede Manchete foi representada pela filial candanga da Rede União, pelo canal 56. Depois de 2006, ficou sem sinal aberto no Distrito Federal, com isso só foi possível sintonizar a Rede TV! pela DirecTV, pelo no canal 15 da NET ou em Antena Parabólica, em junho de 2008 a TV Brasília voltou a transmitir o sinal a Rede TV!.

Em janeiro de 2008 os Diários Associados e as Organizações PaulOOctávio que na época era vice governador do Distrito Federal decidem dividir as ações com 50% pra cada e o grupo de comunicação passa a ter de novo o controle da emissora. Em junho do mesmo ano a TV Brasília volta a se afiliar à Rede TV!.

Cogita-se[quem?] também que os sete anos de domínio exclusivo de Paulo Octávio haviam sido previamente estabelecidos em acordo para salvar a emissora, com exigências de ambas as partes.[carece de fontes?]

Em 2011, atendendo a protestos dos seus telespectadores, a direção da TV Brasília resolveu prestar maior fidelidade ao que é gerado pela Rede TV!, como cabeça de rede e retirou os anuncios da Polishop de sua programação.

Em abril de 2018 o SJPDF denunciou os atos de assédio moral e as ameaças constrangedoras contra os trabalhadores da TV Brasília, cometidas por um diretor da empresa. As denúncias apontam que os abusos já vinham de anos. Muitos não aguentaram o clima de assédio constante e acabaram pedindo demissão da empresa.

Identificação[editar | editar código-fonte]

Logotipo[editar | editar código-fonte]

Inicialmente a emissora não tinha logotipo, enquanto era sintonizada no VHF 5, pois ao mudar de canal em junho de 1960 a emissora passa a aderir o seu nome como logomarca, porém com o 6 em destaque dentro de uma tela. E no ano de 1961, já no Canal 6, ganhou uma versão do Índio da TV Tupi diferenciada das outras afiliadas, porém em 1962 passou a seguir o padrão estético de SP.

Em 1963 a TV Brasília lança uma logomarca sob a nomenclatura de Canal 6, com a íris do olho em formato de 6, era usada em conjunto com a de 1962.

Já em abril de 1964, o Índio retorna ao destaque principal, mas desta vez com um rosto quadrilátero e achatado, permaneceu na fachada da emissora até 1974. As vinhetas da emissora na época se passavam nos monumentos de Brasília.

No ano de 1968, a TV Brasília aprimora a sua logo que deixa de ser um índio criança para se tornar um "candanguinho", que agora ganha voz e interage nas peças publicitárias e vinhetas da emissora, representando em todos os detalhes a simbologia da capital federal.

Em 1973 Um ano depois da formação da Rede Tupi, o seu logotipo passava a ser o mesmo da rede, composto por duas ondas senoidais entrelaçadas e três esferas nas cores: azul, vermelho e verde que permaneceu até 1977. Em 1975 foi lançada uma vinheta semelhante à da rede.

Em 1977, a emissora utilizou um catavento estilizado como logotipo, mas, devido à má recepção do público, logo retornaram com a logomarca de 1973, só que com as ondas maiores e as cores reordenadas para vermelho, verde e azul. Em 1979 a TV Brasília utilizou o mesmo T estilizado da rede, porém, dentro de uma tela.

Devido à extinção da Rede Tupi de Televisão, a TV Brasília permaneceu sem logotipo durante os dias 20 de julho de 1980 até o dia 8 de dezembro de 1980.

No final de 1980, a emissora ganha uma logomarca feita por Cyro Del Nero, representando o número 6 estilizado nas cores RGB e com uma tipografia própria, inspirada na arquitetura diferenciada de Brasília. Em 1984, com o slogan "A Televisão que o povo gosta" foi lançada uma vinheta em ambiente espacial, com corais gritando o nome da emissora, fazendo alusão aos altos índices de audiência do canal 6. Em 1985, logo após a emissora se afiliar a Rede Manchete, a logomarca anterior ganhou uma versão alternativa, ficando com as pontas arredondadas. Deixou de ser utilizada após o incêndio de 1989.

No dia 1 de março de 1993, a TV Brasília adota a logomarca padrão dos Diários Associados, mesma também utilizada pela Rádio Planalto, 105 FM, TV Goiânia e Correio Braziliense na época. Com a padronização do conglomerado, os programas da emissora na época foram repaginados.

E no dia 20 de abril de 1997 em comemoração aos 37 anos da TV Brasília, foi utilizada uma esfera com o mapa de Brasília, em alusão ao nome da emissora. Juntamente com a nova marca, foi adotado uma nova identidade visual, completamente repaginada e de acordo com as tendências da época e o slogan que era utilizado pela emissora era "Tem que ver". A campanha de lançamento da nova logomarca demonstrava uma mulher brasiliense chegando do emprego e a TV Brasília passava a conversar com ela, iniciando um longo diálogo. Em dezembro de 1999 a logomarca sofre atualizações sutis em sua programação e identidade visual com a chegada da RedeTV!, o conceito de olho foi bastante explorado em seu branding novo, dos websites até as maiores campanhas publicitárias. a vinheta da época mostrava pessoas abrindo a lente da câmera em Brasília e fazendo gesto de olhar. Em abril de 2000, no aniversário de 40 anos da emissora, a TV Brasília lança uma campanha institucional com seus apresentadores refletidos no olhar de todas as etnias dentro e fora de casa. A logomarca foi mantida até 2002, um ano após as Organizações Paulo Octávio adquirir 100% das ações da emissora.

Em 2002, já pertencente ao Grupo Paulo Octávio, a TV Brasília passou a utilizar mais o nome "Canal 6" do que o seu próprio, com o objetivo de sinalizar para o espectador que a empresa havia mudado de proprietário e de objetivos. O número 6 passou a ser o símbolo como uma tentativa de se popularizar mais no mercado, todos os programas, marcas e sua identidade visual no geral foram atualizadas, mantendo nenhuma lembrança da época em que era administrada pelos Diários Associados, a logomarca se tornou um simples 6, trocando a tradicional cor azul por um amarelo dourado. Solução se demonstrou precária pois a TV Brasília operava em canais diferentes nas cidades mais distintas de Brasília.

No dia 1° de junho de 2003, a emissora passa a ser a primeira afiliada da recém-criada Rede 21 do Grupo Bandeirantes de Comunicação, e com essa nova era, foi desenvolvida uma nova identidade visual, altamente contemporânea e alinhada ao mercado da época. A solução, portanto, estava em fixar TV Brasília e não o canal. Ruth Reis, que integrou equipes de criação da Rede Globo, aceitou o desafio. A espiral que circula em torno do pólo irradiador de força. O centro que exporta informações. Ou seja, a TV Brasília e sua relação com as cidades do Distrito Federal. foram lançados novos telejornais, policiais, esportivos, entretenimento, séries e até humorísticos, a identidade visual ficou responsável por Ruth Reis, Toni Lucena e Rubens Duarte, mais posteriormente por Aguinaldo Abreu e Diego Brandão.

Em 2008 a TV Brasília voltou parcialmente aos Diários Associados, e em julho do mesmo ano, se tornou afiliada novamente à RedeTV!, portanto, em outubro de 2008, a logomarca anterior foi atualizada, ganhando um ar mais "flat" e menos 3D, buscando se atualizar as novidades do mercado. Também em 2008 a TV Brasília parou de exibir vinhetas de classificação indicativa com libras e passaram a exibir somente a classificação ao vivo durante a programação, igualmente feito pela RedeTV!. Em abril de 2010, com a comemoração dos 50 anos do canal, foi lançado uma vinheta nova, toque sonoro e um slogan novo: A TV que enxerga a cidade do seu jeito.

No dia 17 de fevereiro de 2014, a TV Brasília retorna a sede dos Diários Associados em Brasília, lança sua nova programação, completamente reformulada com novos estúdios, cenários e equipamentos, juntamente lança a sua nova logomarca que faz uma alusão a de 1997, só que agora representando o mapa de Brasília por 3 telas com as cores do Brasil que juntas formam o croqui original de Lúcio Costa. Uma versão alternativa também foi utilizada nos 60 anos durante fevereiro a julho de 2020. A vinheta comemorativa de 60 anos mostrava a capital sendo construída em um cronômetro até que chegasse o número 60, formando a logo da TV Brasília à cores.

Slogans[editar | editar código-fonte]

  • Sintonize a TV-Brasília, A melhor programação da nova capital (1960-1961)
  • A pioneira do Brasil-Central (1961-1963)
  • Cada Vez Melhor (1963-1965)
  • Programação de Vanguarda (1965-1968)
  • O Super Canal 6 (1968)
  • Cada Dia Melhor (1968-1970)
  • TV Brasília, a emissora que criou tradição na terra de Niemeyer (1970-1972)
  • TV Brasília é mais cor em sua vida (1972-1973)
  • Do tamanho do Brasil (1974-1977)
  • Mais calor humano (1978-1979)
  • Maior penetração na sua TV (1979)
  • Mais perto de você (1979-1980)
  • Com Brasília desde o primeiro dia (1980)
  • A Marca da Maioridade (1980-1981)
  • A Televisão que o povo gosta (1984-1985)
  • TV Brasília e Rede Manchete, juntas no canal 6 (1985)
  • Juntos na mesma emoção (1985-1986)
  • Aqui a onda é outra (1986-1987)
  • Fique com a gente (1987-1988)
  • Sua Grande Paixão (1987-1989)
  • TV Brasília, O Canal da Cidade (1993-1997)
  • TV Brasília, Tem que ver! (1997-1999)
  • TV Brasília, a TV da Nossa Cidade (1999-2001)
  • Onde Brasília se Vê (2001-2002)
  • Aqui é o seu lugar (2003-2005)
  • O Canal que Pega Bem (2005-2008)
  • TV Brasília & Rede TV! Conteúdo em dobro pra você (2008-2010)
  • A TV que enxerga a cidade do Seu Jeito (2010-2014)
  • Amor Federal por Você (2014-2018)
  • Sintonizada com o futuro (2016)
  • A TV que é Daqui (2018-)

Comemorativos[editar | editar código-fonte]

  • TV Brasília Canal 6, 4 anos de Pioneirismo (1964)
  • TV Brasília 20 Anos, com Brasília desde o primeiro dia (1980)
  • Abril, Aniversário da TV Brasília (1983)
  • Aniversário da Cidade, Abril, Aniversário da TV Brasília (1984)
  • TV Brasília e Correio Braziliense 25 anos, Viver Brasília (1985)
  • 30 Anos Ligada em Você (1990)
  • Há 40 anos a TV da Nossa Cidade (2000)
  • 45 anos no ar (2005)
  • Há 50 anos, a TV que enxerga a cidade do seu jeito (2010)
  • TV Brasília 53 Anos, uma TV de Visão (2013)
  • TV Brasília: 54 anos sintonizada com você (2014)
  • Brasília 55 anos, TV Brasília 55 anos (2015)
  • Amor Federal, Há 58 anos revelando várias faces de uma só paixão (2018)
  • Há 60 anos crescendo com Brasília (2020)
  • TV Brasília, 61 anos juntinho com você (2021)

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Proporção de tela Formato de Vídeo Programação
6.1 28 UHF 16:9 1080i Programação principal da TV Brasília / RedeTV!

A emissora iniciou suas transmissões digitais em caráter experimental em 25 de fevereiro de 2015, através do canal 28 UHF, passando a transmitir oficialmente em 10 de julho do mesmo ano. Em junho de 2016, o Vrum Brasília tornou-se o primeiro programa local transmitido em alta definição pela emissora, e em dezembro de 2017, os demais programas passaram a ser transmitidos no novo formato.

Transição para o sinal digital

Atendendo ao decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Brasília cessou suas transmissões pelo canal 06 VHF em 24 de setembro de 2016, dois meses antes da data prevista no cronograma oficial da ANATEL.[35]

Programas[editar | editar código-fonte]

Além de transmitir a programação nacional da RedeTV! e retransmitir o RedeTV! News, Encrenca e Te Peguei em horários que a rede transmite programas independentes, a emissora também produz os seguintes programas:

  • Candangão: esportivo, com Victor Gomes
  • CB.Agro: talk show agro com Vicente Nunes e jornalistas do Correio Braziliense
  • CB.Poder: talk show político com Denise Rothenburg e jornalistas do Correio Braziliense
  • CB.Saúde: talk show saúde com Carmen Souza e jornalistas do Correio Braziliense
  • DF Alerta: jornalístico policial com Brunoso
  • Hora da Pesca: programa de pescaria
  • Jornal Local: telejornal com Gláucia Guimarães
  • O Conciliador: programa de serviços com Bruno Martins
  • Os Infiltrados Brasília: reality show com Vanessa Lamarck e TJ Fernandes
  • Ofertas Vrum: Ofertas de automóveis com Clayton Sousa
  • Vitrine: programa de televendas local
  • Vrum: jornalístico sobre automobilismo com Clayton Sousa e João Fusquine

Especiais[editar | editar código-fonte]

  • Corrida de Reis: maratona de corrida
  • Circuito Praia do Cerrado: circuito de futevôlei.
  • Campeonato Candango: cobertura de futebol narrada por Victor Gomes e Maíra Nunes
  • Live G7 Comédia: Primeira Live de Comédia da TV brasileira.
  • Muay Thai Fight Night: disputa de muay-thai
  • Rota 61
  • TV Brasília Run: maratona de corrida
  • TV Brasília Run Kids: maratona de corrida infantil
  • TV Brasília In Live: concerto musical

Programas Independentes[editar | editar código-fonte]

  • Capital de Prêmios: exibição em conjunta com a RecordTV Brasília (geradora do sorteio) e Band Brasília
  • Igreja Universal: produzido pela Igreja Universal do Distrito Federal
  • Brasília na Graça: produzido pela Igreja Internacional da Graça de Deus
  • Programa Disse Jesus: produzido pela Igreja Batista Ebenézer
  • Show da Saúde: produzido pela Pillowmed
  • Pampa e Cerrado
  • Cooperativismo em Notícia
  • You TV
  • YouTV Night
  • Por Brasília
  • Don & Juan

Programas antigos[editar | editar código-fonte]

Diversos outros programas compuseram a grade da emissora e foram descontinuados:

  • 105 FM Conteúdo
  • 105 FM TV
  • 420 Minutos
  • A Caminho da Grande Chance
  • A Cidade Se Diverte
  • A Cor da Cidade
  • A Grande Jogada
  • A Turminha do Sereno
  • Acesso Livre
  • Acorda Brasília
  • Agenda Brasília
  • Agenda Sesc
  • Agora (exibido em rede com a Rede Tupi)
  • Almoço com os Amigos
  • Alta Freqüência
  • Anatomia de uma cidade
  • Antônio Roberto e Você
  • Ao som da Viola
  • Art Mix
  • Artigo 99 na TV
  • Atrações Pacolux
  • Atualidades
  • Auto Giro
  • Bar da Noite
  • Barra Pesada
  • Bem Mais Fácil
  • Beleza em Foco
  • Boa Noite Pra Você
  • Boas Compras
  • Boca de Forno
  • Brasil 7:30 (exibido pela Rede Manchete)
  • Brasil Open
  • Brasil TV (exibido com a RedeTV!)
  • Brasília 7:30
  • Brasília 8:00
  • Brasília 8:30
  • Brasília Animada
  • Brasília Alerta
  • Brasília Black-Tie
  • Brasília é o Show
  • Brasília em Foco
  • Brasília em Manchete
  • Brasília, Futebol e Samba
  • Brasília na Copa
  • Brasília na TV
  • Brasília Notícias
  • Brasília Presente e Futuro
  • Brasília Rural
  • Brasília Urgente
  • BRB Cap
  • Brinca Carranquinha
  • BSB Esportes
  • BSB Radical
  • Café com Armildes
  • Café sem concerto
  • Canal 6 em Grande Gala
  • Canal 6 Notícias
  • Canal de Informação
  • Canal de Debates
  • Canta Viola
  • Capital Cap
  • Capital de Prêmios (hoje na RecordTV Brasília)
  • Caravana
  • Carrossel (retransmitido pela TV Goyá)
  • Carrossel 2001
  • Cartão Postal
  • Casa Fácil
  • Casca Grossa
  • Ceilândia ao vivo
  • Cine TV-6
  • Cineminha Pi-Rim-Pam-Pum!
  • Circo Ping Pong
  • Clima de Fazenda
  • Clip 105
  • Clube de Negócios
  • Clube TV
  • Companhia de Viagem
  • Conteúdo
  • Contra-Ponto
  • Conversa Brasília
  • Correio Braziliense na TV
  • Correio na TV
  • Correspondentes Brasileiros Associados
  • Cozinhando com Arte
  • Debate Capital
  • Dedos de Ouro
  • Democracia é Congresso
  • Desatinos do Destino
  • Desenhos para você
  • De Olho no Mercado
  • DF Alerta 2ª Edição
  • DF Alerta Turbo
  • Diário de Negócios
  • Dimensão
  • Domingo de Folga
  • Domingo Show
  • Don & Juan e Sua História
  • E agora, Denise Gebrim?
  • Edição da Noite
  • Educa, Brasil
  • Eles Cantam Assim
  • Elis Especial
  • Em Defesa de Brasília
  • Emprego & Educação
  • Escolinha Carrossel
  • Espaço Vida na TV
  • Especial do Mês
  • Esporte Show
  • Esporte Local
  • Estação Ciência (produzido em parceria com a UnB e retransmitido pela Rede Manchete)
  • Estilozzo
  • Estúdio Livre (hoje na Band Brasília)
  • Factorama
  • Faça a Diferença
  • Fala Centro-Oeste
  • Falando Sério (exibido em rede com a Rede 21)
  • Falcão Negro
  • Feminíssima
  • Festas e Noivas
  • Flash Social
  • Flecha da Sorte
  • Fórmula Dog
  • Fórmula Ford
  • Fórmula Horse
  • Gente de Futuro
  • Gire e Ganhe
  • Grande Show Disbrave
  • Grande Telejornal do Banco da Bahia
  • Grande Telejornal BRB
  • Grande Jornal
  • Horóscopo do Dia
  • Humanidades
  • Informativo Bancominas
  • Informativo de Brasília
  • Informe Científico
  • Inglês pela TV
  • Irmã Auxiliadora
  • Isto Foi Notícia
  • Itabrás dá Milhões
  • Janela para a vida
  • Jogo Rápido
  • Jornal Local 2ª Edição
  • Jornal Local - Edição da Noite
  • Jornalocal - Mundo
  • Jornal da Cidade
  • Jornal da Terra
  • Jornal da Madrugada
  • Jornal da Noite
  • Jornal das Oito
  • Jornal de Sábado
  • Jornal do Almoço
  • Julieta e a Mulher
  • Kaquinho e Cumpadi Bráulio
  • Leitura de Sábado
  • Let's Learn English
  • Live Pedro Paulo e Mateus
  • Luiz Carlos Chaves Entrevista
  • Mais que Emergente
  • Manchete da Hora
  • Manchetes da Semana
  • Medina Entrevista
  • Meio Dia
  • Mercado e Bons Negócios
  • Mesa Redonda
  • Miss Brasil
  • Miss Brasília
  • Miss Distrito Federal
  • Miss Mundo
  • Missa na TV
  • Mixando
  • Momento CBV
  • Momento Imobiliário
  • Mundial de Voley
  • Música para o seu jantar
  • Nestlé Brasil 61, 62, 63...
  • No Mundo das Mulheres
  • Norma Benguel é o show
  • Nosso Tempo
  • Nota Dez
  • Noticentro Brasília
  • Noticiário Universitário
  • Notícias da Cidade
  • Notícia Local
  • Nova Geração
  • O Dia do Presidente
  • O Grande Programa
  • O lado humano de Brasília
  • O Melhor Negócio
  • O Mundo é Das Mulheres
  • O Repórter Servebem
  • O que êles fazem...
  • Oficina Mix
  • Opinião Pública
  • Os Reges
  • Outback Brasil - A Aventura na TV
  • Paralelo 14
  • Passarela de Miss Brasília
  • Passarela de Sucessos
  • Placard Esportivo
  • Planeta Ação
  • Poltrona Seis
  • Poltrona Seis Mistério
  • Ponto de Encontro
  • Porteira Aberta
  • Pra Caminha
  • Problemas e Soluções
  • Programa Alternativo
  • Programa @
  • Programa da Cidade
  • Programa da Priminha
  • Programa Juarez Fernandes
  • Programa Liliane
  • Programa Monica Nóbrega
  • Programa Morgado Maurício
  • Programa Ricardo Noronha
  • Público e Notório (com a Rede Gênesis)
  • Qual é a boa
  • Qual é o Assunto?
  • Questão de Segurança
  • Raça e Técnica
  • Redação, Direto
  • Rede Nacional de Notícias
  • Rede Tupi de Notícias - Brasília
  • Reencontro
  • Repórter Associados
  • Repórter da Cidade
  • Resenha Esportiva
  • Retrospectiva
  • Revista Brasília
  • Revista da Noite
  • Ricardo Noronha Show
  • Rock Brasília
  • Roda Viva
  • Sabores
  • Sabores da Copa
  • Sala de Cinema
  • Sala de Visitas
  • Sala Especial
  • Salada de Frutas
  • Safra Brasil
  • Seis no Lance
  • Sessão Animada
  • Sessão das Duas
  • Sessão da Noite
  • Sessão da Tarde
  • Sessão Fim de Noite
  • Semana Ilustrada
  • Sem Retoque
  • Sete da Noite
  • Show das Satélites
  • Som da Terra
  • SOS Consumidor
  • Studio de Artes e Decorações
  • Super Ação
  • Super Séries
  • Taguatinga na TV
  • Tá na moda
  • Teatro do Candanguinho
  • Teatrinho do Mundo da Criança
  • Technotícias
  • Tele-Box Canal 6
  • Telecine
  • Tele-Colégio Canal 6
  • Telejornal
  • Telejornal do Banco Econômico da Bahia
  • Telemanhã (exibido com a Rede Manchete)
  • Telemanchete
  • Teleteatro
  • Tempos Modernos
  • Terra de Cowboy
  • Terra Viva
  • Top Clip
  • Top Tur
  • TPM
  • Transporte Brasil
  • Trilhas do Brasil
  • Túnel do Tempo
  • Turbinado
  • Turismo e Negócios
  • Turismo em Foco
  • Turismo S/A
  • TV-Premiada
  • TV Brasília Convida
  • TV Brasília Debates
  • TV Classificados
  • TV Comédia
  • TV de Vanguarda
  • TV Escola
  • TV Educativa
  • TV Noiva
  • TV Sôbre Rodas
  • TV Vanguarda
  • Últimas
  • Última Notícia
  • Variedades São Vicente
  • Verinha conta uma história
  • Via Brasília
  • Viação Cipó
  • Viagens pelo mundo
  • Vida Atual
  • Vinho à mesa
  • Visão Geral
  • Visto, Lido e Ouvido
  • Vitrine Capital
  • Vitrine Gastrô
  • Viva Brasília
  • Viver em Brasília
  • Você e o PAS
  • Vozes novas do planalto

Jornalismo[editar | editar código-fonte]

Anos 60[editar | editar código-fonte]

O jornalismo na emissora nasceu ainda no dia 27 de junho em 1960, com o Informativo de Brasília no final da programação, sendo o primeiro noticiário local do país, no ano seguinte mudaria de nome para Brasília em Foco, que agora seria exibido às oito horas da noite que mais tarde seria trocado pelo Correio Braziliense na TV, com duas edições diárias. Ainda em 1961 o colunista Ari Cunha do Correio Braziliense leva o seu Visto, Lido e Ouvido para a Televisão. O Correio Braziliense na TV deu lugar em 1963 ao Telejornal do Banco Econômico da Bahia que mais tarde seria renomeado para somente "Telejornal", também em 1963 é lançado O Repórter Servebem. A partir de outubro de 1963, o Isto Foi Notícia substituiu o Última Notícia e fechava a programação da TV Brasília.

Em 1963 a TV Brasília lança o programa Roda Viva, apresentado pelo jornalista Wolney Milhomem, que todas as quintas entrevistava os grandes nomes do país. Décadas depois o formato do programa seria relançado em rede nacional pela TV Cultura de São Paulo.

Em janeiro de 1964 o Repórter Servebem foi substituido pelo O Repórter da Cidade, nome que seria ressuscitado em 1989 como Repórter da Cidade. No dia 2 de janeiro de 1966 o Telejornal foi substituido pelo Informativo Bancominas e em janeiro de 1968 o Repórter da Cidade foi substituido pelo Grande Telejornal BRB.

Anos 70[editar | editar código-fonte]

No ano de 1977 foi lançado o jornal Redação, Direto apresentado por Álvaro Costa, como o próprio nome do programa indica, foi o primeiro telejornal no Centro-Oeste transmitido diretamente da redação da emissora. Três anos depois, o mesmo foi chamado para ancorar o jornalístico policial Brasília Urgente permanecendo no mesmo desde o primeiro dia do programa até o seu fim.

Enquanto era afiliada do SBT, foi responsável pela maior parte do jornalismo político da emissora e entrava em rede diversas vezes nos noticiários.

Durante sua afiliação com a Rede Manchete, a emissora produzia diretamente de Brasília para todo o Brasil, o Brasil 7:30. O telejornal era apresentado por Liliane Cardoso (hoje na TV Globo Brasília). Ainda na época, a emissora tinha telejornais locais como: Telemanchete e o Brasília 8:00 (que durou pouco tempo), além do Manchete da Hora, que era um boletim exibido na programação da emissora. A emissora era responsável também por fazer a cobertura politica nacional para os telejornais da Manchete.

Em 1994, pela primeira vez na história da emissora, a Copa do Mundo não foi exibida por decisão da Rede Manchete, e curiosamente, a Seleção Brasileira ganhou a mesma depois de 24 anos. Mas apesar da decisão da Rede, o mesmo não deixou de ser noticiado durante a programação local.

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

Em 2002, após ser vendida para as Organizações Paulo Octávio a emissora retomou o jornalismo local criando o Canal 6 Notícias. No ano seguinte seria substituido pelo Jornal Local, que na época era exibido ao meio-dia e as 7 da noite, no mesmo horário do antigo Brasília Notícias com a intenção de reerguer o telejornalismo da emissora. Além disso, houve outras reformulações, como a volta do jornalismo nas manhãs da emissora, com a criação do Acorda Brasília, inicialmente comandado por Camila Bonfim (hoje na TV Globo). Como também, a emissora criou o Jornal da Madrugada exibido a meia-noite, durante o Leitura Dinâmica. Atualmente depois que parte da emissora foi readquirida pelos Diários Associados em 2008, o JL possui apenas uma unica edição que era exibida durante o meio-dia e a segunda edição foi substituída pelo DF Alerta 2ª Edição desde 2015, também no mesmo ano a TV Brasília estréia em parceria com o jornal Correio Braziliense o CB.Poder.

Na noite de apuração do segundo turno das eleições de 2002, a emissora foi a única a acompanhar, com informações em tempo real, o desenrolar da disputa entre os dois principais candidatos ao governo do Distrito Federal. Combinou entrevistas com informação precisa. Somente este programa, ao vivo, com intensa participação dos telespectadores, permaneceu oito horas consecutivas no ar, tendo como resultado final, recordes de audiência e alta aprovação pelo público.

Em 2005, na comemoração dos 25 anos do Brasília Urgente e com cerca de mais de cinco mil edições, o programa retorna à TV Brasília, agora não mais produzido pela TV Brasília ou pela Bandeirantes, se tornando uma produção independente, mas, mantendo o mesmo formato e os mesmos apresentadores dos anos 80.

Em 2008, os Diários Associados compram de volta 50% da TV Brasília, a emissora estreou uma edição do Jornal Local que era exibida á Meia-Noite durante o Leitura Dinâmica, porém devido a baixa audiência do programa, o jornal foi retirado do ar em 2015, assim passando a transmitir novamente o Leitura Dinâmica.

No dia 29 de março de 2019, Simone Souto anuncia sua saída da TV Brasília, onde trabalhou 17 anos, sendo 13 anos como apresentadora do Jornal Local e diretora de jornalismo. Durante uma semana, Paula Lobão apresentou interinamente o Jornal Local. Em abril de 2019, o editor-chefe e diretor do programa DF Alerta, Patrício de Macedo assume o cargo de gerente de jornalismo da TV Brasília.[36] Nesse mesmo dia, o DF Alerta passa a ser coordenado por Rachel Castro, atual editora-executiva do programa. Em abril de 2019, o Jornal Local e CB.Poder passam a ser apresentado por Gláucia Guimarães, que também acumula a função de editora-executiva do telejornal vespertino.

Em 2020, por conta da estreia do Alerta Nacional da RedeTV! com Sikêra Júnior, o DF Alerta 2ª Edição passa a ser exibido de manhã e é renomeado para DF Alerta 24h.

Equipe[editar | editar código-fonte]

Membros atuais[editar | editar código-fonte]

Apresentadores e Repórteres
  • Arianna Fonseca
  • Bruno Fonseca
  • Bruno Martins
  • Carmen Souza
  • Caroline Aguiar
  • Clayton Sousa
  • Cleilton Barbosa
  • Denise Rothenburg
  • Diego Miranda
  • Gláucia Guimarães
  • Igor Damasceno
  • Jeferson Legal
  • Jéssica Eufrásio
  • João Fusquine
  • Larice de Paula
  • Lucas Móbille
  • Maíra Nunes
  • Mônica Vieira
  • Rafael Quinan
  • Robson de Paula
  • Rodrigo Lemes
  • TJ Fernandes
  • Vanessa Lamarck
  • Vicente Nunes
  • Victor Gomes
  • Wagner Relâmpago
  • Wendell Vilela
  • Wellington Braga

Membros antigos[editar | editar código-fonte]

e outros...

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

Abrangência[editar | editar código-fonte]

A TV Brasília abrange todas as cidades do Distrito Federal através do canal 6.1 (28 UHF), e na cidade-satélite de Sobradinho através do canal 29 UHF, além de abranger algumas cidades do estado de Goiás, algumas que ficam no Entorno de Brasília, (Valparaíso, Alexânia, Águas Lindas de Goiás, Formosa, Planaltina de Goiás, Padre Bernardo, Mimoso de Goiás), (Novo Gama),(Cristalina e Luziânia) e também conta uma repetidora em Goiânia GO no capital 21 UHF, também pode ser sintonizada em Brasília pela Claro TV no canal 18, no Goiás pela Claro TV no canal 25 e pela Vivo TV no DF, Goiás e Entorno no canal 517.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Na segunda metade do ano 2000 todos os programas locais da emissora foram extintos e a TV Brasília ficou apenas retransmitindo a programação da Rede TV! até ser vendida para as Organizações Paulo Octávio em 2001.

Por operar no canal 6, a emissora podia ter seu sinal analógico sintonizado na frequência 87,7 MHz FM.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «TV Brasília (DF)». Consultado em 19 de janeiro de 2010. Arquivado do original em 27 de novembro de 2011 
  2. Sampa on line
  3. Eufrásio, Jéssica (8 set. 2019). «Jornal com alma brasiliense: a história do Correio e da capital se misturam». Correio Braziliense. Consultado em 2 abr. 2021 
  4. «Povo de Brasília acorre ao apêlo dos "Associados"» 1724 ed. Condomínio Acionário dos Diários Associados. Correio Braziliense: 1 
  5. Biografia de Darlan Rosa.
  6. «Carta de agradecimento da TV Brasília.» 3082 ed. Correio Braziliense. Caderno de TV-Rádio. 1969 
  7. a b Caldas e Almeida, José Ricardo (20 out. 2017). «PERSONAGENS & PERSONALIDADES DO FUTEBOL BRASILIENSE: Nilson Nelson». Consultado em 7 abr. 2021 
  8. «CNT busca espaço em Brasília». Folha de S. Paulo. 5 nov. 1995 [1995]. Consultado em 8 mar. 2021 
  9. Associados adquirem TV Brasília[ligação inativa]
  10. [1]
  11. «Estefânia participa de inauguração da nova sede da TV Brasília» 
  12. [ http://www.jornaldebrasilia.com.br/promocoes/tv-brasilia-inaugura-nova-sede/ TV Brasília inaugura nova sede]
  13. Rede Alterosa adquire 50% da TV Brasília
  14. TV Brasília de volta aos Diários Associados Arquivado em 4 de outubro de 2013, no Wayback Machine. Clube online. (Janeiro, 2008)]
  15. Grupo Associados adquire 50% do capital acionário da TV Brasília PortalImprensa. (Janeiro, 2008)
  16. http://www.curadoeassociados.com.br/media_online/janeiro08/31/31_01.htm#estadoc
  17. Diários Associados compram 50% da TV Brasília
  18. http://www.diariosassociados.com.br/file/tabela2012/Tabela-2012.pdf
  19. «Associados negociam compra da TV Brasília». Consultado em 17 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 4 de outubro de 2013 
  20. Associados adquirem TV Brasília/
  21. Depois de quatro anos, RedeTV! firma acordo de transmissão com TV Brasília Portal Imprensa. (Junho, 2008).
  22. «TV Brasília lança oficialmente programação da RedeTV! na Capital Federal». Consultado em 4 de fevereiro de 2010. Arquivado do original em 4 de outubro de 2013 
  23. TV Brasília comemora 50 anos de fundação
  24. TV Brasília traz nova forma de contar notícias e propõe interação com o Correio
  25. «TV Brasília estreia novo cenário e 3 horas de programação local». Consultado em 14 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 6 de março de 2014 
  26. Paulo Octávio inaugura novas instalações da TV Brasília
  27. Inauguração da nova sede da TV Brasília reúne autoridades do DF
  28. TV Brasília inova e lança ‘sala de notícias’ para oferecer jornalismo com entretenimento
  29. Obituário: repórter do DF Alerta morre após complicações nos rins
  30. Documento NT visita TV Brasília, a melhor afiliada da RedeTV! em Ibope
  31. Jornal Local da TV Brasília ganha edição no turno noturno
  32. TV Brasília assina contrato para ter direitos da transmissão do Candangão
  33. Nikole Lima é contratada pela Record TV
  34. Brunoso é novo apresentador do DF Alerta: "Vai pegar fogo o cabaré"
  35. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 6 de março de 2016 
  36. Pernambucano Patrício Macedo é o novo gerente de jornalismo da TV Brasília
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote

Ligações externas[editar | editar código-fonte]