Superpop

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros resultados para Super Pop, veja Super Pop (desambiguação).
Superpop
Informação geral
Formato Programa de auditório
Duração 85 min
País de origem  Brasil
Produção
Diretor(es) Rafael Venturine (2015-atual)
Apresentador(es) Adriane Galisteu (1999–2000)
Fabiana Saba (2000–2001)
Otávio Mesquita (2000–2001)
Luciana Gimenez (2001–presente)
Transmissão original 15 de novembro de 1999 – presente

Superpop é um programa de televisão brasileiro apresentado por Luciana Gimenez, indo ao ar pela RedeTV! desde 15 de novembro de 1999. O programa é severamente criticado pelo sensacionalismo.[1]

Inicialmente apresentado por Adriane Galisteu, que vinha da MTV, onde apresentava o Quiz MTV, ela ficou na apresentação até outubro de 2000 e o programa foi provisoriamente apresentado por Fabiana Saba e Otávio Mesquita, a emissora passou a receber ligações do público para uma nova apresentadora, entre os vários nomes, o de Luciana Gimenez, que foi escolhida em novembro de 2000 e estreou em 15 de janeiro de 2001. O programa expõe fatos importantes, entrevistas picantes e interessantes, musicais e curiosidades do Brasil e do Mundo, além de entrevistas polêmicas e bombásticas, com subcelebridades que tem liberdade total para expor suas opiniões e visões. Uma das situações mais memoráveis da história do programa foi quando a cantora Tati Quebra Barraco, enfrentou seus maiores críticos frente a frente. O programa tem uma temática variada, mas sempre relacionada a polêmica. E por causa desta temática é tachado como um programa baixo e de sensacionalismo exagerado. O programa em seus dias de exibição fica no 5º lugar de audiência isolado, mas já chegou algumas vezes ao primeiro lugar.

O programa é marcado por várias entrevistas reveladoras e polêmicas, nas quais pode-se citar entrevistas memoráveis feitas por Luciana Gimenez com: Jair Bolsonaro, Clodovil Hernandez, Fernando Collor de Mello, José Serra, Silvio Luiz, Dilma Rousseff, Luiz Carlos Alborghetti, Mick Jagger, Britney Spears, Romário, Silas Malafaia entre outras personalidades.

História[editar | editar código-fonte]

Em julho de 1999, foi anunciada a contratação de Adriane Galisteu pela RedeTV!, com duração de dois anos de contrato.[2] No programa de estreia, que foi ao ar em 15 de novembro de 1999, data da inauguração da emissora, Adriane Galisteu recebeu Emerson Fittipaldi, a cantora Gretchen e o cantor Paulo Ricardo.[3] O colunista Telmo Martino da Folha de S.Paulo, comentou a estreia dizendo que "Galisteu proporciona 90 minutos de baboseiras só para garotada".[4] Inicialmente o programa era transmitido às 20:00, de segunda à sábado. Um mês após a estreia, em dezembro, a atração, que tinha 90 minutos, perdeu 30 em razão de cortes de funcionários,[5] que segundo o superintendente artístico da emissora Rogério Gallo, "Fizemos um esforço muito grande para colocar a rede no ar em quatro meses. Quando se faz um esforço desses, mobiliza-se uma equipe muito maior do que é necessário", afirmou também que a perda de meia hora foi em razão da longa duração.[5] A saída de Adriane Galisteu, que vinha negociando com a Rede Record desde setembro de 2000,[6] foi concretizada em outubro do mesmo ano.[7] Os donos da emissora acusaram o diretor geral e namorado de Adriane, Rogério Gallo, de ter feito a negociação sem avisar a emissora,[8] que acabou sofrendo um processo dos dois.[9]

Durante um período, Fabiana Saba e Otávio Mesquita apresentaram o programa e a emissora passou a receber ligações do público para a substituição, segundo a assessoria da RedeTV!, as 10 mais votadas foram Monique Evans, Fabiana Saba, Astrid Fontenelle, Cátia Fonseca, Suzana Werner, Luana Piovani, Luciana Gimenez, Andréia, participante do programa No Limite, Luma de Oliveira e Rita Lee.[10] Em 7 de novembro de 2000, a RedeTV! anunciou a escolha de Luciana Gimenez,[11] que havia ficado em sétimo lugar, mas que de acordo com Maurício Nunes, diretor de entretenimento da emissora, a escolha de Gimenez levou em consideração a votação feita pelo público e o perfil da modelo que, segundo ele, "se encaixa com o formato do programa".[10] Luciana Gimenez disse que que consultou Mick Jagger antes de assinar o contrato.[12] Gimenez foi entrevistada por Otávio Mesquita, que foi ao ar no Superpop em 7 de novembro de 2000, rendeu sete pontos de audiência. A média do programa foi de quatro pontos. No mesmo horário, o É Show com Galisteu também teve quatro pontos.[13] A estreia de Gimenez como apresentadora aconteceu em 15 de janeiro de 2001.[14] O programa era apresentado de segunda a sexta sempre às 22:00. Com o surgimento de outros programas da emissora em horário nobre, o programa passou a ser exibido às segundas e quartas, começando às 22h15, indo ao ar gravado ou ao vivo, após o RedeTV! News.

A partir de 8 de fevereiro de 2011, quando Luciana Gimenez entrou em licença-maternidade, a cantora Gilmelândia substituiu a apresentadora.[15] Luciana voltou ao comando do programa no dia 18 de maio de 2011.[16] Em 1° de abril de 2015, devido a nova programação da RedeTV!, o programa passou a ser exibido às 22h30.[17] O Superpop é um dos maiores faturamentos da RedeTV!, com inserções de merchandising e patrocínios que colocam o programa no patamar dos mais bem requisitados da emissora.

Músicos[editar | editar código-fonte]

  • Marcio Guimarães (teclado, guitarra, violão)
  • Débora Reis (voz)
  • Edu Salvitti (bateria)

Denúncias[editar | editar código-fonte]

Em 2008 o programa entrou no 14º ranking "Quem Financia a Baixaria é Contra a Cidadania", que é formado por denúncias de telespectadores e pelo Comitê de Acompanhamento da Programação (CAP), onde estão como representantes mais de 60 entidades que assessoram a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados para criar a lista com o "Ranking da Baixaria na TV". As reclamações que formaram o ranking na época foram fudamentadas devido a "exibição de diversas cenas de discriminação, apelo sexual, violência, vocabulário inadequado para o horário, exposição de pessoas ao ridículo e vulgarização das relações humanas."[18]

Referências

  1. «Luciana Gimenez quer subir mais». Paraná Online 
  2. «Adriane Galisteu apresenta programa jovem na Rede TV!». Folha de S.Paulo. UOL. 28 de julho de 1999. Consultado em 4 de março de 2014 
  3. Francisco Martins da Costa (15 de novembro de 1999). «Rede TV! estréia hoje com FHC e Gretchen». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 4 de março de 2014 
  4. Telmo Martino (17 de novembro de 1999). «Galisteu proporciona 90 minutos de baboseiras só para garotada». Folha de S.Paulo. UOL 
  5. a b «Cortes não afetam atrações». Folha de S.Paulo. UOL. 24 de dezembro de 1999. Consultado em 4 de março de 2014 
  6. «Adriane Galisteu deixa Rede TV! e vai para a Record». Folha de S.Paulo. UOL. 29 de setembro de 2000. Consultado em 4 de março de 2014 
  7. Maria Beatriz Sant'ana (3 de outubro de 2000). «Adriane Galisteu assina contrato com Record». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 4 de março de 2014 
  8. Demissão cria vagas na Rede TV! Folha de S.Paulo, 22 de outubro de 2000
  9. Gallo pagou o pato ISTOÉ Gente.
  10. a b «Gimenez não foi a preferida do público para apresentar "SuperPop"». Folha de S.Paulo. UOL. 7 de novembro de 2000. Consultado em 4 de março de 2014 
  11. «Luciana Gimenez vai substituir Adriane Galisteu na Rede TV!». Folha de S.Paulo. UOL. 7 de novembro de 2000. Consultado em 4 de março de 2014 
  12. «Gimenez disse que consultou Jagger antes de assinar contrato de TV». 7 de novembro de 2000. Consultado em 4 de março de 2014 
  13. Carla Nascimento (8 de novembro de 2000). «Gimenez alavanca audiência do "SuperPop" e empata com Galisteu». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 4 de março de 2014 
  14. Fabio Danesi Rossi (14 de janeiro de 2001). «"Superpop" recebe Luciana Gimenez». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 5 de março de 2014 
  15. «Luciana Gimenez apresenta Gilmelândia como sua substituta no SuperPop». R7. 17 de dezembro de 2010. Consultado em 20 de junho de 2016 
  16. «Luciana Gimenez volta ao 'SuperPop' nesta quarta-feira: 'Nunca fiquei de licença-maternidade totalmente'». Ego. 18 de maio de 2011. Consultado em 20 de junho de 2016 
  17. Paulo Pacheco (31 de março de 2015). «RedeTV! muda programação e troca pastor evangélico por pegadinhas». Notícias da TV. UOL. Consultado em 3 de abril de 2015 
  18. Ana Lúcia Bonfim (15 de abril de 2008). «Big Brother Lidera 14 Ranking da Baixaria na TV». www2.camara.leg.br. Consultado em 3 de novembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]