Polishop

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Polishop
Polimport - Comercio e Exportação Ltda
Slogan Novas ideias facilitam a sua vida
Tipo Empresa
Gênero Comércio varejista
Fundação 1999
Fundador(es) João Apollinário
Sede São Paulo, SP
Áreas servidas Brasil, Argentina, Chile, Peru, Espanha
Locais  Brasil
Proprietário(s) Polimport
Pessoas-chave Gilberto Guitti, Rogério Nogueira
Empregados 3000 [1]
Certificação ABEVD,WFDSA
Faturamento R$ 1 Bilhão
Página oficial Página oficial (em português)
Loja Polishop

Polishop é uma empresa brasileira de venda de mercadorias. É uma empresa multicanal e tem um faturamento anual superior a 1 bilhão de reais por ano[2]. É conhecida pelos seus comerciais e infomerciais divulgados na televisão, mas dispõe de uma ampla rede de divulgação e comercialização dos seus produtos: lojas físicas, catálogos, televendas, internet, televisão e representação comercial independente através de marketing multinível.[1][2][3]

História[editar | editar código-fonte]

A Polishop foi fundada em 1999 por João Apollinário[4] e vendia somente um produto[5], cujo garoto propaganda era o ex-piloto Emerson Fittipaldi.

No ano 2000 a Polishop bateu a marca de mais de 100 produtos comercializados pela televisão e começou a vender pela internet através de sua loja virtual (e-comerce).

Em 2001 ela estruturou seu próprio Call Center visando melhorias no atendimento aos clientes.

Em 2002 ela criou a revista Ideias, que é uma espécie de revista catalogo cujo foco se dá nos benefícios dos produtos.

Em 2003 a Polishop começou a criar suas lojas físicas em Shoppings centers.

Em 2004 ela inaugurou seu próprio canal de TV, Polishop TV, pois até então ela comprava publicidade nos principais canais de TV aberta e por assinatura.

Em 2007 a Polishop iniciou uma expansão internacional distribuindo produtos em toda América do Sul, Estados Unidos, Ásia e em alguns países europeus.

Em 2011 a Polishop abriu seu canal de vendas diretas.

Em 2015 Lançou a linha de produtos de beleza Be emotion e adquiriu os direitos da organização do concurso Miss Brasil por cinco anos.[6]

Associações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Sambrana, Carlos (25/02/2010). «O homem por trás da Polishop». ISTOÉ Dinheiro. Consultado em 12 de março de 2016. 
  2. a b "Varejo multicanal". Revista Conselhos. Visitado em 22/09/2016.
  3. «A Polishop é desde sempre multicanal em suas vendas». Consultado em 2016-09-22. 
  4. «O homem por trás da Polishop - ISTOÉ DINHEIRO». www.istoedinheiro.com.br. Consultado em 2016-09-22. 
  5. «O negócio tem que ser bom desde o começo, recomenda criador da Polishop ao empreendedor - notícias - Estadao.com.br». Consultado em 2016-09-22. 
  6. Freitas, Aiana (18/11/2015). «Polishop compra Miss Brasil para bombar maquiagem vendida em lojas e na rua». UOL Economia. Consultado em 12 de março de 2016. 
  7. «Associados  : IDV – Instituto para Desenvolvimento do Varejo». www.idv.org.br. Consultado em 2016-09-23. 
  8. «Empresas associadas». ABEVD. Consultado em 2016-09-23. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.