Supermercados Mundial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Supermercados Mundial Ltda.
Supermercados Mundial.jpg
Supermercado Mundial no bairro da Tijuca.
Privada
Slogan O menor preço total.
Atividade Varejista
Fundação 1943
Sede Rio de Janeiro, RJ
Website oficial www.supermercadosmundial.com.br

Supermercados Mundial é uma rede de supermercados da cidade do Rio de Janeiro sua matriz fica localizada no bairro de Inhaúma.

Possui dezoito lojas de médio e grande porte na cidade do Rio de Janeiro, na Zona Oeste nos bairros de Jacarepaguá, Recreio dos bandeirantes e Barra da tijuca; na Zona Norte nos bairros da Ilha do Governador, Irajá, Ramos, Vaz Lobo e Tijuca e Engenho Novo; Na Zona Sul nos bairros de Copacabana e Botafogo e na região central nos bairros de Bairro de Fátima, Praça da Bandeira e Santo Cristo.

Está sendo construída uma loja nova considerada modelo no Bairro de Jacarepaguá, na área em frente ao parque olímpico, com previsão de inauguração para maio de 2018. O Supermercados Mundial tem projeto de expansão para construir uma loja em Niterói, mas sem previsão de inauguração. A loja do Santo Cristo esta fechada temporariamente para reformas devido as obras no Porto do Rio.

O site do supermercado foi inaugura do em 2006. Emprega cerca de 8,5 mil funcionários em todas as suas lojas.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Iniciou-se em 1943 em um armazém situado a Avenida Presidente Vargas, nº. 20. Mas esse edifício foi logo demolido para a construção de um viaduto até a Praça da Bandeira. O armazém mudou para a Rua do Matoso, entre os bairros da Tijuca, Praça da Bandeira e Estácio de Sá.

Fundado pelo português Justino de Castro, logo as família portuguesas Gomes de Castro, Assunção e Leite, recém-chegadas de Portugal se incorporam à firma. Com isso o crescimento da empresa foi notório, abrindo filiais de lojas pela cidade.

Ganhou duas vezes o título “O Supermercado do Ano”, concedido pela Bolsa de Gêneros Alimentícios (BGA). Ganhou ainda o Prêmio Internacional Smacna por seu melhor “Sistema de Condicionamento de Ar”, concedido pela Associação Internacional Smacna[2]

PROTESTOS

2017

Pouco mais de um mês depois da assinatura da "reforma" trabalhista do interino Michel Temer, foi assinado um decreto em que os mercados passavam á ser considerados "serviços essenciais", em outras palavras significava que as empresas não precisariam mais pagar horas extras para seus funcionários por domingos e feriados, como resultado a rede varejista Mundial cortou pela metade o salário do seus funcionários gerando uma greve espontânea que culminou com o recuo imediato da rede.

2018

Como resultado da greve do ano anterior, muitos funcionários foram demitidos (com diversas justificativas), os funcionários relataram que depois da greve estavam sofrendo perseguição e que foram mandados embora por causa da paralisação, os novos funcionários nove meses depois iniciaram outra greve, que em menos de 24 horas ocasionou a demissão em massa dos trabalhadores, muitos que reclamaram que os cortes impossibilitam o pagamento de despesas básicas para sua sobrevivência.

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Wikidata Base de dados no Wikidata