GPA

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
GPA
Sede da companhia, localizada na Av. Brigadeiro Luís Antônio, na cidade de São Paulo.
Razão social Companhia Brasileira de Distribuição
Empresa de capital aberto
Slogan Pelo poder de escolher
Cotação
Indústria Varejo
Fundação 7 de setembro de 1948 (1948-09-07)
Fundador(es) Valentim dos Santos Diniz
Sede São Paulo, SP, Brasil
Área(s) servida(s) Brasil
Presidente Peter Estermann
Empregados ±140.000 (2018)
Marcas
Empresa-mãe Grupo Casino
Divisões
  • GPA Malls
  • Multibenefícios
  • Multivarejo
Subsidiárias
Receita Aumento R$ 44,6 bilhões (2017)
Lucro Aumento R$ 865 milhões (2017)
Website oficial www.gpabr.com

Companhia Brasileira de Distribuição (B3: PCAR3, PCAR4; NYSE: CBD), fazendo negócios como GPA,[4][5] é uma empresa de comércio varejista brasileira controlada pelo grupo francês Casino.[6] É dona de várias das principais marcas do setor de varejo no Brasil, sendo integrantes de seu portfólio negócios como o Extra, a Casas Bahia e o Assaí, e também é a maior empresa varejista do Brasil, de acordo com o ranking da Sociedade Brasileira de Varejo e Comércio de 2018,[nota 1] contando com 2.064 lojas e mais de 140 mil funcionários.[8][9] Conhecida apenas como "GPA" desde 2013, a sigla remete originalmente ao acrônimo de Grupo Pão de Açúcar, nome pelo qual a companhia ainda é comumente referida.

A empresa surgiu a partir da criação da Doceira Pão de Açúcar, fundada em 1948 na cidade de São Paulo pelo imigrante português Valentim dos Santos Diniz (1913-2008), que na década seguinte decidiu ingressar no mercado varejista com a criação do supermercado homônimo, inaugurado em 1959. Na década seguinte, a empresa se expande através de aquisição de negócios concorrentes (como a da pioneira Sirva-se) e abertura de novas lojas, e, em 1970, inaugura o Jumbo, um dos primeiros hipermercados do Brasil.

Na década de 1980, concentra todos seus negócios em uma única empresa e diversifica seu portfólio com a criação de lojas de segmentos diversos como a Sandiz, rede de lojas de departamentos, Peg & Faça, voltada a bricolagem, e a mercearia de descontos Minibox. Na mesma década, a empresa passa por uma reestruturação de seus negócios, focando-se no setor de varejo ao vender ativos não-relacionados e encerrado aqueles que apresentavam resultados insatisfatórios. Parte dessa reformulação iniciou-se pela transformação dos hipermercados Jumbo em Extra, atitude que foi iniciada no ano de 1989.

Filho do fundador, o empresário Abilio Diniz passou a controlar a companhia na década seguinte, época em que a empresa foi listada na Bolsa de Valores de Nova Iorque, a primeira do setor de varejo do Brasil a realizar tal feito. Na mesma época, compra a rede de supermercados Barateiro e se associa ao Grupo Casino, que adquiriu uma participação minoritária da empresa em 1999. Na década de 2000, adquire empresas como o Assaí, Sendas e Pontofrio, sendo que esta última associou-se a Casas Bahia, formando a Via Varejo. Em 2013, Abilio deixou o comando da companhia, que passou a ser controlada pelo Casino.

História[editar | editar código-fonte]

Logo GPA - Fachada Sede

Cronologia[editar | editar código-fonte]

  • 1948 — O sonho do negócio próprio virou realidade 19 anos depois. Em 1948, Valentim criou a Doceria Pão de Açúcar, em São Paulo. O nome foi uma homenagem ao Brasil e à primeira paisagem que ele admirou ao chegar ao país de navio.[6]
  • 1952 — Com o desenvolvimento dos negócios, em 1952 foram abertas duas filiais.
  • 1959 — Em 1959, foi inaugurado o primeiro supermercado da rede - em frente à doceria, na avenida Brigadeiro Luiz Antonio, nos Jardins, em São Paulo.
  • 1966 — Após a incorporação da cadeia Sirva-se, em 1966, a rede chegava a 11 lojas.
  • 1966 — É inaugurada em Santos a primeira loja fora da cidade de São Paulo.
  • 1968 — Em 1968, quando a rede já era composta por 64 lojas, foi criada a Divisão Internacional, com lojas em Portugal, Angola e Espanha.
  • 1970 — Na década de 1970, o grupo passou por uma grande expansão. Primeiro, houve a aquisição da rede Eletroradiobraz, então maior rede de eletroeletrônicos e eletrodomésticos do país. Teve também o lançamento da primeira geração de hipermercados do país, as lojas Jumbo.
  • 1971 — O primeiro hipermercado Jumbo foi inaugurado em Santo André, região do ABC Paulista, em 1971.
  • 1978 — Em 1978, o Grupo adquiriu as redes de supermercados Superbom, Peg-pag e Mercantil.
  • 1980 — Além dos supermercados Pão de Açúcar e dos hipermercados Jumbo, novos formatos de loja são incorporadas na década de 1980: Sandiz, lojas de departamento; Minibox, mercearias de desconto; Superbox, loja depósito (na foto); e Peg & Faça, de bricolagem.
  • 1981 — Em 1981, a fusão de todas as lojas de varejo da rede formam a Companhia Brasileira de Distribuição (CBD).
  • 1980 — Ao final dos anos 1980, a CBD decide fechar as lojas Jumbo.
  • 1989 — Em 1989, cria as lojas Extra para competir na área de hipermercados.
  • 1980 — Ainda no final dos anos 1980, a situação econômica e desentendimentos familiares levam a uma reestruturação do grupo.
  • 1990 — Em 1990, o primogênito da família, Abilio Diniz, assume a presidência, e Valentim dos Santos Diniz passa a ocupar o Conselho Administrativo. A reformulação inclui ainda redução do número de lojas e corte de funcionários.
  • 1993 — Em 1993, Abilio torna-se o acionista majoritário do GPA, tendo ao seu lado os filhos Ana Maria Diniz e João Paulo Diniz. Os irmãos são afastados da empresa.
  • 1995 — A companhia lança o primeiro supermercado virtual do país, o Pão de Açúcar Delivery. Em 1995, faz sua oferta pública inicial de ações, na qual obteve US$ 112,1 milhões. Esta foi a primeira emissão de ações preferenciais de uma companhia varejista de alimentos na Bovespa.
  • 1997 — Em maio de 1997, foram captados US$ 172,5 milhões na Bolsa de Nova York. A CBD foi a primeira empresa varejista brasileira a listar ADRs (equivalente às ações negociadas na Bovespa) em Nova York.
  • 1998 — Adquire vários supermercados de bairros, voltados a classes populares, entre eles a rede Barateiro, em 1998, que daria origem ao CompreBem.
  • 1999 — Em 1999, adquire a rede Peralta. Em agosto de 1999, o grupo francês de varejo Casino torna-se sócio minoritário do Grupo, com 25% do total das ações.
  • 2002 — Em 2002, adquire a rede Sé de Supermercados.
  • 2003 — Associa-se à rede Sendas, líder do segmento no Estado do Rio de Janeiro. Em 2003, Abilio Diniz assume a presidência do Conselho de Administração da companhia, e Augusto Marques da Cruz Filho (foto) é eleito o primeiro presidente não pertencente a família fundadora.
  • 2005 — Em 2005, foi criada uma nova holding. Com isso, o controle do Grupo passou a ser compartilhado de forma igualitária (50% para cada um) entre Abilio Diniz e o Grupo Casino.
  • 2006 — Em 2006, a rede aposta em um novo modelo de loja e cria o Extra Perto, inspirado no modelo europeu de varejo de conveniência.
  • 2007 — Cláudio Galeazzi assume a presidência do Grupo em 2007.
  • 2010 — Cláudio Galeazzi é substituído, em 2010, por Enéas Pestana (à dir.), que assume o cargo de Diretor-Presidente com a mudança do organograma da empresa.
  • 2007 — No final de 2007, a empresa se associa ao Assaí Atacadista, tradicional rede atacadista paulista e ingressa no mercado do "atacarejo".
  • 2008 — O grupo perde seu fundador em 17 de março de 2008. Valentim dos Santos Diniz morreu aos 94 anos.
  • 2009 — Em 2009, o Grupo anuncia a compra da rede Ponto Frio. No mesmo ano, o grupo se une às Casas Bahia e se torna maior grupo de distribuição da América Latina. Fusão com as Casas Bahia: O GPA anunciou no dia 4 de dezembro de 2009 ter fechado um acordo de associação com as Casas Bahia. O contrato visa a integração de negócios no setor de comércio eletroeletrônico. O faturamento está previsto para R$ 40 bilhões, o quinto maior entre empresas brasileiras e o segundo maior do mesmo segmento.[10] No entanto, a família Klein, da Casas Bahia, anunciou em 13 de abril de 2010 acreditar que o negócio foi subavaliado e os dois grupos reavaliam a fusão, com a renegociação de valores e algumas condições do contrato.[11]
  • 2011 — Em 2011, a disputa pelo controle da rede varejista ganhou os holofotes: Abilio Diniz tentou romper o acordo com o Casino ao propor uma fusão da companhia brasileira com o arquirrival da varejista francesa, o Carrefour. O Casino, como esperado, vetou o negócio, e a ofensiva da parte brasileira terminou em fracasso. O plano de fusão previa a união dos dois maiores grupos de distribuição brasileiros - o Pão de Açúcar e o Carrefour Brasil - para criar um gigante avaliado em US$ 41,899 bilhões.
  • 2012 — O Casino - chefiado por Jean-Charles Naouri - assumiu o comando do GPA em agosto de 2012, numa troca que já era anunciada desde 2006, quando os franceses compraram o controle do grupo. O Casino investiu pela primeira vez na rede varejista em 1999, quando resgatou o grupo de dificuldades.
  • 2013 — O Grupo Pão de Açúcar passou a adotar a sigla GPA como seu nome oficial. O objetivo é mostrar, para o consumidor final, que a atuação da empresa vai além da venda de alimentos e abrange marcas de segmentos diversos. Além da rede de supermercados Pão de Açúcar, o GPA é dono das redes Extra e Assaí, que atuam no mesmo ramo. É proprietário, ainda, de Casas Bahia e Ponto Frio, que atuam na venda de eletroeletrônicos em lojas físicas e pela internet. O GPA detém ainda os sites Partiu Viagens, Barateiro, além do shopping center Espaço Conviva.[12] Em setembro de 2013, Abilio Diniz renunciou à presidência do Conselho de Administração da companhia depois de acordo com o Casino, grupo francês detentor do controle da maior rede varejista do País.[13] Jean Charles-Naouri, presidente-executivo e maior acionista do varejista Casino, foi escolhido como presidente do Conselho de Administração.[14]
  • 2017 — Lançamento do Meu Desconto: plataforma disponível nos aplicativos dos programas de fidelidade do grupo, Pão de Açúcar Mais e Clube Extra, que oferece ofertas personalizadas de acordo com o perfil dos clientes cadastrados. Lançamento do Caixa Express, funcionalidade exclusiva para os clientes do programa de fidelidade Pão de Açúcar Mais, que possibilita o agendamento prévio de um horário para atendimento nos caixas das lojas.[15]

Subsidiárias e marcas[editar | editar código-fonte]

Assaí Atacadista
Pão de Açúcar
Extra
  • Pão de Açúcar
  • Casas Bahia
  • Extra
  • Assaí Atacadista é a bandeira de atacado de autosserviço do GPA.[16]
  • Pontofrio é uma rede de lojas de eletroeletrônicos e móveis. Quem fala em nome da empresa é o Pinguim, personagem que sempre foi associado ao Pontofrio, mas que ganhou vida própria na internet. Ele publica as promoções, oferece descontos e sugere produtos para os seguidores da internet.[17][18]
  • Cdiscount é um e-commerce que nasceu como um outlet, focado mais em preço do que na oferta de sortimento. O endereço possui variedade de itens e lojas parceiras na plataforma de marketplace.[19]

Marcas exclusivas aos seus estabelecimentos comerciais:

  • Taeq é uma linha de produtos saudáveis desenvolvida pelo Grupo. São produtos como cereais matinais, iogurtes, chás, barras de cereais, opções para massas, carnes, sopas, isotônicos e etc.[20]
  • Club des Sommeliers é uma marca exclusiva do GPA especializada em vinhos.[21]
  • Casino é uma marca exclusiva de origem francesa de produtos gourmet.[22]
  • Finlandek é uma marca que foi criada em 2007 na Colômbia pela Exito, subsidiária do Casino, que é o controlador do Pão de Açúcar. A marca apresenta produtos de cozinha, cama, mesa, banho e decoração.[22]
  • Qualitá é uma marca exclusiva de itens do dia a dia. Comum nos mercados Extra.[22]
  • Caras do Brasil é um programa que tem como objetivo inserir pequenos produtores nos supermercados do GPA.[22]
  • Bartira é a marca de móveis da Via Varejo.[22]
  • Chef é uma marca exclusiva criada pelo Assaí Atacadista para os produtos alimentícios vendidos na rede.[23]

Faturamento[editar | editar código-fonte]

Em 2008, o Grupo faturou 20,86 bilhões de reais, permanecendo na segunda colocação entre as redes supermercadistas do Brasil, um pouco atrás do Carrefour.[24]

Em 8 de junho de 2009, o GPA anunciou que fechou acordo com os acionistas da Globex para a compra do Pontofrio, o que fará com que o grupo volte à liderança do mercado varejista brasileiro, com 1200 lojas e 26 bilhões de reais de faturamento.[25]

GPA comenta lucro recorde em 2012. Ganhos da varejista somaram R$ 1,15 bilhão no ano de 2012, 60,7% a mais na comparação com 2011.[26]

O lucro líquido do GPA cresceu 79,2% em 2013, para R$ 1,842 bilhões. A companhia registrou alta de 12,8% nas vendas brutas no ano passado, que totalizaram R$ 64,6 bilhões.[27]

Em 2014, o GPA cresceu 13,3 por cento em receitas líquidas no ano passado, frente a 2013, acumulando 65,5 bilhões de reais em receitas no ano, segundo relatório divulgado pela companhia.

O varejo alimentar do Grupo cresceu 9,2% no ano, com receita que alcançou R$ 34,741 bilhões. Já a Via Varejo cresceu 4,2 por cento, com valor acumulado em 22,674 bilhões de reais. A Cnova divulgou ontem os resultados e registrou em 2014 alta de 90,2 por cento em receitas, com valor que alcançou os R$ 8,172 bilhões. Considerando o crescimento com base nas mesmas lojas de 2013, o GPA cresceu 5,9% em receitas líquidas, o varejo alimentar cresceu 3,5 por cento, Cnova, 28,1 por cento e Via Varejo, 3 por cento.

A receita líquida do GPA alcançou os 19,7 bilhões de reais, um aumento de 16,2 por cento frente ao quarto trimestre de 2013. O aumento foi influenciado pela abertura de 117 novas lojas somente nos últimos três meses de 2014 - muitas delas nos novos formatos da companhia, menores e de bairro.

No período, a receita líquida do varejo alimentar atingiu os 9,8 bilhões de reais, um crescimento de 5,8 por cento, também por conta de inaugurações: foram 57 novas lojas. No conceito mesmas lojas, no entanto, o crescimento foi de apenas um por cento. Já Via Varejo cresceu 4,4 por cento no trimestre, com receita líquida fechando a 6,4 bilhões de reais. Ao todo, foram abertas 60 lojas das bandeiras de Via Varejo.[28]

O GPA divulgou o balanço de 2017, quando houve lucro de R$ 865 milhões. O valor representa uma melhora em relação a 2016, quando o grupo fechou o ano com prejuízo de mais de R$ 1 bilhão. Considerando apenas o último trimestre do ano, o lucro líquido foi de R$ 408 milhões, contra um prejuízo de R$ 29 milhões no mesmo período de 2016.[29]

Bem-estar animal[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2017, o Grupo Casino – Grupo que controla o GPA – anunciou[30] que irá eliminar ovos de galinhas confinadas em gaiolas da sua cadeia de abastecimento na França até 2020. Essa decisão foi particularmente importante devido à fatia de mercado e influência que o Grupo tem na indústria do varejo, sendo um dos maiores varejistas do mundo, com operações em 26 países.[31] Para Brigitte Gothière, porta voz da ONG de proteção animal L214, essa decisão reforça a evidência de que a produção em gaiolas – uma das piores formas de crueldade animal – logo irá desaparecer.[32]

Para definir o bem estar animal, o Grupo Casino se refere[33] às cinco liberdades reconhecidas mundialmente, listadas no Capítulo 7.1[34] do Código sanitário para os animais terrestres de 2016 da Organização Mundial da Saúde Animal: 1) Ser livre de fome e sede; 2) Ser livre de desconforto; 3) Ser livre da dor, lesões e doenças; 4) Ter liberdade para expressar seu comportamento natural; 5) Ser livre de medo e estresse".

Em janeiro de 2017, a ONG de proteção animal Mercy For Animals lançou uma campanha de conscientização para o GPA não comprar mais ovos provindos de galinhas confinadas em gaiolas para todas as suas operações no Brasil. Outros grupos juntaram-se a campanha nos meses seguintes. As galinhas poedeiras são criadas em pequenas gaiolas de arame tão restritivas que as aves não podem sequer esticar suas asas. Sem qualquer oportunidade de se exercitar ou de se envolver em muitos outros comportamentos naturais, estas aves enjauladas sofrem imensamente.[35]

Em março de 2017, o GPA foi o primeiro varejista brasileiro a assumir um compromisso público pelo bem-estar animal na produção de ovos. A companhia se compromete a viabilizar, até 2025, a comercialização de 100% de ovos de marcas exclusivas provenientes de criação de galinhas sem gaiolas. Hoje, o portfólio de ovos de marcas próprias da companhia é formado por Taeq (com as linhas Caipira e Orgânica) e Qualitá (convencionais). A venda dos ovos de marcas próprias responde por até 80% da comercialização da categoria nas lojas Extra e Pão de Açúcar, representando, portanto, um importante avanço na discussão do assunto com a cadeia produtiva no país.[36][37][38][39]

No dia 30 de março de 2017 houve uma manifestação[40] em frente à Sede do GPA para entregar aos executivos da empresa mais de 100 mil assinaturas de uma petição que pede ao Grupo que não compre mais ovos provindos de galinhas confinadas em gaiolas para todas as suas operações no Brasil.

Três meses após tornar público seu compromisso, o GPA iniciou a comercialização de uma linha de ovos produzida por galinhas livres de gaiola a um preço mais acessível do que as categorias Caipira e Orgânica. O produto da marca Taeq, em embalagem de 10 unidades, está à venda nas lojas Pão de Açúcar e Extra. Criadas soltas e fora de gaiolas, este formato de produção garante às aves liberdade para ciscar, empoleirar, tomar banho de poeira e bater as asas. Além de receberem uma alimentação balanceada e água à vontade, elas são tratadas com todos os cuidados necessários para que possam se desenvolver de forma saudável expressando seu comportamento natural. Esses atributos no método de produção garantem o bem-estar animal e atendem as liberdades reconhecidas internacionalmente pela OIE – Organização Mundial de Saúde Animal.[41][42]

Prazo de validade[editar | editar código-fonte]

Notícias reportando a venda de produtos com o prazo de validade vencido em lojas do Pão de Açúcar,[43][44][45][46] Extra[47][48][49][50][51] e Assaí Atacadista[52] foram veiculadas durante os meses de março a outubro de 2017. O PROCON (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) e o DECON (Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor) são a entidade e o órgão público que realizaram as fiscalizações e confiscaram vários produtos, além de terem autuado alguns destes estabelecimentos.

Notas

  1. Considerando-se a soma do GPA Alimentar (Multivarejo e Assaí) com a Via Varejo.[7]

Referências

  1. «Apresentação Institucional - Março 2018». Consultado em 27 de março de 2018. 
  2. Funcionários no GPA - G1 - Globo (09/12/2014): [1]
  3. «GPA tem lucro de R$ 865 milhões em 201». G1. 19 de fevereiro de 2018. Consultado em 27 de março de 2018. 
  4. Uol Economia
  5. Gironews
  6. a b «Pão de Açúcar completa 65 anos, sem Diniz no comando; veja história». UOL Economia. UOL. 7 de setembro de 2013. Consultado em 28 de abril de 2016. 
  7. «10 maiores varejistas do Brasil faturaram R$ 226 bilhões em 2017; veja ranking». InfoMoney. 11 de setembro de 2018. Consultado em 20 de outubro de 2018. 
  8. Folha de S.Paulo (23 de julho de 2014). «Com novas lojas, lucro líquido do Grupo Pão de Açúcar cresce 26%». Folha de S.Paulo. Consultado em 7 de outubro de 2014. 
  9. Abras Brasil (1 de abril de 2014). «Pesquisa Abras Brasil 2014». Abras Brasil. Consultado em 7 de outubro de 2014. 
  10. Pão de Açúcar compra a Casas Bahia por meio da Globex - O Estado de S. Paulo, 4 de dezembro de 2009 (visitado em 13-4-2010)
  11. Com família Klein insatisfeita, Casas Bahia e Pão de Açúcar reavaliam fusão - Folha Online, 13 de abril de 2010 (visitado em 13-4-2010)
  12. UOL Economia (13 de setembro de 2013). «Grupo Pão de Açúcar muda nome para GPA; relembre trajetória da empresa8». UOL Economia. Consultado em 8 de janeiro de 2015. 
  13. Marília Almeida e Bárbara Ladeia (6 de setembro de 2013). «Abilio Diniz deixa o Grupo Pão de Açúcar». iG Economia. Consultado em 24 de setembro de 2013. 
  14. «Grupo Pão de Açúcar escolhe Jean-Charles Naouri para presidente do Conselho». UOL Economia]. 23 de setembro de 2013. Consultado em 24 de setembro de 2013. 
  15. «GPA investe em inovação para facilitar a vida dos consumidores». Exame Inovação]. 9 de outubro de 2017. Consultado em 27 de março de 2018. 
  16. «Assaí abre 9ª loja no ano e estima mais 4 até dezembro». Exame. 10 de outubro de 2013. Consultado em 6 de agosto de 2015. 
  17. «PONTO FRIO APOSTA EM PERSONAGEM E BOM HUMOR E FAZ SUCESSO NAS REDES». Época Negócios. 19 de outubro de 2012. Consultado em 12 de março de 2016. 
  18. «Via Varejo diz que Pontofrio é prioridade, mas fecha lojas». Exame. 28 de julho de 2015. Consultado em 6 de agosto de 2015. 
  19. «Cnova lança site da Cdiscount no Brasil com foco em preço baixo». iG. 23 de outubro de 2014. Consultado em 18 de novembro de 2014. 
  20. Redação (12 de setembro de 2013). «APÓS SAÍDA DE ABILIO, GPA INVESTE NO REPOSICIONAMENTO DE MARCA PRÓPRIA». New Trade. Consultado em 7 de outubro de 2014. 
  21. Giro News (15 de dezembro de 2014). «Degustação de Vinhos - Marca Promove Ação no Pão de Açúcar». Giro News. Consultado em 7 de janeiro de 2015. 
  22. a b c d e «O Grupo». GPA. Consultado em 12 de março de 2016. 
  23. Assaí lança a marca Chef (14/04/2015): Propmark
  24. Valor Online - Carrefour, Pão de Açúcar, Wal-Mart e GBarbosa mantêm posição em 2008
  25. Pão de Açúcar compra Ponto Frio por R$ 824,5 mi
  26. Lucro recorde em 2012: Exame.com Supermercado Moderno Páginas visitadas em 24 de setembro de 2013.
  27. Lucro GPA 2013: O Globo Página visitada em 08 de janeiro de 2015.
  28. Camila Mendonça (14 de janeiro de 2015). «Receita líquida do GPA cresce 13,3% em 2014». Portal no Varejo. Consultado em 6 de agosto de 2015. 
  29. [2]
  30. «Franprix, Leader Price and stores under the Casino banner will stop selling eggs from caged hens by 2020 – Groupe Casino EN». www.groupe-casino.fr (em francês). Consultado em 7 de julho de 2017. 
  31. «Os 34 maiores varejistas do mundo; Pão de Açúcar está na lista | EXAME.com - Negócios, economia, tecnologia e carreira». exame.abril.com.br. Consultado em 7 de julho de 2017. 
  32. «Les supermarchés Casino, Franprix et Leader Price ne vendront plus d'œufs de poules élevées en cage». www.l214.com. Consultado em 7 de julho de 2017. 
  33. «Carta de ética para fornecedores» (PDF). Grupo Pão de Açúcar. Outubro de 2016. Consultado em 7 de julho de 2017. 
  34. «Access online: OIE - World Organisation for Animal Health». www.oie.int (em inglês). Consultado em 7 de julho de 2017. 
  35. «Um Relatório da HSI Brasil: O Bem-estar de Animais Confinados Intensivamente em Gaiolas em Bateria, Celas de Gestação e Gaiolas para Vitelo» (PDF). Humane Society International. Consultado em 7 de julho de 2017. 
  36. «GPA assume compromissos de bem estar animal». Envolverde. 31 de março de 2017. Consultado em 25 de julho de 2017. 
  37. «Pão de Açúcar lança linha de ovos de galinhas livres de gaiola». AMIS. Consultado em 18 de julho de 2017. 
  38. «O GPA irá trabalhar com o setor avícola brasileiro para viabilizar até 2025 a comercialização de 100% de ovos de marcas exclusivas provenientes de criação de galinhas sem gaiolas» (PDF). Grupo Pão de Açúcar. 27 de março de 2017. Consultado em 7 de julho de 2017. 
  39. Well, Grupo. «Grupo Pão de Açúcar vai banir ovos de gaiolas até 2025». AveWorld 
  40. Sustentabilidade, Casa da (3 de abril de 2017). «ONG faz Pão de Açúcar mudar fornecedores de ovos». Casa da Sustentabilidade. Consultado em 7 de julho de 2017. 
  41. «GPA lança linha de ovos de galinhas livres de gaiola». Plurale. Consultado em 26 de julho de 2017. 
  42. «Taeq lança linha de ovos comuns de galinhas criadas livres de gaiola». Paranashop 
  43. «Supermercado de SP é multado em mais de R$ 17 mil por adulterar prazo de validade de produto». G1 
  44. «Após irregularidades, supermercado é multado no valor de R$ 17.760 - A Tribuna». www.atribuna.com.br. Consultado em 11 de outubro de 2017. 
  45. «Procon autua supermercado em São Vicente por vender produtos com validade vencida - A Tribuna». www.atribuna.com.br. Consultado em 11 de outubro de 2017. 
  46. Redação (9 de maio de 2017). «Procon apreende mais de meia tonelada de alimentos impróprios no Pāo de Açúcar, em Goiânia». Jornal O Popular 
  47. «PROCON». www.procon.rj.gov.br. Consultado em 11 de outubro de 2017. 
  48. «Procon Estadual encontra irregularidades em supermercado de Natal». Governo do Estado do RN. 24 de março de 2017. Consultado em 11 de outubro de 2017. 
  49. «Procon encontra produtos vencidos em supermercado de Guarujá - A Tribuna». www.atribuna.com.br. Consultado em 11 de outubro de 2017. 
  50. «Supermercado na Tijuca é autuado por alterar validade de produto». O Dia. Undefined  Verifique data em: |data= (ajuda)
  51. http://www.dothnews.com.br. «Reincidentes: mais uma vez Extra e Comper são autuados pelo Procon-MS». www.jd1noticias.com. Consultado em 11 de outubro de 2017. 
  52. «Produtos vencidos há quase 1 ano são apreendidos em supermercado de Cuiabá». G1 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]