Suzano Papel e Celulose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Suzano Papel e Celulose
Razão social Suzano Papel e Celulose S.A.
Tipo Empresa de capital aberto
Cotação BM&F Bovespa: SUZB5, SUZBY
Indústria Papel
Celulose
Gênero Sociedade anônima
Fundação 22 de janeiro de 1924 (93 anos)
Fundador(es) Leon Feffer
Sede São Paulo,  Brasil[1]
Área(s) servida(s) Mundo
Proprietário(s) Grupo Suzano
Presidente Walter Schalka
Pessoas-chave David Feffer
Empregados 17.000
Produtos Papel
Eucaliptocultura
Manejo Florestal
Celulose
Produtos de Celulose
Certificação FSC
CERFLOR
ISO 9001
ISO 14001
OHSAS 18001
Divisões Papel
Celulose
Subsidiárias Stenfar
Suzano Pulp and Paper America
Suzano Pulp and Paper Europe
Suzano Pulp and Paper Asia
FuturaGene
Acionistas Família Feffer
Valor de mercado Aumento R$ 21,379 bilhões (Set/2015)[2]
Lucro Aumento R$ 1,692 bilhões (2016)
LAJIR Aumento R$ 3,906 bilhões (2016)
Faturamento Baixa R$ 9,882 bilhões (2016)
Website oficial www.suzano.com.br/

Suzano Papel e Celulose é uma empresa brasileira de papel e celulose.[3] É a segunda maior produtora global de celulose de eucalipto e uma das 10 maiores de celulose de mercado, além de líder regional no mercado de papel, com cerca de 30 marcas em quatro linhas: cutsize, revestidos, não revestidos e papel-cartão. Possui sede em Salvador e sede administrativa na cidade de São Paulo, além de operações globais em aproximadamente 60 países.[1][4][5]

A operação está dividida em três unidades de negócio: Florestal, Celulose e Papel e possui cerca de 8.000 funcionários (de acordo com relatório de sustentabilidade de 2015) e possui no Brasil 6 unidades indústrias quatro no Estado de São Paulo (Embu, Limeira e duas em Suzano), uma na Bahia (Mucuri) e uma no Maranhão (Imperatriz) e também é proprietária da SPP-KSR, a maior empresa distribuidora de produtos gráficos e papéis da América do Sul, no exterior a Suzano Papel e Celulose é dona da Sun Paper no Reino Unido e da Stenfar na Argentina.[6]As florestas de propriedade da empresa estão espalhadas pelos estados de São Paulo, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Maranhão, Pará (na Fazenda Conquistadora, no municipio de Ulianópolis e na Fazenda Arizona, em Dom Elizeu) Piauí e Tocantins, a companhia possui 803.000 hectares de área florestal por todo o Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

A Suzano foi fundada pelo imigrante ucraniano Leon Feffer em janeiro de 1924 e sua história encontra-se interligada com a história da própria industrialização brasileira do século XX.

Leon Feffer, fundador da empresa, chegou ao Brasil em 1921 e verificou que o mercado de papel poderia vir a ser promissor, estabelecendo no setor a empresa Leon Feffer & Cia.[7]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

  • 1960 – Aquisição do controle acionário da Indústria de Papel Rio Verde S/A.
  • 1980 – A Suzano abre seu capital e passa a ter ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo.
  • 1987 – Suzano (55%) e Vale do Rio Doce (45%) formam, como empreendimento conjunto, a Bahia Sul, atualmente unidade Mucuri, localizada no Sul da Bahia.
  • 2001 – A Suzano compra ações da Bahia Sul que pertenciam à Vale e unifica a gestão de todas as suas unidades.
  • 2003 – A Suzano adere ao nível 1 de Governança Corporativa da Bolsa de Valores de São Paulo.
  • 2005 – Começa a operação da Suzano América, nos Estados Unidos. No mesmo ano, a empresa passa a integrar o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da Bolsa de Valores de São Paulo.
  • 2006 – A Suzano adquire, em consórcio com a Votorantim Celulose e Papel (VCP, hoje Fibria), a Ripasa.
  • 2007 – Entra em operação a segunda linha de celulose de Mucuri.
  • 2009 – A Suzano recebe, em Nova Iorque (EUA), um prêmio de reconhecimento do Rainforest Alliance por seus investimentos em inovação, sustentabilidade e preservação da biodiversidade.
  • 2010 – A Suzano assume o controle do Conpacel (antiga Ripasa) e da KSR, uma das maiores distribuidoras de papéis do país. O Conpacel passa a ser unidade Limeira, no interior de São Paulo.
  • 2011 – A Suzano passa a ser a primeira empresa de celulose e papel do mundo a quantificar a Pegada de Carbono de seus produtos.
  • 2015 - Inicio da produção da Eucafluff, celulose fluff de fibra curta .

Referências