Celulose Riograndense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário ou apologético.
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{ER|6|2=~~~~}}, regra nº 6 da eliminação rápida.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Celulose Riograndense é uma empresa gaúcha de celulose branqueada de eucalipto.

A empresa[editar | editar código-fonte]

Parte do grupo chileno Empresas CMPC, a Celulose Riograndense tem sua fábrica instalada na cidade de Guaíba, onde sua unidade industrial tem capacidade para produzir 450 mil toneladas anuais de celulose branqueada, produto obtido a partir da fibra curta da madeira de eucalipto, cultivada de forma sustentável através de florestas distribuídas em 36 municípios do Rio Grande do Sul. A unidade também produz 60 mil toneladas anuais de papéis para impressão e escrita. O produto criado pela empresa é exportado para países o mundo todo.

Por se tratar de uma empresa de base florestal, o compromisso da empresa está diretamente ligado à utilização racional dos recursos naturais, tentando garantir sua disponibilidade às futuras gerações.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]