TV Brasil Central

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
TV Brasil Central
Gov. de Est. de Goiás
TV Brasil Central
Cidade de concessão Goiás Goiânia, GO
Canais
13 analógico
31 digital
Slogan A imagem da nossa cultura
Rede TV Cultura
Rede(s) anterior(es) Rede Bandeirantes
Proprietário Agência Goiana de Comunicação
Governo do Estado de Goiás
Fundação 1 de maio de 1975 (41 anos)
Prefixo ZYA 570
Cobertura cerca de 80% de Goiás
Página oficial TV Brasil Central

A TV Brasil Central, também conhecida como TBC, é uma emissora de televisão brasileira instalada na cidade de Goiânia, capital do Estado de Goiás. A emissora opera nos canais 13 analógico e 31 digital, cobrindo toda a Região Metropolitana e com retransmissoras e afiliadas em Goiás. A emissora é afiliada à TV Cultura.

Pertence à Agência Goiana de Comunicação, que administra as rádios Brasil Central (AM, FM e OC), que alcança sinal em todo o território brasileiro e até no exterior. A programação da emissora de TV está centrada no jornalismo, esporte e o mais recentemente, programas independentes.

História[editar | editar código-fonte]

O Governo do Estado de Goiás entrou na concorrência aberta pelo Ministério das Comunicações para conseguir seu canal de televisão, através do Canal 13 VHF. O Governo do Estado saiu vencedor e ganhou concessão através do Ministério das Comunicações e foi outorgado a futura emissora.

Após conseguir concessão, o governo do Estado comprou terreno para construir a nova emissora e todos os equipamentos necessários, considerados os mais modernos na época, tornando-se umas das equipadas emissoras brasileiras.

Foi divulgado o nome da futura emissora, a TV Brasil Central, em homenagem à Rádio AM do mesmo nome e a posição geográfica em que fica Goiás, como instrumento de radiodifusão a serviço do Governo de Goiás, que já possuía a Brasil Central AM.

Entrou no ar em testes em março de 1975 e em 1º de maio do mesmo ano, foi inaugurado em definitivo, como afiliada à Rede Bandeirantes, antes mesmo ser rede em 1977 e uma das primeiras afiliadas da rede em formação, já que na época, a Bandeirantes tinha ganho afiliadas da Rede Amazônica no começo do ano.

Conheceu a recém-chegada ao Brasil, a transmissão por via satélite, quando foi implantada em Goiânia a antena rastreadora (na época, não existia antena parabólica), que captava o sinal da rede paulista em tempo real pela EMBRATEL sem a necessidade de várias antenas repetidoras, como ocorria na época com as transmissões dos sinais das grandes redes Tupi e Globo, que chegavam via microondas a localidades que ficam a centenas de quilômetros das cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte.

No final dos Anos 70, iniciou expansão sua cobertura pelo estado, com a implantação de repetidoras em dezenas municípios goianos, mas em 1989, cedeu ao recém-criado estado do Tocantins as estações repetidoras de Araguaína, Gurupi e Miracema do Norte (atual Miracema do Tocantins), que passaram a pertencer à TV Palmas, mudando nome para TV Aratins.

Na metade de 1995, no governo Maguito Vilela (1995-98), sem nenhum prévio aviso, a emissora trocou a programação da Bandeirantes por TV Cultura de São Paulo.

Segundo denúncias da imprensa da época, a emissora estava com condições precárias (sucateada) em governos anteriores, agravado por inúmeras divergências entre o Governo de Goiás e a rede paulista, o que levou a Bandeirantes descontinuar contrato de afiliação.

No entanto, a mudança para uma rede de TV desconhecida em Goiás provocou reações negativas dos telespectadores e os anunciantes goianos, que reagiram contra a emissora, provocando queda na audiência e menos publicidade no canal, queda na receita da TV e o contínuo sucateamento da emissora.

Em 1997, a crise se agrava quando a TBC sofre incêndio devastador em sua sede, destruindo preciosas fitas u-matic da sua trajetória e do estado também.

Após a posse do novo (e atual) governador Marconi Perillo em 1999, as emissoras da Brasil Central passaram em um processo de reorganização, reformulação, troca ou renovação dos equipamentos, reequipar a equipe técnica, para sair o estado de sucateamento, inclusive projeto de expansão de sinal da TV para todas as sedes municipais do estado.

Em 12 de fevereiro de 2009, o deputado Luis Cesar Bueno, o diretor Administrativo e Financeiro da TV Brasil, Delsimar Pires, o presidente da Agência de Comunicação de Goiás (Agecom), Marcus Vinícius Felipe e os diretores da TBC, se encontram na sede da Agecom, para tratar da retransmissão (pela TBC) de programas da emissora mantida pelo Governo Federal (TV Brasil).[1] [2] [3] Na época, negociava contrato para retransmitir a programação da TV Brasil, o que levou rumores na época em que a emissora deixará a Cultura,[1] [2] [3] já que na época, muitas afiliadas demonstraram interesse trocar Cultura por Brasil, que no entanto, a mudança não ocorre.

No dia 6 de setembro de 2013 (véspera da data de Independência do Brasil), a emissora colocou no ar, o sinal digital em Goiânia e região metropolitana, através do canal 31 (ou 13.1 virtual), sendo captado em áreas que o Canal 13 não conseguia.

Programação[editar | editar código-fonte]

Esporte[editar | editar código-fonte]

A TV Brasil Central tem contrato com a empresa Mané Esportes que faz toda a programação esportiva do canal, com o programa TBC Esporte e transmissões da 2ª divisão do Campeonato Goiano.

Jornalismo[editar | editar código-fonte]

Com o "Jornal Brasil Central" e outros programas, a emissora revelou diversos jornalistas, como Jordevá Rosa (TV Serra Dourada), Lila Nascimento (TV Anhanguera), Bernadete Coelho (TV Anhanguera), entre outros.

Sinal[editar | editar código-fonte]

via satélite

A TV Brasil Central e a Rádio Brasil Central são sintonizadas em todo o território nacional via satélite, por meio de antena parabólica e receptor digital, com os seguintes parâmetros:

Satélite: StarOne C2

Frequência: 3656 MHz - Banda C
Polarização: Horizontal
Symbol Rate: 3393 ms/s
FEC: 3/4
Antiga afiliada

Referências

  1. a b «TV Brasil Central vai transmitir programas da TV Brasil». Jus Brasil. 2009. [ligação inativa]
  2. a b «TV Brasil Central vai transmitir programas da TV Brasil». Jus Brasil. 2009. Consultado em 24-12-2015. 
  3. a b «TV Brasil Central vai transmitir programas da TV Brasil». Assembléia Legislativa de Goiás. 12 de fevereiro de 2009. Consultado em 24-12-2015. 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]