TV Brasil Central

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
TV Brasil Central
Agência Brasil Central
Goiânia, Goiás
Brasil
Tipo Empresa pública
Canais
31 UHF e 13.1 Virtual digital
Outros canais 20 e 520 HD (NET)
ver mais
Sede Bandeira de Goiânia.svg Goiânia, GO
Rua SC-01, 299 - Parque Santa Cruz
MAPA
Slogan A imagem da nossa cultura
Rede TV Cultura
Rede(s) anterior(es) Rede Bandeirantes (1975-1995)
Fundador Irapuan Costa Júnior
Pertence a Agência Brasil Central
Proprietário Governo do Estado de Goiás
Fundação 1 de maio de 1975 (42 anos)
CNPJ 03.520.902/0001-47
Prefixo ZYA 570
Emissoras irmãs
Cobertura Cerca de 80% do estado de Goiás
Coord. do transmissor 16° 39' 50.3" S 49° 20' 31.4" O
Potência 10 kW
Página oficial tvbrasilcentral.com.br

TV Brasil Central (também conhecida por sua sigla TBC) é uma emissora de televisão brasileira sediada em Goiânia, capital do estado de Goiás. Opera nos canais 13 VHF e 31 UHF digital, e é afiliada à TV Cultura. Faz parte da Agência Brasil Central, autarquia do Governo do Estado de Goiás que também administra as rádios RBC FM e Rádio Brasil Central, além do portal Goiás Agora e a Imprensa Oficial do Estado de Goiás. Seus estúdios estão localizados no Parque Santa Cruz, e seus transmissores estão no Morro do Mendanha, no Jardim Petrópolis.

História[editar | editar código-fonte]

O Governo do Estado de Goiás entrou na concorrência aberta pelo Ministério das Comunicações para conseguir seu canal de televisão, através do canal 13 VHF. O Governo do Estado saiu vencedor e ganhou concessão através do Ministério das Comunicações e foi outorgado a futura emissora.

Após conseguir concessão, o governo do Estado comprou terreno para construir a nova emissora e todos os equipamentos necessários, considerados os mais modernos na época, tornando-se umas das equipadas emissoras brasileiras.

Foi divulgado o nome da futura emissora, a TV Brasil Central, em homenagem à Rádio AM do mesmo nome e a posição geográfica em que fica Goiás, como instrumento de radiodifusão a serviço do Governo de Goiás, que já possuía a Rádio Brasil Central.

Entrou no ar em testes em março de 1975[1] e em 1º de maio do mesmo ano, foi inaugurado em definitivo, como afiliada à Rede Bandeirantes, antes mesmo de ser rede em 1977 e uma das primeiras afiliadas da rede em formação, já que na época, a Bandeirantes tinha ganho afiliadas da Rede Amazônica no começo do ano.

Conheceu a recém-chegada ao Brasil, a transmissão por via satélite, quando foi implantada em Goiânia a antena rastreadora (na época, não existia antena parabólica), que captava o sinal da rede paulista em tempo real pela EMBRATEL sem a necessidade de várias antenas repetidoras, como ocorria na época com as transmissões dos sinais das grandes redes Tupi e Globo, que chegavam via microondas a localidades que ficam a centenas de quilômetros das cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte.

No final dos Anos 70, iniciou expansão sua cobertura pelo estado, com a implantação de repetidoras em dezenas municípios goianos, mas em 1989, cedeu ao recém-criado estado do Tocantins as estações repetidoras de Araguaína, Gurupi e Miracema do Norte (atual Miracema do Tocantins), que passaram a pertencer à TV Palmas, mudando nome para TV Aratins.

Na metade de 1995, no governo Maguito Vilela (1995-1998), sem nenhum prévio aviso, a emissora trocou a programação da Bandeirantes por TV Cultura de São Paulo. Segundo a imprensa, a emissora estava sucateada, e as relações estavam agravadas por inúmeras divergências entre o Governo de Goiás e a rede paulista, o que levou a Bandeirantes a descontinuar o contrato de afiliação. No entanto, a mudança para uma rede de TV desconhecida em Goiás provocou reações negativas dos telespectadores e os anunciantes goianos, que reagiram contra a emissora, provocando queda na audiência e menos publicidade no canal, queda na receita da TV e o contínuo sucateamento da emissora.

Em 1997, a crise se agrava quando a TBC sofre um incêndio devastador em sua sede, destruindo preciosas imagens da sua trajetória e do arquivo estadual também. Após a posse do governador Marconi Perillo em 1999, as emissoras da Brasil Central passaram por um processo de reorganização, reformulação, troca e renovação dos equipamentos para sair do estado de sucateamento, além de um projeto de expansão do sinal da TV para todas os municípios do estado.

Em 12 de fevereiro de 2009, o deputado Luis Cesar Bueno, o diretor Administrativo e Financeiro da TV Brasil, Delsimar Pires, o presidente da Agência de Comunicação de Goiás (Agecom), Marcus Vinícius Felipe e os diretores da TBC, se encontram na sede da Agecom, para tratar da retransmissão de programas da emissora mantida pelo Governo Federal. Na época, era negociado um contrato para retransmitir a programação da TV Brasil, levando a rumores de que a emissora deixaria a Cultura.[2][3] Porém, não houve troca de afiliação.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
13.1 31 UHF 1080i Programação principal da TV Brasil Central / TV Cultura

A emissora iniciou suas transmissões em 6 de setembro de 2013, através do canal 31 UHF para Goiânia e áreas próximas, chegando a ser captada em áreas onde o sinal analógico do canal 13 VHF não alcançava.

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Brasil Central, bem como as outras emissoras de Goiânia, cessou suas transmissões pelo canal 13 VHF em 21 de junho de 2017, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[4]

Programação[editar | editar código-fonte]

Esporte[editar | editar código-fonte]

A TV Brasil Central teve contrato com a empresa Mané Esportes que fazia toda a programação esportiva do canal, com o programa TBC Esporte e transmissões da 2ª divisão do Campeonato Goiano. Em 30 de dezembro de 2016, foi anunciado o fim do contrato da Equipe do Mané com a emissora.

Jornalismo[editar | editar código-fonte]

Com o "Jornal Brasil Central" e outros programas, a emissora revelou diversos jornalistas, como Jordevá Rosa (TV Serra Dourada), Lila Nascimento (TV Anhanguera), Bernadete Coelho (TV Anhanguera), entre outros.

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

  • Abadia de Goiás: 13
  • Acreúna: 07
  • Água Fria: 13
  • Alto Horizonte: 13
  • Alto Paraíso de Goiás: 47
  • Alvorada do Norte: 03
  • Amaralina: 05
  • Anápolis: 19
  • Anhanguera: 11
  • Aparecida de Goiânia: 13
  • Araçu: 13
  • Aragoiânia: 13
  • Arenópolis: 10
  • Aruanã: 07
  • Aurilândia: 07
  • Avelinóplis: 13
  • Aruanã: 07
  • Aurilândia: 07
  • Avelinóplis: 13
  • Barro Alto: 38
  • Bela Vista De Goiás: 13
  • Bom Jardim De Goiás: 02
  • Bonfinópolis: 13
  • Brasabrantes: 13
  • Britânia: 08
  • Buriti Alegre: 35
  • Buritinópolis: 03
  • Cabeceiras: 03
  • Cachoeira de Goiás: 04
  • Cachoeira Dourada: 07
  • Caçu: 55
  • Caiapônia: 06
  • Caldas Novas: 07
  • Caldazinha de Goiás: 13
  • Campestre de Goiás: 13
  • Campinorte: 11
  • Campos Belos de Goiás: 13
  • Carmo do Rio Verde: 05
  • Catalão: 03
  • Caturaí: 13
  • Cavalcante: 09
  • Ceres: 09
  • Chapadão do Céu: 13
  • Cocalzinho: 44
  • Corumbaíba: 36
  • Cristianópolis: 11
  • Damianópolis: 11
  • Damolândia: 15
  • Divinópolis de Goiás: 03
  • Doverlândia: 09
  • Edealina: 08
  • Edeia: 34
  • Flores de Goiás: 13
  • Formosa: 50
  • Formoso: 05
  • Goianésia: 25
  • Goianira: 13
  • Goiás: 07
  • Goiatuba: 25
  • Guapó: 13
  • Guarani de Goiás: 10
  • Hidrolândia: 13
  • Iaciara: 06
  • Indiara: 11
  • Ipameri: 05
  • Iporá: 42
  • Itaberaí: 33
  • Itaguaçu: 11
  • Itapirapuã: 12
  • Itapuranga: 08
  • Itauçu: 52
  • Itumbiara: 09
  • Ivolândia: 18
  • Jandaia: 58
  • Jataí: 07
  • Jussara: 19
  • Mambaí: 07
  • Mara Rosa: 04
  • Mimoso de Goiás: 09
  • Minaçu: 09
  • Mineiros: 05
  • Monte Alegre de Goiás: 13
  • Morrinhos: 10
  • Mossâmedes: 13
  • Mundo Novo: 11
  • Nerópolis: 13
  • Nova América: 13
  • Nova Crixás: 11
  • Nova Iguaçu de Goiás: 04
  • Nova Roma: 13
  • Nova Veneza: 13
  • Ouro Verde: 13
  • Palestina de Goiás: 07
  • Palmeiras de Goiás: 07
  • Palminópolis: 07
  • Paraúna: 07
  • Perolândia: 09
  • Piracanjuba: 08
  • Piranhas: 03
  • Pirenópolis: 13
  • Pires do Rio: 19
  • Pontalina: 13
  • Porangatu: 05
  • Portelândia: 13
  • Posse: 13
  • Quirinópolis: 25
  • Rialma: 09
  • Rio Quente: 07
  • Sanclerlândia: 07
  • Santa Bárbara de Goiás: 13
  • Santa Cruz de Goiás: 06
  • Santa Fé de Goiás: 10
  • Santa Helena de Goiás: 35
  • Santa Rita do Araguaia: 13
  • Santa Terezinha de GO: 09
  • São Domingos: 11
  • São Francisco de Goiás: 21
  • São João D'Aliança: 09
  • São Miguel do Araguaia: 11
  • São Miguel do Passa Quatro: 08
  • São Simão: 13
  • Senador Canedo: 13
  • Silvânia: 10
  • Simolândia: 03
  • Sítio D'Abadia: 09
  • Terezina de Goiás: 09
  • Terezópolis: 13
  • Trindade: 13
  • Uirapuru: 50
  • Uruaçu: 08
  • Uruana: 40
  • Varjão: 13
  • Vicentinópolis: 05
  • Vila Boa: 05

Referências

  1. «Do filme mudo ao sistema digital». Goiás Agora. 24 de maio de 2011. Consultado em 20 de junho de 2017 
  2. «TV Brasil Central vai transmitir programas da TV Brasil». Jus Brasil. 2009. Consultado em 24 de dezembro de 2015 
  3. «TV Brasil Central vai transmitir programas da TV Brasil». Assembléia Legislativa de Goiás. 12 de fevereiro de 2009. Consultado em 24 de dezembro de 2015 
  4. Lis, Laís (30 de maio de 2016). «Desligamento do sinal analógico de TV se estende até dia 21 de junho em Goiânia». G1. Consultado em 20 de junho de 2017 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]