TV Brasil Maranhão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
TV Brasil Maranhão
Empresa Brasil de Comunicação S.A. - EBC
São Luís, Maranhão
Brasil
Tipo Educativa
Canais Digital: 34 UHF
Virtual: 2 PSIP
Outros canais 302 (Sky)
2 (Claro TV)
7 / 402 HD (TVN)
Analógico:
2 VHF (2007-2018)
Sede Bandeira de São Luís.svg São Luís, MA
Slogan O Brasil passa aqui
Rede TV Brasil
Rede(s) anterior(es) TVE Brasil (1983-2007)
Fundador(es) José Sarney
Pertence a EBC
Proprietário(s) Instituto Federal do Maranhão
Antigo(s) proprietário(s) Governo do Estado do Maranhão (1969-1991)
Governo Federal (1991-2019)
Controlador Centro de Referência Tecnológica do IFMA (CERTEC)
Presidente Simone Santos
Fundação 1969 (53 anos)
Prefixo ZYA 650
Nome(s) anterior(es) TVE Maranhão (1969-2007)
Cobertura Grande São Luís e áreas próximas
Coord. do transmissor 2° 32' 27.6" S 44° 16' 49.4" O
Potência 2,5 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial tvbrasil.ebc.com.br

TV Brasil Maranhão é uma emissora de televisão brasileira sediada em São Luís, capital do estado do Maranhão. Opera no canal 2 (34 UHF digital), e é afiliada à TV Brasil. Inaugurada pelo Governo do Estado do Maranhão em 1969, é uma das mais antigas emissoras educativas do país, sendo a pioneira na exibição de teleaulas. Atualmente, é administrada pelo Instituto Federal do Maranhão, sob o escopo da Rede Nacional de Comunicação Pública da Empresa Brasil de Comunicação.

História[editar | editar código-fonte]

TVE Maranhão (1969–2007)[editar | editar código-fonte]

Em 1969, o Governo do Estado do Maranhão cria a TV Educativa do Maranhão, a segunda emissora de televisão do estado a entrar no ar, após a fundação da TV Difusora em 1963. A TVE foi a pioneira do tele-ensino no estado e no Brasil, transmitindo várias teleaulas ao longo do dia. Porém, a sua audiência chegava praticamente a zero. Com a criação da TVE Rio de Janeiro em 1975, a emissora passou a receber fitas para compor sua programação, mantendo a exibição de tele-aulas no período da tarde. A TVE Rio de Janeiro tornou-se rede em 1983, e a TVE Maranhão foi uma de suas primeiras afiliadas.

Em 1991, o Governo do Estado do Maranhão repassou o controle da TVE para a União, que passou a gerencia-la através da Fundação Roquette Pinto, que mantinha a TVE Brasil no ar. Em 2005, a TVE Maranhão deixou de exibir teleaulas, mantendo apenas a produção do telejornal TVE Notícias, exibido de segunda a sexta, e da Santa Missa nas manhãs de domingo.

Emissora própria da TV Brasil (2007–2019)[editar | editar código-fonte]

Em 2007, a ACERP e a Radiobrás, bem como a TV Nacional de Brasília, são incorporadas a Empresa Brasil de Comunicação, com o intuito de gerar uma nova Rede Pública de Televisão. Em 2 de dezembro de 2007, às 11h (12h em Brasília), é inaugurada a TV Brasil, e a TVE Maranhão passa a se chamar TV Brasil Maranhão, tornando-se uma de suas quatro emissoras próprias.[1]

A partir daí, a emissora sofreu várias reformulações: o TVE Notícias, que era exibido entre 18h30 e 19h, é substituído pelo Maranhão Notícias, agora em novo horário, das 12h às 12h30. A Santa Missa, que era exibida aos domingos, às 8h, continuou no mesmo horário. Alguns telespectadores esperavam que a emissora voltasse a transmitir teleaulas, o que já não era mais feito desde 2005, Porém, a EBC não cogitou essa possibilidade.

Em novembro de 2012, o telejornal Maranhão Notícias é substituído pelo Repórter Maranhão, seguindo a padronização dos telejornais locais da TV Brasil. Em junho de 2013, a TV Brasil Maranhão transmitiu ao vivo as festas juninas da cidade de São Luís, diretamente dos arraiais da Praça Maria Aragão (13 e 14 de junho) e Lagoa da Jansen (20 e 21 de junho). Em 22 de junho, a emissora iria participar de um pool organizado pela TV Brasil com a TVE Bahia, TV UFPB e a TV Universitária do Recife para transmitir para todo o Brasil as festas juninas no Nordeste.[2] No entanto, em função das manifestações contra o governo do estado que haviam sido marcadas para aquele dia, a emissora decidiu ficar fora da transmissão.

Em 2016, a TV Brasil Maranhão deixou de produzir a Santa Missa local, passando a exibir a Missa de Aparecida gerada pela TV Aparecida e retransmitida pela TV Brasil. Com isso, o Repórter Maranhão passou a ser o único programa local da emissora. Em 19 de fevereiro de 2018, com as reformulações na grade da TV Brasil que deram mais espaço ao bloco infantil TV Brasil Animada, o Repórter Maranhão perdeu 15 minutos de duração e deixou de ser exibido ao meio-dia, passando a ir ao ar às 17h15, sem intervalos. Em 9 de abril, o apresentador Edmilson Filho morre vítima de um infarto, após 40 anos como âncora da emissora.[3] Com isso, o telejornal passa a ser apresentado por Luanda Bello.

Em 28 de janeiro de 2019, o Governo Federal anunciou uma reestruturação nos quadros da EBC e demitiu 45 funcionários de cargo comissionado, afetando as operações das filiais da TV Brasil. No caso da emissora maranhense, 30% dos funcionários foram dispensados e o Repórter Maranhão que era o único programa local, foi extinto.[4] A TV Brasil Maranhão passou então a retransmitir 100% da grade nacional, e como não tem anunciantes locais, também deixou de inserir seus próprios comerciais.

Gestão pelo IFMA (2019–presente)[editar | editar código-fonte]

Em 10 de dezembro, a Empresa Brasil de Comunicação encerrou suas operações no estado do Maranhão, e passou o controle da TV Brasil Maranhão para o Instituto Federal do Maranhão por um prazo de 30 anos, da mesma forma que outros veículos de comunicação gerenciados no modelo da Rede Nacional de Comunicação Pública (RNCP). Com isso, a TV Brasil Maranhão deixou de ser uma emissora própria da TV Brasil.[5] Em 3 de fevereiro de 2020, o IFMA assumiu o controle definitivo da emissora, criando o Centro de Referência Tecnológica (CERTEC), que absorveu seus profissionais e passou, entre outras funções, a administrar e utilizar a sua estrutura para o pólo de educação à distância do instituto e os conteúdos audiovisuais de outros projetos, como o IFMA Digital, TV IFMA e Rádio IFMA.[6]

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

O atual Centro de Referência Tecnológica do IFMA, sede da emissora, localizado no Bairro de Fátima, 2015
Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
2.1 34 UHF 1080i Programação principal da TV Brasil Maranhão / TV Brasil
2.2 480i Widescreen TV Brasil 2
2.3 TV Escola
2.4 Canal Saúde

A TV Brasil Maranhão ganhou concessão para explorar a transmissão digital em 21 de dezembro de 2009, quando o ministro das comunicações Hélio Costa veio a São Luís assinar as concessões para ela e mais duas emissoras. Porém, ela só implantou a nova tecnologia anos depois, em 15 de março de 2018, sendo a última das quatro emissoras próprias da TV Brasil. Nesta data, a emissora iniciou suas transmissões experimentais através do canal digital 34 UHF, em baixa potência, impedindo a captação em áreas distantes da torre de transmissão. Juntamente com o sinal, entrou no ar o subcanal 2.2, transmitindo a programação da TV NBR. A partir de 20 de março, a potência foi estabilizada, e o sinal pôde ser captado em todo o raio de cobertura, sendo lançado oficialmente em 26 de março, durante o Repórter Maranhão, que também passava a ir ao ar em alta definição pela primeira vez.[7] Em 10 de abril de 2019, o subcanal 2.2 passou a ser o canal secundário da TV Brasil, em razão da fusão da NBR com a emissora.[8] Em 6 de julho de 2020, a emissora ativou mais dois subcanais, que transmitem a programação da TV Escola (2.3) e do Canal Saúde (2.4).

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Brasil Maranhão, bem como as outras emissoras de São Luís e região metropolitana, cessou suas transmissões pelo canal 2 VHF em 28 de março de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[9] A emissora desligou o transmissor após o fim do programa Sem Censura, por volta de 18h30, sem inserir o slide sobre o switch-off.

Referências

  1. «TV pública entra no ar no domingo a partir das 12h». Folha de S.Paulo. 27 de novembro de 2007. Consultado em 6 de março de 2020 
  2. «TV Brasil mostra ao vivo festas juninas pelo Brasil neste sábado». EBC. 21 de junho de 2013. Consultado em 22 de junho de 2013 
  3. Bogea, Gustavo (9 de abril de 2018). «Jornalista Edmilson Filho morre em São Luís após parada cardíaca». Jornal Pequeno. Consultado em 9 de abril de 2018 
  4. Monteiro, Tânia (28 de janeiro de 2019). «Governo Bolsonaro reestrutura EBC e demite 45 comissionados». O Estado de S. Paulo. Consultado em 28 de janeiro de 2019 
  5. «IFMA recebe cessão de uso das instalações da EBC no Maranhão». IFMA. 10 de dezembro de 2019. Consultado em 6 de março de 2020 
  6. «IFMA inicia atividades nas antigas instalações da EBC no Maranhão». IFMA. 4 de fevereiro de 2020. Consultado em 6 de março de 2020 
  7. «TV Brasil Maranhão passa a operar no sistema digital». Agência Brasil. 28 de março de 2018. Consultado em 29 de março de 2018 
  8. Gontijo, Gabriel (9 de abril de 2019). «Portaria oficializa fusão da TV Brasil com NBR». Eu, Rio!. Consultado em 11 de abril de 2019 
  9. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 22 de março de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre televisão no Brasil é um esboço relacionado ao projeto entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.