TV Mirante São Luís

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
TV Mirante São Luís
Televisão Mirante Ltda.
São Luís, Maranhão
Brasil
Tipo Empresa privada
Canais
10 VHF analógico
29 UHF e 10.1 Virtual digital
Outros canais 10 (Oi TV)
10 e 518 HD (NET)
19 (TVN)
ver mais
Sede Bandeira de São Luís.svg São Luís, MA
Avenida Ana Jansen, 200 - São Francisco
MAPA
Slogan Você é a nossa matéria
Muito mais pra contar (aniversário)
Rede Rede Mirante (Globo)
Rede(s) anterior(es) SBT (1987-1991)
Fundador Fernando Sarney
Pertence a Sistema Mirante de Comunicação
Proprietário Paulo Guimarães
Presidente Paulo Guimarães
Fundação 15 de março de 1987 (30 anos)
CNPJ 07.306.616/0001-34
Prefixo ZYA 656
Emissoras irmãs
Cobertura Parte das regiões Norte, Oeste e Leste do Maranhão
Coord. do transmissor 2° 30' 21.3" S 44° 18' 17.2" O
Potência 10 kW
Página oficial redeglobo.globo.com/ma/tvmirante

TV Mirante São Luís é uma emissora de televisão brasileira sediada em São Luís, capital do estado do Maranhão. Opera nos canais 10 VHF e 29 UHF digital, e é afiliada à Rede Globo. É uma das emissoras próprias da Rede Mirante e a cabeça-de-rede que transmite seus programas para todo o Maranhão.

História[editar | editar código-fonte]

Concessões[editar | editar código-fonte]

Antiga Unidade Móvel de Jornalismo da emissora, em 2009

Em 12 de agosto de 1983, José Sarney, Fernando Sarney e Roseana Sarney se associam como sócios para a futura emissora de TV em São Luís, já que dois anos antes, foi criada a Mirante FM.

A primeira portaria que José Sarney assinou quando se tornou Presidente da República, em 15 de março de 1985, foi a concessão de quatro canais de TVs no Maranhão, cedendo os direitos à futura TV Mirante nas três cidades maranhenses: São Luís, Santa Inês e Timon.

Posteriormente foi criado o Sistema Mirante de Comunicação, através de 3 canais, definidas como afiliadas ao Sistema Brasileiro de Televisão (SBT): TV Mirante (São Luís e Santa Inês) e TV Timon (Timon). A Família Sarney era também proprietária da TV Imperatriz, nome da emissora com o mesmo nome da cidade, que era afiliada à Rede Globo e exibia para maior parte do Maranhão.

Interferência de Sarney na TV Difusora[editar | editar código-fonte]

Porém, Sarney não queria a eleição do deputado federal Magno Bacelar para o Senado, pois tinha interesse de tirar a afiliada da Rede Globo, a TV Difusora, das mãos da família Bacelar, criadora da primeira emissora do Maranhão em 1963, afiliada da Globo desde 1968. Para isso, já tendo em vista afiliar-se à Globo, grupos políticos aliados à família Sarney, articularam modos de dificultar a vida financeira dos detentores da TV Difusora, obrigando a vendê-la a aliados fiéis de Sarney, que aceitariam a troca de afiliação facilmente.

Mais tarde, Sarney lançou o candidato Américo de Sousa em todos os municípios que votaram em Magno Bacelar em 1982 e orientou os prefeitos mais ligados ao Sarney para fazerem campanha e votarem nos senadores Alexandre Costa e Edison Lobão.

Sarney conseguiu eleger os aliados e Magno foi derrotado na eleição de 1986. Apesar da liderança da Difusora com Globo, Magno Bacelar ficou sem mandato e a situação do Sistema Difusora entrou em crise em 1987 quando os jornais maranhenses deixaram de circular. Magno Bacelar foi obrigado a vender a emissora e todo o sistema em 1988 para o empresário William Nagem, ligado ao governador do estado Epitácio Cafeteira.

Sistema Brasileiro de Televisão (1987-1991)[editar | editar código-fonte]

A TV Mirante inicia as transmissões em 15 de março de 1987 (coincidindo os 2 anos do Governo Sarney na Presidência da República e a posse dos governadores de todo o Brasil), como afiliada ao Sistema Brasileiro de Televisão (SBT). As primeiras imagens da emissora foram as transmissões ao vivo no momento da inauguração da emissora por seus técnicos e o arcebispo de São Luís benzeu os equipamentos da emissora, que eram modernos na época, comprados e trazidos do Japão.

Com a entrada da emissora do ar, foi criado o primeiro programa local: o telejornal noturno Mirante Notícias. Pouco tempo depois, foram criados programas diurnos: Idéia Nova, Studio 10 e o programa de esportes Camisa 10. Em 1990, o Studio 10 é substituído pelo Maranhão TV.

Rede Globo (desde 1991)[editar | editar código-fonte]

1991 a 1999[editar | editar código-fonte]

Em 1° de fevereiro de 1991, a emissora deixa o SBT e passa a ser afiliada à Rede Globo. Com isso os programas locais foram extintos (com exceção do MATV, que foi para a TV Difusora) e passam ter o padrão da rede: Jornal da Manhã (equivalente ao Bom Dia Praça) e Jornal do Maranhão (equivalente ao Praça TV).

A TV Imperatriz que estava com a Globo, muda de nome para TV Mirante Imperatriz. Já a TV Timon, que foi criada para visar o mercado do vizinho estado do Piauí, não migrou de afiliação para a Globo. Hoje, a TV Timon já mudou de nome, para TV Meio Norte, foi afiliada do SBT e da Band, e mantém programação totalmente local, mantendo a sociedade entre as famílias Sarney e Guimarães, que existe desde a criação da TV Timon. Essa mesma sociedade é a da TV Mirante Cocais.

Em 1992, entra no ar o Meio-Dia, programa de entrevistas com celebridades culturais, políticas, sociais e econômicas.

Em 1993, é a vez do Ação EnCena, programa de cultura, variedades e comportamento, que aborda o mundo jovem de São Luís, que entrava no ar todos os sábados. Ficou no ar até 1996.

Em 7 de outubro de 1996, no horário onde nacionalmente era exibido Os Trapalhões (12h-12h25), estreava o Revista 10, uma revista eletrônica de assuntos variados, com apresentação de Valéria Pedrosa. Manteve no ar até 12 de novembro de 2001.

Em 1999, a programação de sábado é enriquecida com os programas Repórter Mirante e Estação Cultura, por volta das 14h e 15h. Aos domingos passava a ser exibido o Mirante Comunidade, às 7h.

Década de 2000[editar | editar código-fonte]

Em 13 de novembro de 2001, coincidindo com o dia da transmissão do jogo de futebol entre Brasil e Venezuela, válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo em São Luís (o Brasil venceu por 3 a 0, classificando-se para Copa do Mundo de 2002, onde posteriormente ganhou o pentacampeonato mundial), os programas locais são reformulados e substituídos, com exceção apenas do Repórter Mirante e Mirante Comunidade.

Com a mudança, estreiam os telejornais Bom Dia Mirante, em substituição ao Jornal da Manhã, e o JMTV, em substituição ao Jornal do Maranhão, ambos buscando uma padronização dos telejornais locais da Rede Globo. Também é criado o esportivo Esporte 10, aos sábados, em substituição ao Camisa 10.

Em 2005, o Mirante Comunidade é substituído pelo Mirante Rural, versão local do Globo Rural, e que já era exibido desde os anos 90 pela TV Mirante Imperatriz. Em 2006, o JMTV 1ª edição passa a ser apresentado por Júnior Albuquerque, até então apresentador do JMTV 2ª edição pela TV Mirante Cocais, passando a fazer dupla com Ana Guimarães.

Em 17 de fevereiro de 2008, a emissora passa a veicular de segunda à sexta nos intervalos do Mais Você, o boletim informativo Mirante Notícia,[1] apresentado por Júnior Albuquerque.

Entre 1° de novembro e 15 de dezembro, operários contratados pela emissora constroem a nova torre da emissora, chegando a 110 metros de altura, 30 metros mais alta do que a antiga torre usada para transmitir o sinal do canal 10, para servir as transmissões da TV digital da emissora. Para receber os novos equipamentos, a TV Mirante passou por uma ampla reforma em sua sede, com a construção de uma nova redação para a Central de Jornalismo da emissora.

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

Em 29 de abril de 2010, um raio atingiu por volta das 6h30, as instalações da emissora: Equipamentos foram danificados e a transmissão dos programas locais da emissora foi prejudicada. A transmissão experimental em alta definição da emissora também foi prejudicada. Uma peça que fazia parte do sistema em HDTV foi danificada e desarmou tanto o sistema titular, como o reserva. Além da TV Mirante, a Rádio Mirante também foi prejudicada, tendo que cancelar às pressas a transmissão da rodada dupla da Copa União de quinta-feira. Além disso, a emissora enfrentou problemas com suas linhas telefônicas.

Horas depois, os executivos de Comunicação da Suzano Papel e Celulose fizeram no final da manhã a visita de cortesia nas novas instalações da TV Mirante. Cristiane Malfatti, Flausino Xavier, Guilherme Hirato e Waldomiro Carvas (responsável pela comunicação externa da empresa) conheceram a nova redação da Central de Jornalismo da emissora e as novas ilhas de edição digital, acompanhados pelo diretor de Jornalismo da TV Mirante, rádio Mirante AM e portal Imirante, Rômulo Barbosa, e do repórter Sidney Pereira. Na oportunidade, os executivos assistiram trecho da edição do programa Repórter Mirante em alta definição, pela TV Mirante Digital, que opera em caráter experimental no Canal 10.1.[2]

Em 28 de junho, o Bom Dia Mirante e o JMTV deixam o antigo estúdio e passam a ser apresentados na redação da emissora, adotando o formato newsroom. No mês seguinte, a segunda edição do JMTV passa a ser apresentada por Amanda Couto, em substituição a Sirlan Sousa, que deixou a emissora para se candidatar à deputada estadual.

Em 22 de julho, em sorteio para qual emissora de TV gerar a propaganda eleitoral gratuita de 2010, definida para iniciar no dia 17 de agosto, pela primeira vez depois de nove eleições consecutivas, a emissora de propriedade da família Sarney, não será mais a geradora. Através do twitter na noite do mesmo dia, o diretor de Jornalismo da TV Mirante, Rômulo Barbosa, declarou: “Desde o início da década de 90, a TV Mirante é escolhida para gerar a propaganda eleitoral. Agora, quero ver quem vão culpar. É certo que a ‘exclusão’ foi por sorteio (coisa rara). O certo é que estamos livres do peso da responsabilidade e, mais que isso, da hipocrisia dos “atores” da eleição”. As declarações é por conta das críticas à políticos da oposição à Família Sarney que é frequentemente acusada de usar meios de comunicações em época eleitoral.[3][4]

Em 15 de março de 2012, a emissora inaugura o G1 Maranhão, através do portal G1.

Em outubro de 2014, surgem boatos pela imprensa de que todos os veículos de comunicação do Sistema Mirante de Comunicação passam a ser de propriedade do empresário piauiense Paulo Guimarães, sócio de Fernando Sarney e proprietário do Sistema de Comunicação Integrado Meio Norte.[5] As empresas no entanto nunca confirmaram ou desmentiram as afirmações publicadas pela imprensa.

No mesmo mês, em 24 de outubro, a âncora do JMTV 2ª edição, Amanda Couto, deixa a apresentação do telejornal após ser contratada pela TV A Crítica de Manaus, AM, sendo substituída pelo repórter Giovanni Spinucci, que foi promovido à âncora.

Em 25 de abril de 2015, com a reformulação da grade da Rede Globo aos sábados, a TV Mirante move o Repórter Mirante para às 8h30 da manhã, e extingue após 14 anos de exibição o Esporte 10, que agora passava a ser apenas um quadro do JMTV 1ª edição aos sábados.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
10.1 29 UHF 1080i Programação principal da TV Mirante São Luís / Globo

A emissora iniciou suas transmissões digitais em 9 de dezembro de 2009, em caráter experimental, através do canal 29 UHF, sendo a primeira emissora do Maranhão a operar na nova tecnologia.[6][7] Em 21 de dezembro do mesmo ano, o então ministro das comunicações Hélio Costa veio à São Luís assinar o termo de consignação do canal digital da emissora, bem como os da TV Difusora e TV Brasil Maranhão.[8]

Com o raio que atingiu a emissora em 29 de abril de 2010, o sinal digital que ainda estava em caráter experimental acabou saindo do ar após os equipamentos serem danificados. O departamento de engenharia da emissora trabalhou para solucionar problema e restabeleceu o sinal digital apenas em 1º de maio. Com isso, o lançamento oficial que estava previsto para 15 de março (data do aniversário de 23 anos da emissora) foi adiado para 3 de maio. Às 18h55, durante o JMTV 2ª edição, a emissora iniciou oficialmente suas transmissões digitais com uma cerimônia realizada na sua sede, onde estiveram presentes a presidente do Sistema Mirante de Comunicação, Teresa Sarney, além de vários colaboradores e convidados. Dentre os representantes da Rede Globo, estiveram presentes Octávio Florisbal, diretor-geral, Artur Villela, gerente de Engenharia de Afiliadas e Expansão, Cláudia Quaresma, diretora da Central de Relacionamento com Afiliadas, dentre outros executivos.[9][10]

O primeiro programa da emissora a ser produzido em alta definição foi o Repórter Mirante, ainda durante as transmissões experimentais em 2010. Os demais programas e telejornais só passaram a ser produzidos e exibidos neste formato em 16 de dezembro de 2013.[11]

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Mirante, bem como as outras emissoras de São Luís e região metropolitana, irá cessar suas transmissões pelo canal 10 VHF em 28 de março de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[12]

Programas[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a grade nacional da Rede Globo, a TV Mirante produz os seguintes programas:

  • Bom Dia Mirante: Telejornal, com Janaína Bordalo e Soares Júnior;
  • JMTV 1ª edição: Telejornal, com Júnior Albuquerque e Ana Guimarães;
  • Globo Esporte MA: Jornalístico esportivo, com Marco Aurélio (bloco local);
  • JMTV 2ª edição: Telejornal, com Giovanni Spinucci;
  • Repórter Mirante: Jornalístico, com Tayse Feques;
  • Mirante Rural: Programa jornalístico sobre agronegócio, com Jéssica Melo;
  • Mirante Notícia: Boletim informativo, durante a programação.

Equipe[editar | editar código-fonte]

Membros atuais[editar | editar código-fonte]

Jornalistas e apresentadores
  • Ana Guimarães
  • Camila Marques
  • Giovanni Spinucci
  • Heloísa Batalha
  • Janaína Bordalo
  • Jéssica Melo
  • Júnior Albuquerque
  • Marco Aurélio
  • Roberto Fernandes
  • Soares Júnior
  • Tayse Feques
  • Waldélia Reis
Repórteres
  • Ádria Rodrigues
  • Alex Barbosa
  • Camila Aranha
  • Dalva Rêgo
  • Douglas Pinto
  • Élbio Carvalho
  • Ingrid Assis
  • Mieko Wada
  • Patrícia Godinho
  • Regina Souza
  • Sidney Pereira
  • Werton Araújo

Membros antigos[editar | editar código-fonte]

  • Adaílton Borba
  • Amanda Couto (hoje na TV A Crítica)
  • Carla Georgina
  • Carla Ribeiro
  • Cristina Graeml (hoje na RPC)
  • Edimílson Ávila (hoje na TV Globo Rio de Janeiro)
  • Edimílson Filho
  • Herbert Fontenele †
  • Honório Jacometto (hoje na TV Anhanguera)
  • Jade Bonna
  • José Raimundo Rodrigues
  • Marcial Lima
  • Sirlan Sousa
  • Tiago Soares (hoje diretor de jornalismo da TV Difusora)
  • Valéria Pedrosa
  • Viviane Medeiros
  • Wallace Lara (hoje na TV Globo São Paulo)

† - Falecido quando membro

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «TV Mirante estréia novo programa no Maranhão». Meio Norte. 16 de fevereiro de 2008 
  2. Maurício Araya (29 de abril de 2010, 12h16). «Executivos visitam novas instalações da TV Mirante». Imirante. Consultado em 5 de maio de 2010  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. John Cutrim (22 de julho de 2010). «TV MIRANTE NÃO SERÁ GERADORA DA PROPAGANDA ELEITORAL». Jornal Pequeno. Consultado em 26 de agosto de 2010 
  4. [1][ligação inativa]
  5. Minard, Marcelo (20 de outubro de 2014). «Exclusivo! Paulo Guimarães dono da Meio Norte é o mais novo proprietário do Sistema Mirante». Blog do Minard. Consultado em 1 de dezembro de 2014 
  6. «Mirante será a primeira a entrar na era digital». Imirante.com. 30 de setembro de 2009. Consultado em 5 de março de 2010 
  7. Araya, Maurício (9 de dezembro de 2009). «TV Mirante começa a operar sinal digital em fase experimental». Imirante.com. Consultado em 5 de março de 2010 
  8. «TV Mirante já opera em definitivo com o sinal digital». Imirante.com. 22 de dezembro de 2009. Consultado em 5 de março de 2010 
  9. Gomes, Roberta (3 de maio de 2010). «Já está no ar o sinal digital da TV Mirante». Imirante.com. Consultado em 5 de maio de 2010 
  10. «TV Mirante entra na era da alta definição». Jornal Nacional. 3 de maio de 2010. Consultado em 5 de março de 2010 
  11. «TV Mirante em HD estreia na próxima semana». Rede Mirante. 12 de dezembro de 2013. Consultado em 28 de março de 2017 
  12. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 29 de março de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]