Xou da Xuxa 3

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Xou da Xuxa 3
Álbum de estúdio de Xuxa
Lançamento 11 de julho de 1988 (1988-07-11)[1]
Gravação 1987—1988;
Estúdio SIGLA
(Rio de Janeiro, Rio de Janeiro)
Gênero(s)
Duração 53:25
Formato(s)
Gravadora(s) Som Livre
Produção
Cronologia de Xuxa
Xegundo Xou da Xuxa
(1987)
4.º Xou da Xuxa
(1989)
Singles de Xou da Xuxa 3
  1. "Ilariê"
    Lançamento: 1988
  2. "Brincar de Índio"
    Lançamento: 1988
  3. "Arco-Íris"
    Lançamento: 1988
  4. "Abecedário da Xuxa"
    Lançamento: 1988
  5. "Dança da Xuxa"
    Lançamento: 1988

Xou da Xuxa 3 é o quarto álbum de estúdio da cantora e apresentadora brasileira Xuxa, lançado em 11 de julho de 1988. É o disco de maior sucesso lançado por Xuxa, vendendo cerca de 3 milhões e 800 mil cópias.[2] O disco, que trazia hits como Ilariê, Arco-Íris e Abecedário da Xuxa, firmou-se como o álbum mais expressivo em vendas do mercado latino-americano na época.[3] A música Ilariê ficou em 1º lugar por 20 semanas nas paradas brasileiras, sendo a música mais executada nas rádios juntamente com Faz Parte do Meu Show de Cazuza. Segundo o Jornal do Brasil, com dados do NOPEM (Nelson Oliveira Pesquisas de Mercado), na época o álbum alcançou o primeiro lugar na lista de discos mais vendidos.[4]

A maioria de suas músicas fez sucesso e são lembradas até hoje como verdadeiros clássicos infantis, são exemplos: "Ilariê", "Bombom", "Brincar de Índio", "Dança da Xuxa", "Abecedário da Xuxa" e "Arco-Íris". Xou da Xuxa 3 é o disco mais vendido da história do Brasil por uma artista feminina.[5]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Uma das atrações infantis de maior sucesso da Rede Globo, o Xou da Xuxa era um programa de auditório apresentado por Xuxa. Seu primeiro programa foi Clube da Criança, dirigido por Maurício Sherman em 1983, na antiga Rede Manchete. Sherman foi o responsável pela descoberta da apresentadora na televisão.[6][7]

Desde seu primeiro disco na Som Livre, Xou da Xuxa (1986), a apresentadora se tornou um fenômeno fonográfico, no natal de 1986, Xuxa recebia o seu oitavo disco de platina, prêmio concedido a cada 250 mil cópias vendidas. O LP Xou da Xuxa, já havia vendido até então mais de dois milhões de cópias, batendo o recorde sul-americano de vendagem de um só disco. Xuxa vendeu mais do que o cantor Roberto Carlos naquele ano.[8]

Produção[editar | editar código-fonte]

Para o Xou da Xuxa 3, foi feita uma pré-seleção de 200 composições feita por Michael Sullivan e Paulo Massadas, depois essas canções foram ouvidas por Xuxa e Marlene Mattos (empresária da apresentadora) sem que elas soubessem quem eram os compositores, para que não houvesse qualquer tipo de favoritismo. Dessas 200 canções, 16 foram escolhidas para que Xuxa colocasse a voz.

Xuxa gravou o álbum em cerca de 30 dias e estava tão dedicada que chegou a ir aos estúdios durante a madrugada e até aos finais de semana.[9]

Após todas as músicas gravadas, a produção da Som Livre foi a escolas públicas do Rio de Janeiro e executou todo material para alguns alunos que davam notas de 0 a 10. Além de tocar as músicas durante os intervalos das gravações do Xou da Xuxa, dependendo da reação das crianças, a música era incluída.[10]

Na época, a assessoria de Xuxa chegou a afirmar que a música favorita da apresentadora não entrou no álbum, mas não chegaram a revelar o nome da composição.

Ilariê, o maior hit do disco, é uma composição do cantor baiano Cid Guerreiro. Marlene pediu para que Cid escrevesse uma música dançante, que fosse similar as músicas interpretadas por ele que faziam bastante sucesso nas rádios naquela época. Segundo o cantor, a palavra "Ilariê" veio da palavra "hilário" que foi criada por Xuxa ser uma pessoa hilária.[11]

A música Arco-Íris foi feita especialmente para o filme Super Xuxa contra Baixo Astral. Xuxa gostou tanto da música que decidiu incluir no disco também.[12]

Para o disco, a cantora Rita Lee compôs a balada Bela BB. A canção fazia referência à atriz francesa Brigitte Bardot. Até onde se sabe, a música não chegou a ser gravada.[13]

Desempenho comercial e legado[editar | editar código-fonte]

Em apenas duas semanas o álbum já havia conseguido vender 1 milhão e 280 mil copias, e conseguiu ser o número 1 na lista dos mais vendidos em todo o Brasil.[14] É, de todos, o mais bem sucedido de Xuxa, com vendas estimadas em mais de 3 milhões e 200 mil cópias, entrando no Guiness Book como o álbum infantil mais vendido da história, e o mais vendido da gravadora Som Livre.[15][16][17] Fazendo de Xuxa a primeira artista a superar a marca de 3 milhões de cópias vendidas de um único LP.[18]

Ilariê foi a música mais tocada nas rádios em 1988, ficando 20 semanas em 1º lugar na parada de sucessos do Brasil. A música foi gravada em 80 dialetos, com direito a uma versão chinesa interpretada pelo trio feminino I.N.G.[19][20]

A partir do estrondoso sucesso do Xou da Xuxa 3, a Som Livre decidiu investir na carreira internacional da apresentadora, que lançou um álbum em espanhol no ano seguinte.

Promoção do álbum[editar | editar código-fonte]

Todas as músicas do álbum eram executadas no programa Xou da Xuxa e grande parte ganharam videoclipes que foram exibidos dentro da atração infantil. No dia do lançamento do disco, foi feita uma edição especial do programa onde a cantora apresentou algumas canções, além de apresentar a capa, contra-capa e o encarte.

Fora de seu programa diário, Xuxa chegou a divulgar o disco em outras atrações da Rede Globo como o musical Globo de Ouro e a revista eletrônica Fantástico. Além disso, a apresentadora concedeu diversas entrevistas para jornais, revistas e programas de rádio.

Em 1991, foi lançado um single com a música Ilariê e distribuído em Israel devido ao enorme sucesso que a apresentadora fazia por lá.

Turnê[editar | editar código-fonte]

A série de shows que promoveu o disco se iniciou em agosto de 1988 e encerrou em dezembro do mesmo ano. Com o nome "Xou da Xuxa 88", a turnê passou por diversas capitais como São Paulo, Fortaleza e Porto Alegre.[21][22]

Lançamentos e Relançamentos[editar | editar código-fonte]

Em LP foi lançado em 11 de julho de 1988 tendo algumas tiragens neste formato até meados de 1993. Em agosto de 1988 foi lançada a versão em CD do álbum. Posteriormente, ele foi relançado nesse formato com pequenas alterações em seu formatos em 1992,1994,1996, 2001, 2006 e 2008 e sendo considerado o álbum mais relançado da cantora até então.

Também foi lançado no formato K7 semanas após o lançamento do LP,sendo relançado no formato em 1996.

Uma edição do Xou da Xuxa 3 também foi distribuída em Israel, no ano de 1991, quando a apresentadora visitou o país.

Na comemoração de 50 anos da Xuxa e 30 anos de carreira, a Som Livre e a Xuxa Produções lançaram em junho do mesmo ano, a Coleção Xou da Xuxa, com os sete CDs “Xou da Xuxa” e um CD com material de arquivo, de diferentes fases da carreira da apresentadora.[23][24][25]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Xou da Xuxa 3[26]
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Ilariê"  
05:41
2. "Bombom"   04:23
3. "O Praga é Uma Praga"  
  • Reinaldo Waisman
  • Michel Bijou
03:40
4. "Xuxerife"  
02:55
5. "Beijinhos Estalados"  
04:36
6. "Coração Criança"  
  • Sullivan
  • Massadas
03:59
7. "Brincar de Índio"  
  • Sullivan
  • Massadas
04:22
8. "Dança da Xuxa"   03:24
9. "Eu Não"  
  • Dani
  • Luiz Otávio
02:28
10. "Abecedário da Xuxa"   03:38
11. "Arco-Íris"  
  • Sullivan
  • Massadas
  • Ana Penido
04:36
12. "Apolo"  
  • Sullivan
  • Massadas
04:02
13. "Viver"  
  • Neuma Morais
  • Neon Morais
04:15
Duração total:
53:16

NOTA: Nas versões em LP do álbum algumas músicas tiveram alguns segundos a menos pela falta de espaço, a mais prejudicada foi ''Viver'' que a repetição da introdução não acontece na versão do LP no começo da música, veja:


Coração Criança LP: 03:56 CD: 04:07

Beijinhos Estalados LP: 04:36 CD: 05:04

Eu Não LP: 02:28 CD: 02:40

Apolo LP: 03:58 CD: 04:13

Viver LP: 4:16 CD 04:52


Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

  • Produzido por: Michael Sullivan e Paulo Massdas
  • Coordenação artística: Max Pierre
  • Engenheiro de gravação e mixagem: Jorge "Gordo" Guimarães
  • Engenheiros adicionais (Som Livre): Luiz Paulo, Edu, D'Orey,Mario Jorge e Beto Vaz (estúdio Mix) Andy Mills, João Damasceno e Paulo Henrique
  • Assistentes de estúdio(Som Livre): Sergio Rocha,Ivan Carvalho, Marcelo,Serodio, Marquinhos,Cezar Barbosa,Billy, Octavio "Chambinho", Alexandre Ribas, Julio Martins, Julio Carneiro, Claudio Oliveira, Marcos André, Loba e Marcio Barros
  • Arregimentação: Jorge Correa
  • Edição - Ieddo Gouvea
  • Back Vocals: As Paquitas (Ana Paula Guimarães, Anna Paula Almeida, Priscila Couto, Tatiana Maranhão, Roberta Cipriani, Andréia Faria, Louise Wischermann)

Certificação[editar | editar código-fonte]

País / Certificadora Certificações Vendas
 Brasil (Pro-Música Brasil)[27] 3× Diamante 3.000.000+[27]

Referências

  1. «Xuxa - Xou Da Xuxa 3». Amazon. Consultado em 8 de julho de 2011 
  2. Nascimento, Sandro (2 de fevereiro de 2018). «Natelinha Uol». https://natelinha.uol.com.br/. Natelinha UOL. Consultado em 4 de novembro de 2019 
  3. Amanda Figueiredo (27 de março de 2014). «Xuxa 51 anos: momentos marcantes da rainha dos baixinhos». M de Mulher. Consultado em 24 de maio de 2014 
  4. «Discos / Os mais vendidos». Jornal do Brasil. 98 (115). 1 de agosto de 1988. Consultado em 19 de novembro de 2017 .
  5. «Som Livre: Crescimento». Memória Roberto Marinho. Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  6. «Xou da Xuxa - Curiosidades». Memória Globo. Consultado em 17 de fevereiro de 2015 
  7. «Som Livre: Crescimento». Memória Roberto Marinho. Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  8. Gustavo Miller e Laura Brentano (2 de julho de 2011). «Fotos ao redor do mundo que imitam pose da Xuxa viram hit no Facebook». G1. Consultado em 17 de fevereiro de 2015 
  9. «Som Livre: Crescimento». Memória Roberto Marinho. Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  10. «Crise? Que Crise?». Jornal do Brasil. 19 de julho de 1988 – via Biblioteca Nacional / Hemeroteca Digital 
  11. «Xou da Xuxa 3». Xuxa Wiki 
  12. «Som Livre: Crescimento». Memória Roberto Marinho. Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  13. «Folha de S.Paulo - Rita Lee prepara livro "sensorial" - 18/7/1996». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 22 de março de 2018 
  14. Jornal do Brasil. "Crise? Que Crise?" (18/07/1988).
  15. «Som Livre: Crescimento». Memória Roberto Marinho. Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  16. Ana Carolina Prado (18 de maio de 2009). «40 anos de Som Livre: uma história contada pelas novelas da Rede Globo». Rede Globo. Consultado em 24 de maio de 2014. Arquivado do original em 11 de janeiro de 2015 
  17. «50 anos de Xuxa: os números e os recordes da Rainha dos Baixinhos». R7. 27 de março de 2013. Consultado em 24 de maio de 2014 
  18. «Som Livre: Crescimento». Memória Roberto Marinho. Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  19. Renata Reif (31 de maio de 2012). «Cid Guerreiro: "Não ganho como deveria com 'Ilariê'». Internet Group 
  20. Blog do Curioso (12 de junho de 2009). «Versão chinesa de Ilariê» 
  21. «Xou da Xuxa 88». Xuxa Wiki 
  22. «Som Livre: Crescimento». Memória Roberto Marinho. Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  23. «Coleção Xou da Xuxa». Xuxa.com 
  24. «Som Livre: Crescimento». Memória Roberto Marinho. Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  25. «25 anos de Xou da Xuxa 3». Xuxa.com 
  26. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.discogs.com 
  27. a b «Sem saber cantar, Xuxa vendeu 2,5 milhões de cópias de "Xou da Xuxa"». UOL. Consultado em 2 de julho de 2016 

Ver também[editar | editar código-fonte]