Xuxa Meneghel (programa de televisão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Xuxa Meneghel
Informação geral
Formato Programa de auditório
Gênero Variedades
Duração 105 minutos
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Mariozinho Vaz (2015-16)
Ignácio Coqueiro (2016)
Apresentador(es) Xuxa Meneghel
Elenco Nany People
Empresa(s) de produção Xuxa Produções
Casablanca
Cygnus Media (produtora)
Localização RecNov - Rio de Janeiro, RJ
Exibição
Emissora de televisão original Rede Record
Formato de exibição 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Transmissão original 17 de agosto de 2015 (2015-08-17) – 19 de dezembro de 2016 (2016-12-19)
N.º de temporadas 2
N.º de episódios 67
Cronologia
TV Xuxa
Dancing Brasil
Programas relacionados The Ellen DeGeneres Show

Xuxa Meneghel foi um programa de auditório brasileiro que foi produzido e exibido pela RecordTV, em parceria com a produtora Casablanca. Era apresentado por Xuxa Meneghel, nas noites de segunda-feira, e foi transmitido entre 17 de agosto de 2015 e 19 de dezembro de 2016, com o especial "XuChá".[1] Originalmente o programa ganharia uma nova temporada em 2017, porém a emissora e apresentadora decidiram finalizá-lo para poder focar no novo projeto, Dancing Brasil.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Considerada a maior contratação da história da Rede Record, após 29 anos de Rede Globo, e longe da televisão há um ano, a apresentadora Xuxa Meneghel, estreou seu novo programa no dia 17 de agosto de 2015, no horário nobre, ao vivo, logo após o Jornal da Record, sob a direção de Mariozinho Vaz.[3]

Inicialmente transmitido ao vivo, nas noites de segunda-feira, direto do complexo RecNov, no Rio de Janeiro, o programa Xuxa Meneghel, inspirado no The Ellen DeGeneres Show, talk show exibido nos Estados Unidos pela CBS — mescla entretenimento, diversão, emoção, humor, atrações musicais, entrevistas, games e reportagens.

No palco, Xuxa recebeu, a cada programa, um ou dois convidados. Em 2015, o programa realizou o Concurso A Nova Prometida, que escolheu uma atriz para a novela bíblica da Rede Record, A Terra Prometida. A atriz Louise Marrie foi a vencedora do concurso.

Em janeiro de 2016, foi noticiado que a Rede Record contratou um diretor para editar tudo o que for "chulo, vulgar e imoral" em relação a igreja. Esta edição passou a ser vista pela imprensa como uma forma de "censura" e que a emissora estaria insatisfeita com excesso de referências sexuais e o desempenho do programa no mercado publicitário.[4]

Após uma pausa, voltou a ser transmitido em 11 de janeiro de 2016, desta vez, com direção geral de Ignácio Coqueiro. No dia 14 de setembro foi apresentado por Rodrigo Faro, Marcos Mion e Ticiane Pinheiro, pois Xuxa não teve condições de apresentar a atração, por conta da morte do seu irmão Cirano Rojabaglia.[5]

No dia 23 de novembro o programa passou a ser produzido pela produtora Cygnus Media, de Patrick Siaretta e Carla Affonso.[6] Em janeiro de 2016 o programa passou a ser produzido pela produtora Casablanca.[7] No mesmo mês, o diretor Mariozinho Vaz deixa a direção do programa. A partir de então, Xuxa Meneghel passou a ter a direção geral de Ignácio Coqueiro e direção de Blad Meneghel, Patrícia Guimarães e Thamara Cumplido.[8]

Exibição[editar | editar código-fonte]

Classificação indicativa[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2015, foi publicado no Diário Oficial da União que através do Sistema de Classificação Indicativa Brasileiro, o rótulo do programa seria alterado de "Livre" para "impróprio para menores de 12 anos" (restrito para crianças). O Ministério da Justiça afirmou que o programa possui "linguagem imprópria" para esta faixa etária. A Rede Record já sugeria esta classificação, usando o selo "12" anos com o Ministério da Justiça indicando que deveria ser "Livre".[9] Daniel Castro do site Notícias da TV afirmou que é "fato que seu programa, um talk show, é dirigido para um público adulto, os ex-baixinhos. Na atração, ela discute temas como assédio sexual, fama e religião. Eventualmente, Xuxa fala alguma expressão de conotação sexual."[9]

Quadros[editar | editar código-fonte]

  • Toc Toc
  • Na Lata
  • Ser Amigo
  • Momento do Bem
  • Como Uma Diva
  • Essa Tem Potencial
  • Faço Parte do Show
  • Conto de Fadas
  • Caixa Preta
  • Desabafão
  • Jogo do Corta
  • Jogo das Setas
  • Meias Verdades
  • Cabine Musical
  • Qual é a Mímica?
  • Desafio do Milzão
  • Desenho Animado
  • Batalha da Dublagem
  • No Escurinho do Cinema
  • É Surpresa
  • Inimigo X
  • Divã Da Xuxa
  • Casei, Dancei!
  • Papo Reto
  • Clipe Paródia
  • Amigo X
  • Desafio Da Roleta
  • Quadro De Medalhas
  • Errou, Caiu!
  • Olimpíadas Do Bem
  • Adivinhokê
  • Invasão!
  • 5 Segundos
  • Xuxa Visita
  • Os Mini Ministros
  • Loucura Labial
  • Pega Dudu!
  • Fale Qualquer Coisa (Torta na Cara)

Recepção[editar | editar código-fonte]

Patrícia Kogut do site O Globo disse que a estreia de Xuxa na Record foi "sem grandes novidades."[10] Mauricio Stycer em revisão para o Blog Os Fera.uol disse que "Xuxa estreia sem assunto, mas com boas piadas de Twitter e ataque à Globo (...) é possível dizer que, com exceção da sonoplastia, sofrível, e de falhas de enquadramento, aceitáveis ao vivo, nenhum grande erro ocorreu. Os problemas que chamaram a atenção na estreia foram de outra ordem: falta de ideias e pobreza de assuntos."[11] A jornalista Luciana Liviero elogiou a edição do making of mas criticou a roupa, a qualidade do áudio e os fãs da Xuxa na plateia.[12]

Flávio Ricco criticou o programa na sua revisão para o TV E Famosos dizendo: "Não adianta querer enganar: Xuxa ainda não tem um programa na Record (...) Pessoas próximas da Xuxa e os seus fãs mais apaixonados têm se queixado da Record, com reclamações que vão desde condições de trabalho oferecidas à falta de um maior número de chamadas. O que está faltando, de verdade mesmo, é um bom programa. (...) Desde que chegou à Record, saindo de uma situação não tão confortável da Globo, Xuxa recebeu total liberdade para fazer o que bem entendia. (...) Já foram vários os desfalques na sua equipe e o que foi exibido até aqui está longe de ser alguma coisa que atraia a atenção do público."[13] O crítico de TV José Armando Vanucci disse que a "Xuxa é uma comunicadora, ela supera a ‘apresentadora’, mas ainda não há uma química dela com a Record. A plateia dela não tá na Record, infelizmente."[14]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Xuxa Meneghel estreou na vice-liderança isolada, fechando com 11,4 pontos de média; 13,3 de pico e 19% de share, contra 6,0 do SBT, que caiu 23% no horário. A estreia de Xuxa fez a audiência da emissora crescer 84% na faixa, em relação às quatro segundas-feiras anteriores.[carece de fontes?]

Mas ao decorrer das edições o programa "Xuxa Meneghel" foi decaindo na audiência, marcando médias entre 6 a 8 pontos de média com picos de 11 pontos em algumas ocasiões, sendo assim, dificilmente atingia a Vice-liderança absoluta e apenas na estréia atingiu a Vice-liderança.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicado Resultado Ref.
2016 Troféu Internet Melhor Apresentadora Xuxa Indicado [carece de fontes?]
Programa de Auditório Xuxa Meneghel Indicado [carece de fontes?]

Referências

  1. «Xuxa Meneghel: Último programa do ano já tem data definida». Boa Info. Consultado em 16 de março de 2017 
  2. «Record bate o martelo e programa "Xuxa Meneghel" não voltará mais ao ar». Uai. Consultado em 16 de março de 2017 
  3. Redação (5 de fevereiro de 2015). «Xuxa Meneghel assina contrato com a Rede Record em coletiva de imprensa: Estou muito feliz». R7.com. R7 - Rede Record. Consultado em 3 de fevereiro de 2015 
  4. Daniel Castro (25 de janeiro de 2016). «Record escala diretor para censurar Xuxa e já estuda rescisão de contrato». noticiasdatv.uol.com.br. Consultado em 8 de agosto de 2016 
  5. «Após morte do irmão, Xuxa pede desculpas por não apresentar programa». UOL. 15 de setembro de 2015. Consultado em 28 de janeiro de 2016 
  6. RODRIGUES, Guilherme (24 de novembro de 2015). «"Xuxa Meneghel" sofre poucas demissões após terceirização do programa». RD1. Consultado em 28 de janeiro de 2016 
  7. RICCO, Flávio (4 de janeiro de 2016). «Perspectiva para Xuxa é de um ano melhor». UOL. Consultado em 28 de janeiro de 2016 
  8. Keila Jimenez (26 de janeiro de 2016). «Xuxa tem novo diretor na Record». R7. Consultado em 26 de janeiro de 2016 
  9. a b Daniel Castro (13 de novembro de 2016). «Para ministério, Xuxa fala 'linguagem imprópria' e não deve ser vista por crianças». Noticiasdatv.uol.com.br. Consultado em 8 de agosto de 2016 
  10. Xuxa estreia na Record sem grandes novidades (19 de agosto de 2015). «Xuxa estreia na Record sem grandes novidades». kogut.oglobo.globo.com. Consultado em 9 de agosto de 2016 
  11. Mauricio Stycer (18 de agosto de 2015). «Xuxa estreia sem assunto, mas com boas piadas de Twitter e ataque à Globo». mauriciostycer.blogosfera.uol.com.b. Consultado em 9 de agosto de 2016 
  12. João Amaro (18 de agosto de 2015). «Ex-Record, Luciana Liviero critica estreia de Xuxa: "Mais fãs? Muda o disco!"». rd1.ig.com.br. Consultado em 9 de agosto de 2016 
  13. Flávio Ricco e José Carlos Nery (10 de março de 2016). «Não adianta querer enganar: Xuxa ainda não tem um programa». tvefamosos.com.uol.br. Consultado em 8 de agosto de 2016 
  14. João Almeida (27 de junho de 2016). «"A plateia dela não está na Record", avalia crítico de TV sobre fracasso de Xuxa». www.otvfoco.com.br. Consultado em 9 de agosto de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]