Álbum de estúdio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Um álbum de estúdio é um álbum que possui a maioria de suas canções inéditas gravadas em estúdio por um(a) artista musical [1], sendo que álbuns de estúdio geralmente possuem 8 ou mais faixas. Caso o álbum possua a maioria de suas canções inéditas e tenha sido trabalhado em estúdio, mas é curto, ele é considerado um EP.

Características[editar | editar código-fonte]

Normalmente não contém faixas ao vivo ou remixes, e se possuir, essas faixas não fazem parte da maioria no álbum e costumam ser chamadas de "faixas bônus". Devido a sua natureza de serem muito bem preparados, eles podem conter uma variedade de técnicas de produção, incluindo segues, efeitos de som, faixas escondidas e contribuições orquestrais.

Na indústria da música, álbuns de estúdio costumam contracenar com álbuns de compilações e álbuns ao vivo. Álbuns de estúdio costumam ser chamados de próprios, contendo material que é, em sua maioria, previamente lançado antes dele. Eles tendem a ser o tipo de álbum que mais vende - no Reino Unido, por exemplo, dezoito a cada vinte e cinco álbuns que venderam mais de 2.5 milhões de cópias são álbuns de estúdio.

Na música clássica, álbuns de estúdio diferem de gravações ao vivo já que normalmente eles são resultado de algumas edições. Trabalhos orquestrais em particular podem ser takes de alguma peça. Esta prática é bem estabelecida, sendo que para gravações analógicas, edições são uma boa opção quando elas são transformadas em mídias digitais.

O álbum de estúdio mais vendido da história é Thriller (1982), de Michael Jackson, com mais de 100 milhões de cópias em todo o mundo desde seu lançamento original, em 30 de novembro daquele ano.[2]

Referências

  1. Marcia Tosta Dias (Setembro de 2012). «Quando o todo era mais do que a soma das partes: álbuns, singles e os rumos da música gravada» (PDF). Revista Observatório Itaú Cultural, nº13 (p. 63-74). Arquivado desde o original (PDF) em 12/09/2016. Consultado em 12 de setembro de 2016. 
  2. Carrillo, Karen Juanita (2012). African American History Day by Day: A Reference Guide to Events (em inglês) (Santa Bárbara, CA: ABC-CLIO). p. 254. ISBN 1598843613. 



Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.