O Clone

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Clone
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 60 minutos
Criador(es) Glória Perez
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Jayme Monjardim
Elenco
Tema de abertura "Sob o Sol", Sagrado Coração da Terra[2]
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 1 de outubro de 2001 - 15 de junho de 2002
N.º de episódios 221
Cronologia
Programas relacionados El clon (2010)

O Clone é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 20 horas pela Rede Globo, de 1 de outubro de 2001 a 15 de junho de 2002, em 221 capítulos,[1][3] substituindo Porto dos Milagres e sendo substituída por Esperança. Foi a 61ª "novela das oito" exibida pela emissora. Escrita por Glória Perez, com direção de Teresa Lampreia e Marcelo Travesso, direção geral de Jayme Monjardim, Mário Márcio Bandarra e Marcos Schechtman e direção de núcleo de Monjardim.[4]

Contou com as participações de Murilo Benício, Giovanna Antonelli, Juca de Oliveira, Reginaldo Faria, Vera Fischer, Stênio Garcia, Dalton Vigh e Daniela Escobar.[1]

Produção[editar | editar código-fonte]

O Clone estreou pouco depois dos ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, o que poderia prejudicar a boa aceitação da trama entre os telespectadores, já que um dos núcleos principais era de personagens muçulmanos. Porém, a novela tornou-se um sucesso de público.[5] A primeira fase da trama durou até o capítulo 43, exibido em 19 de novembro de 2001. A segunda fase durou do capítulo 44 até o 54, entre 20 de novembro e 1 de dezembro de 2001. E a terceira fase iniciou no capítulo 55, em 3 de dezembro 2001. Os atores que faziam parte do núcleo árabe tiveram que fazer aulas de dança para compor seus personagens.[6]

Gravações[editar | editar código-fonte]

As gravações no Marrocos começaram em julho de 2001, com uma equipe de atores, diretores e produção[7]. A equipe passou cerca de 1 mês no país africano gravando algumas cenas iniciais, e também foram registradas algumas imagens de Marrakech, Quarzazate, Erfoud, Fès e El Jadida[8].

Na época em que Albieri (Juca de Oliveira) e Edna (Nívea Maria) viajaram aos Lençóis Maranhenses, Roseana Sarney era governadora do Maranhão e pré-candidata à Presidência da República pelo então PFL (depois DEM). A TV Mirante, de propriedade da família Sarney, retransmite no estado a programação da Rede Globo. Roseana fechou um contrato de merchandising com a Globo. Em troca da exibição de cenas de pontos turísticos do estado, o governo arcaria com os custos de transporte e alimentação, e providenciaria a segurança e liberação dos locais para gravação[9].

As cenas finais da novela tiveram gravações em Natal, no Rio Grande do Norte. As gravações nas dunas simulavam as areias do deserto do Marrocos[10].

Escolha do elenco[editar | editar código-fonte]

Letícia Spiller foi a primeira opção para viver a protagonista Jade. Mas recusou o papel para se dedicar a projetos teatrais.[11] Ana Paula Arósio também foi cotada, mas a atriz recusou o papel.[12] Giovanna Antonelli acabou ficando com a personagem. Para interpretar os personagens Lucas, Diogo, e Léo foi cotado Fábio Assunção, que recusou o convite. Murilo Benício se ofereceu para interpretar os três personagens.[13] Eduardo Moscovis iria interpretar Said, mas o personagem ficou com Dalton Vigh.[14].

Um mal-entendido quase deixou Reginaldo Faria fora do elenco. Ao ser consultado, o ator explicou que estava fazendo teatro. E o personagem Leônidas, que estava reservado inicialmente para ele, foi oferecido a Raul Cortez. Travou-se então uma batalha entre O Clone e As Filhas da Mãe pelo ator e Silvio de Abreu, autor da última, não abriu mão de Cortez.[14] Apesar de o papel ter voltado para as mãos de Reginaldo, a autora Glória Perez saiu desgastada com a briga. A autora teve ainda de desistir de José Mayer para interpretar o tio Ali, pois, com a dificuldade de Manoel Carlos em achar um galã para a minissérie Presença de Anita, Mayer acabou sendo cedido. Além disso, o ator preferiu a minissérie por ser um trabalho menos cansativo e evitou emendar duas novelas[15]. O personagem acabou com Stênio Garcia, que à época estava em A Padroeira e seu personagem teve de morrer às pressas na novela.[14]

Viviane Victorette foi vencedora de um concurso promovido pelo Caldeirão do Huck e, com isso, ganhou a personagem Regininha, uma dependente química amiga de Mel.[16] Cerca de 22 atores entraram na trama apenas na terceira fase, entre eles Débora Falabella, Marcello Novaes, Solange Couto, Juliana Paes, Mara Manzan, Cissa Guimarães, Victor Fasano entre outros.[17] A vilã Alicinha (Cristiana Oliveira) também entrou na terceira fase da trama, no capítulo 60, exibido em 8 de dezembro de 2001. As maldades da personagem eram tantas que, na reprise da telenovela, os telespectadores se revoltaram no Twitter, fazendo Alicinha ficar entre os assuntos mais comentados.[18]

Um dos personagens mais aguardados para aparecer em cena na terceira fase, era o Léo, o filho de Deusa e clone de Lucas. Mas ele não apareceu de imediato, pois não morava com a mãe e vivia se comunicando por cartas. A primeira aparição dele na trama foi no capítulo 91, exibido em 14 de janeiro de 2002.[19]

Para dar mais uma apimentada na história, Luciano Szafir entra na trama no capítulo 127, exibido em 25 de fevereiro de 2002. Na trama, ele interpretou Zein, um árabe que abandonou os costumes islâmicos e que se casa com mocinha Jade, sendo ele mais uma dificuldade que ela teria que enfrentar.[20]

Incidentes[editar | editar código-fonte]

No final de janeiro de 2002, alguns atores da novela foram diagnosticados com dengue, entre eles Stênio Garcia, Elizângela e Reginaldo Faria.[21] Para reverter o tempo perdido, o elenco não ganhou folga no Carnaval e ainda gravaram em dias extras.[22] Além disso, a novela também abordou o assunto da dengue e mostrou como se prevenir.[23]

Participações[editar | editar código-fonte]

O cantor Alessandro Safina, intérprete da canção Luna, tema de Yvete (Vera Fischer) e Leônidas (Reginaldo Faria), gravou uma participação na trama na cena em que se apresentava no brechó de Yvete. As cenas foram ao ar no capítulo 50, em 27 de novembro de 2001.[24] Antes de interpretar a personagem Monique na trama, Cynthia Falabella substituiu a irmã Débora Falabella em alguns capítulos no papel de Mel, quando Débora teve de se ausentar da trama por motivo de saúde. As cenas foram ao ar no capítulo 181. A semelhança entre as duas irmãs foi tão grande que as cenas de Mel destruindo seu quarto ficaram tão reais que o público não soube distinguir Cynthia de Débora.[25] Humberto Martins fez uma participação nos últimos capítulos da novela. Na história, ele interpretou Aurélio Sobreiras, marido da vilã Alicinha, que veio reivindicar parte dos bens que ela conseguiu dando golpes. As primeiras cenas do personagem foram exibidas no capítulo 218, no dia 11 de junho de 2002.[26]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Primeira fase[editar | editar código-fonte]

A história começa na década de 1980. Leônidas Ferraz (Reginaldo Faria) é um empresário viúvo com uma vida resumida aos seus negócios, não tendo muito tempo para a sua vida pessoal. Leônidas é pai de gêmeos idênticos: Diogo Ferraz e Lucas Ferraz, interpretados por Murilo Benício. Os dois têm personalidades completamente diferentes.[27]

Diogo é um rapaz alegre e boa-praça, o preferido de Leônidas para sucedê-lo em seus negócios. Lucas é um rapaz romântico e galanteador, que aproveita a vida sem compromissos profissionais.[27]

A bela e romântica muçulmana marroquina de 18 anos Jade Rachid (Giovanna Antonelli) vive no Rio de Janeiro com a sua mãe Sálua Rachid (Walderez de Barros). Após o falecimento de Sálua no Brasil, Jade volta para a cidade marroquina de Fez para viver na casa de seu tio paterno Ali El Adib (Stênio Garcia), que também cuida de sua outra sobrinha Latiffa Rachid (Letícia Sabatella). Ali busca encontrar bons maridos para as sobrinhas. Ele deixa Jade e Latiffa sob os cuidados da governanta Zoraide (Jandira Martini), que ama as meninas como se fossem suas próprias filhas. Zoraide inclusive se torna cúmplice de todas as loucuras de amor de Jade, já que a própria Zoraide nunca conseguiu casar.[27]

Diogo e Lucas vão passar uns dias em Fez junto com o padrinho de Diogo, o geneticista Augusto Albieri (Juca de Oliveira), que ama Diogo como se fosse seu próprio filho. Os irmãos conhecem novos amores: Diogo se encanta pela bela Yvete Simas (Vera Fischer) e passam juntos uma noite de amor. Visitando a casa de Ali, um grande amigo de Albieri, Lucas conhece e se apaixona perdidamente por Jade, sendo correspondido, mas são impedidos de ficarem juntos devido aos costumes muçulmanos defendidos rigorosamente por Ali, que quer que Jade se case com Said Rachid (Dalton Vigh), um amigo da família e primo em segundo grau de Jade. Jade se recusa, pois não aceita os costumes e tradições muçulmanas e se dispõe a fugir de seu país para se casar com Lucas no Rio de Janeiro. Eles passam a viver uma história de amor encontrando-se às escondidas, em uma relação verdadeira e perigosa, onde o amor prevalece. Eles sempre se encontram nas ruínas da periferia de Fez e lá ocorre a primeira vez de Jade, já que Lucas promete casamento quando fugirem. Jade é a única que consegue desafiar a fúria de Ali, já que todos o temem. Ela não aceita viver em um país onde o homem manda, em que a mulher pode morrer por não se casar virgem e tem que viver sob a autoridade de um marido que a família escolhe.[27]

Ainda em Fez, Diogo é apresentado pelo pai a Yvete, descobrindo que ela é a namorada desconhecida de seu pai e imediatamente a reprova, uma vez que seu pai fora traído, pois eles transaram antes de saber um sobre o outro. Yvete não se entrega e cria intrigas para continuar com Leônidas que, após hesitar, decide apoiar a namorada. Brigado com o pai, Diogo volta ao Rio de Janeiro e acaba sofrendo um acidente fatal de helicóptero, para o desespero de sua família. Sua morte provoca muitas reviravoltas em sua família: Leônidas, arrasado e cheio de remorsos, distancia-se de Yvete, mas ela sempre o seduzirá e eles viverão anos entre idas e vindas.[27]

Lucas ainda está em Fez sem saber sobre a morte de Diogo. Como Latiffa se casou com seu primo Mohamed Rachid (Antonio Calloni) e mudou-se com ele para o Rio de Janeiro, Jade recebe autorização para ir com eles e Lucas. Ao voltarem ao Rio de Janeiro, Jade e Lucas continuam se encontrando às escondidas e Lucas decide se casar com ela e levá-la para a casa do pai, mesmo sofrendo muito pela morte de Diogo. Leônidas o proíbe de se casar e diz que ele tem que terminar a faculdade e que não aceitará uma nova mulher na casa. Jade, totalmente apaixonada, foge da casa de Latiffa e envia uma carta à casa de Ali em Fez dizendo-lhe que nunca mais voltará. Desesperado, Lucas vai ao encontro da amada e diz que é impossível eles tomarem qualquer atitude agora, pois Diogo morreu e o pai não a aceita na casa dele. Jade fica em profunda depressão e volta para a casa de Latiffa.[27]

Sem alternativa e com medo de ser expulsa da família por ter cometido diversos pecados (segundo as tradições religiosas de sua família) que acabariam com a reputação moral dos familiares, Jade é obrigada a voltar para Fez e aceita a escolha de Ali, casando-se com Said. Apaixonado por Jade, Said a aceita mesmo após descobrir que ela já não é virgem, chegando a fazer um corte em um dedo da mão para simular o sangramento que Jade deveria ter na primeira relação sexual dos dois, a fim de acabar com as suspeitas de Ali. Mas Said entra em fúria e a faz sofrer muito.[27]

Mesmo assim, Lucas volta a Fez logo após o casamento de Jade e eles passam a se encontrar novamente, e tentam fugir. Jade passa a ser sensual e provocante com Said, dançando muito para ele e consegue muitas joias e ouro das mãos dele mas vende tudo para ir embora. Porém, Lucas a deixa esperando pela terceira vez. Ele demorou a chegar ao local do encontro com Jade pré-marcado e Said mandou a polícia encontrar Jade, assim ela é levada a força, mas perde seu colar que possuía uma pedra jade, colar que ela carrega desde que nasceu e que salvou a vida dela quando era bebê. Ela volta para a casa de Said e fala que perdeu suas joias e ficou desesperada, e por isso sumiu. Ele fica desconfiado mas acredita, e ela se desespera pois perdeu sua pedra jade, que lhe dava sorte. Lucas consegue chegar ao local do encontro, mas não vê Jade ali. Ele encontra seu colar e o leva com ele, ainda disposto a fugir com Jade, ele vai até a casa de Said e combina novemante uma fuga com Jade, só que novamente a fuga foi impedida por Said, que viu Jade saindo de casa. Cansado de Lucas tentar levar sua mulher para longe, Said decide matar Lucas. Enquanto isso, Lucas espera Jade no local combinado, Alí encontra Lucas, percebe algo estranho nele e o leva para a sua casa, Said aparece na casa de Alí disposto a matar Lucas. Jade por sua vez, promete a Allah que se Said não conseguir matar Lucas, ela desiste de Lucas, e aceita seu destino. Alí convence Said a não matar Lucas.[27]

O tempo passa e Jade vê que é impossível fugir, e chega à conclusão de que Deus não destinou realmente Lucas à sua vida. Então ela, com muita tristeza, liga para Lucas e diz para ele esquecer o amor que tiveram, que tudo foi uma ilusão e que ela ama Said, ele fica muito decepcionado e volta a Fez para ouvir isso dela, e ela, mesmo o amando demais, é dura e insensível e diz muita coisa, que destrói Lucas por dentro. Ele decide voltar ao Brasil e esquecer esse amor, e Jade vai chorar nos braços de Zoraide.[27]

Enquanto isso, Jade sofre muito no casamento, não pode sair de casa, é obrigada a fazer tudo e tratada como empregada. Said é super apaixonado mas sabe que ela não o ama e isso o faz sentir ciúmes e tratá-la com dominação e frieza. Ela quer se divorciar, para poder viver no Brasil com as amigas e fazer a faculdade que Ali havia lhe prometido logo após a morte de Sálua. Ela sofre mais ainda quando Said mostra a ela notícias de jornais a respeito de que Lucas casou-se e vai ser pai e joga na cara dela que ele é feliz, fato que a deixa bem por ele estar feliz, mas queria que fosse com ela e não com outra. Latiffa sempre a avisa sobre Lucas, pois ela o vê às vezes.[27]

Ela passa a ser uma péssima esposa e dona-de-casa. Ela quer arranjar uma segunda esposa para Said, para poder assim lhe solicitar o divórcio, mas ele diz que jamais a deixará livre. Ela combina com uma moça, que seduz Said, mas ele descobre o golpe e aí tudo é desfeito. Ela também tem que aguentar ser atormentada por sua cunhada Nazira Rachid (Eliane Giardini), irmã mais velha de Said que sempre a inferniza jogando Said contra ela bem como tratando-a muitas vezes como uma escrava da casa.[27]

Ela não vê saída e tenta descobrir a senha do cofre de Said. Um dia ele deixa-o aberto, e ela pega um passaporte bem como muito ouro e tenta novamente fugir com ajuda de Zoraide, mas os planos novamente falham.[27]

Albieri, amigo de Leônidas e padrinho de Diogo, também se abala muito com a morte de Diogo. Em certo dia, quando Lucas vai ao seu laboratório extrair uma pinta, Albieri decide em segredo guardar as células dele para cloná-lo e assim "retrazer Diogo", seu afilhado que amava muito, realizando o maior sonho de sua vida: ser o primeiro a realizar a clonagem de um ser humano. Ele guarda as células de Lucas, mas propositalmente elas são usadas para inseminar Deusa da Silva (Adriana Lessa), uma mulher que sonha em ser mãe. Acreditando ter feito uma inseminação artificial comum, Deusa dá à luz ao filho sem saber que é um clone de Lucas, que ela ainda não conhece. Deusa também não sabe que Léo não é seu filho biológico.[27]

Inicialmente, Albieri fica horrorizado com o acaso, mas depois afeiçoa-se enormemente ao filho de Deusa, tornando-se padrinho dele também. Sua obsessão pelo garoto assusta Deusa, que decide ir embora com o filho de volta para a sua cidade, Belém. Albieri permanece no Rio de Janeiro, acompanhado de sua fiel assistente Edna (Nívea Maria), que alimenta um amor platônico por ele.[27]

Segunda fase[editar | editar código-fonte]

Dezembro de 2001. Jade ainda está casada com Said e tenta ser feliz ao lado dele, mas nunca esqueceu Lucas completamente. Said e Jade tiveram uma filha, Khadija Rachid (Carla Diaz). Jade, no início do casamento, fez um inferno na vida de Said, agindo propositalmente como uma péssima esposa a fim de que ele pedisse a separação e ela pudesse voltar para Lucas, mas com o tempo teve que parar de sonhar com um amor impossível e voltar à realidade. Zoraide é sua amiga e confidente, e até hoje a ajuda a tentar achar Lucas.

Consciente de que Jade nunca o amou realmente, Said casa-se posteriormente também com a jovem Ranya (Nívea Stelmann) e tem um filho com ela. Jade fica muito feliz com isso, pois pode convencê-lo a se separar, mas ele não a ouve e só a faz sofrer. Em outro momento, em um ato de fúria com Jade pelo comportamento rebelde dela, já que ela não aceita receber ordens e discute muito com ele, ele a repudia três vezes, o que significa divórcio, mas se arrepende. No entanto, pelos costumes muçulmanos o marido só pode voltar atrás nessa decisão caso arranje um outro marido para sua mulher, para que este também a repudie. Foi o que Said fez: solicita ao amigo Zein (Luciano Szafir), um mulherengo convicto, que se case de fachada com Jade por um dia, para que ela possa voltar para ele depois. Só que Zein se apaixona por Jade, assim tornando-se mais um disputando seu amor.

Já Lucas, a contragosto, passou a trabalhar na empresa do pai, que o pressionava para ser como Diogo. Lucas casou-se a bela Maysa (Daniela Escobar), que namorava Diogo à época do acidente e que se apaixonou por Lucas logo que o viu pela primeira vez, já após a morte do gêmeo. Com Maysa, Lucas também teve uma filha: Mel (Débora Falabella). Com o tempo, Maysa se tornou uma mulher amarga e fria que vive em brigas com Mel e com Lucas, que até hoje não esquece Jade. Jade e Lucas, inclusive, se encontraram uma vez no Brasil depois que ela se casou.

Após anos de solidão e saudades, Lucas e Jade se reencontram no Brasil por acaso quando ela vem com Said, o qual vinha tratar de negócios com Leônidas. Lucas e Jade nem acreditam quando se veem e a chama do amor se acende e tudo que eles viveram volta às suas mentes e lentamente voltam a fazerem planos para ficarem juntos, e Lucas dá a chance final a ela: ou foge com ele ou se separam de vez. Por outro lado, Said e Maysa chegam a ter um rápido relacionamento entre si para compensarem as mágoas.

Latiffa ainda está casada com Mohamed, irmão de Said, com quem teve dois filhos: Samira (Stephany Brito) e Amin (Thiago Oliveira). Quando a família vai morar no Brasil, ocorre um choque de culturas imenso. Latiffa é o total oposto de Jade e aceitou normalmente casar-se com alguém que Ali escolheu, além de aceitar que o marido mande nela.

Nazira tem um amor imaginário, Miro (Raul Gazolla), com quem tem uma relação de amor e afeto. Samira, criada no Brasil, é idêntica a Jade e não consegue viver de acordo com as regras islâmicas. Apaixona-se por um colega de escola e esconde dos pais a sua primeira menstruação - momento que marcaria o início de sua obrigação em usar o véu. Ela também demonstra horror ao casamento que seus pais procuram lhe arranjar. Khadija, pelo contrário, é idêntica a Latiffa e sonha em usar o véu e casar com alguém que o pai escolher. Ela é a melhor amiga de Samira, que fica horrorizada em ver que a prima aceita normalmente tais costumes.

Dona Jura (Solange Couto), mãe de Xande, é uma mulher divertida e engraçada. Ela é namorada de Tião (Antônio Pitanga), um homem aproveitador e um dos fiéis frequentadores de seu bar localizado no bairro carioca de São Cristovão, bastante famoso no local devido aos pastéis que faz. Segundo os moradores, são bastante saborosos. Lá é o ponto de encontro dos moradores do bairro, como os amigos Ligeirinho (Eri Johnson) e Raposão (Guilherme Karan).

Mel é uma ótima filha para seus pais, tira boas notas, é uma boa aluna, obedece seus pais, não bebe e não fica saindo de casa, sempre fica grudada aos livros e se sente muito sozinha por não receber a devida atenção e carinho dos pais. Mas tudo muda quando Leônidas decide contratar um segurança, Xande (Marcello Novaes), que é filho de Dona Jura. Mel, a princípio tem raiva de Xande, mas com o tempo acaba por se apaixonar. Mel é correspondida e ganha o apoio do namorado, mas Maysa (sua mãe) não aprova o namoro, já que Xande é pobre. Mel se vê cada dia mais revoltada pela desaprovação de seus pais com o namoro e como já não se sentia feliz em casa, resolveu ir morar com Xande, um bom namorado que a ajuda em tudo. Tudo muda quando Maysa inventa que houve um roubo de seu colar e incrimina Xande, colocando o colar dentro do carro dele. Mel fica cada vez mais revoltada com Maysa, que faz de tudo para destruir o relacionamento da filha.

Mel então desenvolve dependência química junto com dois amigos, Nando (Thiago Fragoso) e Regininha (Viviane Victorette). Em outra ocasião, Lobato (Osmar Prado), sócio de Leônidas, também sofre com dependências relacionadas ao alcoolismo. Ele perdeu o emprego e os familiares por causa disso e vive um desespero. Mel chega a ser presa por porte de drogas, e ainda participa de um assalto a ônibus para conseguir dinheiro para comprar cocaína, chegando também a facilitar um assalto em sua própria casa, deixando sua própria mãe Maysa sob a mira de um revólver. A dependência dela contribui para estragar mais um plano de Lucas de fugir com Jade, já que Mel é agressiva e vive em fúria. Xande vive apoiando Mel, até mesmo quando descobre sobre o uso das drogas. Ele faz de tudo para ajudar Mel, que fica cada vez mais dependente e não consegue se livrar das drogas, sofrendo um aborto espontâneo em sua primeira gravidez. Já na sua segunda, ela coloca a sua própria vida e a do filho em risco durante o parto, por estar drogada no momento. Maysa se fortalece com o apoio de Clarice (Cissa Guimarães), mãe de Nando, a procurar ajuda para seus filhos.

Léo reencontra Albieri ocasionalmente nos Lençóis Maranhenses. Ele acompanha o padrinho em uma viagem a Fez, onde Albieri visitará seu amigo Ali. Lá, Léo conhece Jade e se apaixona por ela, exatamente como havia ocorrido com Lucas anos antes. Ele, então, disputa com Lucas o amor de Jade, que sabe quem é cada um, mas ao ver Léo por um rápido momento achou ser Lucas. Léo passa a perseguir Jade a querendo de qualquer forma, e Lucas manda ele parar de viver uma vida que não é dele.

Quando o clone descobre toda a verdade, ele começa a refletir sobre sua vida e, quando Leônidas descobre também, briga na justiça com Deusa pela paternidade de Léo, que entra em desespero alegando não saber nada sobre a clonagem e fica horrorizada ao saber que seu filho não possui o seu sangue e sim o de Lucas.

Fim da trama[editar | editar código-fonte]

Jade consegue abandonar Said de vez e se livrar de sua dominação, vivendo feliz com Lucas. Juntos, eles têm um filho, o batizando de Diogo. Khadija não foi com Jade, e fica morando com o pai, pois pela lei islâmica os filhos pertencem ao pai. Said mesmo em fúria perdoou Jade, pois ela nunca escondeu dele que amava Lucas. Apesar de tudo, Said e Jade se tornam amigos, e ele permite que a mãe veja a filha e que Khadija fique de férias com a mãe no Brasil. Said se casou com mais uma mulher e passa a ter duas esposas, todas vivem brigando, e ele tendo que aguentar isso.

Já o clone, Léo, desaparece com o seu padrinho Albieri nas dunas do deserto do Saara, entrando em uma tempestade de areia. Mel e Nando conseguem se livrar da dependência química, mas não Regininha, que desaparece misteriosamente. Eles abrem uma clínica para dependentes químicos com o nome de Regininha, em homenagem à amiga. Leônidas, que nunca deixou de gostar de Yvete, se casa com ela e os dois têm gêmeos, recomeçando toda a história. Zoraide se casa com Ali, para sua alegria em poder um dia construir família. Nazira pensa em Miro, que lhe aparece como em seus sonhos: vestido de árabe e montado em um cavalo alado branco, que a leva embora para as nuvens. Said se casa com Zuleika, antiga pretendente de Mohamed. Amina, irmã de Ranya se casa com um comerciante muito rico. Mohammed acredita que Zé Roberto será um bom muçulmano e um bom noivo para sua filha Samira e muda o costume, aceitando um estrangeiro na religião, vendo que quando se há amor, não existe cultura nenhuma que impeça desse sentimento acontecer.

Reprises[editar | editar código-fonte]

Foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo entre 10 de janeiro e 9 de setembro de 2011, em 175 capítulos, substituindo Sete Pecados e sendo sucedida por Mulheres de Areia.[28][29]

Será reprisada na íntegra pelo Canal Viva a partir de 9 de dezembro de 2019, substituindo O Cravo e a Rosa[30][31].

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Giovanna Antonelli Jade El Adib Rachid[32]
Murilo Benício Lucas Ferraz[33]
Diogo Ferraz (1ª fase)[34]
Edvaldo Leandro da Silva (Léo)
Daniela Escobar Maysa Ferraz[35]
Dalton Vigh Said Rachid[36]
Débora Falabella Mel Ferraz[37]
Marcello Novaes Alexandre Cordeiro (Xande)
Juca de Oliveira Dr. Augusto Albieri[38]
Reginaldo Faria Leônidas Ferraz (Leãozinho)[39]
Vera Fischer Yvete
Cristiana Oliveira Alicinha
Marcos Frota Danilo Escobar (Escobar)[40]
Letícia Sabatella Latiffa El Adib Rachid[41]
Antonio Calloni Mohamed Rachid[42]
Eliane Giardini Nazira Rachid[43]
Stênio Garcia Ali El Adib[44]
Nívea Stelmann Ranya Rachid[45]
Luciano Szafir Zein
Victor Fasano Otávio Valverde (Tavinho)[46]
Beth Goulart Lidiane Valverde[47]
Solange Couto Dona Jura Cordeiro
Adriana Lessa Deusa da Silva[48]
Cissa Guimarães Clarisse
Nívea Maria Edna Albieri[49]
Carla Cabral Dora
Thiago Fragoso Fernando Escobar (Nando)[50]
Sérgio Marone Maurício Valverde (Cecéu)[51]
Thaís Fersoza Telma Valerde (Telminha)[52]
Viviane Victorette Regininha
Osmar Prado Lobato
Elizângela Noêmia
Perry Salles Mustafá
Sthefany Brito Samira Rachid[53]
Yuri Xavier Zé Roberto
Mara Manzan Odete Santos[54]
Juliana Paes Karla Santos[54]
Jandira Martini Zoraide
Raul Gazolla Miro
Totia Meireles Laurinda
Antônio Pitanga Tião
Neuza Borges Dalva
Roberto Bonfim Edvaldo
Sebastião Vasconcellos Abdul Rachid[55]
Ruth de Souza Dona Mocinha da Silva[56]
Guilherme Karan Raposão
Eri Johnson Ligeirinho
Myrian Rios Anita
Thalma de Freitas Carol
Kika Kalache Aninha
Marcelo Brou Pitoco
Paula Pereira Creuza
Franciely Freduzeski Beta
Eduardo Martini Cotia
Eduardo Canuto Gasolina
Carla Diaz Khadija Rachid[57]
Thiago Oliveira Amin Rachid[58]
Carolina Macieira Sumaya
Nóris Barth Tetê
Luã Ubacker Duda

Participações Especiais[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Walderez de Barros Sálua[1]
Françoise Forton Simone
Murilo Grossi Júlio
Francisco Cuoco Padre Matiolli
Ingra Liberato Amina
Léa Garcia Lola
Maria João Bastos Amália
Jayme Periard Roger
Beatriz Segall Miss Penélope Brown
Mário Lago Dr. Molina
Joana Fomm Drª Cecília
Walderez de Barros Sálua
Tânia Alves Norma
Humberto Martins Aurélio
Karina Bacchi Muna
Caio Junqueira Pedrinho (Filho de Lobato)
Cynthia Falabella Mel Ferraz/Monique (Filha de Lobato)
Nuno Leal Maia Jorge Luís
Paulo Betti Armando
Tony Ramos Namorado de Maysa no final
Danielle Winits Shirley
Sílvia Pfeifer Cinira
Henri Pagnoncelli  José Victor
Sérgio Mamberti Dr. Vilela
Sílvio Guindane Basílio
Maria Clara Gueiros Graça
Fabiana Alvarez Zuleika
Eloísa Mafalda Vizinha de Jade e Sálua
Samara Felippo Amiga de Diogo/Lucas
Andressa Koetz Soninha
Michelle Franco Michelle
Milena Paula Milena
Aimée Ubacker Aimée
Victor Hugo Curgula Léo com cinco anos de idade
Pedro Cravo Diogo/Lucas (Crianças)
Maria Clara Mendonça Mel com seis anos de idade
Yuri Xavier Zé Roberto
Clodovil Ele mesmo[59]

Música[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Trilha sonora de O Clone

O tema de Jade e Lucas A Miragem, de Marcus Viana, ganhou uma versão internacional, All For Love, na voz de Michael Bolton, música que abria a trilha sonora internacional da novela. A trilha sonora da novela produziu cinco CDs.[4]

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Estreou com uma média de 47 pontos, com picos de 53.[60]

As menores audiências da trama foram nas vésperas de Natal e Ano Novo (24 e 31 de dezembro de 2001), quando marcou 26 e 23 pontos, respectivamente.

Devido à grande audiência que vinha alcançando, a trama foi esticada em 1 mês[61].

No dia 29 de abril de 2002 em que foi ao ar o encontro entre Léo e Lucas, a trama alcançou 56 pontos e picos de 63, com 73% de participação.[62] Seu último capítulo registrou 62 pontos de média, com picos de 68 e 77% de share.[63]

Obteve uma média geral de 47 pontos[64].

Recepção da público[editar | editar código-fonte]

O sucesso da telenovela fez crescer a demanda de viagens para o Marrocos, fazendo com que as agências de viagens lançassem pacotes de ida para o país onde se passava a história[65].

A novela fez um pequeno merchan do programa Big Brother Brasil. No capítulo 104, exibido em 29 de janeiro de 2002, dia da estreia do programa, o personagem Basílio citou a estreia do reality show em uma das cenas. A idéia era usar a popularidade da novela para atrair público pro novo programa.

Um dos momentos mais aguardados pelo público foi o do encontro entre Lucas e Léo. Depois se quase se encontrarem várias vezes na trama, eles ficaram frente a frente no capítulo 181, exibido em 29 de abril de 2002.[66]

A telenovela abordou assuntos como uso de drogas e alcoolismo. Por meio dessa amostra, os número de dependentes que procuraram instituições anti-drogas cresceu consideravelmente.[67]

Um dos grandes destaques da trama foi a Dona Jura. Dona de um bar e do pastel mais famoso da região, ela fez o bordão "Não é brinquedo não" virar hit nacional. Além disso, recebia convidados famosos em seu bar, entre eles Zeca Pagodinho, Neguinho da Beija-Flor e Ana Maria Braga.[68] A personagem Odete, interpretada por Mara Manzan também foi um sucesso. Na trama, a personagem popularizou o bordão "Cada mergulho é um flash", que é lembrado até hoje.[69] Outros bordões que era ditos na novela e que se tornaram bastante populares são: "Bom te ver!", que era dita pelo Ligeirinho (Eri Johnson) e "Excelente!", de seu amigo inseparável Raposão(Guilherme Karan). "É ruim, hein?", frase que era sempre dita por Ivete (Vera Fischer), "Jogada ao vento, dita pela Jade (Giovanna Antonelli), além do "Tem que ser muito artista", dita por Clarice (Cissa Guimarães). Mas, sem dúvida, o bordão mais famoso da novela é "Você vai arder no mármore do inferno", frase dita até hoje, principalmente por religiosos.[70]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

O Clone rendeu a Glória Perez inúmeros prêmios no Brasil e no exterior. Os mais importantes recebidos no exterior vieram dos Estados Unidos: Prêmio INTE (o mais importante da televisão latina) de melhor autor e, prêmios concedidos pelo DEA e pelo do FBI, em razão da campanha pelos dependentes químicos.[71] No Brasil, em sua primeira exibição, O Clone foi amplamente bem recebida pelo público e crítica, sendo um dos maiores sucessos internacionais da Rede Globo. Foi exportada para 91 países, se tornando a quinta telenovela brasileira mais vendida na história. Perdendo apenas para Terra Nostra (95 países), A Vida da Gente (98 países), Da Cor do Pecado (100 países), e Avenida Brasil, a mais vendida, com 130 países.[72]

Em um ranking feito anualmente dos cinquenta programas de relevância ao longo dos últimos cinquenta anos (destacando um título por ano, desde que começou em 1963, até 2013), O Clone foi o único brasileiro da lista. O ranking é elaborado em Cannes pela WIT - empresa especializada em pesquisar tendências de conteúdo televisivo e programação digital pelo mundo. A telenovela foi vendida para emissoras de mais de noventa países.[73]

Foi eleita pelo jornal espanhol 20 minutos como a segunda melhor telenovela brasileira, atrás de Avenida Brasil, e uma das cinquenta melhores de todos os tempos pelo Portal Terra.[74][75]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicado Resultado
2001 Melhores do Ano Música-Tema "A Miragem" (Marcus Viana) Venceu
2002 Troféu Imprensa[76] Melhor Novela Glória Perez Venceu
Melhor Atriz Giovanna Antonelli Indicado
Vera Fischer Indicado
Troféu Internet[77] Melhor Novela Glória Perez Venceu
Melhor Atriz Giovanna Antonelli Venceu
Prêmio APCA 2002[78] Melhor Atriz Eliane Giardini Venceu
Melhor Atriz Revelação Sthefany Brito Venceu
Meus Prêmios Nick[79] Atriz Favorita Giovanna Antonelli Venceu
Prêmio Qualidade Brasil RJ[80] Melhor Telenovela Glória Perez Venceu
Melhor Autora de Telenovela Glória Perez Venceu
Melhor Ator de Telenovela Murilo Benício Venceu
Melhor Atriz de Telenovela Giovanna Antonelli Venceu
Melhor Ator Coadjuvante de Telenovela Stênio Garcia Venceu
Melhor Atriz Coadjuvante de Telenovela Jandira Martini Venceu
Melhor Atriz Revelação de Telenovela Carla Diaz Venceu
Prêmio Austregésilo de Athayde[81][82] Melhor Telenovela Glória Perez Venceu
Melhor Ator Murilo Benício Venceu
Melhor Ator Revelação Thiago Fragoso Venceu
Melhor Atriz Revelação Débora Falabella Venceu
Melhores do Ano Melhor Atriz Giovana Antonelli Venceu
Melhor Ator Murilo Benício Indicado
Melhor Ator Coadjuvante Juca de Oliveira Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante Eliane Giardini Indicado
Letícia Sabatella Venceu
Solange Couto Indicado
Melhor Atriz Revelação Débora Falabella Venceu
Melhor Atriz Infantil Carla Diaz Venceu
Sthefany Brito Indicado
Troféu Radar Atriz Revelação Adriana Lessa Venceu
Festival de Cinema e Televisão de Natal[83] Atriz Revelação Viviane Victorette Venceu
Prêmio Contigo! de TV[84] Melhor Novela Glória Perez Venceu
Melhor Autor Venceu
Melhor Atriz Giovanna Antonelli Indicado
Melhor Ator Murilo Benício Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante Letícia Sabatella Venceu
Melhor Ator Coadjuvante Antonio Calloni Venceu
Melhor Par Romântico Murilo Benício e Giovana Antonelli Venceu
Melhor Vilã/vilão Cristiana Oliveira Indicado
Melhor Tema de Abertura "Sob o Sol" - Sagrado Coração da Terra Indicado
Melhor Diretor Jayme Monjardim Venceu
Melhor Atriz Infantil Carla Diaz Venceu
Melhor Cenário Raul Travassos, May Martins e Gilson Santos Venceu
Melhor Figurino Paulo Lóes e Marília Carneiro Venceu
2003 Prêmio INTE[85][86] Melhor Atriz Giovanna Antonelli Venceu
Melhor Autor Glória Perez Venceu
Melhor Telenovela Venceu

Exibição internacional[editar | editar código-fonte]

A novela foi exportada para 91 países,[87] além de ter sido produzida uma versão hispânica pela Telemundo com atores de diversos países da América Latina, com gravações que ocorreram na Colômbia e nos Estados Unidos.[88][89]

No dia 7 de abril de 2008, começou a ser reprisada na TV Globo Portugal, para o público português.[90]

A TV Azteca confirmou um remake de O Clone que sairá ao ar apenas em 2014 e que deve levar o título de “Amor del Mediterrâneo”.[91]

Referências

  1. a b c d «O Clone». Teledramaturgia. Consultado em 1 de setembro de 2017. Arquivado do original em 1 de setembro de 2017 
  2. Redação Estadão (30 de dezembro de 2002). «Marcus Viana continua excêntrico». O Estado de S.Paulo. Consultado em 1 de julho de 2010 
  3. Memória Globo. «O Clone - Ficha Técnica». Consultado em 14 de junho de 2002 
  4. a b Memória Globo (2010). «O Clone - Trama Principal». Rede Globo. Globo.com. Consultado em 22 de janeiro de 2010 
  5. «Dengue e atentados não impedem sucesso de O Clone». Portal Terra. 10 de junho de 2002. Consultado em 20 de março de 2016 
  6. «Atores de "O Clone" se dizem "encantados" com o islamismo». Folha Ilustrada. 12 de julho de 2001. Consultado em 24 de agosto de 2017 
  7. «Atores da Globo viajam para o Marrocos para gravação». Folha Ilustrada. 23 de junho de 2001. Consultado em 24 de novembro de 2019 
  8. «O Clone mexe com temas polêmicos». Folha Ilustrada. 30 de setembro de 2001. Consultado em 24 de novembro de 2019 
  9. «Roseana faz merchandising na Globo». Folha de S.Paulo. 13 de janeiro de 2002. Consultado em 26 de fevereiro de 2016 
  10. «Cenas finais de "O Clone" foram gravadas em Natal». UOL. 4 de junho de 2002. Consultado em 24 de agosto de 2017 
  11. «Letícia Spiller troca a Globo pelos palcos». Diário Popular. 15 de julho de 2001. Consultado em 20 de julho de 2014. Arquivado do original em 28 de julho de 2014 
  12. «Ana Paula Arósio está fora de novela de Glória Perez». Babado Ig. 7 de abril de 2001. Consultado em 24 de agosto de 2017 
  13. «Murilo Benício fala da sua participação em O Clone». Portal Terra. 9 de junho de 2002. Consultado em 20 de julho de 2014 
  14. a b c «Alá no céu, Giovanna na tela». Portal Terra. Consultado em 13 de outubro de 2019 
  15. «"Como ator, gosto de transgredir"». Folha de São Paulo. 29 de julho de 2001. Consultado em 7 de julho de 2019 
  16. http://memoriaglobo.globo.com/programas/entretenimento/auditorio-e-variedades/caldeirao-do-huck/caldeirao-do-huck-a-nova-das-oito.htm
  17. «"O Clone" avança 18 anos e personagens envelhecem». Folha Online. 26 de novembro de 2001. Consultado em 20 de julho de 2014 
  18. «Maldades de Alicinha revoltam twitteiros». Portal Terra. 22 de julho de 2011. Consultado em 20 de julho de 2014 
  19. «Leandro, o clone, aparece na novela das 8 na próxima segunda-feira». Folha Ilustrada. 9 de janeiro de 2002. Consultado em 24 de novembro de 2019. Arquivado do original em 24 de novembro de 2019 
  20. «Luciano Szafir vive árabe misterioso na novela "O Clone"». JC Online. 19 de fevereiro de 2002. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  21. «Atores de "O Clone" ficam doentes e autora faz mudanças na novela». Folha Ilustrada. 28 de janeiro de 2002. Consultado em 20 de março de 2016 
  22. «Dengue faz elenco de "O Clone" ficar sem folgas no Carnaval». Folha Ilustrada. 5 de fevereiro de 2002. Consultado em 20 de março de 2016 
  23. «"O Clone" terá dicas contra a dengue». Estadão. 14 de fevereiro de 2002. Consultado em 20 de março de 2016 
  24. «Cantor italiano Alessandro Safina participa de "O Clone"». Folha Online. 16 de novembro de 2001. Consultado em 26 de fevereiro de 2016 
  25. «Globo usa 'clone' de atriz para driblar doença». Folha Online. 23 de abril de 2002. Consultado em 24 de agosto de 2017 
  26. «Humberto Martins vai entrar nos capítulos finais de "O Clone"». UOL Entretenimento. 3 de junho de 2002. Consultado em 20 de julho de 2014 
  27. a b c d e f g h i j k l m n Memória Globo. «O Clone - Trama Principal». memoriaglobo.globo.com. Memória Globo. Consultado em 7 de março de 2018 
  28. «Vale a Pena Ver de Novo: O Clone volta dia 10». Rede Globo. globo.com. 4 de janeiro de 2011. Consultado em 10 de janeiro de 2011 
  29. Flávio Ricco (10 de dezembro de 2010). «"O Clone" é a próxima novela do "Vale a Pena Ver de Novo"». UOL. Consultado em 24 de novembro de 2019 
  30. «Viva celebra 10 anos com 'O Clone' e traz 'Selva de Pedra' em sua 1ª reprise». Telepadi. 19 de maio de 2019. Consultado em 24 de novembro de 2019 
  31. «Grande sucesso de Gloria Perez, O Clone será reprisado no canal Viva». Noticias da TV. 6 de setembro de 2019. Consultado em 24 de novembro de 2019 
  32. «'O Clone' estreia em novembro no canal Viva, que comemora dez anos em 2020». Folha de S.Paulo. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  33. «LUCAS FERRAZ (Murilo Benício)». Globo.com. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  34. «DIOGO FERRAZ (Murilo Benício)». Globo.com. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  35. «Daniela Escobar crítica Globo em caso Monjardim». Terra. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  36. «Antes e depois! Veja como estão hoje em dia atores da novela 'O Clone'. Fotos!». Pure People. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  37. «De Mel a Nina, relembre a carreira de sucesso da atriz Débora Falabella». Gshow. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  38. «AUGUSTO ALBIERI (Juca de Oliveira)». Globo.com. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  39. «LEÔNIDAS FERRAZ (Reginaldo Faria)». Globo.com. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  40. «SOBRAL – SHOW DO IVAN FROTA receberá neste sábado o ator Marcos Frota». Sobral Agora. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  41. «"Lavínia é emocionante", diz Letícia Sabatella». Terra. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  42. «Feliz com a repercussão de 'Dois irmãos', Antonio Calloni avalia cenas quentes: 'Essa família é muito sexual'». Extra. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  43. «Eliane Giardini aproveita maturidade para crescer como atriz». Terra. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  44. «NOVELAS DE SUCESSO». Wolf Maya. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  45. «Nívea Stelmann volta a contracenar com Mário Frias e revela que filho comemorou o reencontro dos pais em 'Verão 90'». Gshow. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  46. «Mel e Maysa saem no tapa em "O Clone"». UOL. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  47. «Beth Goulart diz que sonha dirigir um longa-metragem». Terra. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  48. «Personagens inesquecíveis: quem se lembra do cientista Augusto Albieri, da novela "O Clone"?». Fabiosa. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  49. «Relembre 25 personagens de Nivea Maria, que está completando 70 anos». Bol. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  50. «Thiago Fragoso se prepara para viver paranormal». Terra. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  51. «Xande pede para Cecéu parar de oferecer drogas a Mel». Gshow. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  52. «Thais Fersoza anuncia saída da Record: "Novos projetos"». IG. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  53. «Sthefany Brito revive 'O Clone'». UOL. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  54. a b «Juliana Paes fala de crescimento na carreira e empoderamento». O Povo. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  55. «'É lenda para mim', diz Marcos Frota sobre Sebastião Vasconcelos». Gshow. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  56. «Morre a atriz Ruth de Souza, aos 98 anos». Pop Mais. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  57. «Carla Diaz relembrou a personagem Khadija Rachid, da novela 'O Clone', ao homenagear Gloria Perez». Pure People. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  58. «Relembre quem eram os Chiquititos». Estrelando. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  59. Clodovil estreia "talk show" e está em alta na Globo
  60. Alessandro Soares (2 de outubro de 2001). «'O Clone' estreia com 47 pontos de audiência». Diário do Grande ABC. Consultado em 31 de março de 2015 
  61. «Boa audiência aumenta o número de capítulos de "O Clone"». Folha de São Paulo. 11 de fevereiro de 2002. Consultado em 24 de novembro de 2019 
  62. Redação Folha Online (1 de maio de 2002). «Encontro de Leo e Lucas rende picos de 63 pontos em "O Clone"». Folha Online. Consultado em 1 de julho de 2010 
  63. «Último capítulo de 'O Clone' bate recorde de audiência». Diário do Grande ABC. 15 de junho de 2002. Consultado em 31 de março de 2015 
  64. Feltrin, Ricardo (18 de setembro de 2008). «Ibope de novelas desaba na Globo; veja a queda». Uol Notícias. Consultado em 1 de julho de 2010 
  65. «"Jade" faz Marrocos virar a bola da vez em viagens internacionais». Folha Online Ilustrada. 13 de março de 2002. Consultado em 24 de novembro de 2019 
  66. «Léo e Lucas se encontram na novela "O Clone"». Folha Online Ilustrada. 27 de abril de 2002. Consultado em 20 de julho de 2014 
  67. «"O Clone" aumenta procura por ajuda antidrogas». Estadão. 20 de maio de 2002. Consultado em 24 agosto de 2017 
  68. «"O Clone": Neguinho da Beija Flor visita bar da Dona Jura». UOL. 28 de maio de 2002. Consultado em 20 julho de 2014 
  69. «Flashes para Mara Manzan». Isto É. 20 de maio de 2002. Consultado em 20 de julho de 2014 
  70. «Bordões fazem sucesso na novela O Clone». Babado. 13 de junho de 2002. Consultado em 20 de julho de 2014 
  71. Aumanaque TV Globo (1 de janeiro de 2012). «VOCÊ SABIA?: Gloria Perez ganhou prêmio do FBI por causa de O Clone». Globo.com. Consultado em 2 de janeiro de 2012 
  72. RD1 - IG (24 de setembro de 2014). «"A Vida da Gente" entra para o ranking das novelas mais exportadas pela Globo». rd1.ig.com.br. Consultado em 22 de dezembro de 2014 
  73. Lista seleciona 50 programas em 50 anos; 'Clone' é o único brasileiro Estadão Cultura, 23 de abril de 2013
  74. «Las 50 mejores telenovelas de todos los tiempos». Portal Terra. Consultado em 13 de março de 2012 
  75. «Mejor Telenovela Brasileña - Listas - 20 Minutos». 20 minutos. 8 de janeiro de 2015 
  76. Redação Memória Globo (2001). «2001 - Troféu Imprensa». Rede Globo. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 6 de outubro de 2008 
  77. Redação Babado (18 de março de 2002). «Supla é eleito o melhor cantor no 2º Prêmio Internet». IG. Babado. Consultado em 1 de julho de 2010 
  78. Redação APCA (2002). «Os Melhores da APCA - Premiados 2002». Associação Paulista de Críticos de Artes. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 9 de julho de 2013 
  79. Redação Terra (29 de setembro de 2002). «Sandy & Junior recebem quatro prêmios em festa da Nickelodeon». Terra Gente & Tv. Consultado em 1 de julho de 2010 
  80. Redação Associação Prêmio Qualidade Brasil (2002). «Indicados e Ganhadores do Prêmio Qualidade Brasil 2002 Rio de Janeiro». Associação Prêmio Qualidade Brasil. Consultado em 1 de julho de 2010 
  81. «Prêmio Austregésilo de Athayde 2001/2002». TV Premiações Artisticas. tv-premiacoes-artisticas.webnode.com. 2002. Consultado em 22 de maio de 2019 
  82. «Olga Bongiovanni comemora título». Diário de Pernanmbuco. pernambuco.com/diario. 15 de setembro de 2002. Consultado em 22 de maio de 2019 
  83. Monzillo, Marina (3 de junho de 2002). «Viciada apenas em arroz integral». Terra Gente & Tv. Consultado em 1 de julho de 2010 
  84. Redação Contigo! Online (2002). «4º Prêmio Contigo! - Vencedores». Revista Contigo!. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 14 de setembro de 2011 
  85. Redação El Nuevo Diario (14 de junho de 2003). «Lo mejor de la TV de América» (em espanhol). El Nuevo Diario. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 30 de junho de 2008 
  86. Memória Globo. «O Clone - Prêmios». Memória Globo. memoriaglobo.globo.com. Consultado em 22 de maio de 2019 
  87. Redação Jornal de Jundiaí (19 de abril de 2010). «O sucesso das novelas da Globo pelo mundo». Jornal de Jundiaí. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 29 de outubro de 2013 
  88. Marthe, Marcelo (19 de abril de 2010). «La mutación de Jade». Revista Veja. Veja.com. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 2 de março de 2010 
  89. Redação Terra (9 de fevereiro de 2010). «"Telemundo" estreia sua versão de o "O Clone" nos EUA». Terra Diversão. Consultado em 1 de julho de 2010 
  90. Redação Telesatelite (7 de Abril de 2008). «Nova grelha TV Globo Portugal». Telesatelite. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 8 de abril de 2008 
  91. «Cópia arquivada». Consultado em 30 de abril de 2013. Arquivado do original em 30 de março de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]