Jayme Monjardim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jayme Monjardim
Jayme monjardim.jpg
O diretor Jayme Monjardim
Nome completo Jayme Monjardim Matarazzo
Nascimento 19 de maio de 1956 (60 anos)
São Paulo,  São Paulo
Nacionalidade  brasileiro
Ocupação Diretor
Cônjuge Ingra Liberato (1990 - 1995)
Daniela Escobar (1995 - 2003)
Tânia Mara (2007 - presente)
Página oficial
IMDb: (inglês)

Jayme Monjardim Matarazzo (São Paulo, 19 de maio de 1956) é um diretor brasileiro de televisão e cinema, no qual estreou com o filme Olga. É primo do dublador Julio Monjardim.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Jayme estudou durante um ano na Itália onde fez parte da equipe de Michelangelo Antonini. Começou profissionalmente no final da década de 70, dirigindo curtas-metragens documentários e sendo assistente de direção de Francisco Ramalho Júnior em Paula - A História de uma Subversiva e Filhos e Amantes.

Iniciou sua carreira na televisão no início dos 1980 na Rede Bandeirantes, onde conduziu um especial sobre a mãe, a cantora Maysa, e a série infantil Braço de Ferro (1983), escrita por Marcos Caruso. No ano seguinte, transferiu-se para a Rede Globo, na qual passou a codirigir telenovelas, como Partido Alto, Roque Santeiro e Sinhá Moça. Sua primeira direção-geral ocorre em Direito de Amar, telenovela de época de Walter Negrão, exibida na faixa das 18 horas. Em 1989 é contratado pela extinta Rede Manchete, dirigindo o grande sucesso Pantanal, de Benedito Ruy Barbosa. Na emissora ainda dirige a macrossérie O Fantasma da Ópera e passa a coordenar o núcleo de criação. Entretanto, sai da Manchete pouco tempo depois. Durante a primeira metade da década de 1990, ainda participa de várias produções independentes, como a telenovela A Idade da Loba, história do dramaturgo Alcione Araújo bancada pela produtora TV Plus e exibida na Rede Bandeirantes.

Volta para a Globo em grande estilo, dirigindo a minissérie Chiquinha Gonzaga, de Lauro César Muniz, em 1999. No mesmo ano, reata sua parceria com Benedito Ruy Barbosa, dirigindo a telenovela Terra Nostra, grande sucesso do ano de 1999. Em 2000, dirige a minissérie Aquarela do Brasil, também de Lauro César Muniz.

Em 2001 inicia uma parceria de grande sucesso com Glória Perez, dirigindo a telenovela O Clone. Em 2003 dirige e produz a minissérie A Casa das Sete Mulheres, de Maria Adelaide Amaral e Walter Negrão, um grande êxito de público e crítica.

Em 2005 rompe sua parceria com Glória Perez, devido opiniões diferentes que os dois tinham sobre o rumo da novela América. Isso aconteceu aproximadamente do capítulo 60 da novela.

Em 2006, dirigiu a novela Páginas da Vida, de Manoel Carlos, na sua primeira parceria com o "autor do Leblon". Desta vez, segundo a imprensa, sem a participação de Marcus Viana na trilha sonora (de acordo com o que foi divulgado, por pedido do próprio Manoel Carlos).

Em 2008, gravou a minissérie Maysa - Quando Fala o Coração, contando a história de sua mãe, uma cantora de vida boêmia e depressiva. A minissérie foi protagonizada por Larissa Maciel[1] e seus dois filhos Jayme Matarazzo e André interpretam o próprio pai na minissérie[2] , exibida em nove capítulos no mês de Janeiro de 2009 e escrita também por Manoel Carlos.

O novelista e o diretor voltam a trabalhar juntos na novela Viver a Vida, nova trama das 21h, cuja estreia ocorreu no dia 14 de Setembro de 2009 e protagonizada por Taís Araújo (que vive a primeira protagonista negra de uma novela das 21h da Rede Globo) e José Mayer.

Em março de 2013, volta à TV, agora dirigindo a novela Flor do Caribe de Walther Negrão.

Família[editar | editar código-fonte]

Pertencente ao importante ramo ítalo-brasileiro da família Matarazzo e a uma tradicional família do estado do Espírito Santo: os Monjardim. É bisneto do conde Francesco Matarazzo e filho do empresário André Matarazzo e da cantora Maysa. Pelo seu lado materno, é bisneto do barão de Monjardim, este presidente da então província do Espírito Santo por cinco vezes, e trineto do comendador José Francisco de Andrade e Almeida Monjardim, que presidiu a província do Espírito Santo por treze vezes.

Vida conjugal[editar | editar código-fonte]

Casou-se pela primeira vez com Fernanda Lauer, mãe dos seus dois filhos mais velhos, Maria Fernanda e Jayme Matarazzo. Após o divórcio, casou-se com a atriz Ingra Liberato em 1990, separando-se em 1995. Não quiseram ter filhos. No mesmo ano que separou-se, casou-se com a atriz Daniela Escobar, com quem teve um filho, André. Separou-se dela em 2003, durante as gravações de A Casa das Sete Mulheres. Em 10 de março de 2007, Jayme casou-se pela quarta vez com a cantora Tânia Mara, com quem tem uma filha, nascida em 29 de setembro de 2010. Tânia, sua esposa, decidiu homenagear sua falecida sogra, e batizou a filha com o mesmo nome: Maysa.[4] .

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. As gravações da minissérie Maysa
  2. Os Jaymes da nossa história/
  3. a b Aline Graziela (16 de dezembro de 2008). «A mãe de Maysa». alinegraziela.com.br.  Parâmetro desconhecido |acessoano= ignorado (|acessodata=) (Ajuda); Parâmetro desconhecido |acessomesdia= ignorado (|acessodata=) (Ajuda)
  4. Nasce Maysa, filha de Tânia Mara e Jayme Monjardim

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Jayme Monjardim