Aguinaldo Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Aguinaldo Silva
Data de nascimento 7 de junho de 1943 (72 anos)
Local de nascimento Carpina, Pernambuco
Nacionalidade  brasileiro
Ocupação Dramaturgo, escritor, roteirista, jornalista, cineasta e telenovelista
Obra(s) de destaque Roque Santeiro (1985)
Tieta (1989)
Pedra sobre Pedra (1992)
Fera Ferida (1993)
A Indomada (1997)
Porto dos Milagres (2001)
Senhora do Destino (2004)
Fina Estampa (2011)
Império (2014)

Aguinaldo Silva OMC [1] [2] (Carpina, 7 de junho de 1943) é um dramaturgo, escritor, roteirista, jornalista, cineasta e telenovelista brasileiro.

Silva possui a "marca" de único autor de novelas da Globo que só escreveu novelas de horário nobre (de acordo com a edição 1991 da Revista Veja).[3]

Pernambucano de nascimento, Aguinaldo Silva reside atualmente em Lisboa, Portugal.[4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Na adolescência, ainda funcionário de um cartório no Recife, escreveu o romance Redenção para Job. Lançado com sucesso, acabou por gerar polêmica porque correram rumores atribuindo a autoria real ao jornalista Newton Rodrigues, à época o editor da primeira página do Jornal do Commercio, importante diário da capital pernambucana.

Em 1962, quando a rede de jornais Última Hora, de Samuel Wainer, implantou no Recife o Última Hora Nordeste, Aguinaldo foi requisitado pelo jornalista Múcio Borges da Fonseca para trabalhar como repórter. Ele trabalhou alguns meses cobrindo a área do aeroporto, mas preferiu atuar internamente, na redação, passando a exercer as funções de copidesque.

Com o fechamento do jornal pelo movimento militar de 1964, Aguinaldo Silva foi morar no Rio de Janeiro, onde passou a trabalhar como repórter polícial no jornal O Globo. Na década de 1970, editou o primeiro jornal gay do país, O Lampião, um tablóide semanal que teve vida curta.

Sua experiência como repórter policial o fez ser convidado, em 1979, para ser um dos autores do seriado Plantão de Polícia, da Rede Globo, que retratava a vida de um veterano profissional dessa linha, o fictício Waldomiro Pena.

O sucesso do seriado o levou a escrever também episódios de Malu Mulher. Posteriormente lançou o formato minissérie na TV brasileira, escrevendo com Doc Comparato, Lampião e Maria Bonita. Por este trabalho recebeu o Troféu APCA de Revelação Masculina de 1982, junto com Comparato, na categoria Televisão.

Junto com o mesmo parceiro desenvolveu ainda mais duas minisséries - Bandidos da Falange (1983) e Padre Cícero (1984) - e mais uma solo - a adaptação de Tenda dos Milagres de Jorge Amado (1985). No mesmo ano em que foi ao ar Padre Cícero, escreveu a primeira novela de sua carreira em parceria com a também estreante Glória Perez: Partido Alto, atração do horário nobre que mostrava simultaneamente os 'universos' da Zona Sul carioca e dos subúrbios da mesma cidade, estes dominados pelo jogo do bicho. Contudo, tal experiência não deu certo e Aguinaldo abandonou a feitura da trama antes de seu término. Mas se recuperou logo no ano seguinte, quando José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, executivo da TV Globo, o convidou a escrever a novela Roque Santeiro.

A novela de Dias Gomes, proibida pela censura da ditadura militar, em 1975, tinha 40 capítulos escritos, mas o autor se recusou a retomar o trabalho, Aguinaldo foi convidado a escrever a novela a partir do ponto em que Dias Gomes tinha parado e o resultado foi um grande sucesso de público e crítica.

Foi também o co-autor com Gilberto Braga e Leonor Bassères da novela Vale Tudo, em 1988.

Em 1989, escreveu Tieta, protagonizada por Betty Faria, sendo considerada uma das melhores novelas da história da Rede Globo, onde tinha mistérios, como a história da Dama de Branco. Contava a história de Tieta do Agreste, baseado no livro de Jorge Amado. A novela, que na época foi uma explosão de audiência, registrou 65 pontos de média, chegando a marcar mais de 80 pontos no último capítulo (que teve média de 78). Teve como parceiros Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares.

Seu talento de romancista e ficcionista, enriquecido pela experiência na reportagem policial, casou com a produção de folhetins televisivos. Outras características marcantes são o regionalismo e o realismo fantástico. Em 1992, ao lado de Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares, escreve a novela Pedra sobre Pedra, que tinha como foco uma história no estilo Romeu e Julieta, e como história secundária, o regionalismo, realismo fantástico e o famoso ''Quem matou...''. Em 1993, mais uma vez, ao lado dos mesmos autores, escreve outro sucesso, Fera Ferida. Em 1997, escreve mais um sucesso, com a mesma temática de suas novelas anteriores, A Indomada, novela que marcou época. Em 1999, o único fracasso de sua carreira, Suave Veneno, sendo que nesta novela, Aguinaldo estava escrevendo pela primeira vez sozinho, e mudou a temática, com ela se passando em uma cidade grande e sem realismo fantástico. Em 2001, escreveu o sucesso Porto dos Milagres, novamente em parceria com Ricardo Linhares. Fez sucesso também com Senhora do Destino, em 2004, novela de maior audiência da década de 2000, com média geral de 50 pontos, índice não superado por nenhuma outra novela até o momento. [5] [6]

Entre Outubro de 2007 e Maio de 2008, foi exibida Duas Caras, novela de sua autoria, que teve Dalton Vigh e Marjorie Estiano, como protagonistas, Apesar da baixa média de audiência de 47 pontos durante os oito meses em que foi exibida, a trama foi eleita pelo jornal espanhol 20 minutos a 9ª melhor telenovela brasileira de todos os tempos.[7] .

Foi autor da minissérie Cinquentinha. Começou o ano de 2010, supervisionando a novela Tempos Modernos, de Bosco Brasil autor que já adaptou a trama Bicho do Mato, primeira trama exibida no horário das 6 na Rede Globo. Em Portugal, supervisionou a novela Laços de Sangue, primeira novela co-produzida da parceria Rede Globo e SIC

Em 2011, escreveu a minissérie Lara com Z, protagonizada por Susana Vieira e Humberto Martins. A minissérie é um spin-off de Cinquentinha.[8] No mesmo ano, escreveu Fina Estampa para o horário nobre da Rede Globo.[9]

Em 2013, supervisionou o remake de Fina Estampa, produzida pela Rede Globo e Telemundo.[10] Também no mesmo ano finalizou o roteiro de Super Crô - O Filme, lançado em 2013.[11]

Seu último trabalho foi a novela Império, que possuiu o título provisório de Falso Brilhante, e substituiu Em Família. [12] [13] [14] Recentemente em parceria com Brunno Pires e Megg Santos, escreveu um seriado intitulado Doctor Pri, com Glória Pires, cotada para interpretar a personagem-título, e previsto para estrear em setembro de 2014 [15] [16] . Porém, devido à antecipação da trama de Aguinaldo, a Rede Globo decidiu adiar indefinidamente a exibição do seriado, para o autor se dedicar apenas à novela. [17] [18] Em 2014, recebeu da Presidente Dilma Rousseff, o título de Comendador da Ordem do Mérito Cultural. [19] [20]

Em 23 de novembro de 2015, Império recebeu o prêmio Emmy Internacional de melhor telenovela, mas Aguinaldo não compareceu à cerimônia do prêmio, porém criou uma polêmica ao prometer que, se Império vencesse o Emmy, ele "ficaria pelado", promessa esta que o autor disse ter cumprido no quarto dele.[21] [22] [23] [24]

Trabalhos na televisão[editar | editar código-fonte]

Novelas[editar | editar código-fonte]

Título Ano Creditado como Notas Emissora
Autor Co-autor Supervisor
Partido Alto 1984
Sim
com Gloria Perez
Rede Globo
Roque Santeiro 1985
Sim
com Dias Gomes
O Outro 1987
Sim
Vale Tudo 1988
Sim
com Gilberto Braga e Leonor Bassères
Tieta 1989
Sim
com Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares
Pedra sobre Pedra 1992
Sim
Fera Ferida 1993
Sim
A Indomada 1997
Sim
com Ricardo Linhares
Meu Bem Querer 1998
Sim
Suave Veneno 1999
Sim
Porto dos Milagres 2001
Sim
com Ricardo Linhares
Senhora do Destino 2004
Sim
Duas Caras 2007
Sim
Tempos Modernos 2010
Sim
com Bosco Brasil
Laços de Sangue
Sim
com Pedro Lopes
SIC
Fina Estampa 2011
Sim
Rede Globo
Marido en Alquiler 2013
Sim
com Perla Farias
Telemundo
Império 2014
Sim
Rede Globo
Boogie Oogie
Sim
com Rui Vilhena

Minisséries e seriados[editar | editar código-fonte]

Título Ano Creditada como Notas Emissora
Autor Co-autor
Plantão de Polícia 1979
Sim
com Doc Comparato, Antônio Carlos Fontoura, Leopoldo Serran e Ivan Ângelo
Rede Globo
Obrigado Doutor 1981
Sim
com Walther Negrão
Lampião e Maria Bonita 1982
Sim
com Doc Comparato
Bandidos da Falange 1983
Sim
Padre Cícero 1984
Sim
Tenda dos Milagres 1985
Sim
com Regina Braga
Riacho Doce 1990
Sim
com Ana Maria Moretzsohn
A Justiceira 1997
Sim
com Daniel Filho, Doc Comparato e Antônio Calmon
Cinquentinha 2009
Sim
com Maria Elisa Berredo
Lara com Z 2011
Sim

Trabalhos no Cinema[editar | editar código-fonte]

Trabalhos na Literatura Brasileira[editar | editar código-fonte]

  • 1960 - Redenção para Job
  • 1965 - Cristo partido ao meio
  • 1968 - Canção de Sangue
  • 1972 - Geografia do Ventre
  • 1977 - O crime antes da festa: a história de Ângela Diniz e seus amigos
  • 1979 - República dos Assassinos
  • 1983 - A História de Lili Carabina
  • 1984 - Inimigo Público
  • 1992 - Lábios que beijei
  • 2005 - O homem que comprou o Rio
  • 2005 - Prendam Giovanni Improtta
  • 2006 - 98 tiros de audiência
  • 2009 - Deu no Blogão

Referências

  1. «Comendador Aguinaldo Silva: Dilma tieta autor em Brasília». Terra Brasil. 07 de novembro de 2014. Consultado em 16 de dezembro de 2014. 
  2. «Fã de Cauã Reymond, Dilma também adora Império». Veja. 06 de novembro de 2014. Consultado em 16 de dezembro de 2014. 
  3. «Aguinaldo Silva, autor de 'Império', sobre sexualidade: 'Nunca vivi no armário'». Purepeople Brasil. Consultado em 22 de julho de 2014. 
  4. «O homem das novelas que trocou o rio pelo castelo». Diário de Notícias. Consultado em 22 de julho de 2014. 
  5. Feltrin, Ricardo (12 de fevereiro de 2013). «"Salve Jorge" marca pior Ibope da história da Globo às 21h». UOL Celebridades. Consultado em 26 de fevereiro de 2014. 
  6. Feltrin, Ricardo (27 de junho de 2013). «Novela das 21h da Globo, 'Em Família' perde 25 'Itaquerões' de público». F5 - Colunistas - Ricardo Feltrin. Consultado em 10 de julho de 2014. 
  7. «Mejor Telenovela Brasileña - Listas - 20 Minutos» (em espanhol). 20 minutos. 8 de janeiro de 2015. 
  8. Leo Pinheiro (6 de abril de 2011). «Susana Vieira estreia em 'Lara com Z', seriado com personagem que viveu em 'Cinquentinha'». Veja. Consultado em 30 de abril de 2012. 
  9. Mariana Zylberkan (23 de agosto de 2011). «'Fina Estampa': estreia mostra estereótipos do estilo carioca de ser». Veja. Consultado em 30 de abril de 2012. 
  10. Redação SRZD (20 de abril de 2012). «Aguinaldo Silva não aceita morar nos EUA para produzir 'Fina Estampa'». SRZD. Consultado em 30 de abril de 2012. 
  11. Marcelo Bandeira (10 Novembro 201). «Crô e Baltazar no cinema». DestaqueSp.com. Consultado em 13 de novembro de 2012. 
  12. Ribeiro, Daniel (15 de janeiro de 2014). «Aguinaldo Silva teme ter título de novela 'roubado' por concorrentes da Globo». RD1. Consultado em 12 de fevereiro de 2014. 
  13. Annyston, Endrigo (11 de fevereiro de 2014). «Aguinaldo Silva acelera os trabalhos de sua próxima novela». RD1. Consultado em 12 de fevereiro de 2014. 
  14. Fabrício Falcheti (28 de maio de 2014). «"Falso Brilhante" tem título alterado pela Globo; confira o definitivo». NaTelinha. Consultado em 30 de maio de 2014. 
  15. Ribeiro, Daniel (16 de dezembro de 2013). «Série de Aguinaldo Silva, 'Doctor Pri' apostará em muitas cenas de sexo». RD1. Consultado em 12 de fevereiro de 2014. 
  16. Falcheti, Fabício (25 de dezembro de 2013). «Globo adia estreia da série "Doctor Pri"; confira». NaTelinha. Consultado em 12 de fevereiro de 2014. 
  17. Oliveira, Fernando (23 de fevereiro de 2014). «Depois de encurtar 'Em Família', Globo adia indefinidamente seriado de Aguinaldo Silva». R7. Consultado em 24 de fevereiro de 2014. 
  18. Bittencourt, Carla (23 de fevereiro de 2014). «'Em Família', é encurtada, e 'Doctor Pri', de Aguinaldo Silva é engavetada. Entenda.». Extra. Consultado em 24 de fevereiro de 2014. 
  19. Carla Bittencourt (08 de novembro de 2014). «Autor de 'Império', Aguinaldo Silva vira comendador: 'Fiquei emocionado!'». Extra. Telinha. Consultado em 10 de novembro de 2014. 
  20. «Dilma Rousseff tieta Aguinaldo Silva e se diz fã de 'Império'». O Globo. Revista da TV. 06 de novembro de 2014. Consultado em 10 de novembro de 2014. 
  21. «Novela "Império" e série "Doce de Mãe" conquistam o Emmy Internacional». Na Telinha. 24 de novembro de 2015. Consultado em 13 de dezembro de 2015. 
  22. «Emmy Internacional escolhe 'Império' como melhor novela». Veja. 24 de novembro de 2015. Consultado em 13 de dezembro de 2015. 
  23. «Aguinaldo Silva cumpre promessa de ficar nu após Emmy: 'No meu quarto'». Ego. 24 de novembro de 2015. Consultado em 25 de março de 2016. 
  24. «Aguinaldo Silva Promete Ficar Pelado se Imperio Vencer o Premio Emmy». Ego. 24 de novembro de 2015. Consultado em 25 de março de 2016. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]